Quando o magistério católico refuta a si mesmo


Hoje irei fazer algo diferente: quem irá apresentar os argumentos não será este simples mortal protestante que vos escreve, mas deixarei que os próprios apologistas católicos falem por mim. Sim, eu irei apenas elaborar uma breve introdução e então deixar o link onde os católicos argumentam comprovando tudo o que eu digo aqui, para então voltar com breves considerações finais.

O magistério católico romano tem uma importância tão grande no sistema papista que não à toa muitos estudiosos dão o nome de “Sola Ecclesia”, uma vez que, na prática, é o magistério que decide o que vai usar da Bíblia e o que vai considerar parte da “tradição”, bem como qual será a interpretação “correta” de ambos. Ou seja, o magistério é a autoridade final de fé dos católicos romanos, da mesma forma que a Bíblia é para os evangélicos. Diante disso, o mínimo que deveríamos esperar seria um magistério coerente, consistente, coeso e lógico ao longo de toda a sua história. Mas isso é tão escandalosamente falso que os próprios apologistas católicos desmascaram e refutam, mostrando uma enxurrada de provas de que o magistério romano atual contradiz de forma gritante e flagrante o mesmo magistério de tempos passados.

O leitor mais leigo deve se lembrar dos casos mais famosos, como a Inquisição, que era sancionada e aprovada por todos os papas enquanto existiu, mas que foi abolida em tempos modernos e rechaçada a tal ponto que até o papa João Paulo II teve que pedir perdão por ela (veja aqui). Outro exemplo é o da venda de indulgências, que existia na época de Lutero, mas foi extinta depois de Trento. Poderia acrescentar coisas menores como o celibato obrigatório, que não existia antes do século XI, mas que hoje é regra incontestável na Igreja, e a comunhão numa única espécie, novidade trazida no tempo das cruzadas, e hoje prática uniforme e inquestionável entre os papistas.

Mas isso é apenas o olhar “por fora” de um protestante curioso. Quem gosta mesmo da coisa a ponto de perder décadas da vida lendo os documentos antigos de uma Igreja pérfida e corrompida, se depara com contradições muito mais escandalosas, como a que eu já expus no artigo sobre a salvação fora da Igreja Romana (veja aqui). Eu já vi muitos sites de tradicionalistas e sedevacantistas refutando e desmascarando a Igreja do Concílio Vaticano II em diante, mas nenhum que fizesse isso com tanta maestria e com um compilado de provas tão exaustivo e irrefutável como esse site de fanáticos tradicionalistas católicos e antiprotestantes, que mostra centenas de documentos oficiais da ICAR provando como a mesma de fato mudou radicalmente (para eles, “apostatou” e “perdeu a fé”):


Essa deve ser uma das raras vezes que eu insisto em divulgar um artigo católico, mas leiam, é importante, e leiam rápido antes que o site seja tirado do ar. O artigo é um verdadeiro tapa na cara muito bem dado a todos os fanáticos católicos que afirmam coisas do tipo:

• “Os papas são vigários de Cristo infalíveis”

• “A Igreja (Romana) é a mesma há 2.000 anos”

• “A Igreja (Romana) não muda; ensina a mesma coisa desde a época de Cristo”

• “A Igreja (Romana) é assistida diretamente pelo Espírito Santo e não pode errar ou se contradizer”

• “A Igreja (Romana) crê nas mesmas coisas desde sempre, uma só fé..."

Não, meu amigo. Sua Igreja não é a mesma nem aqui e nem na China (literalmente); ela muda mais que camaleão. Embora essas mudanças nem de longe tenham ocorrido tudo de uma hora pra outra, como apontam os apologistas católicos do artigo (que jogam toda a culpa nas costas do CVII), o CVII é o concílio tido como o ápice da apostasia. Nas palavras dos tradicionalistas católicos, ele é um “concílio do diabo” que “criou uma falsa Igreja”, que fez “Roma perder a fé” de modo a se tornar “o trono do anticristo”, e coisas piores. Ou seja, não estamos falando de coisa pequena. Imagine a indignação de um apologista católico desses que espumam pelos dentes com ódio dos protestantes e que debate com eles todos os dias os chamando de “filhos da serpente” ao ver o selo do Vaticano em comemoração aos 500 anos da Reforma:


Parece até surreal: há menos de quinhentos anos o papa estava comemorando com toda a alegria e satisfação o massacre covarde de milhares de huguenotes na noite de São Bartolomeu, tocando os sinos de Roma, cunhando uma moeda comemorativa e mandando celebrar um Te Deum no Vaticano, e agora está comemorando... a própria Reforma! É realmente bizarro. Se um fanático católico daqueles do século XVI, da época em que se caçava e se queimava protestantes na fogueira e se praticava massacres públicos e genocídios sistemáticos com todo o discurso de ódio, ressuscitasse nos dias de hoje e se deparasse com a Igreja Romana dos nossos dias, com todos os cultos ecumênicos e discursos de união e tolerância dos papas modernos, ele morreria de novo de tanto susto e agonia.

A única coisa que os apologistas católicos do artigo erram é em não perceber a razão da mudança. A Igreja Romana não mudou porque quis, ou porque decidiu se tornar “boazinha” e “tolerante”, ou porque tenha se arrependido sinceramente de suas atrocidades do passado (o que esses apologistas consideram inadmissível, pois gostam mesmo daquela Igreja antiga tirânica e assassina). Não. Ela mudou porque foi obrigada a isso, devido à mudança dos tempos e aos novos ares de tolerância, democracia, pluralismo e liberdade trazidos pela Reforma e pelo iluminismo. E neste novo mundo, neste "mundo moderno", já não há espaços para tiranias, para fogueiras, para Índex ou para "Santo Ofício". Por muito tempo os papas lutaram com todas as forças contra este mundo moderno, inclusive escrevendo bulas furiosas em que atacavam a liberdade de cultos e a consciência individual (veja aqui), mas, nesta queda-de-braço, eles finalmente sucumbiram e tiveram que aceitar o mundo moderno e se unir a ele. Essa é a Igreja Romana que vemos hoje. As mesmas doutrinas corruptas de antes com o acréscimo de outras piores, mas sem o mesmo poder político para continuar caçando, perseguindo e assassinando a todos os dissidentes como outrora.

Antes, quando um romanista me dizia para “ouvir a Igreja”, eu perguntava: qual Igreja? A Romana ou a Ortodoxa? Hoje, nem isso é necessário mais, porque a própria Igreja Romana é um festival de contradições e mutações. Devemos é perguntar: qual Igreja? A Igreja Romana da época da Inquisição, das cruzadas, da caça às bruxas, da perseguição religiosa, da censura oficial de livros, da proibição à liberdade de culto e da condenação à liberdade de consciência, ou a Igreja Romana de hoje, que condena tudo isso e cuja hierarquia busca o clima mais amistoso, pluralista e ecumênico possível com os não-católicos? A Igreja, obviamente, já não é a mesma nem de longe. Devemos escolher qual magistério “infalível” seguir: o antigo, que já morreu, ou esse recente, mais novo que o próprio protestantismo?

Antes de terminar, não deixem de conferir os artigos mais recentes do Bruno Lima, que voltou a publicar com regularidade em seu excelente blog "Respostas Cristãs". São artigos sobre a Sola Scriptura indispensáveis para um bom entendimento no assunto:



Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

-Meus livros:

- Baixe e leia gratuitamente meus livros clicando aqui.

- Confira a lista exaustiva de artigos do blog clicando aqui.

- Siga-me no facebook clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros blogs:

LucasBanzoli.Com (Um compêndio de todos os artigos já escritos por mim)
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Artigos devocionais e estudos bíblicos)
Desvendando a Lenda (Refutando a imortalidade da alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)
Fim da Fraude (Refutando as mentiras dos apologistas católicos)


     

Comentários

  1. Oi Lucas, a apologética católica afirma que o protestantismo comete anacronismo ao tratar da história da Igreja (a ICAR no caso). O que você acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que anacronismo há em dizer que a Igreja perseguia, castigava e matava pessoas por questões religiosas durante a Idade Média e Moderna? Isso não é nenhum anacronismo, é apenas a exposição dos fatos.

      Excluir
    2. Avalie: http://doisdedosdeteologia.com.br/os-pais-da-igreja-eram-contra-o-sola-scriptura/

      Excluir
    3. Avaliar o que se fui eu que escrevi? o.O

      Excluir
    4. Kkkkkkkkkkk essa foi muito boa

      Excluir
    5. A oratória católica não é imbecil. Mas subsiste, e é eficaz; e funciona, exatamente para isso: imbecilizar... Não precisamos muita cultura, nem pouca, nem muitíssima dela. Mas apenas conhecer um pouco mais de história e de Bíblia para discernir, quer o mais refinado discurso católico, quer o mediano, quer ainda o mais estúpido ou vulgar; àquele onde a idolatria mais crassa se associa as superstições. Todos estes corroboram como um plano maior para a imbecilização coletiva. Todos foram forjados para atender a demanda mundana do ser decaído ou carnal: Um para através da dialética infinda fascinar o intelectual, o segundo para através das discursarias menores, vazias, ou sem consistência, fascinar o mediano, o inculto. Para o ignorante ou boçal, Satanás investe fundo na exploração multicolorida dos contos do vigário, onde crenças, "causos", superstições, idolatrias e o lendário se mesclam, para transformar o ignorante em boçal. Enfim, todos alcançados pela heresia católica, se tornam em verdadeiros zumbis... Ninguém se iluda, o catolicismo é um sistema de dolo cujo refinamento é mais poderoso que possamos anuir, pois satânico, forjado desde o Inferno para adereçar mais fortemente a grande meretriz das Sete Colinas romanas.

      Excluir
  2. Tô tentando me acostumar com layout, o antigo era melhor. Nunca tive problemas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também nunca tinha tido, mas não consegui resolver o problema de nenhuma outra maneira. Vou ver se o antigo layout volta a funcionar direito em um blog de testes que tenho, e se um dia voltar eu recoloco no layout deste aqui.

      Excluir
  3. Eu gostei do novo layout mesmo nunca tendo problemas com o anterior... Eu geralmente não gosto de mudanças mas essa foi uma das raras mudanças que em que eu me adaptei rapidamente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema é que para alguns computadores o menu da esquerda não aparece, a não ser clicando em um símbolo que fica na parte superior à esquerda. É uma coisa boba, mas tem gente que não está bem habituada a "menus ocultos" como esse e aí acabam pensando que neste modelo não tem menu. Vou ver se consigo arrumar isso nos próximos dias, senão deixa assim mesmo e as pessoas que se acostumem... rs.

      Excluir
  4. O layout anterior era beeeeem mais bonito amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reginaldo nunca comenta, aí quando comenta é pra falar mal do layout novo kkkkk

      Excluir
  5. Olá Lucas!
    Vc vai fazer um artigo sobre acusações dos católicos sobre as adulterações nas bíblias protestantes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou, mas primeiro vou publicar um sobre a acusação católica de que a Bíblia não é a Palavra de Deus.

      Excluir
    2. E não se esqueça do "como funciona o mundo na cabeça de um zumbi tridentino - parte 4". Eu sei que estes assuntos acima são beeem mais importantes, mas mal posso esperar pelo divertimento : )

      Excluir
    3. Verdade, já estava quase me esquecendo...

      Excluir
    4. Aguardando sobre a acusacao catolica de que a Bíblia não é a palavra de Deus e to com pressa.......

      Excluir
    5. A pressa é inimiga da perfeição.

      Excluir
  6. Só achei ruim que não há um link para os últimos comentários. Se tivesse isso pra mim seria praticamente a mesma coisa que o outro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem sim, o problema é que esse gadget está constantemente com problemas e aí não aparece, mas já tinha esse tipo de problema no outro layout, daqui a pouco aparece de novo...

      Excluir
  7. Ué, a Igreja do Brasil pensa diferente...

    http://br.radiovaticana.va/news/2017/11/09/igreja_nos_eua_volta_a_pedir_proibi%C3%A7%C3%A3o_do_porte_de_armas/1347806

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só se for a "Igreja Olavete", porque a Igreja Católica do Brasil é aquela comandada pelos "bispos comunistas" da "CNBB comunista" do "cardeal Odilo comunista"...

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/05/o-que-podemos-aprender-com-o-fight.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/09/olavo-de-carvalho-excomunga-o-papa.html

      http://blog.opovo.com.br/ancoradouro/depois-de-excomungar-cardeal-olavo-de-carvalho-pede-interdito-do-papa-francisco/

      Excluir
  8. https://www.youtube.com/watch?v=UqtOhy2Wldc

    Albert Einstein era ateu mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, eu já escrevi sobre isso aqui:

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2015/04/albert-einstein-era-ateu.html

      Excluir
  9. Boa tarde amigo Lucas, acho que o pessoal lá do fiel católico não gostou muito da comemoração do papa, em editar um selo.Escreveram um artigo dizendo "ECUMENISMO OU DISTORÇÃO ESCANDALOSA DA HISTORIA", aonde colocaram ate uma historiadora chamada Maria Elvira Roca. Se possível de um lida por favor e diga algo. Marcos Monteiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, já era esperado que eles ficariam irados e transtornados COM O PRÓPRIO VATICANO depois desse selo comemorativo aí, bem eles que passam a vida toda tendo como missão atacar, difamar e caluniar o protestantismo e os protestantes a todo e a qualquer custo. Na verdade nem a Igreja deles está aprovando o trabalho deles - eles não trabalham para a ICAR moderna, mas para a ICAR medieval, para aquela ICAR tirânica que perseguia e assassinava a quem quisesse, da qual eles sentem tanta saudade a ponto de querer trazê-la de volta aos nossos dias.

      Quanto ao conteúdo do artigo, ele não é baseado em nenhum livro sério de história, apenas em uma matéria de um site escrito por essa impostora revisionista católica e antiprotestante, que repete as mesmas bobagens e difamações contra Lutero que já estamos perfeitamente habituados. É a velha e ultrapassada apologética católica de sempre, tão retrógrada quanto sempre foi.

      Excluir
  10. Lucas, o que vc acha de festa junina? Vc acha lícito um evangélico participar alegando ser algo cultural de seu país?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende de como é essa festa junina e do que rola lá dentro. Evangélico não tem problema em ir a festas ou coisas do tipo, mas é errado ir a algum lugar em que será induzido ao pecado.

      Excluir
  11. Olá. Tenho duas perguntas a fazer. A primeira delas é sobre capitalismo. Eu, particularmente, gosto do sistema capitalista no que diz respeito ao livre mercado. Contudo, vejo nesse sistema coisas muito ruins como: desigualdade, falso discurso da "meritocracia" (na prática ela não pode ocorrer se houver uma desigualdade social muito grande, como é o caso do Brasil), consumismo, destruição do meio ambiente em prol do desenvolvimento econômico (destruição ambiental no sentido de desequilibrar mesmo o meio ambiente)...como resolver essas situações dentro do sistema capitalista?
    A segunda pergunta é se você é tão bom na argumentação quanto nas matérias de exatas rsrs
    Gosto muito dos seus textos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É errado pensar que o capitalismo que gera a desigualdade. Na verdade, se você estudar sobre os sistemas econômicos não-capitalistas na história, todos eles geraram muito mais desigualdade. No feudalismo, por exemplo, qual não era a desigualdade entre um senhor feudal e seus vassalos? Ou no comunismo, qual não é a desigualdade entre os irmãos Castro em Cuba e o povo cubano? Ou o ditador norte-coreano e o povo do seu país? É muito maior, obviamente. O capitalismo ao menos propicia a OPORTUNIDADE de uma pessoa "de baixo" crescer e se tornar de classe média, ou de classe média alta, ou até rica. Hoje muitas pessoas que são ricas em países capitalistas vieram de famílias que eram pobres antes, veja se isso acontecia ou acontece nos sistemas não-capitalistas, onde não há qualquer perspectiva de progressão de vida.

      Se você conferir um livro sobre história da economia, por exemplo o "História global da ascensão do Ocidente – 1500-1850" (Jack Goldstone), que eu gosto muito apesar de não ser protestante e até contestar Weber, verá que a condição de vida da humanidade até o final da Idade Moderna era péssima, a ponto de a estimativa de vida girar entre 30 e 40 anos, a mortalidade infantil era altíssima, os camponeses morriam literalmente de fome constantemente, qualquer peste que hoje seria facilmente controlada causava uma devastação enorme, e assim por diante. O que mudou todo esse quadro, a ponto de nos dar a vida tão magnificamente superior que temos hoje, e num intervalo de apenas poucos séculos? CAPITALISMO. E capitalismo influenciado fortemente pela ética protestante, e que se desenvolveu quase que exclusivamente nas terras protestantes.

      Há problemas no sistema capitalista? Ninguém disse que não. O próprio Winston Churchill, um dos maiores ícones da direita inglesa que já existiu, dizia que "o capitalismo é o pior de todos os sistemas... excetuando todos os outros". Grande parte disso nem é culpa do capitalismo em si, mas da ganância das pessoas, que não pode ser realmente controlada por nenhum sistema político/econômico, e a prova disso é que todas as alternativas ao capitalismo fracassaram miseravelmente.

      Sobre ser bom em exatas, eu acho que se eu concorresse em alguma prova de exatas eu passaria... se virasse a classificação de cabeça pra baixo, é claro :)

      Excluir
  12. Banzoli, satanás é onisciente? E os casos de pessoas que leem a mente de outras?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é onisciente mas ele pode colocar maus pensamentos na cabeça das pessoas, por isso às vezes passa a impressão de que consegue "ler" mentes, quando na verdade apenas deduziu aquilo que ele mesmo colocou lá.

      Excluir
  13. Lucas, o Fábio Sabino é um herege liberal, mas dessa vez ele mitou. Gostei dessa análise dele de Ezequiel 28. Concordo com ele. E você, o que acha?

    https://www.youtube.com/watch?v=QOO5Wxun8wM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discordo das duas coisas. Ele não é um herege, porque para ser herege é preciso se dizer cristão, e ele abertamente se declara como não-cristão, não crê nem que Jesus seja o Messias, nem em qualquer doutrina cristã básica. E também discordo que ele "mitou". Ele faz uma análise literalista de Ezequiel 28, quando qualquer estudioso com um mínimo de bom senso sabe que era um texto poético, portanto sem qualquer necessidade de ser literal (a poesia geralmente é trabalhada através de metáforas e alegorias). Inclusive se ele aplicasse esse mesmo método e raciocínio ao rei de Tiro (que é quem ele crê que está sendo exclusivamente retratado em Ez 28), também implicaria nas mesmas "contradições" que ele aponta no vídeo (por exemplo, o rei de Tiro também não havia sido aniquilado ainda, e nem estava no jardim do Éden).

      Excluir
    2. "para ser herege é preciso se dizer cristão"

      Eu não conhecia essa definição. Para mim herege é quem ensina doutrinas contrárias às escrituras, sem necessariamente ser alguém que se diz cristão ou pagão. Por exemplo, um espírita que ensina a reencarnação é um herege. A reencarnação é uma heresia.

      Pra falar a verdade ele não mitou mesmo não. Estive assistindo outros vídeos dele, em que ele diz abertamente que o diabo não existe. Entendi agora que quando ele diz que que satanás é um mito em Ezequiel 28, o que ele tá querendo dizer é que ele é um mito mesmo, ou seja, que não existe, que é coisa da imaginação humana. O cara é doido.

      Excluir
    3. O conceito de "herege" não é tão elástico assim, senão deveríamos chamar de "hereges" os muçulmanos, judeus, budistas, hindus, enfim, qualquer um que ensina doutrinas não-cristãs, o que todos esses fazem já que nem cristãos são. Então por essa ótica todo mundo exceto os cristãos seriam "hereges". O caso do espiritismo é diferente, porque eles DE FATO se consideram "cristãos", por mais incrível que pareça.

      Sobre o Sabino, se você se assustou por saber que ele não crê na existência do diabo, é porque ainda não viu essas outras coisas dele:

      1) Jesus é "filho do diabo" e foi possuído por demônios.
      2) Paulo era um "falso apóstolo", um farsante.
      3) A Bíblia é toda ela uma adulteração proposital.
      4) Daniel era gay e homossexualismo não é pecado.
      5) José (pai de Jesus) era corno.
      6) Jesus não é Deus, nem Messias, nem ressuscitou, nem voltará.
      7) Moisés era politeísta.
      8) Coisas piores.

      Excluir
    4. Ave Maria! Coisas piores do que essas aí acredito que só no inferno!

      Excluir
    5. Segundo o meu humilde entendimento, herege é quem propaga doutrinas anti-bíblicas. Assim, não todos os não-cristãos que são hereges, mas sim quem ensina, propaga. Então, como rotulamos muçulmanos, hindus, etc, se não for de hereges?

      Os espíritas se consideram cristãos? Eu não sabia dessa. É incrível mesmo.

      O Fábio Sabino ensina tudo isso aí? Então ele é mais doido do que eu imaginava kkk.

      Excluir
    6. Se "professor" Fábio Sabino ensinar 1% disso aí ele não é doido não é o Satanás vestido de gente.

      Excluir
  14. O que devo fazer para ser salvo ?

    ResponderExcluir
  15. Oi Lucas. A tese da apologética católica sobre o seu artigo é que considera "normal" o magistério divergir ao longo do tempo pois cada clero se encontrava inserido numa cultura peculiar ao seu tempo, ou seja, como era "normal" no AT poligamia, casamento arranjado, intolerância, sujeição da mulher ao homem, etc o magistério da época tinha que se posicionar sobre o dia a dia que eles conheciam e viviam. Cristo inaugurou outra visão de mundo exposto no sermão da montanha, entretanto, a sua igreja levou algum tempo para assimilar sua mensagem por completo e ainda levará. Eis o motivo de se ver alguns aspectos negativos (como a
    intolerância) na sua recente história. O que você acha Lucas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A analogia com o AT é completamente inválida, pois a revelação ainda não havia chegado a seu estágio final, que é justamente o complemento do NT. A não ser que os católicos acreditem que a revelação não se completa no NT mas sim que há mais um "novo" testamento que devemos obedecer, essa analogia não faz sentido nenhum. A missão da Igreja não é de acrescentar ensinos novos, mas apenas de seguir o que os apóstolos ensinaram. Simples assim. Não é de inventar abobrinhas, como o próprio apóstolo Paulo insistiu ao condenar severamente aqueles que acrescentassem algo à revelação já recebida:

      "Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema" (Gálatas 1:8-9)

      Na verdade todo esse argumento apenas fortalece tudo aquilo que eu venho dizendo aqui. Se a Igreja (Romana) ERROU ao não assimilar direito a mensagem de Jesus no que diz respeito à tolerância, por que ela também não poderia estar ERRADA nos dogmas e doutrinas antibíblicos que segue hoje? Hoje até os católicos podem olhar para trás e ver como eles erraram ao perpetrar tanta maldade e atrocidade contra a vida humana no passado, mas na época dos acontecimentos essa era a "ortodoxia", isso era ser um "bom católico", e qualquer um que viesse com discursinho de tolerância era atacado a pedradas (não literalmente, porque no aspecto literal a coisa era bem pior do que pedradas...). Da mesma forma, os católicos de hoje creem que a "ortodoxia" se refere aos bastiões católicos dos dogmas marianos e do papado, mas ninguém garante que daqui alguns séculos eles próprios venham a perceber que estavam errados esse tempo todo, assim como reconhecem que estiveram errados sobre Inquisição, indulgências, relíquias sagradas e etc.

      Na prática, isso quer dizer que um cristão do século XV poderia chegar à verdade melhor através de um autoexame individual pela sua consciência do que através da ortodoxia oficial da Igreja visível, porque a Igreja estava errada. O que faz então com que a mesma coisa não possa acontecer hoje? Por que em nossos dias seria mais seguro confiar na instituição oficial do que na nossa própria consciência? Simplesmente porque o papa e o catecismo dizem isso ou aquilo? Já diziam naquela época, e estavam errados. Por que não podem estar errados hoje também? E onde vai parar a infalibilidade papal e aquela estorinha toda de "as portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja Romana" e de Cristo estar com eles "pelos séculos dos séculos"? Cristo estaria onde há assassinato, perseguição, genocídio, preconceito e ódio sem fim? Creio que não!

      Excluir
    2. Estranho essa idéia que algo errado varia conforme o tempo e a cultura. Logo que Caim matou Abel Deus afirmou que estava errado, depois pôs no decálogo. Veio Jesus e ratificou no sermão da montanha, aí,
      posteriormente, vem a ICAR, mata hereges e seu magistério entende diferente de Deus no caso Caim x Abel e Jesus no sermão da montanha!

      Excluir
  16. Lucas, como vc interpreta essa passgaem:

    "Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia; ele viu-o e exultou de alegria»."

    Como Abraão "viu" o dia do Senhor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como o PAI DA FÉ "veria" Jesus?






      ...pela fé.

      Excluir
    2. Lucas, achei interessante a definição de fé de Philip Yancey: "Enxergar no escuro", citando Jó. E você como define fé?

      Excluir
    3. Essa definição é boa sim, mas a minha definição pessoal é que "fé é confiar". Inclusive tenho um esboço de um sermão expositivo sobre isso que você pode ver aqui:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.com.br/2015/12/sermao-expositivo-1-fe-e-confiar.html

      Excluir
  17. Preciso ser batizado com o espírito santo para ser salvo? Alguns pastores da igreja que frequento já ensinaram isso. É verdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que de fato é batismo do Espírito Santo? Não é necessário para ser salvo??
      O dom de línguas é A evidência ou UMA evidência? Existem outras evidências?

      Excluir
    2. A pessoa é salva antes de ser batizada com o Espírito Santo. Se você for ver os casos bíblicos de batismo com o Espírito Santo em Atos, verá que todos eles eram de pessoas que já eram cristãs piedosas, que ganharam dons espirituais depois disso. O dom de línguas é um deles, mas não o único (em Atos 19:6, por exemplo, a profecia também é uma evidência externa, junto com as línguas).

      Excluir
  18. Interessante!

    https://www.facebook.com/PuritanoReformadoOficial/videos/1972248293029693/

    ResponderExcluir
  19. Acho que os católicos fanáticos, tridentinos e tradicionalistas devem estar furiosos com o papa, aposto que o Astrolavo de Carvalho e o Conde devem estar bufando e esbravejando de raiva contra o próprio papa e a igreja, daqui a pouco tão chamando ele de comunista, de enganado, de inocente, de culpado, de omisso e etc. Nem nessa hora eles conseguem arrumar uma desculpa para culpar os protestantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estão mesmo. Eles já se esbravejam de raiva ao natural sem fazer esforço, imagine quando os "provocam" desse jeito, e quando a "provocação" parte do próprio Vaticano... Teve um que caiu no esquecimento e ostracismo, que ficou bravinho porque nem os próprios católicos estão se lixando pra ele, que não consegue mais de 200 views em seus vídeos mesmo divulgando em todo lugar e mendigando acessos, que chamou este selo do Vaticano de "DESGRAÇA DOS INFERNOS". E ainda acham que a Igreja Romana é a mesma há dois mil anos e mantém "uma só fé" sem mudar nada, como se o espírito da Igreja medieval fosse o mesmo dessa Igreja do papa Francisco, e como se os sedevacantistas é que estivessem em um "erro escandaloso"...

      É como eu sempre digo: se eu fosse católico, a única opção que me restaria para manter um mínimo de dignidade e honestidade comigo mesmo seria ser sedevacantista, porque tem que ser muito descarado para negar que eles tem todos os argumentos e provas ao seu lado de tudo o que dizem quanto à mudança de direção da Igreja Romana do último século.

      Excluir
    2. Lucas, eu penso que a ICAR, com essa mentalidade tolerante e ecumênica está caminhando para um novo cisma. É nítida a insatisfação dos tradicionais mais arrogantes com o clero mais tolerante. Concorda Lucas?

      Excluir
    3. Mas o cisma já ocorreu. Os sedevacantistas são um exemplo de "cismáticos", e além deles há muitos outros, como por exemplo os "veterocatólicos", grupo que se formou após um cisma decorrente da invenção do dogma da infalibilidade papal (muitos teólogos católicos vendo o quanto isso era absurdo à luz da história romperam com o papado e se mantiveram católicos na doutrina). Outros cismas ainda podem vir a acontecer, ou talvez o número de "cismáticos" que já existem vir a aumentar, mas isso é só a consequência lógica de um sistema tão contraditório como o da Igreja Romana, que impõe uniformidade de pensamento aos leigos sendo que nem eles mesmos mantém tal uniformidade ao longo de sua história.

      Excluir
    4. Mas engraçado é que a ICAR não considera os veterocatolicos e os sedevacantistas como cismáticos, pelo menos oficialmente. Talvez com finalidade de manter a imagem de "una"
      Estou correto?

      Excluir
    5. Isso é muito relativo, o que eu vejo é muitos católicos os tratando como se fossem cismáticos excomungados, mas como na ICAR tudo é relativo, até essa questão da excomunhão também é. Daí acaba acontecendo até aquelas coisas estapafúrdias do Olavo de Carvalho "excomungando" o papa Francisco (na verdade dizendo que "já está" excomungado...), o cardeal Odilo e a CNBB inteira (assim como fazem muitos olavetes e conservadores católicos), enquanto outros declaram o próprio Olavo um excomungado por causa da astrologia e gnosticismo dele, ou seja, cada um acha que o outro é um "excomungado" e ficam nesse subjetivismo disfarçado, pois na cabeça e no discurso de cada um desses radicais o que eles estão dizendo é um "fato" e não uma "interpretação".

      É por isso que o argumento católico em torno da autoridade do magistério para interpretar a Bíblia e a tradição é tão pobre e pueril: no fim das contas, eles estão é discutindo quem tem a interpretação "correta" do próprio magistério. Criam uma série de tradições estúpidas para "esclarecer" a Bíblia, e depois ficam se matando para ver quem "esclarece" melhor essas mesmas tradições. Só eles não percebem o quão ridículos são.

      Excluir
    6. Nessa guerra de excomunhão fica difícil para leigo católico saber que rumo tomar.

      Excluir
    7. Na prática, esse excomunga pra cá, excomunga pra lá não difere muito do protestantismo.

      Excluir
  20. Já sabia dessa?

    http://socientifica.com.br/2017/11/exposto-ao-publico-o-papiro-que-revela-o-misterio-da-construcao-da-grande-piramide/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que eram os egípcios eu já sabia, mas isso ainda não explica como que eles tiveram a tecnologia necessária e o conhecimento técnico para construir as pirâmides com toda a precisão, e ainda mais naquela época. Ou seja, o mistério continua...

      Excluir
    2. Na verdade aí dá apenas algumas pistas. Aí diz que as pedras eram trazidas de barco pelo rio Nilo. Já algumas teorias malucas diziam que os aliens ajudam a mover as pedras. Pelo menos é um ponto a menos para a teoria dos aliens.

      Excluir
    3. Se tiver tempo veja esses vídeos do Daniel Mastral, ele fala bastante sobre as pirâmides e como e com que propósito foram construídas (assista na ordem porque é uma sequência):

      https://www.youtube.com/watch?v=0FikMclamb0

      https://www.youtube.com/watch?v=V4NdaHwTSuY

      https://www.youtube.com/watch?v=yMYMO5ty8tU&t=3766s

      Excluir
    4. Esses vídeos são muito grandes, mas quando eu tiver tempo eu vou assistir. Valeu!

      Excluir
  21. Vc acha certo cantar músicas que não sejam evangelicas durante um culto evangelico? Igual essa : https://youtu.be/BhDpo36GpRA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho totalmente desproposital. As pessoas já costumam escutar música secular no dia-a-dia, e o momento de culto é justamente aquele em que as pessoas se reúnem para louvar e adorar a Deus. Cantar ou escutar músicas seculares neste contexto, ainda que não sejam com letras "mundanas", é algo ilógico e sem sentido. Vai contra o propósito do próprio culto, contra a razão da sua existência.

      Excluir
    2. Verdade. Esse Caio Fabio quer pagar uma de "diferentão" e acaba fazendo essas bobagens...deixei de seguir ele depois de ver esse vídeo ridículo dele defendendo (diretamente ou indiretamente) o aborto: https://www.youtube.com/watch?v=0uXFk7j3LS4
      Só perguntei esse lance da música pq acabei vendo esse vídeo na internet e queria compartilhar com alguém cristão...

      Excluir
    3. É bem isso mesmo. Ele pegou mágoa e ódio da comunidade evangélica por causa das coisas que aconteceram com ele (e aqui não vem ao caso ficar revirando o passado, mas tudo mundo sabe que na época em que ele era tão famoso quanto o Silas e outros pastores midiáticos ele foi pego em adultério com uma amante que tinha, a esposa se divorciou dele e ele foi "apedrejado" pelos crentes da época), e a partir de então parece que todo o ministério dele se resume a atacar os evangélicos e tratá-los todos como se compactuassem com o que há de pior nesse meio. É claro que entre tantos ataques dá pra extrair algumas verdades, verdades essas que são ditas não só pelo Caio mas por um monte de gente esclarecida no meio evangélico, só é uma pena que ele jogue essas verdades no ventilador por ressentimento e mágoa, exagerando e generalizando sempre, e não de uma maneira sincera. A meta dele não é pregar o evangelho ou ganhar almas pra Cristo, é ser "do contra", é se passar de "diferentão", é se vingar do que fizeram com ele, é atacar a tudo e a todos, mesmo nos assuntos em que os evangélicos estão absolutamente certos.

      Excluir
    4. Lucas, meu pai, hoje falecido, longe de ser um Caio Fábio, tinha um cargo numa igreja evangélica tradicional e também se envolveu em adultério. Tentou refazer sua vida cristã mas não teve, ao meu ver, apoio da igreja, chegando a terminar seus dias em casa sem receber da igreja (instituição) a sua missão: acolher a "cana quebrada e o pavio que fumega". Não retiro uma vírgula do que você disse sobre o Caio Fábio, mas acredito que nos cristãos somos muito cruéis com o pecado do adultério, mesmo que, sinceramente, haja arrependimento. Concorda Lucas?

      Excluir
    5. Concordo, eu também acho que a igreja não deveria isolar desse jeito ou tratar com desprezo quem incorre em pecado, penso que deveriam ter dado uma "segunda chance" a ele após um tempo de recuperação, não isento a comunidade evangélica de certa parcela de responsabilidade em casos assim porque somos muito fáceis em julgar (o ser humano é assim mesmo), mas o problema é que o Caio guardou mágoa disso e passou a dedicar todo o resto da sua vida para avacalhar os evangélicos como um todo, por terem lhe "isolado" e o tratado como um "imoral" qualquer. Ele era muito bom antes, é uma pena que o rancor tenha entrado desse jeito no coração dele.

      Excluir
  22. Lucas eu acredito no holismo eu acredito que o homem só é formado pelo corpo mais o sobro de Deus ( espírito )porém não achei um bom motivo para ser aniquilacionista pois mesmo sendo formado por uma natureza holística não necessariamente significa tormento temporário pois uma ofensa contra um Deus eterno merece um castigo eterno . Se eu atacar um mendigo eu sofrerei uma pena baixa se atacar o Trump sofrerei uma pena alta , E se Deus supremo Juiz for ofendido e difamado qual será a pena do ofensor ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não faço Direito e nem conheço muito de lei, mas fui checar isso que você disse sobre receber uma pena mais grave por matar o presidente em comparação com se matasse um mendigo, e não encontrei nada disso na lei:

      https://www.jusbrasil.com.br/topicos/10625629/artigo-121-do-decreto-lei-n-2848-de-07-de-dezembro-de-1940

      Você pode com razão dizer que a lei do nosso país não espelha com exatidão as leis divinas, mas isso não melhora muito as coisas, pois na lei de Deus expressa no AT a pena para quem matasse uma pessoa importante era exatamente A MESMA para quem matava um mendigo: a morte. Era "olho por olho e dente por dente". Não existia esse preconceito de "matou gente importante vai pagar mais tempo, matou gente 'ralé' não é tão grave". O único lugar em que me lembro de ter lido algo do tipo foi no preconceituoso Código de Hamurabi, que prescrevia punições de acordo com a classe social do indivíduo ofendido ou do que ofendeu - por exemplo, as penas eram sempre maiores para escravos, depois para mulheres, e por último para os homens, que eram os mais privilegiados. Mas tal coisa não existe na lei de Moisés e nem em alguma lei sã dos dias atuais. Então eu acho melhor rever um pouco esse argumento aí, ele não é bom não.

      Sobre ser aniquilacionista por ser holista eu concordo com você, também acho que isso não é um bom argumento, na verdade isso nem chega a ser um argumento, precisamente por se tratar de coisas diferentes (o estado do homem entre a morte e a ressurreição, e o estado do homem após a ressurreição). Eu não sou aniquilacionista por ser holista em relação à natureza humana, mas porque há mais de 150 versículos bíblicos que provam que os ímpios serão completamente destruídos:

      http://desvendandoalenda.blogspot.com.br/2013/08/152-versiculos-biblicos-de.html

      Excluir
  23. Lucas, o que acha do ex-padre Aníbal Pereira dos Reis?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom, era um dos poucos que lutou em sua época aqui no Brasil em questão apologética, em um tempo em que ainda não existia internet para divulgar ideias de forma rápida e fácil como é hoje. E a coragem que um homem desses precisou ter em sua época é incomparável com qualquer pessoa nos dias de hoje, porque a pressão por não ser católico e a perseguição que sofria por isso (ainda mais por ser um ex-padre) era muito maior do que hoje, em que a sociedade já aceita os evangélicos e em que metade do povo nem católico é mais. Naquela época mais de 95% do Brasil era católico e era quase um insulto não ser, e este homem não apenas abandonou a batina, como refutou todos os embustes deles praticamente sozinho.

      Excluir
    2. Banzoli, o que vc acha de intervenção militar? tem como mudar o país em ser por meio de uma intervenção?

      Excluir
    3. Sou contra. Acho que a pergunta que deveria ser feita é se tem como mudar esse país de qualquer jeito (com ou sem intervenção), levando em consideração a cultura que predomina aqui. Eu penso que não, pensando a curto e médio prazo. A experiência relativamente recente que temos de intervenção não foi das mais memoráveis. No fim, o próprio povo estava nas ruas pedindo pela "redemocratização". Uma intervenção neste momento geraria um caos político, faria a bolsa de valores despencar, criaria instabilidade no país, um clima de "terra de ninguém" e abriria espaço para uma possível guerra civil que seria pior ainda (caso os esquerdistas quisessem resistir), além de colocar o país de novo nas mãos dos militares, o que pra mim nem seria necessário, já que um ex-militar (Bolsonaro) tem boas chances de ganhar democraticamente nas urnas ano que vem.

      Excluir
    4. Eu também acho que seria terrível. As pessoas que defendem esse tipo de coisa confiam demais nos militares, como se fossem incorruptíveis. Pior do que um Estado corrupto é um Estado corrupto armado. Essas pessoas não querem só novas eleições - e não adiantaria nada, não tem ninguém bom pra colocar lá - elas querem todo o poder nas mãos dos militares, como militarizar todas as escolas por exemplo, e realmente acreditam que os militares são quase que por natureza todos conservadores e defensores da liberdade...mas em nome dos bons costumes também se comete atrocidades.

      Excluir
    5. Pois é, vale lembrar que o Maduro só está se segurando no poder na Venezuela mesmo em meio a toda a catástrofe política e econômica e contra a vontade de todo o povo, justamente pela única razão de que tem ainda o apoio dos militares. Eu não sei da onde que tiraram essa noção de que os militares são sempre heróis e estão do lado do bem. Todo sistema totalitarista que conheço contou ou conta com o apoio dos militares. Isso não significa que os militares sejam sempre ruins em qualquer época e em qualquer lugar, mas significa o suficiente para não botarmos todas as nossas esperanças neles.

      Excluir
    6. Lucas, a pergunta do amigo me fez lembrar do entendimento das testemunhas de Jeová que são contra até a existência do militarismo, são contra a bandeira nacional, o serviço militar ou qualquer coisa relacionada. Como você vê tudo isso a luz da Palavra de Deus?

      Excluir
    7. Vejo assim:

      "Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas. Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos" (Romanos 13:1-2)

      Excluir
  24. Banzoli, as igrejas aí onde você mora permite beijo de língua? E você, o que acha sobre essa forma de beijo? É uma forma de namoro cristão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para ser sincero, eu não sabia que existiam igrejas que proíbem esse tipo de beijo entre pessoas comprometidas...

      Excluir
    2. Um amigo meu disse que, no tempo que ele morava em São Paulo, ele frequentou algumas denominações que proibia. Diziam que beijo de língua é coisa de ímpio. Na verdade o primeiro beijo, diziam eles, é só pra depois do casamento. Se eu não me engano uma delas era a igreja Deus é Amor. Eu não lembro bem. Ou era outra bem rígida.

      Excluir
    3. Isso é muito radicalismo mesmo, não vejo cabimento pra isso. Antigamente era comum ver igrejas mais extremistas desse tipo no que se refere a usos e costumes; tinha igreja que era contra qualquer novidade, contra cinema, contra televisão, contra internet e etc, mas hoje em dia é extremamente difícil achar alguma tão bitolada assim em pleno 2017. As pessoas, felizmente, estão ficando mais esclarecidas e menos radicais.

      Excluir
  25. Lucas, adivinha só: acabei de ver no grupo Dollynho Puritano (tinha que ser!) uma postagem de um link em espanhol negando o genocídio contra os povos indígenas por parte dos espanhóis, afirmando que na verdade eram esses povos que se exterminaram entre si. O que você diria sobre isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, isso só pode ser doença mental. Sério mesmo. Já passou da fase do engano, já passou da fase do revisionismo proposital, já passou da fase da desonestidade e desfaçatez, e entrou em um nível que eu não posso definir de outro jeito senão de DOENÇA, de patologia. O que eles pensam? Que 99% dos seguidores desses grupos estúpidos não leem livros de história para acreditar em qualquer baboseira que eles inventam? Pois é exatamente assim. E exatamente por isso vão longe e conseguem enganar tanto otário.

      Excluir
    2. Eu penso que essas pessoas deixaram de ser cristãos para seguirem uma idéia é nem se dão conta disso.

      Excluir
  26. Lucas como interpretar o arrebatamento de Elias e Enoque sobre a pesprerctiva de que todos os mortos estão dormindo? Será que o Senhor irá mandar carruagens de fogo subindo ao céu simplesmente para matar Elias depois ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas eu nunca disse que Deus matou Elias e Enoque após arrebatá-los, disse? O que o mortalismo afirma é que não há como um ser humano sobreviver "fora do corpo". Elias e Enoque não são exceções à regra, pois foram arrebatados corporalmente ao céu.

      Excluir
    2. Mas afinal de contas Elias e Enoque estão no Céu ou estao dormindo com o Senhor ( mortos) ?

      Excluir
    3. Eles não estão mortos porque não passaram pela morte. Foram arrebatados direto ao Céu e lá estão. Não entendi que dificuldade há nisso.

      Excluir
    4. É dessa maneira que os cristãos ortodoxos crêem sobre a virgem Maria? (Mesmo caso de Enoque e Elias)

      Excluir
    5. Não, eles creem na "Dormição de Maria", que é a crença de que ela morreu, entrou no "sono da morte", mas depois ressuscitou e foi elevada aos céus.

      Excluir
  27. Lucas, o cânon do Novo testamento foi fechado no concílio de Laodicéia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antes disso Atanásio já listava os livros do NT conforme conhecemos:

      “Não é tedioso repetir os [livros] do Novo Testamento. São os quatro Evangelhos, segundo Mateus, Marcos, Lucas e João. Em seguida, o Atos dos Apóstolos e as sete Epístolas [chamadas ‘católicas’], ou seja: de Tiago, uma; de Pedro, duas; de João, três; de Judas, uma. Em adição, vêm as 14 Cartas de Paulo, escritas nessa ordem: a primeira, aos Romanos, as duas aos Coríntios, uma aos Gálatas, uma aos Efésios, uma aos Filipenses, uma aos Colossenses, duas aos Tessalonicenses, uma aos Hebreus, duas a Timóteo, uma a Tito e, por último, uma a Filemom. Além disso, o Livro da Revelação de João" (Epístola 39, 5)

      Pela forma que ele diz, "não é tedioso repetir os livros...", passa a ideia de que essa lista já estava bem consolidada há um bom tempo, e não que fosse alguma novidade.

      Excluir
  28. Lucas, o que você acha desse vídeo?

    https://youtu.be/edOqOb4psNY

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É aquela mesma lenga-lenga de sempre, de que não sei quem "tirou trocentos livros da Bíblia", de que não sei que concílio fez isso ou aquilo, de que a "Bíblia original" era superlotada de livros e que algum malvadão inescrupuloso foi lá e arrancou tudo fora e só deixou o que era "conveniente"... apenas teorias da conspiração para entreter o povo néscio que não tem interesse em se aprofundar um pouco mais do que vídeos de YouTube. Qualquer estudioso sério que se dê minimamente ao trabalho de estudar o desenvolvimento do cânon bíblico verá que esses livros gnósticos nunca foram aceitos e foram rejeitados pela Igreja desde sempre, e que por mais que houvesse alguma discussão em relação à autenticidade de um ou outro livro até o século IV, estes casos eram excepcionais, e o cânon retratado em Muratori e Eusébio é bastante similar ao nosso atual e não tinha esses "trocentos livros" sem fim. O "Conhecereis a Verdade" tem um artigo sério e bastante esclarecedor sobre isso, vale a pena a leitura:

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2010/04/formacao-do-canon-do-novo-testamento_2248.html

      Excluir
    2. Lucas, você conhece a obra de Bruce Metzger?

      Excluir
  29. " A fé de Roma é inacessível ao erro " Jeronimo . Lucas essa frase procede de Jeronimo mesmo ?

    ResponderExcluir

  30. O que dizer das caças às bruxas nos países protestantes, especialmente na Inglaterra?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As pessoas da época perseguiam as bruxas porque pensavam que bruxas existiam. É como disse C. S. Lewis no "Cristianismo Puro e Simples":

      "Mas é claro que a razão pela qual não se executam mais bruxas hoje em dia é que não acreditamos que elas existam. Se acreditássemos - se realmente pensássemos que existem pessoas entre nós que venderam a alma para o diabo, receberam em troca poderes sobrenaturais e usaram esses poderes para matar ou enlouquecer os vizinhos, ou para provocar calamidades naturais —, certamente concordaríamos que, se alguém merecesse a pena de morte, seriam essas sórdidas traidoras"

      E antes que algum papista acuse os protestantes disso ou daquilo, cabe dizer que é unanimidade entre os historiadores que quem inventou esse conceito moderno de "caça às bruxas" foi a Igreja Romana, que já queimava bruxas bem antes da Reforma protestante do século XVI, e que nos países católicos sempre se matou muito mais bruxas do que nos países protestantes.

      Excluir

Postar um comentário

Atenção: novos comentários estão desativados para este blog, mas você pode deixar um comentário no meu novo blog em qualquer artigo: www.lucasbanzoli.com