12 de maio de 2013

Deus tem mãe?



Hoje, 12 de Maio de 2013, é o Dia das Mães, e, como não poderia ser diferente, uma velha discussão vem novamente à tona: será que Deus, o Eterno Criador e a Causa Primeira de tudo, também tem uma mãe? Sem querer me aprofundar muito no tema, que também já foi tratado por mim aqui, aquie aqui, elaborei dez pontos a seguir que nos indicam claramente que não, Deus não tem uma mãe:

Porque, em primeiro lugar, para ser considerada como “mãe de Deus” devemos levar em conta o conceito trinitário de Deus. Deus não se limita apenas ao Pai, apenas ao Filho ou apenas ao Espírito Santo, mas o Pai, o Filho e o Espírito Santo é o único e verdadeiro Deus. Portanto, para Maria ser considerada como “mãe de Deus” teria que também ser mãe do Pai e do Espírito Santo. Senão, poderíamos nos utilizar exatamente do mesmo silogismo empregado pelos católicos contra eles mesmos:

a) Maria não é mãe do Pai;
b) O Pai é Deus;
c) Portanto, Maria não é mãe de Deus.

a) Maria não é mãe do Espírito Santo;
b) O Espírito Santo é Deus;
c) Portanto, Maria não é mãe de Deus.

Além disso, mesmo em se tratando de Jesus Cristo, devemos considerar que Maria foi mãe dele durante os 33 anos em que este esteve aqui na terra, e não na eternidade. Maria não pode ser considerada como mãe de Jesus enquanto este já existia desde a eternidade e esta nem sequer havia nascido ainda, tampouco na condição de Criador/criatura. Para alegar que Maria continua sendo mãe de Cristo seria necessário provar, antes de mais nada, que Jesus manteve a mesma natureza terrena também depois de já haver adentrado os céus, para que Maria seja biologicamente mãe de Deus. Ocorre, porém, que Deus é espírito (Jo.4:24), e um espírito não possui carne nem ossos (Lc.24:39). Jesus, em sua condição celestial, não está mais em carne (Hb.5:7), e, portanto, não possui a genética humana, razão pela qual Maria não é mais biologicamente ligada a Ele.

Ademais, dizer que Deus tem mãe por Maria ter sido mãe de Jesus na terra faz presumir outros absurdos ainda maiores, como o de, por exemplo, Deus ter um pai ou padrasto que é José, irmãos (ou “primos”, como os católicos preferem) e outros parentes. E por essa mesma linha, a mãe de Maria é avó de Deus, a avó de Maria é bisavó de Deus, a bisavó de Maria é tataravó de Deus, e por aí vai numa sucessão infindável até chegarmos em Eva. Assim, Eva seria parente de Deus em um grau bem distante! O que é mais racional: pensar que Deus tem mãe, tem irmão de carne, tem pai, tem primos, tem avó, bisavó e tataravó (e isso tudo em sentido biológico e genético), ou crer que todos estes citados são apenas criaturas de Deus, fazendo a correta distinção já citada entre o celestial e o terreno?

Levando-se em consideração que só se é mãe daquilo que gera, devemos perguntar: Maria gerou a divindade de Cristo? Não! Maria gerou apenas a natureza humana de Jesus, enquanto este esteve “nos dias de sua carne” (Hb.5:7). A natureza divina de Cristo sempre existiu, é eterna, vem de muito antes de Maria sequer existir. Alegar que Maria é mãe de Deus implica em cair em dois absurdos: o de alegar que pode ser mãe de algo que não foi gerado por ela, ou o de que Maria gerou sim a divindade de Cristo. No primeiro caso, Maria seria mãe apenas da humanidade de Jesus, não da divindade (e, portanto, mãe de Jesus homem, não da divindade de Cristo), enquanto que no segundo caso Maria teria de ser anterior à natureza divina de Cristo para tê-la gerado, o que é impossível, visto que Jesus é Criador e Maria criatura.

Colocar Maria no patamar de “mãe de Deus” (Theotókos) é uma abominável heresia que chega até mesmo a ser blasfêmia, no mesmo nível dos povos pagãos que sempre tinham uma “deusa-mãe” que era considerada a “mãe de Deus” por estes povos. Os católicos rejeitam o título de “deusa-mãe”, mas aceitam o de “mãe de Deus”, numa tentativa de camuflar a sua nítida ligação com os povos pagãos, tais como Ísis, cultuada no Egito como a “mãe de Deus”. Curiosamente, ela também detinha o título de “Rainha dos Céus”(Je.7:18; 44:17-25), exatamente o mesmo que os católicos atribuem hoje a Maria, além de “Nossa Senhora”. Este sincretismo claro com o paganismo evidencia que considerar Maria como a mãe de Deus não é meramente uma afirmativa da divindade de Cristo, como alegam os católicos, mas sim a defesa de um sincretismo religioso pagão no qual Maria é cultuada com os mesmos títulos e atribuições que os pagãos ofereciam à sua deusa-mãe, a Rainha dos Céus.

Ainda que essa questão seja delicada e possa vir a escandalizar muitos, deveríamos perguntar: Deus tem pênis? Óbvio que não. Mas a natureza humana de Jesus tinha. Não conseguir diferenciar claramente como dois extremos distintos a natureza humana de Cristo na terra da natureza divina de Cristo no Céu nos levaria a inúmeros absurdos, indo muito além do mencionado acima. Se Maria é mãe de Deus por ter sido mãe de Jesus durante 33 anos enquanto este esteve em carne aqui na terra, então Deus possui todas as características físicas de Cristo-homem. Mas se essas características já não fazem parte dEle, como Deus, então como Maria pode ser considerada mãe de Deus?

Se Maria é mãe de Deus por ter sido mãe de Jesus na terra, então deveríamos concluir que Deus morreu na cruz. Ora, isso é um absurdo, visto que a Bíblia ensina que Deus é imortal, Ele não pode morrer em circunstância nenhuma (1Tm.6:16). Então, se Deus é imortal e não pode morrer, segue-se logicamente que Deus não morreu na cruz. E, se Deus não morreu na cruz, Maria não pode ser chamada de mãe de Deus, visto que ela tinha sido mãe exatamente daquele Jesus que foi pregado e morto numa cruz.

Uma outra pergunta semelhante é: Deus nasceu depois de nove meses? Se sim, isso nos levaria a crer que Deus teve um começo, o que vai totalmente contra a crença teológica universal de que Deus é a Causa Primeira, é o Eterno, aquele que não teve começo e nem terá fim de dias (Hb.7:3). Portanto, Deus não teve um começo, Ele não nasceu do ventre de Maria. E, se Deus não nasceu depois de nove meses, isso significa que Maria pode ser considerada mãe do Filho de Deus, ou mãe de “Jesus Cristo homem” (1Tm.2:5), mas não mãe de Deus, se Deus não nasceu no ventre dela. Mãe de Deus é uma terminologia errada, que pode perfeitamente ser substituída por várias outras que podem se aplicar devidamente.

Temos que lembrar também que Jesus se esvaziou quando se tornou homem, conforme diz Paulo: “mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo” (Fp.2:7). Ele “não teve por usurpação ser igual a Deus” (v.6). No registro conservado do apóstolo Tadeu, que conviveu com Cristo, confirmamos a interpretação de que este esvaziar implicou em depor a própria divindade. Isso foi registrado por Eusébio de Cesareia, que fez menção às palavras de Tadeu nas quais ele afirma que Jesus depôs a sua divindade ao se fazer humano:

"E Tadeu respondeu: Agora guardarei silêncio. Mas amanhã, já que fui enviado para pregar a palavra, convoca em assembleia todos teus concidadãos, e eu pregarei diante deles, e neles semearei a palavra da vida: sobre a vinda de Jesus: como foi; e sobre sua missão: por que o Pai o enviou; e sobre seu poder, suas obras e os mistérios de que falou no mundo: em virtude de que poder realizava isto; e sobre a novidade de sua mensagem, de sua humildade e humilhação: como se humilhou a si mesmo depondo e reduzindo a sua divindade, e como foi crucificado e desceu ao Hades, e fez saltar o ferrolho que desde sempre prevalecia e ressuscitou mortos, e como, tendo descido só, subiu a seu Pai com uma grande multidão" (História Eclesiástica, Livro I, 13:20)
 
Significado de Depor
v.t. e v.i. Pôr de parte, pôr no chão, deixar alguma coisa que se trazia.

Portanto, Maria foi mãe de Jesus enquanto este esteve esvaziado de seus atributos da divindade, e não como Deus. Isso explica o porquê que Ele não sabia qual o dia da Sua própria volta (Mc.13:32), pois já havia se esvaziado do atributo da onisciência, e o porquê que Ele não pôde (ao invés de “não quis”) realizar milagres em certa ocasião por causa da incredulidade do povo (Mc.6:5), pois já havia se esvaziado do atributo da onipotência.

Somente sendo plenamente humano Jesus pôde ser verdadeiramente tentado no deserto (Mt.4:1), pois Tiago nos diz que “Deus não pode ser tentado”(Tg.1:13). E exatamente por ter sido plenamente humano como nós que hoje nós podemos nos espelhar no exemplo de Cristo que venceu o maligno como homem, para que, na mesma posição de humanos e não na de um Deus-homem, possamos vencer também da mesma forma que Ele venceu (Hb.4:14-16). Por isso podemos dizer que Ele foi igual a nós “em todos os aspectos” (Hb.2:17).

10º Finalmente, devemos ressaltar que a crença de que Maria foi mãe de Deus não se encontra na Bíblia, pois em lugar nenhum Maria é relatada como sendo “mãe de Deus”, este título é completamente omitido com relação a ela. Ao invés disso, vemos dezenas de citações nas quais Maria é relatada como sendo mãe de Jesus, contra zero dizendo que era mãe de Deus. Isso revela que, no mínimo, os apóstolos e evangelistas eram muito mais cuidadosos nessa questão do que os católicos atuais, que sem papas na língua dizem por todos os quatro cantos da terra que Maria é mãe de Deus, coisa na qual todos os escritores bíblicos foram suficientemente cautelosos para nunca dizerem isso.

Então, podemos afirmar, sem medo de errar, que não, Deus não tem uma mãe.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (apologiacrista.com)


-Meus livros:

-Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Reflexões cristãs e estudos bíblicos)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Desvendando a Lenda (Refutando a Imortalidade da Alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)

25 comentários:

  1. Por isso que a frase ´´ Deus se fez carne´´ não reflete muito bem em teologia. Já que Deus é a união perfeita do Pai, do Filho e do Espirito santo, quando a pessoa diz ´´ Deus se fez carne´´ dá a impressão que as 3 pessoas da trindade se encarnaram.
    Por isso, deve-se trocar a frase para : ´´ O Verbo se fez carne´´.
    .
    Matheus !!!

    ResponderExcluir
  2. Vc achou ? porque comentei isso e muita gente tirou sarro dizendo que cada pessoa tb é chamada de Deus e que é biblico dizer que Deus se encarnou.
    Lucas, sabe o que passou pela minha cabeça agora. Hoje é dia 13 de maio onde se comemora a aparição de Nossa senhora de Fátima. Você sabe tb que todo dia Maria aparece lá em medjugore as 18:00 da tarde. Porque vc não escreve algo do tipo : Porque maria sempre aparece e Jesus Cristo que é o centro do cristianismo nunca aparece a ninguém rsrsrsrsrsrsrs não é muito estranho kkkkkkkkkk
    .
    Matheus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, cada pessoa da Trindade é individualmente chamada de Deus na Bíblia, mas não de modo excludente. Jesus é chamado Deus por ter parte na natureza divina que também inclui o Pai e o Espírito Santo, e não por ser Deus sozinho desconsiderando e excluindo o Pai e o Espírito Santo. No caso que estamos abordando, dizer que Maria é mãe de Jesus e portanto mãe de Deus seria um caso claro de EXCLUDÊNCIA da primeira e da terceira pessoa da Trindade, visto que os próprios católicos admitem que Maria NÃO é mãe nem do Pai nem do Espírito Santo.

      Sobre a sua sugestão, eu creio que não seja necessário escrever algo específico sobre as aparições de Maria porque TODOS os meus artigos aqui do blog sobre a imortalidade da alma já provam que não existe vida consciente antes da ressurreição e que a alma morre, e, portanto, Maria simplesmente NÃO PODE ter aparecido a ninguém, visto que ela também aguarda a ressurreição dos mortos da mesma forma que todos os demais. Ou seja, mesmo que eu não aborde diretamente o tema das aparições marianas, o simples fato de abordar que a alma não é imortal já é mais que o suficiente para descartar a possibilidade de veracidade de tais "aparições".

      Fique com Deus.

      Excluir
  3. Sim cada pessoa é chamada de Deus...mas somente na união das 3 pessoas que temos o único e verdadeiro Deus. Senão dá a impressão que temos 3 deuses né...
    Lembra que o Hugo considera a expressão ´´mãe de Deus ´´ correta desde que seja para mostrar a divindade de Jesus aqui na terra....rssr

    Isso é verdade sobre as aparições...é que é bem engraçado como Maria é poderosa no catolicismo e nem Jesus Cristo aparece tanto quanto ela rsrsrsrrsrs
    .
    Olha a besteira que esse padre diz em plena rede de TV Canção Nova... Ele disse que Maria existia desde a eternidade e que intercedia desde a eternidade pelos cristãos !!! Somente Deus é eterno, seu padre....Eu já ouvi coisa errada sobre Maria, mas essa foi a pior de todas !!!

    http://www.cancaonova.com/portal/canais/eventos/novoeventos/cobertura.php?cod=2812&pre=7920&tit=Maria%2C+Forte+esquadr%E3o+contra+o+inimigo
    .
    Matheus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei realmente chocado com o que esse padre disse, francamente, lembro-me da época em que os católicos disfarçavam sua idolatria, faziam-nos pensar que Maria é simplesmente uma criatura, hoje em dia nem disfarçar direito eles fazem mais.

      Sobre o Hugo, essa é uma opinião dele que eu particularmente posso dizer que nunca vi algum outro evangélico crer da mesma forma que ele, e não penso que o argumento exposto sequer possa ser considerado, uma vez sendo que 100% das igrejas evangélicas ensinam a divindade de Cristo e também negam que Maria seja mãe de Deus, o que prova de forma bem clara que afirmar que Jesus é Deus NÃO IMPLICA em dizer que Maria seja mãe do Eterno, pelos dez pontos apresentados acima e muitos outros mais. Se crer em Theotókos fosse uma prerrogativa necessária para se crer na divindade de Cristo então todas as igrejas evangélicas estariam ensinando que Maria é mãe de Deus, excetuando as testemunhas de Jeová. Essa tática é supérflua e não passa de mera jogada católica, eles tentam nos passar essa ideia de "defesa da divindade de Cristo" quando na verdade todo o foco está em Maria, o link que você me passou mostra bem isso.

      Excluir
  4. q locura cara estou fazendo uma pesquisa porcausa de uma fraze que li que foi retirada da biblia que disia
    "Deus-eu posso fazer tudo sou o todo poderoso-e sua me lhe disia-para de falar besteiras-" gostaria de saber se e realmente verdade e tudo que acho sao pesoas falando sobre maria ser mae de deus todos sabemos que maria e mae de jesus que por si e deus que e o espirito santo e essa loucura toda q n faz sentido de ser possivel na minha cabeca(desculpe meu teclado e americano e n tem c cedilha) mas enfim se alguem pudesse me dar o salmo ou sla oq seja o lugar onde isso esta eu agradesceria minha fonte foi a revista mundo estranho(acho q e esse o nome e a revista falava sobre muitas coisas todas elas eram verdade)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Watson, o suposto versículo mencionado simplesmente não existe. Você pode conferir por si mesmo em qualquer campo de pesquisa em versões online da Bíblia. Quem disse que essa declaração está na Bíblia é um mentiroso. Abraços.

      Excluir
  5. Como eu já disse em outros comentários fui participante assíduo da igreja católica nos últimos 22 anos e nunca tinha percebido uma questão referente ao dogma católico Maria mãe da igreja ou mãe de todos os cristãos, que parte do relato de João 19:26,27 em que Jesus diz "Mulher eis aí o teu filho" e vice versa. O que tem me chamado atenção é fragilidade deste argumento pra sustentar o dogma católico aja visto que o verso anterior diz que junto a cruz de Jesus estavam sua mãe, a irmã de sua mãe Maria, mulher de Cleófas, Maria Madalena e claro, João o discípulo que Jesus amava, ou seja, a igreja estava reunida em torno da cruz e do Cristo. Se a intenção de Jesus fosse de fato proclamar que a partir dali Maria teria que ser aceita como mãe da igreja ele não teria dito apenas pra João "mulher eis aí o teu filho" pois como eu já afirmei a igreja estava ali reunida. Pra confirmar o dogma católico seria mais aceitável que Jesus dissesse no plural "Mulher eis ai os teus filhos" e complementasse com um sonoro "Filhos eis ai a tua mãe". Só se a igreja de Cristo fosse formada por apenas um membro!! Por esta e outras já não professo a fé católica com o entusiasmo que um dia professei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Márcio. O Hugo escreveu com propriedade sobre este texto de João 19:26,27 no blog dele, vale a pena dar uma conferida (ele reitera aquilo que você já disse e adiciona outras informações importantes):

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2012/08/sobre-maternidade-espiritual-de-maria.html

      Abraços.

      Excluir
  6. - Bem, não acho que esse assunto seja dificil de desvendar, vai ser dificil pros catolicos que acreditam que Maria é mãe de Deus, o que é um absurdo !
    Gente ! A Biblia Sagrada não mente ! Não podemos contrariar a Biblia, nela fala toda verdade !
    Hebreus 7:3 - Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo principio de dias nem fim de vida, mas, sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre .

    Olhem ali no começo ( Sem pai, sem MÃE, sem genealogia ) !
    Ninguem pode discordar, afinal, quem são esses papas ou padres pra discordar da Biblia Sagrada ! Ja diz que não tem mãe e fim de papo !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns pelo feliz comentário irmão! Jesus, enquanto filho de Deus, não tem pai nem mãe aqui na terra, é simplesmente originado de Deus, sem início no tempo e sem fim, ou seja eterno como Deus, o Pai. E afinal se Jesus considera alguém na terra como sua mãe este alguém não é um indivíduo mas uma coletividade, a Igreja (Mateus 12:46-50).

      Excluir
  7. QUE DEFESA DA FE MESMO NOS COMENTARISOS, PARABENS

    ResponderExcluir
  8. Não concordo com a expressão mãe de Deus,mas tem uma coisa que não entendi,Maria não é mas mãe de Jesus?em Lucas 24:34-37 Jesus não mostra que não tem carne nem ossos,e ele não acendeu ao céu daquele jeito?sou protestante,por favor não me considere Mariolatra!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não entendi o seu ponto. Ninguém aqui negou que Maria foi mãe de Jesus na terra, mas qual a relação disso com Lucas 24:34-37 e no que isso prova que Maria foi mãe de Deus? E o texto que você citou não diz que Jesus era espírito, só diz que OS DISCÍPULOS acharam que ele fosse um espírito (porque estavam assustados), e então o próprio Senhor Jesus assegura que ele era um ser humano de carne e ossos:

      "Eles ficaram assustados e com medo, pensando que estavam vendo um espírito. Ele lhes disse: Por que vocês estão perturbados e por que se levantam dúvidas em seus corações? Vejam as minhas mãos e os meus pés. Sou eu mesmo! Toquem-me e vejam; um espírito não tem carne nem ossos, como vocês estão vendo que eu tenho" (Lucas 24:37-39)

      E mesmo que ele fosse mesmo apenas um espírito, o que que tem? Não entendi de que forma que isso levaria à conclusão de que Maria é mãe de Deus...

      Abs.

      Excluir
  9. Esse debate apareceu no proprio Novo Testamento entre Jesus e os fariseus

    Mateus 22

    41 E, estando reunidos os fariseus, interrogou-os Jesus,
    42 Dizendo: Que pensais vós do Cristo? De quem é filho? Eles disseram-lhe: De Davi.
    43 Disse-lhes ele: Como é então que Davi, em espírito, lhe chama Senhor, dizendo:
    44 Disse o Senhor ao meu Senhor:Assenta-te à minha direita,Até que eu ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés?
    45 Se Davi, pois, lhe chama Senhor, como é seu filho?
    46 E ninguém podia responder-lhe uma palavra; nem desde aquele dia ousou mais alguém interrogá-lo.

    Se entre os semitas existisse a crença de um humano (David) ser parente de um Deus, a argumentação de Jesus sera inócua. Isso aconteceu na igreja católica pq a maioria dos chamados "pais da igreja" vieram do paganismo e do mundo ocidental e a aceitação desse tipo de crença foi facilitada




    ResponderExcluir
  10. Vou colocar um comentário meu que deixou o Conde Loppeux irritado lá no youtube. Vejam:
    "A Virgem Maria é mãe de Cristo homem e Cristo Deus, pq Cristo homem e Deus se faz filho dela." (Conde loppeux) Incorreto! Veja o porquê... 𝐌𝐚𝐭𝐞𝐮𝐬 𝟐𝟐: 𝟒𝟏 𝐚 𝟒𝟔: E, estando reunidos os fariseus, interrogou-os Jesus,
    Dizendo: Que pensais vós do Cristo? De quem é filho? Eles disseram-lhe: De Davi.
    Disse-lhes ele: Como é então que Davi, em espírito, lhe chama Senhor, dizendo:
    Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, Até que eu ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés?
    Se Davi, pois, lhe chama Senhor, como é seu filho?
    E ninguém podia responder-lhe uma palavra; nem desde aquele dia ousou mais alguém interrogá-lo.

    Explicação: Cristo como Deus é o Senhor de Davi, e Cristo como Homem é filho de Davi. Logo, Cristo como Homem é filho de Maria, e Cristo como Deus é o Senhor de Maria. Tal distinção não deve ser ignorada. Lembre-se que, Cristo como Deus já existia muito antes de Maria nascer. Então, Cristo como Deus não é filho de Maria... Pois como pode um filho existir primeiro do que a sua mãe. Por isso, é importante que você compreenda essa distinção para não cometer equívocos.

    Depois disso, o conde ficou bravo e postou três comentários. Sendo que um desses me chamando de herege e ignorante. kkkkkk... :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, ótimo argumento. Curto e conciso. Deve ter deixado o mal educado do Conde revoltado, te xingando por gerações, já que todos sabem que quando ele não ganha no argumento, ele apela.

      Excluir
  11. Excelente artigo Lucas! Foi bastante esclarecedor.

    ResponderExcluir
  12. Oi Lucas
    Aqui é o João Felipe mais uma vez e mais uma vez preciso de ajuda para refutar artigos católicos, dessa vez de uma página católica do facebook: para justificarem que Maria é a mãe de Deus, eles usaram o seguinte argumento:

    "A própria bíblia também diz que Maria é MÃE DE DEUS:
    "Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor?" S. Lucas 1, 41-43
    Quem é o "Seu Senhor" caro protestante? Não é Cristo? Não é DEUS? Não são vocês que dizem que "só há um SENHOR"
    Quem é SEU SENHOR?
    Então repito: "Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor?" S. Lucas 1, 41-43
    Se Maria não fosse Mãe de Deus (mãe de Jesus) Santa Isabel, CHEIA DO ESPÍRITO SANTO jamais teria dito essa frase!
    E há mais uma coisa que prova que ela é Mãe de Deus:
    É a bíblia, a própria BÍBLIA, a palavra de Deus escrita, quem o afirma. A palavra SENHOR, no Novo Testamento, refere-se a Cristo e significa, conforme os melhores exegetas católicos e protestantes, a tradução do hebraico YAWHEH.
    Aquele que é ? ... Deus. YAWHEH portanto é DEUS.
    É assim que o traduz a Septuaginta (versão grega do Antigo Testamento). A palavra 'Senhor' no Novo Testamento é a palavra grega KIRIOS, que aparece cerca de 650 vezes e relacionada a Jesus Cristo e que significa DEUS.
    E essa é a palavra que Isabel usa para dizer SENHOR. Senhor aqui significa DEUS, portanto Maria é Mãe de DEUS."

    Me diga Lucas, como refutar esse argumento (principalmente em relação ao uso da palavra KIRIOS)?

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, isso é respondido neste outro artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/09/maria-e-mae-de-deus-theotokos.html

      Mais especificamente, na parte que mostra os vários significados de kurios no NT:

      1º Os donos de propriedades são chamados Senhor (Mt. 20:8, kurios é "dono" — NVI).

      2º Os donos de casas foram chamados Senhor (Mc. 13:35, dono = kurios).

      3º Os donos de escravos foram chamados Senhor (Mt. 10:24, senhor = kurios).

      4º Os maridos foram chamados Senhor (1 Pe. 3:6, senhor = kurios).

      5º Um filho chamou o seu pai Senhor (Mt. 21:30, senhor = kurios).

      6º O Imperador romano era chamado Senhor (Actos 25:26, Sua Majestade = kurios).

      7º As autoridades romanas foram chamadas Senhor (Mt. 27:63, senhor = kurios).

      Portanto, dizer que kurios significa sempre Deus é simplesmente uma mentira. Em síntese, Jesus foi chamado de Senhor, porque Isabel conhecia as profecias veterotestamentárias acerca do Messias prometido, não significa que ela estivesse falando de YAHWEH (que ele escreve errado), mesmo porque os judeus não tinham a crença teológica de que o Messias seria a encarnação de Deus, e mesmo se tivessem, iriam saber separar melhor do que ninguém a natureza humana gerada e a natureza divina não-gerada.

      Abs!

      Excluir
    2. Devemos ter em mente, caro Pianista que, quando o Concílio de Éfeso proclamou Maria como "Theotokos" esta foi um definição cristológica e não mariológica: não era a pessoa de Maria que estava em discussão, mas sim a Pessoa de Cristo.Logo, qualquer tipo de aproveitamento por parte da Igreja Romana para promover e exaltar Maria a uma posição superior de medianeira ou co-redentora como esta Igreja tem procurado fazer é totalmente ilegítimo e abusivo à luz desta definição conciliar.
      Acresce que, para aqueles que insistem em salientar a intercessão de Maria como proveitosa ou até necessária eu relembro o seguinte:de acordo coma teologia romanista e com a própria Bíblia só Deus é onisciente. Logo, apenas ele conhece nossos pensamentos, nossas angústias e necessidades.Invocar Maria como intercessora diante do Filho é inútil porque ela não tem o atributo divino da onisciência e não pode ouvir nossas preces nem nos prestar qualquer auxílio.É, aliás, este o entendimento da própria teologia da Igreja romana.

      Excluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links) e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.