Meu novo livro - "Chamados para crer e sofrer"


Sinopse do Livro

Quantas vezes você já ouviu aquela famosa frase muito pregada em muitos púlpitos cristãos, que diz: “pare de sofrer”? Eu não sei você, mas eu já ouvi muitas. O evangelho é anunciado ao descrente assim como anunciamos qualquer produto vendido na televisão: “compre isso e os seus problemas acabaram”! Um descrente que está sofrendo por alguma razão vem para Cristo com a promessa de que não vai mais sofrer dali em diante. Ou para ser mais exato: ele se torna cristão para deixar de sofrer. A partir de agora é só alegria. Benção pura!

Mas será que foi por esse evangelho que Jesus desceu do Céu, nasceu em uma manjedoura, foi humilhado, sofreu e morreu por nós? Será que foi esse o evangelho tão pregado pelos apóstolos de Jesus Cristo? A partir do momento em que se deu a conversão de Paulo, ele deixou de sofrer? Há alguma promessa bíblica de que não sofreremos a partir de quando aceitamos Jesus? Afinal: um cristão pode sofrer ou isso é um sintoma de um “crente derrotado”?

Indo mais além: em muitas de nossas igrejas, é pregado que o crente não pode ficar doente, e se ficar doente tem que ser curado, ou então não é um homem de fé. Ou seja: é um fracassado. Deus tem que curar todo mundo, porque Ele já levou nossas enfermidades na cruz. Então, se você está doente e não é curado, é porque você não está fazendo uso da sua fé, ou porque está em pecado, ou porque duvida, ou porque é um falso cristão. Não passa pela cabeça deles que Deus simplesmente tenha o propósito de não curar por alguma razão. Não. Deus tem que curar e pronto.

E indo ainda mais além: crente que é crente tem que prosperar, porque a prosperidade é um sinal da bênção divina. E isso justificaria os cultos de prosperidade, a corrente dos não-sei-quantos vencedores, a “unção da riqueza”, os seminários de como ser rico e as campanhas das portas abertas. E ai do crente que é pobre, pois a pobreza é obviamente um sinal de que o indivíduo é um pecador que não faz uso da fé, pois se ele cresse se tornaria rico. Afinal, a pobreza é uma “coisa do inferno”, pois Deus é o dono do ouro e da prata e por isso Seus filhos devem ter amplas quantias de ambos.

E mais: nós somos mais que vencedores, e, por isso, devemos estar sempre por cima e não por baixo, pois fomos feitos para ser cabeça, e não cauda. Por essa razão, onde nós impusermos nossas mãos irá prosperar, e onde colocarmos a planta dos nossos pés será dado a nós como herança. E eles usam passagens isoladas de partes do AT para justificarem essa regra geral nos dias de hoje.

Descobrir as respostas a essas questões é muito fácil para um pregador da prosperidade: basta dizer que teve uma “revelação” sobrenatural Deus, que apareceu um anjo diante dele, que ele foi arrebatado ao terceiro Céu ou que teve uma visão do inferno, que é o lugar para onde vai quem não acredita nele. Mas para responder a essas questões eu lançarei mão de um método já considerado ultrapassado por muitas igrejas que parecem abandoná-la cada vez mais: a Bíblia.

O que os pregadores da teologia da prosperidade e confissão positiva pregam nós já sabemos. Também já sabemos o quão fantásticas que são suas “revelações” sobrenaturais, sempre em linha direta com o cara lá de cima. O que a Igreja quer saber, de uma vez por todas, é o que a Bíblia tem a dizer sobre isso. Não um ou outro verso isolado, mas ela toda. Serão os ensinos de Sola Scriptura e Tota Scriptura sendo colocados em ação.

Pois não queremos iludir os leitores, mas pregar a verdade que liberta. Pois não estamos aqui para pregar a nós mesmos, mas a Cristo. Pois estamos fartos de um evangelho antropocêntrico, e não Cristocêntrico. Pois não queremos ganhar essa vida, mas a próxima. Pois não queremos viver para nós mesmos, mas morrerpara nós mesmos e vivermos por Aquele que por nós morreu e ressuscitou.

Pois não queremos apenas ter o privilégio de crer nele, mas também de sofrer por ele.


Sumário do Livro

Introdução    
CAP. 1 – Como explicar o mal?     
CAP. 2 – Jesus, o servo sofredor  
CAP. 3 – Devemos andar como ele andou
CAP. 4 – O apóstolo Paulo: sofredor ou vitorioso?        
CAP. 5 – Os demais cristãos sofriam?     
CAP. 6 – O testemunho da História
CAP. 7 – Por que sofrer?   
CAP. 8 – A teologia da prosperidade é bíblica?    
CAP. 9 – Crente não pode ficar doente?   
CAP. 10 – Perguntas e Respostas  
Considerações Finais


Informações do livro impresso

Número de páginas: 169
Formato: A5 148x210
Coloração: Preto e branco
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Offset 90g
Preço: R$ 26,81


Onde comprar o livro impresso online:



Para ler o e-book gratuito do livro:



Quem não conseguir fazer o download nestes dois links envie um e-mail para (lucas_banzoli@yahoo.com.br) que eu envio por anexo.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (apologiacrista.com)


-Meus livros:

-Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Reflexões cristãs e estudos bíblicos)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Desvendando a Lenda (Refutando a Imortalidade da Alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)

Comentários

  1. Oi Lucas, tudo bom irmão? Cara, não precisa aceitar o comentário, mas é só pra dizer que o sistema de busca do blog tá com algum erro. Não estou conseguindo procurar as coisas.

    Valeu pelo bom trabalho, fica com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já troquei a caixa de pesquisa, essa nova me parece menos eficiente e mais desproporcional do que a outra, mas pelo menos funciona :)

      Excluir

Postar um comentário

Comente abaixo. Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente, mas ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links), control c + control v e manifestações de fanatismo não serão aceitos.