17 de janeiro de 2015

Os protestantes dividiram a Igreja?


Imagine que você tenha feito uma sociedade com um amigo empresário, até então bem-sucedido, homem honrado e de respeito. Mas o tempo passa, e este seu sócio é tomado pelo egoísmo e pelo orgulho, começa a mudar de personalidade, a agir traiçoeiramente, a viver desonestamente, a sonegar impostos, a se aproveitar das outras pessoas, a se achar melhor do que todos e acima do bem do mal, com o fim justificando os meios. Então você pensa: “Vou desfazer essa sociedade. Não posso continuar a ser associado a um cara desses”. Você então desfaz a sociedade, e logo depois este seu antigo sócio passa a te perseguir e te acusar de faccioso, de sectário, de segregacionista, de conspiracionista e de ser um criador de divisão e discórdia.

Como você agiria?

Continuaria a sociedade com o pilantra sem-vergonha para “manter a unidade” e não criar divergência, ou desfaria essa união com ele, mesmo sabendo que seria acusado de causar “divisão” e “discórdia”? Em outras palavras: se você tivesse que optar entre verdade e unidade, qual escolheria? Ficaria do lado da verdade ou permaneceria unido na direção do erro? Eu não sei você, mas eu não pensaria duas vezes para optar pela verdade. A verdade vale muito mais do que a unidade, se esta unidade não estiver fundamentada na verdade. De nada adianta manter uma unidade, se esta unidade for em direção à mentira e ao engano. É melhor se separar da mentira para viver uma verdade, do que viver unido na mentira.

Foi este o dilema de Lutero, e é esta a acusação que os papistas fazem até hoje. Primeiramente, é necessário entender o contexto em que Lutero escrevia e vivia. Se você ler as 95 teses do reformador, verá que ele ainda pensava como católico. Ele ainda não era um “protestante”. Ele pensava que as indulgências vendidas por Tetzel estavam contra a vontade do papa. Sua tese 53 afirmava que “são inimigos de Cristo e do papa quantos por causa da prédica de indulgências proíbem a Palavra de Deus nas demais igrejas”, e sua tese 50 mostra sua ingenuidade em relação ao envolvimento do papa nas indulgências:

“Deve-se ensinar aos cristãos que, se o papa tivesse conhecimento da traficância dos apregoadores de indulgências, preferiria ver a catedral de São Pedro ser reduzida a cinzas a ser edificada com a pele, a carne e os ossos de suas ovelhas”

Como vemos, Lutero, ainda católico e ingênuo, pensava que o papa era um santo que não sabia de nada sobre as patifarias cometidas pelos vendedores de indulgências, que vendiam ($$$) a salvação e o perdão dos pecados aos pobres fieis. Assim sendo, se você fosse rico, sua chance de ir pro Céu (pagando as indulgências) era muito maior do que se fosse um pobre miserável, que não poderia pagar para ser salvo. Lutero já sabia que isso era estúpido, mas ele pensava que o papa era inocente nessa história toda, assim como um militante petista que acha que o Lula “não sabia de nada” quanto ao mensalão.

A coisa mudou completamente quando as 95 teses chegaram ao conhecimento do papa, e este, por sua vez, passou a perseguir Lutero ao invés de condenar Tetzel. Então a ficha caiu para Lutero: os famigerados vendedores de indulgências não faziam aquilo apesar do papa, mas por causa do papa. Eles estavam apenas cumprindo aquilo que a Santa Sé ordenava. Eram servos obedientes do papa, envolvido neste vale-tudo para extorquir até o último centavo dos fieis ingênuos. Lutero então percebeu que estava atacando um espantalho. Tetzel não era o problema. O papa era o problema. O escândalo era muito maior do que se pensava. Lutero se deu conta de que o mal vinha de cima, e não de baixo. Era, portanto, necessário combater a própria raiz do mal: o papa.

Ao ver que o papa era um grande sem-vergonha envolvido em toda a roubalheira, Lutero perdeu a imagem de que o papa era um “santo” e “infalível” e começou a abrir seus olhos e sua consciência para a possibilidade de haver outros erros também. E não era difícil encontrá-los por toda a parte. De um lado, os inquisidores queimando na fogueira ou conduzindo a máquinas de tortura aqueles que ousavam discordar do papa. Do outro, a salvação sendo condicionada às obras, deixando a fé de lado.

Ao ler Romanos, Lutero percebeu que a salvação pela graça havia se transformado em uma matemática da salvação. Se você fez x pecados, mas pagou 2x em penitências e indulgências, então você é salvo. Se você pagou x em penitências e indulgências, mas pecou 2x, há um inferno de tormento eterno preparado pra você. Mas se você fez x pecados e quase x em indulgências e penitências, há um meio-termo: o purgatório, inventado para extorquir ainda mais os fieis, que pagavam altas quantias para livrar seus amigos e parentes que teriam ido a este terrível lugar.

A salvação havia se tornado uma matemática simples. Não havia nada de graça. A fé estava ali escondida em algum lugar entre a penitência e a indulgência. As obras, sejam boas ou más, eram o que determinavam tudo. Não foi sem razão que a vida de Lutero mudou radicalmente quando ele leu que “o justo viverá pela fé” (Rm.1:17). Se o catolicismo romano estava corrompido desde a sua cabeça (papa) e até naquilo que mais importava em termos de doutrina (salvação), então já dava para se imaginar o que os papistas fizeram com o resto. Com o tempo, outras dezenas de enganos foram sendo desmascarados, não apenas por Lutero, mas também por aqueles que vieram depois.

Lutero tomou apenas a posição mais coerente e racional que qualquer pessoa suficientemente inteligente e honesta tomaria naquelas condições. Ele fez exatamente aquilo que a Bíblia ordena a fazermos, ao dizer:

“Não se ponham em jugo desigual com descrentes. Pois o que têm em comum a justiça e a maldade? Ou que comunhão pode ter a luz com as trevas? Que harmonia entre Cristo e Belial? Que há de comum entre o crente e o descrente? Que acordo há entre o templo de Deus e os ídolos? Pois somos santuário do Deus vivo. Como disse Deus: ‘Habitarei com eles e entre eles andarei; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo’. Portanto, ‘saiam do meio deles e separem-se’, diz o Senhor. ‘Não toquem em coisas impuras, e eu os receberei, e lhes serei Pai, e vocês serão meus filhos e minhas filhas’, diz o Senhor Todo-poderoso” (2ª Coríntios 6:14-18)

Paulo não diz para continuarmos unidos com os idólatras e descrentes. Ele não diz para lutarmos de todas as formas para manter a unidade mesmo quando a verdade foi jogada na lata do lixo. Ao contrário: se a verdade foi desprezada, nossa obrigação é de “sair do meio deles”, se separar. Assim como um sócio desfaz a sociedade com alguém que se tornou desonesto, o monge Martinho Lutero rompeu ligações com uma Igreja Romana que já havia completado seu processo de paganização e apostasia, se tornando muito mais uma “sinagoga de Satanás” (Ap.2:9) do que uma Igreja do Deus vivo.

Vale sempre ressaltar que, na época de Lutero, a igreja já estava quebrada em duas partes, após a separação entre a Igreja Romana e a Igreja Ortodoxa. O site Ecclesia, da Igreja Ortodoxa, diz:

“Ao contrário do que alguns historiadores afirmam, o cisma é realmente ‘do Ocidente’, visto que foi a Igreja Romana quem se separou da comunhão de Fé das Igrejas Irmãs (...) De fato, a Igreja de Roma, graças a fatores essencialmente políticos, de ambição do poder temporal, desenvolveu a partir da Idade Média, a doutrina da primazia do Papa (título, aliás, dado aos Patriarcas de Roma e de Alexandria) como último e, depois, como único recurso em matéria de Fé. Ora, isto era, é e será, completamente estranho à Tradição da Igreja dos Apóstolos, dos Mártires, dos Santos e dos Sete Concílios Ecumênicos[1]

E também:

“Toda esta divergência de pontos de vista entre Roma, considerando-se única detentora da verdade e da autoridade, e as restantes Igrejas Irmãs, que desejavam manter-se fiéis ao espírito da Tradição herdada dos Apóstolos, acabou por resultar nos trágicos acontecimentos de 1054 e 1204 – no dia 16 de julho de 1054, os legados do Papa de Roma entraram na Catedral de Santa (em Constantinopla, capital do Império), um pouco antes de começar a Sagrada Liturgia, e depositaram em cima do altar uma bula que excomungava o Patriarca de Constantinopla e todos os seus fiéis. Esta separação oficial, decidida pela Igreja Romana, teria sua confirmação em 1204, quando os cruzados, que se intitulavam cristãos, assaltaram Constantinopla, saquearam e pilharam, fizeram entrar as prostitutas que traziam consigo para dentro do santuário de Santa, sentaram uma delas no trono do Patriarca, destruíram a iconostase e o altar, que eram de prata. E o mesmo aconteceu em todas as igrejas de Constantinopla[2]

É irônico que os papistas falem que Lutero criou divisão, quando na época de Lutero a igreja já estava dividida, principalmente por causa da arrogância e soberba da própria Igreja de Roma, sempre querendo se colocar acima das demais igrejas. A Igreja de Roma é, sim, a principal causa de divisão na história da Igreja. Por seu orgulho e ostentação a uma pretensa superioridade jurisdicional sobre as demais igrejas, ela rachou a Igreja no meio em 1054 d.C, e por suas doutrinas nefastas e aberrações morais permitiu que as pessoas inteligentes do século XVI saíssem do meio deles também. Nada além da sua insuportável arrogância e atrevimento contra as demais igrejas é a causa primeira das divisões.

Há poucas semanas o programa “The Noite”, de Danilo Gentili, chamou um padre ortodoxo, um padre católico e um pastor evangélico para a Ceia de Natal do programa, e uma das perguntas do apresentador ao pastor foi:

“Os evangélicos não tem a figura centralizadora do papa. Você não acha que essas divisões são porque não tem uma figura dessas? Essa não seria uma desvantagem?”

O pastor Ed René Kivitz, que representou muito bem o lado evangélico na ocasião, respondeu:

“É uma ‘desvantagem’ que a gente pode buscar no Churchill a resposta: ‘A democracia é o pior governo possível excetuando todos os outros’. A liberdade do protestantismo tem esse ônus, mas é um ônus que, no meu entendimento, é melhor do que uma figura centralizadora. A Reforma Protestante é construída a partir do conceito de ‘verdade’. E a Igreja Católica Romana a partir do conceito de ‘unidade’. É por isso que nós enfatizamos bastante a liberdade de consciência do indivíduo e o sacerdócio de cada um diante de Deus. Tem ônus e bônus dos dois lados, e eu estou muito confortável no ônus do meu lado protestante e no bônus que a minha liberdade me traz”[3]

A unidade é um conceito importante. A Bíblia fala muito sobre isso. Mas unidade no erro é uma estupidez sem tamanho. A unidade não pode se sobrepor à verdade. Se houve um erro, este erro deve ser reparado. Se este erro foi muito grande, ao ponto de impedir comunhão com alguma igreja, a separação é necessária (2Co.6:14-18), para que a verdade seja restaurada. Uma figura centralizadora que monopoliza a opinião da Igreja e restringe a liberdade de pensamento dos demais é tudo o que é necessário para uma apostasia. Basta que essa figura centralizadora caminhe em direção a uma falsa doutrina, que toda a Igreja por conseguinte vai junto em direção ao mesmo abismo, morrendo abraçada com o papa.

É verdade que a visão protestante de liberdade, democracia e verdade têm seu ônus também. Ela permite que visões divergentes se proliferem mais rapidamente, multiplicando as heresias. Mas a diferença reside exatamente no fato de que nenhum evangélico é obrigado a seguir essas heresias. Só segue quem quer. No papismo, todos são obrigados a seguir a doutrina do papa. Se o papa cai em um precipício, todos caem junto. Não há liberdade individual para discordar de uma doutrina romana. Você é limitado ao papel de papagaio do papa, de uma vaquinha de presépio, de um simples soldado sob as ordens de um ditador. A unidade passa a ser forçada, mesmo que para isso a verdade seja suplantada. E, como vimos, é melhor se separar da mentira para viver uma verdade, do que viver unido na mentira.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (apologiacrista.com)


-Meus livros:

-Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Reflexões cristãs e estudos bíblicos)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Desvendando a Lenda (Refutando a Imortalidade da Alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)


37 comentários:

  1. Muito bom Lucas....
    Os católicos sempre dizem que Lutero causou a divisão e que por causa deles existem 35 mil denominações protestantes...
    Mas já vi católicos postando frases de Lutero onde ele diz que o que ele fez foi terrível..Veja : “Se o mundo durar mais tempo, será necessário receber de novo os decretos dos concílios (católicos) a fim de conservar a unidade da fé contra as diversas interpretações da Escritura que por aí correm.” (Carta de Lutero à Zwinglio In Bougard, Le Christianisme et les temps presents, tomo IV (7), p. 289). Ele morreu e sua multidão de seguidores foi entregue a “condenação eterna”.
    .
    Lucas o que vc achou da frase do padre Paulo ao dizer que cada orgasmo é um grito de louvor a Deus ?
    .
    T++
    Matheus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os católicos não cansam de caluniar Lutero, eles querem morrer abraçados com o pai da mentira. Agora eles inventaram que Lutero se arrependeu da Reforma (hahahaha), esses romanistas são divertidos. Daqui a pouco eles vão dizer que Lutero se converteu ao catolicismo carismático e gravou um CD com o padre Marcelo. Eu não duvido.

      Sobre as calúnias lançadas contra Lutero, os apologistas cristãos norte-americanos já refutaram toda esta baboseira há séculos, vou lhe passar apenas alguns links:

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2011/05/did-luther-regret-reformation.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/07/response-to-luther-exposing-myth.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-there-are-nowadays-almost-as_28.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-people-are-worse-than-they-were.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-gospel-made-things-worse-than.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-we-have-to-pay-for-disasters-of_18.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-protestants-have-contempt-of_19.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-we-do-not-act-upon-evangel_19.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-i-have-given-up-on-germany_20.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-protestants-manner-of-life-no_20.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-under-evangel-no-one-will-give.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-those-who-ought-to-be-good_21.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-i-fear-that-we-are-greater_21.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-they-accuse-us-of-being-rebels_23.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/uther-we-germans-are-now-theshame-of.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-all-is-forgotten-that-god-has_24.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-our-people-are-now-seven-times_26.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-our-people-are-now-seven-times_26.html

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2010/02/luther-our-people-are-now-seven-times_26.html

      Quanto ao padre Paulo Ricardo, qualquer coisa que vem dele já é esperada. Ele já passou do estágio de seriedade e sanidade mental há muito tempo.

      T+++

      Excluir
  2. Lucas, parabéns pelo artigo imbatível. Nota 1000 pra voce

    É muitíssimo interessante a advertência de Paulo em relação a esse contexto proposto aqui. Você foi muito certeiro quando se lembrou da passagem de 2ª Coríntios 6:14-18. E o detalhe é mais interessante ainda: “Portanto, ‘SAIAM do meio deles e SEPAREM-SE”.

    Católicos que usam argumentos de Paulo para criticar a divisão entre os evangélicos parecem fazer pouco caso da advertência dele em 2 Coríntios.

    É inacreditável, mas é verdade: Paulo encoraja os cristãos a sair fora. E ao contrário do que multidões católicas já argumentaram a heresia não começou com os protestantes, mas com a Igreja Romana e, consequentemente fez com que um homem do meio se levantasse contra tudo e todos, colocando o catolicismo bem debaixo dos holofotes das Escrituras e que se viu diante dessa luz foi muito mortifero.

    Lutero se encaixa bem nas palavras de Salomão,

    “A doutrina do sábio é uma fonte de vida para se desviar dos laços da morte”, Provérbios 13:14

    ResponderExcluir
  3. Perfeito! (y) Cegos guiando cegos.
    Muito bom mesmo. Uma coisa que tem acontecido entre os evangélicos é que se você discordar de alguém do “do mercado/mundo gospel”, que convenhamos está cheio de heresias a 1ª coisa que eles disparam é “não pode julgar”; só que eu não sei de onde eles tiraram isso, da Bíblia é que no foi, pois a minha diz enfaticamente que temos a autoridade e devemos julgar sim os de Dentro e não andarmos com eles... Eles só devem saber da passagem que Jesus manda ter cuidado com o juízo temerário, imprudente. Isso claro, eu já vi evangélicos com uma “trave” tamanho G no olho [pecados] e julgando o catolicismo da catolica não praticante, huaha não sei o que é pior... E na verdade, a “igreja evangélica” já não pode falar mais da católica né... Satánas já está lá também, só que na evangelica temos nossa liberdade como você Bem disse, e há muitas igrejas/templo que pertencem ao Senhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lilian, o pior é que isso é verdade. Eles gostam de usar aquela passagem que fala sobre "não tocar no ungido do Senhor". Eles só não percebem que o "ungido" ali era um REI e não um sacerdote, e que se isso valesse para os dias de hoje então deveria ser aplicado à nossa "presidenta" [sic] e não a um pastor, qualquer que seja. Eles também não percebem que, biblicamente, TODOS nós temos a unção de Deus, e não somente os pastores (1Jo.2:20). E eles também não percebem que Davi REPREENDEU o ungido do Senhor (o rei Saul) na frente dele, mas não o matou, exatamente porque era um ungido. Portanto o "não tocar" no ungido nada tem a ver com não falar mal de alguém ou não condenar os erros dos hereges, mas sim em NÃO MATÁ-LOS, e, até onde sei, nem eu nem você matamos qualquer cantor "gospel" mundano, embora às vezes eu tenha vontade, confesso :)

      Excluir
    2. Exatamente isso! HAHAUHAUHAHAUH [ri muito do final] :'D
      Mas eles usam pra acobertar corrupção nas igrejas... Isso é errado, o que é errado é errado, se é errado deve ser repreendido e desprezado...
      Um pouco de fermento "contamina" toda a massa. E eu "acho" que o Senhor não gosta disso,
      "Mas tenho contra ti que toleras Jezabel,"
      Apocalipse 2:20

      Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Gálatas 1:8

      Excluir
  4. Há várias passagens: (tornei-me acaso vosso inimigo, porque vos disse a verdade? ) Galatas 4:16

    “Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça.” João 7:24

    “Mas agora estou lhes escrevendo que não devem associar-se com qualquer que, dizendo-se irmão, seja imoral, avarento, idólatra, caluniador, alcoólatra ou ladrão. Com tais pessoas vocês nem devem comer.
    Pois, como haveria eu de julgar os de fora da igreja? Não devem vocês julgar os que estão dentro?
    Deus julgará os de fora. Expulsem esse perverso do meio de vocês". 1 Coríntios 5:11-13

    1 Coríntios 6:2-5
    "2Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas?

    Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida? 1 Coríntios 6:3

    Provérbios 15:10
    "Disciplina rigorosa há para o que deixa a vereda, e o que odeia a repreensão morrerá."

    Eclesiastes 7:5
    "Melhor é ouvir a repreensão do sábio do que ouvir a canção do insensato."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lilian(?) achei bacana seu comentário anterior:

      "Perfeito! (y) Cegos guiando cegos. Muito bom mesmo. Uma coisa que tem acontecido entre os evangélicos é que se você discordar de alguém do “do mercado/mundo gospel”, que convenhamos está cheio de heresias a 1ª coisa que eles disparam é “não pode julgar”; só que eu não sei de onde eles tiraram isso, da Bíblia é que no foi, pois a minha diz enfaticamente que temos a autoridade e devemos julgar sim os de Dentro e não andarmos com eles... Eles só devem saber da passagem que Jesus manda ter cuidado com o juízo temerário, imprudente. Isso claro, eu já vi evangélicos com uma “trave” tamanho G no olho [pecados] e julgando o catolicismo da catolica não praticante, huaha não sei o que é pior... E na verdade, a “igreja evangélica” já não pode falar mais da católica né... Satánas já está lá também, só que na evangelica temos nossa liberdade como você Bem disse, e há muitas igrejas/templo que pertencem ao Senhor."

      Excluir
    2. Oi :) Obrigada, A Franco (?) rs

      Há muitos que se dizem cristãos, mas estão completamente ignorantes quanto ao Evangelho, eu não entendo isso, eles querem os benefícios de Jesus mas não querem seguir seus ensinos, eles O querem como salvador mas não como Senhor.

      "Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama;" João 14:21
      "Por que vocês me chamam ‘Senhor, Senhor’ e não fazem o que eu digo?" Lucas 6:46

      Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Gálatas 1:8

      Excluir
  5. Lucas então aquele texto que eu passei pra vc da carta de Carta de Lutero à Zwinglio é falso ? Mas tirei do site do Macabeus ...

    Estava vendo uma conversa do Paulo leitão com o rafael rodrigues....
    Olha o que o Paulo leitão disse : ´´ QUE FATO CURIOSO, a Bíblia protestante NTLH chama o livro deuterocanônico Eclesiástico de Escritura Sagrada.
    Hebreus 11,5: “Foi pela fé que Enoque escapou da morte. Ele foi levado para Deus, e ninguém o encontrou porque Deus mesmo o havia levado. AS ESCRITURAS SAGRADAS DIZEM que antes disso ele já HAVIA AGRADADO A DEUS.” (Bíblia protestante Nova Tradução na Linguagem de Hoje).
    Somente em Eclesiástico 44,16 diz: “Henoc agradou a Deus e foi arrebatado(...)". Em Gn 5,24 diz somente que Henoc foi arrebatado, mas não diz que ele agradou a Deus.
    Em nenhuma outra Bíblia protestante ou Católica usa o termo "AS ESCRITURAS SAGRADAS DIZEM" em Hb 11,5, apenas a Ave Maria usa o termo "a Escritura diz".
    Na introdução à epístola aos Hebreus (Bíblia de estudo Almeida, pág. 327), João Ferreira de Almeida fala exatamente isso: “O autor demonstra ser um profundo conhecedor do antigo testamento, cujo texto CITA SEMPRE da tradução grega conhecida como LXX ou versão dos setenta (LXX).”.
    .
    Olha o que o Rafael Rodrigues disse depois : Paulo Leitão Este argumento Serve para provar o uso da Septuaginta, não necessariamente Eclesiástico, pois Gênesis 5, 24 da Septuaginta traz que Enoc agradou Deus:

    "καὶ [[[[[[ εὐηρέστησεν ]]]]] Ενωχ τῷ θεῷ καὶ οὐχ ηὑρίσκετο ὅτι μετέθηκεν αὐτὸν ὁ θεός" (Genesis 5, 24)

    A palavra entre parênteses εὐηρέστησεν "agradou", "satisfez" é a mesma usada em Hebreus.

    Πίστει Ἑνὼχ μετετέθη τοῦ μὴ ἰδεῖν θάνατον, καὶ οὐχ ηὑρίσκετο διότι μετέθηκεν αὐτὸν ὁ θεός. πρὸ γὰρ τῆς μεταθέσεως μεμαρτύρηται [[[[[ εὐαρεστηκέναι ]]]]]] τῷ θεῷ· (Heb 11, 5)

    Pode-se conjecturar que o autor de Hebreus usou Eclesiástico para essa citação, até mesmo pelo uso comum de Paulo e seus discípulos deste livro, mas o argumento pesa mais como prova do uso da septuaginta pelos apóstolos refutando assim a balela de cânon hebraico pré-estabelecido ou que as escrituras inspiradas seriam apenas escritas em hebraico.
    .
    Dai o Paulo leitão escreveu : Os protestantes chamam 2Macabeus de Apócrifo pelo fato do autor dizer em relação ao seu livro:” Se ela está imperfeita e medíocre, é que não pude fazer melhor”.
    A Lição de humildade que retiramos de 2Mc 15,38 é proveniente de Deus,
    Encontramos também nos livros protocanônicos a frase “ E DEUS SE ARREPENDEU”(Gn 6,6;Ex 32,14;Am 7,3-6;Jn 3,10;2Sm 24,17)
    Deus é perfeito mas não orgulhoso.

    Segundo essa ótica protestante as cartas do apostolo Paulo também não são inspiradas.
    1Co 7,12” Aos outros, sou eu que digo, não o Senhor:[...]”

    2Co 11,17” O que vou dizer, não o direi conforme o Senhor, mas como louco, certo de que tenho motivos para me gabar.”

    --- Os apócrifos não são TOTALMENTE sem inspiração, o Evangelho de São Tomé tem muitas passagens e inclusive algumas parábolas já descritas em outros Evangelhos. O interessante é que eles creem na assunção de Moisés que é crida pela Tradição Católica e em Dt 34,5-6 diz que Moisés MORREU E FOI SEPULTADO.
    A palavra RESSURREIÇÃO só exite no Antigo Testamento no livro de Macabeus.(2Mc 7,14; 12,43) essa foi uma das razões que o excluiram no concílio de Jamna, porque poderia remeter os judeus ao cristianismo.
    .
    T++
    Matheus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse Paulo Leitão é um comediante de primeira. Quer dizer então que a mediocridade que o próprio autor de Macabeus deu ao seu livro se compara com o "arrependimento" de Deus, presente nas Escrituras? Essa foi de doer. Ele já deveria saber que o "arrependimento" divino não tem nada a ver com humildade, mas com um antropomorfismo, que tem o sentido de se "entristecer" por algo. O arrependimento de Deus não tem nada a ver com imperfeição dEle. Paulo Leitão é um herege capenga dos mais desprezíveis, que nem disfarçar direito sabe.

      É lamentável ver o que este cidadão faz com a Bíblia. Ele interpreta que o texto de Paulo em questão diz respeito a uma opinião pessoal do apóstolo e não a algo inspirado. Que patético. Se ele lesse o contexto aprenderia que Paulo somente estava dizendo que não tinha mandamento DIRETO do Senhor, ou seja, algo que Cristo tenha pregado enquanto esteve aqui na terra, mas isso não significa que a sua própria palavra não fosse por inspiração ou pela vontade e desígnio divino. Ela tem validade da mesma forma que os mandamentos diretos. Nada tem a ver com "imperfeição", como o Paulo Leitão desgraçadamente quer dizer. O cara ainda interpreta por 2Co.11:17 que Paulo era "louco" mesmo, não entende nada de figuras de linguagem.

      A assunção de Moisés não é parte da tradição católica, é parte da tradição judaica. O catecismo católico não diz nada a favor da assunção de Moisés. O cidadão não conhece nem a doutrina dele direito.

      E em que o fato de a Bíblia dizer que Moisés morreu atesta contra a sua ressurreição? É óbvio que ele morreu. Ele não poderia ter ressuscitado se não tivesse morrido. Só se ressuscita quem morreu, não se ressuscita pessoas vivas. Este Paulo Leitão é comédia total.

      E pra terminar com chave de ouro, ele cospe todo o seu desconhecimento bíblico ao dizer que a palavra ressurreição só existe no livro dos Macabeus. HAHAHAHAHA essa é pra rir até amanhã. O cara nunca leu Isaías 26:19. O bicho é burro demais. Não tem solução.

      Excluir
  6. Mateus Rodrigues, você está avisando que os católicos estão certos ou foi só impressão minha? Você é evangélico mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele só transcreveu aqui o texto que o Paulo Leitão publicou em um lugar qualquer...

      Excluir
    2. Veja bem o que esse Leitão postou sobre Pedro,

      "Pedro, de nacionalidade galileia, o primeiro pontífice dos cristãos, tendo inicialmente fundado a Igreja de Antioquia, se dirige a Roma, onde, pregando o Evangelho, continua vinte e cinco anos Bispo da mesma cidade."(Eusébio, Bispo de Cesareia 263-340 d.C. )

      https://www.facebook.com/paulo.leitao.7/posts/525333550908864?fref=nf

      É uma mentirada só!

      Excluir
    3. O mais engraçado é a referência bibliográfica dele, você viu?

      "Eusébio, bispo de Cesareia"

      HAHAHAHAHAHAHA

      Daqui a pouco os católicos vão dizer que "Pedro foi o primeiro papa" e vão colocar como fonte: "Bíblia".

      Excluir
    4. Onde ele arrumou essa citação de Eusébio?

      Excluir
    5. HAUHAUAHUAHUAHHAUHAUHAUH Tenho que rir, poxa, o Lucas não perdoa!

      Excluir
  7. Onde ele arrumou essa citação de Eusébio?

    Eusébio Bispo de Cesaréia -Crônicas de Eusébio 263 – 340 D.C - Página 261 parágrafo 2)

    Ele está chamando protestantes para um debate,vamos Lucas,aceite,mostre que você é bom longe do google

    ResponderExcluir
  8. Aconselho aos dois " entendidos" lerem História Eclesiástica
    “Pedro, de nacionalidade galiléia, o primeiro pontífice dos cristãos, tendo inicialmente fundado a Igreja de Antioquia, se dirige a Roma, onde, pregando o Evangelho, continua vinte e cinco anos Bispo da mesma cidade.

    Querem mais...

    Santo Ireneu (130 - 202), bispo de Lião referiu: “Para a maior e mais antiga a mais famosa Igreja, fundada pelos dois mais gloriosos Apóstolos, Pedro e Paulo." e ainda "Os bem-aventurados Apóstolos portanto, fundando e instituindo a Igreja, entregaram a Lino o cargo de administrá-la como bispo; a este sucedeu Anacleto; depois dele, em terceiro lugar a partir dos Apóstolos, Clemente recebeu o episcopado.” E acrescentou: “Mateus, achando-se entre os hebreus, escreveu o Evangelho na língua deles, enquanto Pedro e Paulo evangelizavam em Roma e aí fundavam a Igreja.”

    Doroteu (255 -362 ): “Lino foi Bispo de Roma após o seu primeiro guia, Pedro.”


    Optato de Milevo ( Século IV [4]): “Você não pode negar que sabe que na cidade de Roma a cadeira episcopal foi primeiro investida por Pedro, na qual Pedro, cabeça dos Apóstolos, a ocupou.”

    Levemos em consideração os bons apóstolos: Pedro, que por inveja injusta suportou não um, nem dois, mas muitos sofrimentos, e assim, depois de ter dado testemunho, encaminhou-se para o merecido lugar da glória. [...] Em torno desses homens [Pedro e Paulo], que se comportaram piamente, reuniu-se uma grande multidão de eleitos, os quais, depois de terem sofrido por inveja muitos ultrajes e tormentos, tornaram-se entre nós belíssimo exemplo”. [Clemente Romano - Ano 96 DC]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Refutado:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/01/paulo-leitao-falsificando-textos.html

      Volte sempre.

      Excluir
  9. Lutero ensinou que podíamos cometer adultério várias vezes ao dia, que mesmo assim seremos justificados diante de Deus pela fé. Chamou a carta de Tiago de "epistola falsa", queria retira-la da bíblia junto com a epistola de hebreus e o livro do apocalipse. Sem falar que acrescentou a palavra SOMENTE em Romanos 3,28 "corrigindo" a palavra de Deus.
    Além de ter inventado sua doutrina particular da sola scriptura.

    Tudo o que o protestantismo ensina se baseia em mentiras, começando pelo princípio que sustenta todo o castelo protestante: o sola scriptura que refuta a si mesmo, pois nem na Bíblia está !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois de terminar de vomitar suas calúnias leia este artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/01/refutando-calunias-contra-martinho.html

      Excluir
  10. ola Lucas Banzoli, tudo bem?
    gostaria que você falasse um pouco sobre as seguintes passagens:

    Mt 16,18s
    Jo 20, 22s
    Jo 21 15-17

    Aguardo, e desde já agradeço.

    fonte: www.bibliaevangelica.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Franklin, a paz.

      1) Sobre Mateus 16:18:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/05/respostas-um-catolico-sobre-mateus-1618.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/01/estudo-exegetico-completo-sobre-mateus.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2013/06/o-aramaico-e-mateus-1618.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2013/05/quem-e-pedra-de-mateus-1618.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/09/diferenca-entre-petrus-e-petra.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/08/agostinho-e-pedra-de-mateus-1618.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/08/mateus-1618-e-o-fundamento-da-igreja.html

      2) Sobre João 20:22:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/08/a-confissao-auricular-e-biblica.html

      3) Sobre João 21:15-17:

      http://apologiacrista.com/index.php?pagina=1079301223

      Abraços.

      Excluir
  11. Amigo,
    Voce poderia me falar a respeito dos titulos que sao utilizados pelas denominaçoes religiosas e se tais titulos nao estao contrariando a Biblia?
    Jesus determinou que a ninguem deveriamos chamar de Pai ou Mestre, em Mateus 23:8-10, porque existe Padre e Pastor?
    "Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi, porque um só é o vosso Mestre, a saber, o Cristo, e todos vós sois irmãos. E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus. Nem vos chameis mestres, porque um só é o vosso Mestre, que é o Cristo."
    Parece-me que :
    Pai = Padre = Papa
    Mestre = Guia = Pastor
    Grato!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. a paz.

      Não acho errado dar o nome de "Mestre" ou "pai" a alguém, veja que Paulo disse que há "mestres" na Igreja, e ele próprio se considerava "pai" de Timóteo:

      "E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores E MESTRES" (Efésios 4:11)

      "...a Timóteo, meu verdadeiro filho na fé" (1 Timóteo 1:2)

      Quando Jesus fala pra não chamar ninguém de "mestre" ou "pai", é no sentido de SUPERIORIDADE, ou seja, para Jesus não haveria qualquer tipo de graduação de níveis de autoridade entre os doze discípulos, ninguém que governasse sobre os outros. É por isso que Jesus diz que "todos vós sois irmãos", ou seja, no sentido de igualdade. O sentido do texto é que os doze estavam em pé de igualdade e que só havia um cabeça sobre eles, que é Cristo. Ele disse isso em um contexto onde eles estavam discutindo sobre qual deles era o maior, e a resposta implícita era: nenhum.

      Abraços!

      Excluir
    2. Entendo sua posiçao, mas creio que, mediante a ordem expressa do Filho de Deus, o apostolo Paulo (fiel cumpridor da Palavra), em Ef 4:11, estava dizendo acerca dos dons que Deus havia derramado sobre Sua igreja e nao sobre os titulos, que aqueles que o Espirito santo separa-se para o ministerio, deveriam ostentar.
      Me parece que, biblicamente falando, os titulos que o Espirito Santo ordenou para distinguir os irmaos que eram lideres e trabalhavam na igreja de Cristo era "anciao" (ministerio da Palavra) e "diacono" (atendimento das mesas), conforme muitas passagens, entre as quais destaco: Atos 11:30, Atos 20:17 e Atos 6:1-6), as quais estao de acordo com a ordem do unico Mestre.
      O que achas?

      Excluir
    3. Sendo títulos ou não, o fato é que Paulo reconhecia que existiam "pastores" e "mestres". Acho perigosa essa interpretação de que só existem dois cargos, o de "ancião" e o de "diácono". Ancião e presbítero na Bíblia é a mesma coisa (a palavra "presbítero" é a que significa "ancião"), e em Atos 20 Paulo reúne os anciãos-presbíteros e diz que Deus os constituiu BISPOS na igreja, mostrando que "bispo" e "presbítero" (ancião) eram terminologias diferentes para o mesmo cargo:

      "Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo VOS CONSTITUIU BISPOS, para pastorear a igreja do Senhor, que ele resgatou com seu próprio sangue" (Atos 20:28)

      No mesmo verso, ele pede para esses bispos PASTOREAREM a igreja de Deus, e o ato de "pastorear" remete ao "pastor". Por isso que nem bispo e nem presbítero (ancião) são mencionados em Efésios 4:11, porque ambos já estavam incluídos implicitamente na função de "pastor". Mas respeito se você tem uma opinião diferente, e não pretendo polemizar a respeito. Deus lhe abençoe.

      Excluir
    4. Esqueci de mencionar 1 Timóteo 3:1, onde Paulo afirma:

      "Esta afirmação é digna de confiança: se alguém DESEJA SER BISPO, deseja uma nobre função" (1 Timóteo 3:1)

      Abraços.

      Excluir
  12. Deus te abençoe pela resposta!!!

    ResponderExcluir
  13. Ellen G. White vocês consideram como falso profeta...
    Joseph Smith vocês consideram como falso profeta...
    Maomé vocês consideram como falso profeta

    Pq Lutero, Calvino e os reformados não ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um falso profeta é quem prega doutrinas que não condizem com a Bíblia. Um verdadeiro profeta é um que prega de acordo com ela. Pelo que eu vejo, pra você é diferente. Um verdadeiro profeta é alguém aprovado pelo papa, e um falso profeta é um que o papa considera um falso profeta. Ou seja: um cego guiando outro cego, para cair os dois no mesmo buraco.

      Excluir
  14. Padres da Igreja do século VII podem ser considerados como membros da Igreja de Cristo ou não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende do Pai da Igreja, nessa época algumas doutrinas já haviam sido corrompidas, mas nem todas, ainda haviam cristãos sinceros, mesmo que com certos erros teológicos. Eu não vejo a Igreja do século VII como totalmente desviada, como a Igreja do século XII por exemplo. Mas também não conservava a pureza da Igreja primitiva do século I.

      De todo modo, determinar se alguém é ou não um membro do corpo de Cristo vai muito além da sua teologia. Tem a ver com caráter, comprometimento com Deus, boas obras, santidade, comunhão, oração, sinceridade, domínio próprio, etc. As marcas de um verdadeiro cristão vão bem além do aspecto doutrinário, sem tirar a importância da doutrina. Mas às vezes eu vejo as pessoas reduzindo a questão apenas à teologia, como se alguém fosse de Deus por ter uma teologia com "70% de acertos", e fosse do diabo por ter uma teologia com "70% de erros", o que é um simplismo completamente errôneo e incompatível com o ensino bíblico, que valoriza a doutrina mas coloca o lado humano e individual acima na questão da salvação.

      Excluir
    2. Quais seriam os pontos fundamentais que não pode se desviar para ser considerado membro da Igreja de Cristo? (Supondo que a pessoa já tenha comprometimento, santidade,etc).

      Excluir
    3. 1) Reconhecer Jesus como salvador pessoal, único e suficiente.

      2) Ensinar um evangelho cristocêntrico, o que significa dar toda a glória a Deus em vez de tirar a glória dEle e transferí-lo a criaturas (sejam "santos", anjos ou o que quer que seja), que redundam em idolatria, seja ela a idolatria clássica (a uma imagem) ou uma idolatria moderna (ao dinheiro ou a coisas materiais em geral).

      3) Crer na Bíblia como a revelação de Deus ao homem, a Palavra escrita de Deus, divinamente inspirada, e em Jesus como a Palavra de Deus em pessoa.

      4) Crer que Jesus veio em carne, que morreu pelos nossos pecados e ressuscitou para a nossa justificação.

      5) Crer na ressurreição na volta de Jesus para a vida eterna (em vez de reencarnação por exemplo).

      6) Pregar os princípios morais básicos de santidade e temor ao Senhor, em vez do liberalismo ensinado por aqueles que foram tão severamente repreendidos por Pedro e Judas em suas epístolas.

      7) Não ensinar qualquer falsa doutrina que suprima, suplante, anule ou diminue o sacrifício de Cristo por nós (por exemplo, o purgatório).

      8) Aceitar os "sacramentos": batismo e Ceia do Senhor.

      9) Fugir dos legalismos que impõem cargas pesadas e desnecessárias nas costas dos cristãos.

      10) Ensinar o amor e a tolerância, em vez de conversões forçadas, perseguições aos "infieis", caça às "bruxas", fogueira, etc.

      Há outros, mas esses são os mais importantes que eu posso me lembrar agora.

      Excluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links) e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.