Refutando calúnias contra Martinho Lutero


Eu sempre costumo dizer que a nossa fé evangélica não está edificada sobre Lutero, Calvino, Zwinglio ou qualquer outro reformador protestante do século XVI. Mesmo se Lutero fosse mesmo um alemão bêbado e adúltero que cometeu suicídio, eu responderia com um grande: eeeeeeeeeee daí? Temos dezenas, senão centenas de papas que foram muito piores. Temos uma enorme lista de papas que foram assassinos, pedófilos, sodomitas, estupradores, incestuosos, racistas, escravocratas, anti-semitas, torturadores, misóginos e facínoras sedentos de sangue (alguns dos quais o leitor pode conferir clicando aquie aqui), e mesmo assim os católicos não deixaram de ser católicos por causa disso. Ao contrário: continuam chamando a criatura de “Santo Padre” (note que nenhum evangélico é tão cínico ao ponto de chamar Lutero de “o Santo Lutero”).

Os papistas não conseguem entender que nós não consideramos Lutero infalível, como eles consideram os papas deles. Nós somos honestos e humildes o suficiente para admitir o óbvio: que Lutero era tão humano, mortal, pecador e falível quanto qualquer um de nós. E que, mesmo tendo os seus erros, exerceu um papel proeminente e fundamental nas denúncias da apostasia romana e restaurou boa parte das doutrinas bíblicas, que já tinham sido abandonadas há muito tempo. A conduta e a vida particular de Lutero não influenciam a vida dos evangélicos do século XXI. Sua doutrina, sim.

A razão pela qual os “apologistas” católicos estão sempre tão desesperados em caluniar Lutero é porque eles sabem que tem que desviar a doutrina para o lado pessoal. Eles sabem que no campo doutrinário são massacrados. Então eles vão para o pessoal. Querem retratar Lutero como um monstro satânico e o maior pecador de todos os tempos, pensando que assim irão escandalizar um evangélico e afastá-lo da doutrina cristã e bíblica. Um evangélico minimamente instruído sabe o quanto essa estratégia papista é estúpida e que não serve para enganar ninguém.

Evangélicos não seguem Lutero, seguem Jesus. Lutero, assim como qualquer outro ser humano do mundo, deve ser ouvido somente na medida em que seu discurso condiz com as Escrituras, com os ensinos de Jesus. Até o apóstolo Paulo, ao invés de simplesmente dizer “sejam meus imitadores”, fazia questão de dizer aos coríntios: “sejam meus imitadores, como eu o sou de Cristo” (1Co.11:1). Em outras palavras, a “imitação” a Paulo estava condicionada à sua obediência a Cristo. Se Paulo pecasse (e ele era humano), não era para os coríntios seguirem essa conduta. Da mesma forma, se Lutero errou, não precisamos seguir seus erros.

Papistas têm uma dificuldade incrível em entender isso, porque há uma diferença abismal entre o trato dos evangélicos para com Lutero e o trato dos papistas para com o papa. A obediência dos evangélicos a Lutero é condicional à obediência deste à Cristo, enquanto a obediência dos católicos ao papa é incondicional, pelo pressuposto da infalibilidade, segundo o qual o papa não pode errar em matéria de fé. Mas eles pensam que Lutero é para nós o que o papa é para eles. É por isso que os apologistas caluniadores a serviço de Roma insistem na presunção de que derrubando Lutero eles derrubam o protestantismo, como se a validade da doutrina protestante dependesse da “infalibilidade” de Lutero, a qual nenhum protestante jamais creu – nem o próprio Lutero, por sinal.

Quando uma calúnia inventada por eles fracassa, eles são rápidos em inventar calúnias novas, substituindo e atualizando seu arsenal de injúrias e difamações. Tente dar uma lida no que os sites católicos dizem sobre a morte de Lutero. Uns dizem que ele se arrependeu no final da vida e voltou ao catolicismo romano. Outros dizem que ele se matou. Outros dizem que ele morreu em um bar, de tanto beber. Daqui a pouco eles vão dizer que Lutero se converteu ao catolicismo carismático e gravou um CD com o padre Marcelo. Eu não duvido.

A verdade é que estes doutrinadores papistas estão tão desesperados em inventar calúnias novas que nem se dão conta de refutar as que já foram inventadas antes e que contradizem a nova versão. Eles são divertidos. Hilários. Para que se faça justiça, cabe ressaltar que em meio a tantas calúnias diferentes e autocontraditórias sobre a morte de Lutero, o site católico Veritatis Splendor surpreendentemente disse que Lutero morreu de... causas naturais! Sim, eles não se decidem mesmo.

Você vai a um site católico e eles dizem que Lutero aceitava os livros apócrifos porque os incluía em sua versão da Bíblia, e então vai a outro site católico e este outro site vocifera contra Lutero dizendo que ele “arrancou sete livros da Bíblia”. Ora, decidam-se de uma vez: Lutero aceitava os apócrifos ou ele “mutilou a Bíblia”? O mais engraçado de tudo é quando essas duas acusações diferentes e contraditórias entre si são feitas por um mesmo site, por um mesmo autor e num mesmo artigo! Sim, acredite. O orkuteiro Evaldo Gomes escreveu um artigo hilário sobre o cânon bíblico onde diz que Lutero cria na “antiguidade e canonicidade” dos apócrifos, e no parágrafo final do mesmo artigo afirma que ele adotou um cânon “farisaico” (risos) sem os apócrifos. O desespero deles em caluniar Lutero é tão grande que dá luz a distúrbios bipolares.

Mesmo eu não dando a mínima para as calúnias deles, e mesmo considerando inútil qualquer tentativa de desmoralizar a pessoa de Lutero, é bom colocar um ponto final em tantas aberrações inventadas por eles, por questão de justiça e não por questão de necessidade. Neste quesito, os apologistas cristãos norte-americanos estão muito à frente dos apologistas cristãos brasileiros. Há blogs destinados inteiramente a refutar as calúnias católicas que são despejadas covardemente sobre Lutero. Abaixo listarei algumas destas refutações na tabela que se segue.

A CALÚNIA
A REFUTAÇÃO
“Lutero foi o precursor de Hitler”
“Lutero não acreditava em Deus”
“Lutero não está apto para ensinar nas universidades de hoje”
“Lutero mandou matar os camponeses”
“Lutero disse para os cristãos pecarem”
“Lutero foi contra o uso da razão”
“Lutero voltou ao catolicismo no fim da vida”
“Lutero se suicidou”
“Lutero era ocultista”
“Lutero pregou em favor da embriaguez”
“Lutero era um polígamo”
“Lutero tinha um cânon pessoal e retirava livros da Bíblia”
“Lutero era um mulherengo”
“O pai de Lutero era um assassino”
“Lutero foi abusado quando criança”
“Lutero contradizia o princípio de Sola Scriptura na prática”
“Lutero era contra as boas obras, porque ensinava a justificação pela fé”
“Lutero traduziu mal o texto de Romanos 3:28, acrescentando a palavra ‘somente’”
“Lutero inventou a doutrina da justificação somente pela fé”
“Lutero odiava os judeus”
“Lutero era mariólogo”
“Lutero alterou o texto de Gênesis 3:15”
“Lutero cria na assunção de Maria”
“Lutero se considerava infalível”
“Lutero disse que os evangélicos estavam sete vezes pior do que eram antes”
“Lutero xingava enquanto orava”
“Lutero disse que Satanás o convenceu de que a missa não era um verdadeiro sacrifício”
“Lutero se considerava um profeta”
“Lutero disse que há tantas seitas quanto cabeças”
“Lutero disse que Jesus cometeu adultério”
“Lutero rejeitava o livro de Ester”
“Lutero odiava Moisés e o mandou à forca”
“Lutero escreveu uma carta ao papa Leão X, onde diz que a voz do papa é a voz de Cristo”
“Lutero disse que a Sola Scriptura teve um efeito devastador”
“Lutero era assassino”
“Lutero disse que a história de Jonas é monstruosa”
“Lutero odiava Zwinglio e comemorou a sua morte”
“Lutero morreu em condição espiritual patética”
“Lutero disse que se o mundo durar muito tempo será necessário voltar aos concílios”
“Lutero achava que o livro de Macabeus era canônico”
“Lutero cria no purgatório”
“Lutero tirou Macabeus do cânon porque ensina o purgatório”
“Lutero rejeitava o livro de Tiago e o considerava uma carta de palha”
“Lutero odiava os Pais da Igreja”
“Lutero era possuído pelo demônio”

Estes são apenas alguns artigos, há muito mais do que isso no blog de James Swan, de onde foi tirado a maioria dos textos. É lógico que os papistas não vão desistir. Eles são incansáveis na arte da calúnia e da mentira. Só existe uma quantidade tão grande de calúnias porque as anteriores foram refutadas, o que vai gradualmente aumentando o número de novas difamações, numa tentativa infame de substituir as calúnias anteriores que já foram desmascaradas. Os ataques histéricos dos papistas contra Lutero não vão acabar, porque a mentira é tudo o que deveríamos esperar de um sistema religioso papal que, em si mesmo, já é uma mentira.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (apologiacrista.com)


-Meus livros:

-Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Reflexões cristãs e estudos bíblicos)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Desvendando a Lenda (Refutando a Imortalidade da Alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)

Comentários

  1. Prezado Lucas, a paz de Cristo!

    Ajude-me a refutar estas duas "supostas" defesas que Lutero teria feito ao papa quanto à cobrança de indulgências, segundo apologistas católicos (teses 42 e 50):

    "42. Deve-se ensinar aos cristãos que não é pensamento do papa que a compra de indulgências possa, de alguma forma, ser comparada com as obras de misericórdia.";

    "50. Deve-se ensinar aos cristãos que, se o papa soubesse das exações dos pregadores de indulgências, preferiria reduzir a cinzas a Basílica de S. Pedro a edificá-la com a pele, a carne e os ossos de suas ovelhas."

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rodrigo, a paz!

      Eu escrevi sobre estes textos neste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/01/os-protestantes-dividiram-igreja.html

      Abraços!

      Excluir
  2. Obrigado, Lucas, minha dúvida já foi muito bem esclarecida!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada irmão! Que Deus te abençoe ricamente!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Lucas, o pior é que eles só atacam lutero e as vezes Calvino, só pelo fato deles terem sido os protagonistas da reforma. Já John Wycliffe, Jan Huss, Jacó Arminío e outros reformadores eles nem os mencionam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é um dos problemas, a maioria pensa que Lutero foi o único reformador, por isso caluniam apenas Lutero. É por isso que existem tantas lendas diferentes sobre a morte de Lutero, uns dizem que Lutero morreu de bêbado, outros que morreu doente, outros que se suicidou, etc... se soubessem que existiam outros reformadores poderiam dividir a quantidade de calúnias em várias pessoas diferentes, e desta forma ter uma única calúnia sobre a morte de Lutero, e deixar a outra para a morte de Calvino, e outra para a morte de Zwinglio, etc... :)

      Excluir
  5. Lucas, Lutero e Calvino eram devotos de Maria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No início, apenas. Lutero e Calvino foram se libertando do romanismo aos poucos, não de uma vez só. Você pode ler sobre isso no blog do James Swan, nesta tag:

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/search/label/Luther%27s%20Mariology

      Excluir
    2. Ainda irei elaborar uma artigo sobre a Mariologia de Calvino ou traduzir algum já publicado. Quanto a Lutero, pode-se ter algumas respostas bem objetivas neste artigo que traduzi do James Swan do Beggars All Reformation

      Excluir
    3. Obrigado, Elisson.

      Excluir
  6. Lutero era calvinista ou arminiano ? Ele acreditava em predestinação ou livre arbítrio ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhuma das duas coisas, ele mantinha uma posição "em cima do muro" que na minha opinião não é internamente consistente. Ele cria em "predestinação única" (em vez da dupla predestinação calvinista), mas não na predestinação condicional do arminianismo. Ele cria na depravação total (mas arminianos clássicos também), era monergista, mas por outro lado achava que o crente pode perder a salvação e que Jesus morreu por todos. Na minha opinião, é difícil alguém manter estes pontos de vista nos dias de hoje sem incorrer em uma notória contradição, mas entende-se que Lutero não "dogmatizava" a respeito, como Calvino e Armínio faziam.

      Excluir
  7. O Erasmo apoiou Lutero ou a Igreja ? Ou preferiu ficar em cima do muro ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele optou por não ficar em nenhum dos dois lados, mas era amigo de Lutero e os dois se correspondiam respeitosamente.

      Excluir
  8. Bem que você podia traduzir pelo menos alguns, pq contar cm o google tradutor n é fácil. Rs. Mas se tiver tempo, claro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu posso tentar, mas o Elisson Freire já fez vários artigos sobre Lutero tendo por base os artigos do Swan, segue alguns links do site dele onde você pode encontrá-los:

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/11/lutero-era-assassino.html

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/07/lutero-e-algumas-de-suas-supostas.html

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/08/breve-resposta-sobre-algumas-objecoes.html

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/07/a-lenda-do-suicidio-de-lutero.html

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/03/nazismo-inquisicao-protestante-e-o.html

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/08/lutero-tinha-ligacoes-com-o-ocultismo-e.html

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/06/o-holocausto-nazismo-e-suas-verdadeiras.html

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/02/inquisicao-protestante.html

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/03/refutando-o-pubere-pedante-sergio.html

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/08/demolindo-as-mentiras-do-fernando-nasicmento-sobre-lutero-e-o-protestantismo.html

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/10/a-face-oculta-de-lutero-parte-i.html

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/09/o-revisionismo-hipocrita-do-catolicismo-em-torno-do-antissemitismo.html

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/08/fernando-nascimento-e-seu-cordel.html

      Outras refutações você encontra no blog do Hugo:

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2013/05/lutero-o-livro-de-ester-eu-lanco-no-elba.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2013/04/lutero-exortou-os-cristaos-pecar_24.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2013/04/lutero-eu-nao-admito-que-minha-doutrina.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2012/07/os-reformadores-alguma-vez-retiraram.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2012/07/lutero-ha-tantas-seitas-e-opinioes-como.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2012/04/lutero-disse-que-cristo-pecou-cometendo.html

      Abs.

      Excluir
  9. João Maier realmente refutou as 95 teses de Lutero ? Ou isso é só um blefe católico

    http://ocatequista.com.br/archives/8777

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre quando você ouvir um católico dizendo que eles ganharam um debate, DUVIDE. Se tem um povo que se vangloria de "ganhar" debates dos quais saiu massacrado é esse. Se quiser ver uma análise mais honesta sobre o debate do que naquele site de palhaços, confira aqui:

      https://books.google.com.br/books?id=rSH2kNakhowC&pg=PA258&lpg=PA258&dq=Eck+lutero+debate&source=bl&ots=5TMquPUH_0&sig=gRpcRL832MsHG7vBDtbPBobqYyk&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwiEnaeqnMvJAhUDi5AKHRcmDRUQ6AEIOzAF#v=onepage&q=Eck%20lutero%20debate&f=false

      Vale ressaltar ainda que aquilo ali NÃO foi um debate de "católico vs protestante", porque Lutero AINDA ERA CATÓLICO quando debateu com Eck, ele inclusive disse que se sujeitava ao pontífice romano, e ainda não tinha sido excomungado. Ou seja, era um debate de católico contra católico, com a diferença de que um era a favor das indulgências e o outro era contra.

      Vale ressaltar ainda que o objetivo de Eck NÃO era provar o primado do papa ou os dogmas católicos tradicionalmente rejeitados pelos protestantes, porque Lutero ainda não era contra nada disso. Tudo o que Eck pretendia fazer era colocar Lutero contra algum concílio da Igreja para provar a sua "insubordinação" ao papa, e ele conseguiu isso depois que conseguiu tirar da boca de Lutero palavras de apoio ao pré-reformador John Huss, que havia sido queimado vivo pelos papistas. Então Eck deixou o debate e foi correndo alardear para os quatro cantos da terra que Lutero estava contra o papa e contra a Igreja, porque era isso o que ele queria no fim das contas.

      Excluir
    2. Os romanistas adoram atacar Lutero, mas como disse Jan Huss disse : ''Vocês estão queimando um ganso, mas Deus irá levantar um cisne e esse vocês não poderão queimar

      Excluir
    3. Nossa, vendo os comentários desses artigos, encontrei vários palavrões e palavras de ódio para Lutero e nós protestantes. Esses católicos ainda estão na idade média, rs. Mas falando sério, alguns odeiam mesmo nós protestantes. Não são iguais os Papas mais atuais que, pelo menos, publicamente, faz discurso de ódio para nós evangélicos.

      Vi na página deles um artigo refutando o que os sites da mídia disse sobre o Papa, em que os ateus poderiam ser salvos. Nos comentários, alguns católicos defendiam a salvação dos ateus pelas boas obras. Eu, sinceramente, queria ver se isso fosse com nós protestantes, seriamos tachados como seguidores de homens ou que iriamos para o inferno por causa da Sola Scriptura.

      Será que eles tem esse ódios para conosco pq o protestantismo, em 500 anos, está se igualando há eles que tem uma história de 2000 anos ? (estou me referindo há 2000 anos por causa das mentiras sobre o Papa Pedro e a Igreja de roma como sendo a maior)

      O jeito é orarmos por eles , e que tirem essa mágoa do coração.

      Excluir
    4. Ou seja:

      a) Ateu que faz boas obras = TÁ SALVO.

      b) Protestante que faz boas obras = É UM FILHO DA SERPENTE, DESCENDENTE DO DRAGÃO, HEREGE SATÂNICO, REBELADO IGUAL O MONGE BÊBADO E BLASFEMO.

      Excluir
    5. Sobre as ofensas, ataques e agressões da parte deles, é normal, eles sempre foram assim. Já até escrevi alguns artigos sobre isso há algum tempo atrás:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/01/o-que-explica-tanto-odio-intolerancia-e.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2013/10/o-odio-e-o-preconceito-dos-catolicos.html

      O Elisson também tem alguns artigos sobre isso:

      http://firmefundamento.comunidades.net/a-diarreia-mental-da-militancia-catolica

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/09/hugo-de-paynes-flavio-santana-e-rodrigo-macedo-fontes.html

      http://www.resistenciaapologetica.com/2015/09/hugo-de-paynes-e-sua-diarreia-mental.html

      Em todo lugar em que não há moderação e ordem, o que se pode esperar de gente sem princípios morais é exatamente isso: xingamentos, calúnias, ataques pessoais, ameaças, etc. Essa é simplesmente a consequencia natural do fato de que a maioria desses apologistas católicos não é cristã. São pagãos, e, como tais, fazem aquilo que é de sua própria natureza decaída. Essa é a razão pela qual esse blog possui moderação, senão já estaria o chiqueiro e a baixaria que todo site católico e quase toda comunidade de debates já virou.

      Excluir
  10. Saudações, uma vez um católico pra justiçar (como se fosse possível) as calunias que fizeram do Lutero, o cara falou pra ler o livro (Lutero, Tischredden, Conversas à Mesa, N* 1472, edição de Weimar, Vol. II, p. 107, apud Franz Funck Brentano, Martim Lutero, Ed Vecchi Rio de Janeiro 1956, p. 15). Mas se não me engano esse "livro" é um amontoado de textos fora do contexto e calunias não provadas, isso procede?
    Ricardo Soares

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O "Conversas a Mesa" NÃO É um livro escrito por Lutero. Ao contrário, é um livro escrito por supostos alunos de Lutero, que DEPOIS DA SUA MORTE fizeram uma coleção de supostos ensinos dele e publicaram em livro. Nenhum estudioso sério usa o "Conversas a Mesa" como base da teologia de Lutero, ainda mais quando há dezenas e dezenas de obras escritas pelo próprio punho do reformador protestante.

      Se depois da sua morte, sem você ter como se defender, alguém escrevesse um monte de coisa ruim sobre você, como você reagiria?

      Pois é.

      Excluir
  11. Peço desculpas ao Sr. José Rubens Medeiros por eu tê-lo ofendido verbalmente em comentário-resposta que postei neste blog.

    ResponderExcluir
  12. A ele e a todos os católicos. Deste o começo desta página. Com esse blog vc não está falando nada mais nada menos que alguns sites católicos falam sobre os protestantes. Somo todos irmaos, filhos de um unico Deus e devemos nos amar e nos respeitar apesar das diferencas de pensamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou seja, o que você quer é que os apologistas católicos mentirosos continuem espalhando milhares de calúnias contra Lutero e que ninguém faça nada para refutá-los. Com todo o respeito: suma do meu blog.

      Excluir
    2. Anônimo, católicos são idólatras e inimigos da Bíblia, portanto são filhos de Satanás, se você os tem como irmãos, deve ser da mesma laia ou um desequilibrado espiritual.

      Excluir
  13. Oi Lucas! Parabéns pelo blog! Sobre a questão da devoção mariana, podes me ajudar com o texto de Apocalipse 12?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, escrevi sobre isso aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.in/2015/09/quem-e-mulher-de-apocalipse-12.html

      Abs!

      Excluir
  14. Boa noite meu nobre!

    Gostei muito do seu blog, você poderia me ajudar sobre o assunto de que Lutero queria matar os católicos?

    “If we punish thieves with the yoke, highwaymen with the sword, and heretics with fire, why do we not rather assault these monsters of perdition, these cardinals, these popes, and the whole swarm of the Roman Sodom, who corrupt youth and the Church of God? Why do we not rather assault them with arms and wash our hands in their blood?“

    Martin Luther, June 25, 1520

    "
    Se casarmos os ladrões com o jugo, os salteadores com a espada e os hereges com fogo, por que não atacamos esses monstros da perdição, estes cardeais, estes papas e todo o enxame da Sodoma romana, que corrompem a juventude ea Igreja de Deus? Por que não os atacamos com armas e lavamos as mãos no sangue?"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem? "Martin Luther, June 25, 1520", não é uma referência. Só mostra o dia em que ele supostamente teria dito isso. Não mostra o livro, nem a página, nada. Assim não tem como levar a sério. E vale lembrar que uma das teses de Lutero que o papa CONDENOU era a que dizia:

      "É contra o desejo do Espírito Santo que heréticos sejam queimados"

      Fonte (católica): http://www.veritatis.com.br/exsurge-domine-leao-x-15-06-1520/

      Excluir
  15. Oi
    Aqui é o João Felipe mais uma vez e achei outro artigo que eu não consigo refutar e queria a sua ajuda (não estou mais aguentando tamanho "soco no estômago"):
    http://www.catolicismoromano.com.br/content/view/3594/29/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é nada mais que uma paródia caluniosa feita por um padre católico que escreveu mais de trezentos anos depois da morte de Lutero e que simula um falso "diálogo" entre Lutero e Satanás que não consta em absolutamente nenhum livro de história, mas apenas nos blogs de apologética católica. A coisa é tão pitoresca que já começa mentindo logo na foto de capa, pois logo de cara eu pude notar que a imagem que eles colocam ali é do pai de Lutero (Hans Luther), e não do próprio. Ou seja, o artigo já começa mentiroso desde a imagem de capa! Talvez eles tenham escolhido a foto do pai porque ele tinha uma cara mais "acabada" (como camponês trabalhador e idoso), então servia melhor para simular um "diálogo com o diabo"...

      No mais, todo mundo sabe que Lutero se converteu lendo a Bíblia, mais especificamente a carta de Paulo aos romanos, e não com uma "conversa com o capeta". Além disso a obra que o mentiroso atribui a Lutero como sendo a fonte do suposto "diálogo ecumênico"(!), chamada "Da missa privada e da piedade dos padres", se pesquisar sobre ela só encontrará ela sendo citada em um único lugar, que misteriosamente é naquele mesmo site (veja só que coincidência), e não a encontrei em nenhuma lista bibliográfica das obras de Lutero. Quer dizer: provavelmente o tal livro nem existe, e se existe, não tem essa "conversa", mesmo porque se tivesse seria muito citada por todos os historiadores com muito interesse, mas nunca foi por nenhum. No fim das contas, só serve para mostrar o quão mentirosos e desesperados em caluniar Lutero os papistas são.

      Excluir
  16. As duas principais discussões, na época da Reforma, eram a respeito do Sola Fide e do Sola Scriptura. O Sola Fide não é bíblico, não tem fundamento quando se confronta com as Cartas de Paulo e tão pouco está de acordo com Tiago 2, Efésios 2, Romanos 2, entre outros. Já o Sola Scriptura, que também não é bíblico, não possui qualquer fundamento quando relacionado com 2 Tessalonicenses 2,15 (tradição escrita e oral), 1 Timóteo 3,15, João 20,30, entre outros. Não é muito difícil perceber isso, caso a pessoa não seja desonesta intelectualmente.

    Quanto ao termo "papista", este se mostra um completo absurdo e de uma incoerência/idiotice infinita. Décadas após a morte de Jesus, já pararam para pensar sobre quais livros entrariam no Cânone do Novo Testamento? Quais livros ficariam de fora? E, sobretudo, quem teria escolhido os livros? Muitos queriam que tais livros entrassem, outros vários queriam diversos outros livros. No entanto, uma pessoa teve de escolhê-los; e essa pessoa o fez dessa forma, como vemos hoje, porquanto DEUS quis, a escolha foi infalível (daí a infalibilidade papal). E além disso, esses documentos foram copiados e transmitidos por todos esses séculos até agora por várias pessoas que acreditaram na infalibilidade. Se você não crê nisso, protestante, então a Bíblia é falível, e tanto eu, como você, estamos sendo enganados. Contudo, caso concordemos que o papa, naquela época da escolha, foi infalível devido a um dom de Deus, então por que Deus não faria isso com todos os outros papas em matéria de fé ou moral (os costumes) até hoje?

    Enfim, citei três pessoas para vocês pensarem. Esperem que usem o cérebro. Cada vez que eu leio um site de protestante eu fico boquiaberto, não pela qualidade, mas pelos ataques infantis, que se casam com birras de adolescentes mimados. E devo confessar: isso me entristece, pois enquanto estamos debatendo questões não tão grandes como Lutero, sola fide e sola scriptura, que não são verdadeiras, o inimigo tem ganhado cada vez mais força nesse mundo secular. Depois não reclamem quando alguém disser que Lutero foi o pai do mvndo moderno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. “O Sola Fide não é bíblico, não tem fundamento quando se confronta com as Cartas de Paulo e tão pouco está de acordo com Tiago 2, Efésios 2, Romanos 2, entre outros”

      Isso é alguma brincadeira? Um show de Stand-Up? Alguma pegadinha?

      A justificação pela fé em Romanos:

      “Mas aquele que sem obra alguma crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada em conta de justiça” (Romanos 4:5)

      “Porque no evangelho é revelada a justiça de Deus, uma justiça que do princípio ao fim é pela fé, como está escrito: ‘O justo viverá pela fé’” (Romanos 1:17)

      “Justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo para todos os que crêem. Não há distinção, pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus” (Romanos 3:22-24)

      “Mas, no presente, demonstrou a sua justiça, a fim de ser justo e justificador daquele que tem fé em Jesus” (Romanos 3:26)

      “Onde está, então, o motivo de vanglória? É excluído. Baseado em que princípio? No da obediência à lei? Não, mas no princípio da fé. Pois sustentamos que o homem é justificado pela fé, independente da obediência à lei” (Romanos 3:27,28)

      “Visto que existe um só Deus, que pela fé justificará os circuncisos e os incircuncisos” (Romanos 3:30)

      “Se de fato Abraão foi justificado pelas obras, ele tem do que se gloriar, mas não diante de Deus. Que diz a Escritura? "’Abraão creu em Deus, e isso lhe foi creditado como justiça’" (Romanos 4:2)

      “É assim que Davi proclama bem-aventurado o homem a quem Deus atribui justiça, independentemente das obras” (Romanos 4:6)

      “Destina-se esta felicidade apenas aos circuncisos ou também aos incircuncisos? Já dissemos que, no caso de Abraão, a fé lhe foi creditada como justiça” (Romanos 4:9)

      “Não foi mediante a lei que Abraão e a sua descendência receberam a promessa de que ele seria o herdeiro do mundo, mas mediante a justiça que vem da fé” (Romanos 4:13)

      “Portanto, a promessa vem pela fé, para que seja de acordo com a graçae seja assim garantida a toda a descendência de Abraão; não apenas aos que estão sob o regime da lei, mas também aos que têm a fé que Abraão teve. Ele é o pai de todos nós” (Romanos 4:16)

      “Eis por que sua fé lhe foi creditada como justiça. Ora, não é só para ele que está escrito que a fé lhe foi imputada em conta de justiça. É também para nós, pois a nossa fé deve ser-nos imputada igualmente, porque cremos naquele que dos mortos ressuscitou Jesus, nosso Senhor, o qual foi entregue por nossos pecados e ressuscitado para a nossa justificação” (Romanos 4:22-24)

      Excluir
    2. “Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo, por meio de quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes; e nos gloriamos na esperança da glória de Deus” (Romanos 5:1,2)

      “Como agora fomos justificados por seu sangue, muito mais ainda seremos salvos da ira de Deus por meio dele!” (Romanos 5:9)

      “Que diremos, então? Os gentios, que não buscavam justiça, a obtiveram, uma justiça que vem da fé; mas Israel, que buscava uma lei que trouxesse justiça, não a alcançou. Por que não? Porque não a buscava pela fé, mas como se fosse por obras. Eles tropeçaram na ‘pedra de tropeço’” (Romanos 9:30-32)

      “Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. Pois com o coração se crê para justiça, e com a boca se confessa para salvação” (Romanos 10:9-10)

      “E se é pela graça, já não o é pelas obras; de outra maneira, a graça cessaria de ser graça” (Romanos 11:6)

      “Visto que Deus é um só, que justifica pela fé a circuncisão, e por meio da féa incircuncisão” (Romanos 3:13)

      Mais claro do que isso, só se eu desenhasse. Dizer que não encontrou a Sola Fide em Romanos é como alguém dizer que foi à Disney e não achou nenhum brinquedo.

      Para ver o quanto você está perdido e por fora, o texto que você citou de Efésios é uma prova cabal da Sola Fide, em vez de contrariá-la:

      “Pois vocês são salvos pela graça, POR MEIO DA FÉ, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; NÃO POR OBRAS, para que ninguém se glorie. Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus PARA fazermos boas obras, as quais Deus preparou de antemão para que nós as praticássemos” (Efésios 2:8-10)

      Paulo não diz que nós somos salvos PELAS obras, mas PARA as obras. O homem é salvo POR fé, NÃO POR OBRAS, como diz Paulo explicitamente, está aí a Sola Fide, e essa salvação pela fé nos leva a praticar boas obras. Infelizmente amadores como você, que nem sequer sabem o que é a Sola Fide que tanto ataca infantilmente e de forma precipitada, acabam batendo em um espantalho, pensando que para o protestante não tem que praticar obras, quando é justamente o contrário, as obras são fundamentais na salvação, mas elas são a decorrência e não a causa da mesma. Era assim que os reformadores ensinavam, é assim que Paulo ensina, é isso o que Tiago diz.

      Excluir
    3. Seus ataques à Sola Scriptura também são infantis e só mostram o quanto você não entende nada do que é a Sola Scriptura da mesma forma que não entende nada da Sola Fide. Pega um tanto de textos que usam a palavra “tradição” e acha que já “refutou” a Sola Scriptura... sério mesmo, isso é amadorismo e ignorância. Nenhum protestante nega que haviam coisas ensinadas oralmente pelos apóstolos, também não nega que os ensinos apostólicos fossem “tradição”, o que negamos é que esses ensinos transmitidos oralmente tenham se preservado incorruptivelmente ao longo de dois mil anos, quando TODA a história da Igreja mostra que não, basta ver a tradição diferente da Igreja Ortodoxa, as contradições entre os Pais da Igreja, a rejeição deles a uma segunda fonte para estabelecer doutrinas, etc. A tradição oral é um telefone sem fio que não se preserva com o passar do tempo, por isso o que se preservou é o que foi conservado por escrito, ou seja, as Escrituras.

      Quer refutar a Sola Scriptura? É muito fácil: comece a provar a incorruptibilidade da tradição oral romanista, em vez de citar textos isolados que usam a palavra “tradição” em algum lugar (como se todos os reformadores e teólogos protestantes ao longo de toda a história não conhecessem tais textos e fossem “refutados” tão facilmente...).

      Sobre a autoridade para definir o cânon é mais um amadorismo seu, quem foi que te disse que foi o papa que o definiu? Segundo os próprios apologistas católicos isso ocorreu nos concílios de Hipona e Cartago, que foram sínodos LOCAIS no norte da África ocorridos no final do século IV; NENHUM deles foi convocado por um papa, NENHUM deles foi presidido por um papa, e NENHUM deles sequer tinha um representante do papa presente. Você inventa infalibilidade papal onde não existe, doutrina esta que já foi refutada até por grandes teólogos e historiadores católicos, como Hans Küng e Ignaz von Döllinger. O que a Igreja antiga fez não foi decretar um cânon, mas RECONHECER um, pois a inspiração e canonicidade dos mesmos é inerente aos livros e não dependente do reconhecimento de uma autoridade humana. Quem é realmente “infalível” nessa história toda é o Espírito Santo, não um pontífice romano, que não teve nada a ver com a formulação do cânon. É triste ter que mandar um “vai estudar”, mas às vezes é necessário...

      Cada vez que um apologista católico comenta algo aqui eu fico boquiaberto, não pela qualidade, mas pelos ataques infantis, que se casam com birras de adolescentes mimados. O secularismo tem ganhado cada vez mais espaço no mundo moderno? Sim, por culpa do amadorismo de gente como você.

      Excluir
    4. ...."Depois não reclamem quando alguém disser que Lutero foi o pai do mvndo moderno.", Assim finalizou o fanático católico daquilo que vomitou antes conforme sua imbecilidade. Obs. Sim, Lutero é considerado o pai da Era moderna que sucedeu a maldita Era das Trevas comandada justamente pela grande Meretriz papista contra toda humanidade.

      Excluir
    5. Olá Lucas,

      Primeiramente gostaria de agradecer pelo seu texto, estava procurando algumas coisas sobre Lutero e achei seu texto e suas referências muito interessantes. Mas eu, como católica, gostaria de esclarecer algumas coisas que me incomodaram um pouquinho =/ Eu realmente não sei com que tipo de católicos você e outros protestantes tiveram contato na sua vida, mas é uma pena a falta de conhecimento dessas pessoas, o que é muito comum entre os católicos modernos de hoje. Da mesma forma que existem sim mitos relacionados aos protestantes, também existem alguns mitos em relação aos católicos, e acho importante os dois lados derrubarem esses mitos para que as críticas e discussões façam mais sentido e sejam muito mais produtivas.
      Primeiramente, não, o papa não é infalível, ele é infalível SOB CONDIÇÕES. O papa só é infalível quando, para esclarecer ou definir questões relacionadas à fé e moral para a toda a comunidade católica utilizando a formula "ex cathedra", ou seja, significa que ele estaria falando a partir da cadeira de Pedro, em nome de Deus. Qualquer coisa que fuja desse cenário, o papa pode ser falível sim! E inclusive pode ser corrigido e criticado. Recentemente quatro bispos escreveram algo corrigindo o papa, e curiosamente dois morreram. Hoje Roma está tão podre que dá até medo.
      Existe um movimento tradicionalista da Igreja Católica que critica várias coisas da igreja pós concílio vaticano II.
      Outra coisa que vi nos comentários, alguém dizendo que o papa disse que até os ateus podem se salvar. E falando que protestantes não. Outra vez, errado. Esse papa é considerado o mais herege de todos os tempos por muitos. Até onde eu aprendi as boas obras de um ateu não são caridade e sim filantropia, eles não fazem por Deus, por tanto, não tem credibilidade perante Ele. É diferente para outros cristãos. Teve um caso que li uma vez de um protestante que foi morto por muçulmanos na Indonésia por se recusar a negar a Cristo. Perguntei para um padre na minha igreja e ele disse que esse moço que morreu é mártir, mesmo não pertencendo a Igreja Católica, porque ele morreu por Cristo.
      Outra coisa que me incomodou foi essa questão da definição da Bíblia, em que falaram do concílio de Hipona. Sim, realmente o papa da época (Sirício se não me engano) não participou presencialmente do concílio, mas, digamos que as considerações finais foram submetidas a ele sim, ele foi consultado e dependiam sua aprovação.
      E por fim, acho que a pessoa que ainda utiliza o termo "Era das Trevas", que na verdade seria "Idade das trevas" precisava se atualizar um pouco. Já faz um bom tempo que historiadores sérios não utilizam esse termo, já que finalmente entenderam que o desenvolvimento da época medieval foi rico sim (Universidades mandaram lembranças...)
      Enfim, obrigada novamente e espero ter esclarecido algumas coisas! (:

      Excluir
    6. Me permita fazer apenas três observações quanto ao seu texto. Começando pelo final, eu não chamei a Idade Média de "Idade das Trevas" nem de "Era das Trevas" (talvez outra pessoa tenha feito), mas é bastante incorreto dizer que houve um "rico desenvolvimento" medieval. Para se ter uma ideia (e isso pode ser consultado em qualquer livro de história, inclusive no do proselitista católico João Bernardino Gonzaga), a estimativa de vida neste período não passava de algo entre 30 e 40 anos, o que expressava bem a péssima qualidade de vida da época (hoje é superior a 70 anos, para se ter uma comparação). E a mortalidade infantil era imensamente superior, chegava a morrer mais gente na infância do que sobrevivia. Embora possa se falar em "ciência medieval", só foi haver uma verdadeira revolução científica a partir do século XVI, ou seja, o século da Reforma. A partir daí as coisas começam a mudar, até nos dar o mundo que temos hoje. Isso não sou eu quem digo, são os livros de História.

      Meu segundo apontamento é sobre o que você disse do Concílio de Hipona, pois não é verdadeira sua afirmação de que os africanos "dependiam da aprovação do papa". Na verdade, em momento nenhum as atas do concílio foram enviadas ao papa exclusivamente, mas sim "à igreja do outro lado do mar", o que envolvia todas as demais igrejas com as quais Hipona mantinha comunhão. Na Igreja antiga era perfeitamente comum que as igrejas pedissem a opinião e confirmação das suas decisões, isso não significava que essa confirmação fosse necessária para se tornar o concílio "válido", tanto é que Roma na época não confirmou nada a respeito desse concílio, e mesmo assim o concílio não foi considerado "inválido":

      http://www.bible-researcher.com/carthage.html

      Por fim, notei que você parece ser uma tradicionalista crítica ferrenha do Concílio Vaticano II, que chega a atacar o papa Francisco como "o mais herege de todos os tempos" (o que até aí não é muita surpresa em se tratando de tradicionalistas). Mas o meu espanto foi com a continuação imediata disso, pois você diz que os protestantes que morrem pela fé são verdadeiros mártires, o que deve implicar que há um Cristianismo autêntico no meio protestante. Ora, mas isso é JUSTAMENTE o que o Concílio Vaticano II decidiu, e que os tradicionalistas tanto reclamam. O ecumenismo do papa Francisco é justamente um reflexo disso, e esse seu padre idem. Tal coisa seria completamente impensável antes do CVII, e ainda mais nos séculos anteriores. Pra você ter ideia, os papas de antigamente não consideravam nem mesmo os católicos ortodoxos orientais como cristãos de verdade, diziam que eram hereges condenados ao inferno por não se submeterem à autoridade suprema do pontífice romano. Você pode ver um exemplo dessa contradição neste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/12/afinal-ha-salvacao-fora-da-igreja.html

      E quando houve o covarde massacre de protestantes na Noite de São Bartolomeu, nenhum papa da época considerou aqueles protestantes como "mártires", ao contrário, o papa celebrou a chacina, mandou cunhar uma moeda comemorativa, mandou celebrar o Te Deum no Vaticano, mandou um pintor famoso fazer uma pintura que retratava o extermínio e que é conhecida até hoje, e ainda ordenou que se celebrasse o massacre com regularidade anual na data respectiva. Isso é apenas um pequeno exemplo do que sua Igreja era antes do CVII, muitos outros poderiam ser apresentados.

      Em síntese: você ataca o Concílio Vaticano II aliando-se aos tradicionalistas neste quesito, mas aceita de bom grado as consequências deste concílio, abraçando um ensino que é ferozmente atacado pelos tradicionalistas, que não apenas consideram os protestantes como "hereges", mas também de "filhos da serpente" e outros termos indelicados do tipo...

      Abs.

      Excluir
    7. Olá,

      Obrigada por sua resposta Lucas. Realmente não foi você que disse sobre as questões de Era Medieval, desculpe-me se pareceu que o acusei. Em nenhum momento disse que o desenvolvimento (científico, no caso) foi maior na Idade Média do que na Reforma. E obviamente também não falei sobre questões de higiene da época, que afetavam a estimativa de vida das pessoas rs. Apenas disse que houve um certo desenvolvimento e não tem como negar isso, assim como esse termo está entrando em desuso há um tempo, pelo menos para quem tem honestidade intelectual.

      Em relação ao Concílio, "a igreja do outro lado do mar" também incluía Roma. E independentemente da forma como supostamente as coisas funcionavam na época, a própria existência de um Papa já contradiz o que vocês pregam, não? (realmente uma dúvida.)

      Já em relação ao Concílio Vaticano II, ele não se limita a essa questão dos protestantes e muito menos ao ecumenismo. Todas as mudanças realizadas nas missas por exemplo, a relação com os sacramentos e etc foram tão alarmantes e preocupantes quanto. Hoje, entrar em uma Igreja modernista é uma heresia atras da outra. Já ouvi padre falando que inferno não existe. Esse é o fruto do CVII.
      Em nenhum momento disse que não consideramos protestantes como hereges, e perceba que citei um caso muito específico, e até onde eu saiba, um dos poucos casos que levaria um protestante ao céu. Só usei isso para exemplificar para uma situação de uma pessoa que falou algo a respeito acima.
      Em nenhum momento também disse que não existiram papas ruins que cometeram injustiças e, como você mesmo disse, são seres humanos e vão cometer erros, não é mesmo? Difícil culpar a doutrina da Igreja com a ação de papas específicos. Da mesma forma que existiram papas péssimos, existiram papas ótimos. Não foi o CVII que salvou os protestantes de serem mortos, certo?
      Em relação aos católicos ortodoxos, eu realmente não sei exatamente o posicionamento dos católicos tradicionalistas, mas acredito que, assim como em relação aos protestantes, depende. No caso que citei do martírio, por exemplo, era um cristão morto pelas mãos de homens que não acreditam em Jesus como salvador e que provavelmente nunca teve contato com o catolicismo, daí o martírio. Ele morreu por Jesus e não pelo protestantismo, agora, se esse não fosse o desfecho, talvez ele não fosse para o céu, o que ninguém saberia realmente. No caso deles é o mesmo, eles tiveram contato ou viveram em um ambiente "isolado" e ouvindo várias baboseiras mentirosas sobre católicos? E por isso tinham em mente algo errado? E nunca tiveram a oportunidade de conhecer ou descobrir mais sobre o catolicismo. Já ouvi isso váaaarias vezes de evangélicos convertidos, que tudo que sabiam de católicos era o que o pastor falava, ou seja, um monte de baboseiras. Me espanta você reclamar sobre serem chamados de "filhos da serpente" sendo que católicos são tratados da mesma forma por evangélicos e protestantes.
      Em relação a Noite de São Bartolomeu, o mesmo cenário é considerado. Para eles, os protestantes tinham contato com a verdade, e mesmo assim escolhiam o erro. Por isso não são considerados mártires. Não foi pedido a eles que negassem a Jesus, muito menos dada a opção de conversão, até onde eu saiba. Daí a diferença. Em nenhum momento estou dizendo que o que ocorreu foi certo, como disse, os papas e os católicos estão muito longe de serem isentos de cometer erros. E da mesma forma como você diz não ser justo utilizar, por exemplo, o antissemitismo de lutero ou de qualquer outro erro de um líder protestante para atacá-los, não utilize os erros de certos papas para definir a Igreja e sua doutrina como um todo.

      Por fim, gostaria de saber se você já leu um livro chamado "Todos os caminhos levam a Roma" do Scott Hahn? Se sim, gostaria de ler sua opinião sobre o livro.

      Excluir
    8. O cara chega com essa arrogância, toma um couro, perde o rumo de casa, volta com o rabinho entre as pernas, e só nos resta concluir o de sempre: os católicos, em geral, não sabem nada de Bíblia. Bom retorno

      Excluir
    9. Vamos lá:

      1) Eu não neguei que na “igreja do outro lado do mar” também incluía Roma. O que eu disse é que não foi uma decisão particular do papado que definiu o cânon do Novo Testamento. Na verdade, este foi um parecer totalmente independente do papa. Só o fato de Roma e as outras igrejas não terem respondido nada sobre o cânon e mesmo assim ele ter sido válido já quebra o argumento de quem alega que o cânon dependia da aprovação de Roma, ou de um papa.

      2) A existência de um papa contrariaria o que nós pregamos SE ELE EXISTISSE nos primeiros séculos, mas este mito é refutado até pelos teólogos e historiadores católicos mais sérios, como mostro nestes artigos com dezenas de citações dos maiores e melhores teólogos e historiadores católicos romanos, os quais reconhecem que nos primeiros séculos o bispo romano não era um “papa” com poder de jurisdição universal sobre toda a Igreja, mas apenas mais um bispo como todos os outros (ou seja, como os bispos de Antioquia, Jerusalém, Alexandria, etc):

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2016/02/historiadores-e-teologos-catolicos.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2016/03/historiadores-e-teologos-catolicos.html

      Só para você ter uma ideia, o primeiro bispo a ser chamado de “papa” na história da Igreja foi Heraclas, um bispo DE ALEXANDRIA do terceiro século, na mesma época em que Cipriano de Cartago também era assim chamado. Só tempos mais tarde é que o bispo romano também seria chamado assim, isso não tinha nada a ver com um título ou cargo de supremacia na Igreja. Que os bispos romanos não eram bispos universais isso pode ser comprovado em milhares de fontes históricas e patrísticas, mas principalmente através dos cânones de Niceia que deixam perfeitamente claro que a jurisdição de Roma era local como as de Antioquia e Alexandria e se limitava à sua própria Sé eclesiástica, e através de Gregório o Grande, um bispo romano do sétimo século que rejeitou com veemência que qualquer bispo na Igreja se chamasse de “bispo universal” ou “bispo dos bispos” (títulos que são usados pela Igreja Romana de hoje para o papa). Atualmente apenas apologistas católicos sem formação ou estudo na área (esses de blogs de fundo de quintal) é que continuam sustentando e disseminando essas teses ultrapassadas de “primado romano” nos primeiros séculos; a apologética protestante, ortodoxa e os próprios teólogos católicos já acabaram com essa lenda há muito tempo.

      3) Não vou discutir aqui se o CVII foi bom ou ruim, porque isso é de âmbito interno de vocês e cada católico tem uma preferência particular. Eu apenas atentei para o fato de que é estranho e incomum ver uma crítica ferrenha do CVII se portar a favor de que existem mártires protestantes (algo que era inadmissível na Igreja anterior ao CVII). Na sua resposta você sustentou que os protestantes são hereges mas mesmo assim se um protestante morrer pela fé em Jesus é um mártir; ora, isso pra mim é uma gritante contradição. Para ser um mártir tem que ser um cristão autêntico, de outra forma seria como um muçulmano ou um hindu morrer “por Jesus”, isso não faria dele um mártir pois está numa falsa religião, e o próprio conceito que eles tem de Jesus é diferente do nosso. Ou seja, para haver um mártir é necessário que ele professe a fé verdadeira e morra por ela, e se não professa a fé verdadeira então não pode ser mártir. Além disso, o catecismo católico que a senhora crê ser uma verdadeira expressão da verdade da única Igreja verdadeira diz o seguinte sobre os protestantes:

      Excluir
    10. 818. Os que hoje nascem em comunidades provenientes de tais rupturas, «e que vivem a fé de Cristo, não podem ser acusados do pecado da divisão. A Igreja Católica abraça-os com respeito e caridade fraterna [...]. Justificados pela fé recebida no Batismo, incorporados em Cristo, é a justo título que se honram com o nome de cristãos e os filhos da Igreja Católica reconhecem-nos legitimamente como irmãos no Senhor»

      Como vemos, ele diz que os protestantes estão INCORPORADOS EM CRISTO, se honram com o nome de cristãos que é um JUSTO TÍTULO e são LEGITIMAMENTE IRMÃOS no Senhor. E ainda por cima nega que sejamos culpados por pecado de divisão. Ou seja, ela não trata os protestantes como “hereges”, mas como irmãos em Cristo, como cristãos autênticos e incorporados em Cristo – eu realmente não sei como membros de uma seita herética e condenados ao inferno poderiam ser descritos desta forma. Seria o mesmo que dizer que hereges são salvos, o que é uma contradição de termos.

      4) O problema não são “papas específicos”, mas era TODA A IGREJA ROMANA por séculos. Para você ter uma ideia, a Inquisição não foi um erro aprovado por um ou outro papa isolado, mas POR TODOS OS PAPAS ao longo de um período de MAIS DE SEIS SÉCULOS. Se isso não é uma expressão exata e fiel do pensamento da Igreja em si, mas apenas “erros isolados”, então eu não sei o que é. Eu posso listar aqui centenas de bulas papais exortando a perseguição, a repressão e a intolerância, mas eu creio ser impossível você me citar UMA ÚNICA bula papal de algum período entre os séculos XI e XVIII exortando a tolerância. Isso seria extremamente fácil se esses casos fossem apenas “erros isolados” de “um ou outro papa” como exceção, mas não é possível pelo simples fato de que isso expressa perfeitamente o pensamento de TODA a Igreja da época (e não estamos falando de uma época breve, mas de um período superior a sete séculos ininterruptos).

      5) Lutero era antissemita sim, mas da onde veio o antissemitismo de Lutero? Quem tinha aparatos oficiais de perseguição ao judaísmo, autos da fé para queimar judeus, pogroms de massacres aos judeus por qualquer coisa? Quem exterminou os judeus durante as Cruzadas (tanto a popular como a oficial), quem disseminava o ódio nos púlpitos, quem os culpava por “deicídio” (assassinato de Deus), quem inventou as leis de “Limpieza de Sangre” (pesquise)? Foi Lutero ou foram os católicos antes dele? Pelo menos os protestantes nunca criaram uma Inquisição para perseguir judeus; ao contrário, os judeus fugiam dos países católicos para os países protestantes para encontrar refúgio e segurança, e os outros reformadores costumavam ter uma visão de tolerância aos judeus (diferentemente de Lutero), o que era um fenômeno único e sem igual para a época.

      6) Eu estou curioso em saber qual protestante já chamou um católico de “filho da serpente”. Vou ser franco contigo: eu estou na apologética há quase dez anos e nunca vi isso acontecer. Em contrapartida, há centenas de sites apologéticos católicos que acusam EXPLICITAMENTE os protestantes de serem os “filhos da serpente”, distorcendo o texto bíblico de Gênesis 3:15, interpretando a “mulher” ali como sendo Maria, seus “filhos” como sendo os católicos, a “serpente” como sendo Satanás e seus “filhos” como sendo os protestantes. Ou seja, os protestantes são filhos do diabo que serão esmagados pelos católicos filhos de Maria. É sério, é só jogar no Google e pesquisar. NUNCA vi um protestante fazer o mesmo.

      7) Não li esse livro que você citou (e suponho que você também não tenha lido os meus), na verdade eu vi alguns amigos meus dizendo que esse livro era teologicamente muito fraco, e por isso desanimei e nem li. Mas como você e outros católicos vivem citando esse livro, eu fiz questão de baixar agorinha mesmo, embora não seja possível ler agora por causa de outros trabalhos prioritários no momento, mas quando for possível nos próximos meses lerei sim.

      Fique com Deus.

      Excluir
    11. Chega a dar ânsia o comentário desse católico...

      Excluir
    12. Só vou fazer um comentário quanto a uma frase dita pelo anônimo:
      "Já ouvi isso váaaarias vezes de evangélicos convertidos, que tudo que sabiam de católicos era o que o pastor falava, ou seja, um monte de baboseiras." Com certeza não disse o número de evangélicos porque não chegam a 10. Em segundo lugar, estes não eram protestantes de verdade, pois o fundamento destes é a Sola Scriptura, e não o que o pastor diz. Tendo por base a Sola Scriptura não há, de nenhuma forma, como se tornar católico.

      Excluir
  17. Caros Irmãos.
    Eu sou Catolico e, por favor, recebam meu comentário.
    Tive o privilégio de ler os debates acima e fico encantando com tanta inteligência e conhecimentos.
    Não os tenho com tanta expressão. Desculpem-me. Mas senti o desejo de escrever. Tenho 53 anos, por isso muito novo diante dos fatos históricos muito bem debatidos aqui. E sou Católico não por causa da História de Papas ou por ser contra a alguma doutrina. Sou Católico por que encontrei Jesus e com ele fiz uma experiência na alma. Eu o amo. Sei que é justo defender um pensamento, mas acho mais ainda experimentar a verdade. Não a doutrinal, mas aquela que, como diz Jesremias " Seduziste-me, Senhor e eu me deixei seduzir... ( na minha tradução). Falo sobre verdade que não é debatida, mas a que nos faz amar Jesus Cristo. Confesso que tenho receio das respostas que vou obter com meu comentário ou as possíveis contestações. Não as saberei responder ... pois a única resposta que eu tenho é que eu amei vocês por estar admirado com as virtudes que Deus lhes deu. Sejamos um, pois no céu não há divisões. Obrigado e que Deus os abençoe.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Atenção: novos comentários estão desativados para este blog, mas você pode deixar um comentário no meu novo blog em qualquer artigo: www.lucasbanzoli.com