Apologistas católicos finalmente admitem o óbvio: a Igreja Católica atual é mesmo a Babilônia do Apocalipse


Já dizia Abraham Lincoln: “Pode-se enganar a todos por algum tempo; pode-se enganar alguns por todo o tempo; mas não se pode enganar a todos todo o tempo”

Eles tentaram esconder o quanto puderam. Tentaram inventar as desculpas mais macabras e estapafúrdias que esse mundo já viu só para não admitir o óbvio. Chegaram até ao ponto de dizer que o Apocalipse já tinha acabado, que a Babilônia era Jerusalém, que a marca da besta era o sinal do “Ave César” que se fazia com as mãos, que os gafanhotos eram soldados romanos, que expressões como “toda a terra” e “mundo inteiro” na verdade significam “apenas Jerusalém e mais ninguém”, que os duzentos milhões de Ap 9:16 eram na verdade só alguns poucos milhares, que a cidade que reinava sobre todos os reis da terra na época que João escrevia era Jerusalém (a mesma que era dominada e subjugada por Roma), que a cidade mundialmente famosa nos tempos antigos por ser a “cidade das sete colinas” também era Jerusalém e não Roma, e até mesmo inventaram uma pseudoressurreição de Nero para “explicar” suas contradições e insanidades sem fim, dentre diversas outras loucuras de filme de comédia para tentar esconder o óbvio, pensando conseguir enganar alguém com tanta maluquice.

Mas a verdade não pode ser resistida por tanto tempo.

Depois de todo esse tempo fazendo os maiores malabarismos da galáxia para desvincular a Igreja Romana como sendo a Babilônia do Apocalipse, cuja identificação é óbvia e autoevidente a qualquer cidadão com um pouco de cérebro, bom senso e capacidade de pensar, eles finalmente admitiram: a Igreja Católica atual é mesmo a Babilônia. Já era hora. Confiram neste site de apologética católica:


O mais impressionante de tudo é que eles usam exatamente os mesmos argumentos que eu já havia exposto neste artigo escrito poucos meses antes do deles, o que inclui o fato de a prostituta estar assentada sobre “muitas águas”, sobre os “sete montes”, sobre ser uma “mulher” e “mãe”, estar vestida de púrpura e escarlate, ter uma taça de ouro na mão, estar embriagada com o sangue dos mártires e outras evidências que deixam a identificação da Babilônia do Apocalipse mais óbvia do que a cor do cavalo branco de Napoleão. Inacreditavelmente, até os apologistas católicos já estão percebendo o óbvio e deixando de lado as loucuras e demências preteristas inventadas no século XVI justamente para salvar a pele da Igreja, contra uma tradição futurista milenar que prevaleceu de forma absoluta e inquestionável em todas as eras da história da Igreja até então.

Vale lembrar que o Vampirão da Virgínia, o novo papa dos católicos tradicionalistas de direita no Brasil, já havia garantido que o papa Francisco é o falso profeta do Apocalipse:

(A declaração está em 8:00)

Ou seja, os próprios tradicionalistas católicos já estão juntando as peças do quebra-cabeças e aceitando o fato de que a Igreja Romana é a Babilônia apocalíptica e que o papa Francisco é o falso profeta. E mesmo assim ainda tem gente da Idade da Pedra sob forte carga de lavagem cerebral e fanatismo que ainda insiste que a ICAR é a salvação da civilização ocidental, que irá libertar o mundo do Islã, do comunismo, do ateísmo e de todos os males da humanidade, que é a “arca da salvação” e que todos os protestantes têm que se converter à Babilônia Igreja Católica e se submeter ao falso profeta papa com a máxima urgência. E o mais inacreditável de tudo é que muitas vezes os que ensinam isso são os mesmos que ensinam aquilo, ou seja, são tão tapados que estão assumidamente querendo trazer as pessoas para dentro da Babilônia. Vejam por exemplo a “conclusão” dos apologistas católicos do artigo citado:


É uma lógica realmente invejável: a Igreja Católica se tornou a Babilônia do Apocalipse depois do Concílio Vaticano II, então quem está errado? Os protestantes, é claro. E o que isso prova? Que a Igreja Católica é a autêntica, é lógico. É tanta lógica e coerência que eu chego a lacrimejar os olhos de tanta emoção. Onde foi parar todos aqueles argumentos tradicionais da apologética católica, sobre “estarei convosco até o fim dos tempos”, “as portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja” e a infalibilidade papal? Foi pro ralo (#RIP). Mas o importante é que a Igreja Romana continua “autêntica”, mesmo sendo a prostituta, a Babilônia, a sede do falso profeta e de tudo o que há de ruim, sobre a qual Deus derramará a sua ira. Ainda bem, né? Assim o católico pode ficar em paz.

Tanto tempo perdido inventando tanta baboseira e maluquice para tentar esconder o óbvio, e agora esse site católico esfrega toda a verdade na cara e estraga tudo. 

#RIPMACABEUS. 

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

-Meus livros:

- Veja uma lista de livros meus clicando aqui.

- Confira minha página no facebook clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros blogs:

LucasBanzoli.Com (Um compêndio de todos os artigos já escritos por mim)
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Artigos devocionais e estudos bíblicos)
Desvendando a Lenda (Refutando a imortalidade da alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)
Fim da Fraude (Refutando as mentiras dos apologistas católicos)

Comentários

  1. Eles inverteram as cidades no texto na interpretação deles.

    Interpretam cidade Santa, na parte da conclusão (apocalipse 11:2), como Roma. Aí no caso é Jerusalém.

    Acreditar que as guerras no final dos tempos são contra Roma ou a ICAR é muita falta de senso de realidade. Hj em dia ninguém da a mínima pra Igreja Católica.

    Ai não tem no texto, mas já vi outras interpretações católicas de Daniel nessa mesma linha de raciocínio, que a cidade de Daniel 9 era Jerusalém na época de Daniel, mas passou a ser Roma depois da ressurreição de Jesus e que o sacrifício que seria tirada tirada no templo, seria a eucaristia profanada por um antipapa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é essa a mentalidade que eles têm. A esmagadora maioria dos apologistas católicos vive em uma verdadeira neurose e paranoia, achando que todo o universo está em um complô conspiracionista para "destruir a Igreja", então colocam no mesmo saco comunistas, ateus, protestantes, o MEC e até os padres da CNBB e da teologia da libertação que estão "infiltrados" na Igreja. E nessa psicose de "todo mundo contra a Igreja Católica", ganha a Igreja Católica no final, essa instituição tão boazinha e amável que nunca fez mal a ninguém e que é "perseguida" de graça. É realmente um caso clínico para ser estudado.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Exijo uma lista contendo os dias e os horários em que seus artigos vão sair hahahaha

      Excluir
  3. Respostas
    1. Paz e graça a todos.

      Segue um compilado de toda a minha argumentação até aqui que NENHUM CATÓLICO ROMANO me respondeu até hoje, nem vai responder:

      A igreja de Roma NÃO É A ÚNICA IGREJA DE CRISTO, pois a sua tal de tradição oral NÃO TEM ORIGEM APOSTÓLICA COMPROVADA, e os católicos romanos NÃO PODEM PROVAR O CONTRÁRIO.

      NÃO TEM como o católico nos apresentar provas sobre a veracidade da tradição oral católica, pois...

      Justamente por saber que não pode ser provado por ausência total e completa de evidências, é que eu desafiei - e desafio - aos católicos a provarem o contrário, pois a tradição oral deles é sua carta coringa, o às na manga dos católicos. Quando questionados sobre provas nas Escrituras de sua Doutrina, a maioria deles nem pestaneja e afirma: "nem tudo está na Bíblia, seu herege filho de Lutero!"

      Mas quando perguntamos DE ONDE ESSA DOUTRINA VEIO, e eles correm pra tal da tradição oral, é DEVER DELES mostrar:

      AS FONTES DESSA TRADIÇÃO ORAL

      A LIGAÇÃO DELA COM AS ESCRITURAS

      A FIDELIDADE E COMPATIBILIDADE DELA COM A BÍBLIA

      O APOIO INCONDICIONAL DAS ESCRITURAS DE CABO A RABO

      A LIGAÇÃO INTRÍNSECA DELA COM OS APÓSTOLOS.

      Mas sempre lembrando que segundo eles, "nem tudo está na Bíblia", então COMO ELES VÃO FAZER ISSO, e O QUE ELES VÃO USAR, se é FORA DA BÍBLIA que essa tradição oral se encontra?

      Excluir
    2. Agora pergunta pra mim se algum deles consegue?

      A resposta é uma grande e enfático NÃO, e alguém pode perguntar, PORQUÊ?

      A- SEGUNDO ELE NEM TUDO ESTÁ NA BÍBLIA, MAS QUER VER UM CATÓLICO ENROLADO, É PEDIR PRA ELE QUE NOS MOSTRE QUAL O CONTEÚDO DESSE "NEM TUDO"

      B- POR CAUSA DISSO ELE NÃO PODE USAR A BÍBLIA, POIS É INCOERENTE USAR A ESCRITURA PRA PROVAR ALGO QUE SEQUER EXISTE NELA, CASO CONTRÁRIO ELE FARIA A MESMA COISA QUE UM PROTESTANTE, USAR A SOLA SCRIPTURA

      C- ESSA TRADIÇÃO É CONSIDERADA ACIMA DA BÍBLIA - Erros e principais males dos crentes ou Protestantes Editora o Lutador sob o IMPRIMATUR do Monsenhor Aristides Rocha pág 26

      D- ELES CONSIDERAM A IGREJA DELES SUPERIOR A BÍBLIA - VIDE "A Catholic Commentary on Holy Scripture, 1951 (pg 2) com o imprimatur e reconhecimento do Papa Pio XII"

      E- APESAR DA BÍBLIA DIZER UMA COISA E A TRADIÇÃO ORAL DA ICR DIZER OUTRA TOTALMENTE OPOSTA

      F- NÃO HÁ COMO RASTREAR SUA ORIGEM, LOGO O ENSINO ORAL DA ICR NÃO PASSA DE UM TIRO NO ESCURO

      G- O PROBLEMA NÃO ESTÁ NOS APÓSTOLOS TEREM ENSINADO ORALMENTE OU NÃO, MAS SE ESSE ENSINO ORAL ERA O QUE A ICR CHAMA DE TRADIÇÃO, AÍ A BATATA ASSA PROS CATÓLICOS

      H- EM VIRTUDE DISSO, O CATÓLICO NÃO PODE PROVAR SE A TRADIÇÃO ORAL CATÓLICA VEIO DOS APÓSTOLOS, O MAXIMO QUE PODE FAZER É BERRAR E ESPERNEAR MAS SEM PROVA CONCRETA ALGUMA.

      I- AÍ ELES VÃO APELAR PRA PATRÍSTICA. MAS NEM ELA VAI SERVIR, VISTO QUE ALÉM DE NÃO SEREM TEOLOGICAMENTE INFALÍVEIS, OS ANTIGOS NÃO TINHAM UMA TRADIÇÃO FIXA, DIVERGIAM EM MUITOS PONTOS, E SEUS ENSINOS DEVEM SER ANALISADOS A LUZ DAS ESCRITURAS, RECOMENDAÇÃO EXPRESSA DE AGOSTINHO DE HIPONA E CIRILO DE JERUSALÉM.

      J- QUANDO UM CATÓLICO ROMANO ALEGA QUE OS ANTIGOS GUARDAM A TRADIÇÃO APOSTÓLICA, PERGUNTE A ELE:

      E QUANDO ELES METEM O SARRAFO EM ROMA, AINDA É TRADIÇÃO APOSTÓLICA?

      ESPERE PELA RESPOSTA DELE - CASO VENHA.

      Lembrando também que aqueles que se aventurarem a tentar - eu disse TENTAR - provar que estou errado terão que seguir os seguintes passos:

      1- NÃO PODE USAR A BÍBLIA - AFINAL, "NEM TUDO ESTÁ NA BÍBLIA", NÉ ASSIM? QUERER USAR A BÍBLIA PARA PROVAR O QUE NÃO EXISTE NELA É NO MÍNIMO INCOERENTE.

      2- TEM QUE BATER CERTINHO COM AS ESCRITURAS, SEM ENTRAR EM ATRITO COM ELAS NUMA ÚNICA VÍRGULA

      3- TEM QUEM DEMONSTRAR QUE A MESMA VEIO DOS APÓSTOLOS, COM EVIDÊNCIAS CABÍVEIS, E IRREFUTÁVEIS.

      É sobre o item 3, tem que obedecer CINCO CRITÉRIOS para que se saiba se o ensino oral romano veio dos apóstolos:

      1- QUEM DISSE - É PRECISO SABER O AUTOR DA CITAÇÃO

      2- O QUE DISSE - É PRECISO SABER O CONTEÚDO DESSA CITAÇÃO

      3- PRA QUEM DISSE - É PRECISO SABER O INTERLOCUTOR DESSA CITAÇÃO, SE FOI UMA PESSOA OU COMUNIDADE

      4- QUANDO DISSE - A DATA PRECISA OU APROXIMADA DESSA CITAÇÃO

      5- PROVAS DE QUE O(S) APÓSTOLO(S) REALMENTE DISSE(RAM) ISSO

      E SOBRE O CÂNON BÍBLICO:

      Onde estão as provas de foi conferido EXCLUSIVAMENTE A ROMA A TAREFA DE DEFINIÇÃO DO NOVO TESTAMENTO?

      Onde estão as provas de que ROMA SOZINHA DEFINIU O CÂNON BÍBLICO COMPLETO?

      Onde estão as provas de que a igreja cristã INTEIRA teve que esperar pela boa vontade de ROMA pra saber O QUE ERA OU NÃO CANÔNICO?

      Quem conferiu SOMENTE A ROMA O PODER DE DECIDIR QUAIS LIVROS FARIAM PARTE DA BÍBLIA OU NÃO?

      RESPONDAM, se forem capazes.

      Como eu sei que isso NUNCA vai acontecer, nem me iludo ao exigir isso dos pobres filhos de Roma.

      Sempre que peço essas provas aos católicos, ou eles fogem, ou eles debocham ou eles escrevem textos ENORMES que não respondem NADA, só enchimento de linguiça.

      Alguém se habilita a contestar?

      Excluir
    3. Crédito:https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=1628388523839485&substory_index=0&id=490472354297780

      Excluir
    4. Se usarem 1 João 1:12 contra sola scriptura?

      Excluir
    5. Muito boa a argumentação, Thiago Dutra é fera mesmo!

      Sobre 1João 1:12, creio que não vão usar esse texto contra a Sola Scriptura porque ele não existe, o primeiro capítulo de 1João só vai até o versículo 10. Se bem que em se tratando de católicos, eu não duvido nada. Já acrescentaram livros espúrios a mais, quem sabe não adicionam versículos também :D

      Excluir
    6. Adicionaram muitos versiculos e falsificaram outros. Um exemplo marcante é João 19:25. Onde lemos "Maria de CLEOFAS", está adulterado. O certo é "Maria de CEFAS". Essa é a esposa de Pedro.

      Veja Atos 12:12 com I Pedro 5:13.

      Excluir
    7. "Tenho muito que lhes escrever, mas não é meu propósito fazê-lo com papel e tinta. Em vez disso, espero visitá-los e falar com vocês face a face, para que a nossa alegria seja completa" (2 João 1:12)

      Os católicos podem provar o que foram exatamente essas coisas que João disse naquela ocasião específica? Se sim, quais são as provas? Quando ele disse, o que ele disse e para quem ele disse? Em caso negativo, só ficará comprovado o argumento protestante: aquilo que foi escrito se preservou, e o que foi apenas dito oralmente se perdeu com o tempo. O resultado dessa soma é muito simples e óbvio: Sola Scriptura.

      Excluir
    8. A tradição extra-bíblica existe, só depende da nossa imaginação.
      Pena que é só imaginação...

      Excluir
    9. "Irmãos, estas coisas vos apliquei figuradamente a mim e a Apolo, para que por nosso exemplo, aprendais a não ir além do que Roma determina"(1 Coríntios 4:6 na BSC)
      *Já que Roma locuta est causa finita est.

      Excluir
    10. Hahaha é bem assim que eles imaginam o versículo... que aliás poderia estar na Bíblia dos Sonhos dos Católicos:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2013/10/a-biblia-dos-sonhos-dos-catolicos.html

      Sobre Menno Simon, ele foi um grande homem sim, embora pra mim o termo "herói" só caiba a Jesus.

      Excluir
    11. John Wesley estava pregando pelo país, montado em seu cavalo, meditando na Palavra de Deus. Ele percebeu que em três dias ninguém o tinha perseguido, ninguém o tinha caçado, ninguém o tinha amaldiçoado, ninguém tinha tentado bater em seu corpo com paus e pedras. Então ele desceu de seu cavalo, e começou a orar e indagar em seu coração. Ele disse: “Deus, eu me tornei um homem carnal? Minha mensagem se tornou tão mundana que ninguém mais me persegue?” Exatamente neste momento de sua oração um fazendeiro que o odiava, ao vê-lo orando, pegou um tijolo, e jogou nele, que passou raspando o seu nariz. Então Wesley louvou ao Senhor, dizendo: “Deus, muito obrigado! Agora sei que o Senhor confirmou seu favor por mim.” Então quando você se levanta e pessoas aplaudem é meio assustador, você espera que seja um reflexo de piedade de ambas as partes, mas você nunca tem certeza. Precisamos entender que o cristianismo nunca será amigo deste mundo. O cristianismo sustenta o único caminho para a salvação deste mundo, eles nunca serão amigos. O cristianismo nunca se mistura as exigências do mundo, mas as exigências deste mundo se misturam a ele.
      — Paul Washer

      Excluir
    12. Você vai colocar o versículo na lista da BSC?

      Excluir
    13. Vou fazer uma nova BSC mais ampla onde vou incluir esse aí.

      Excluir
    14. Só peço por gentileza para não ficar excluindo os seus comentários, senão a minha resposta em seguida fica sem nexo e sem sentido para quem está lendo...

      Excluir
    15. Ok, é que alguns acabam perdendo a necessidade.
      ❤❤❤Abraços❤❤❤

      Excluir
  4. Pois é, parece até piada. O concílio Vaticano II, que apresentou apenas mudanças pontuais, não mudando praticamente nada sobre o fundamento da fé católica, agora é a prostituta? kkkkk, não me faça rir. Sempre foi claro que o problema foi o distanciamento, que ao longo do tempo foi aumentando, entre o que a Bíblia ensina e o que a Igreja Católica tem por base. Quem tem bom senso e lê as escrituras sabe que a ICAR é idólatra, pagã e bastante distante do que Deus ensina. Agora, vão botar a culpa no concílio Vaticano II, ótimo, vai ser mais munição para o nosso lado.

    ResponderExcluir
  5. Paz, por falar em confissões, olha só esse padre (vão falar que ele é um "protestante" disfarçado)
    http://www.tvi24.iol.pt/videos/sociedade/fatima-e-o-cumulo-da-degradacao-humana/591444b10cf2004cbd40553f

    Ricardo soares

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, qualquer pessoa que não seja fanática em um nível extraordinário e inimaginável sabe que Fátima é uma fraude grotesca. Esse padre ao menos tem algum senso crítico, coisa que a legião de apologistas não tem.

      Excluir
  6. Lucas aqui o pastor Gabriel Porto explicou o que é cair da graça segundo a visão dele. Ele é arminiano e não crê que os salvo perde a salvação. Onde ele erra? Veja o texto dele:


    Irmãos, não se enganem. A expressão "cair da graça" não significa perder a salvação. Para entender o que ela significa, temos que analisar o contexto dos textos em que essa expressão aparece. É necessário entender que os primeiros cristãos, eram todos ex-seguidores da religião judaica, e portanto todos praticantes dos rituais da Lei de Moisés.
    Quando eles creem em Cristo, abraçam o viver pela graça. Mas depois de algum tempo, surgem falsos mestres dizendo que eles precisam continuar praticando a Lei para serem salvos. É por isso, que Paulo sempre antagoniza a Lei e a Graça, enfatizando que voltar a buscar salvação na Lei é cair da graça.
    As Escrituras nos afirmam que a Lei serviu como aio (tutor) até a chegada da Nova Aliança, a Aliança da Graça. A analogia passa a ideia de alguém que está subindo vários degraus de uma escada, e que a Lei, era o degrau inferior que conduzia para um patamar superior, o da graça.
    Quando aqueles primeiros cristãos, ex-praticantes do judaísmo, se deixavam persuadir pelos falsos mestres e voltavam a praticar os atos da Lei, inclusive, praticando a circuncisão, restrições alimentares e a guarda do Sábado, etc. Eles estavam deixando o patamar superior da graça e voltando para o patamar inferior da Lei do qual já tinham saído, e por isso, “caindo da graça”.
    Esse foi o principal assunto da Carta aos Hebreus, também trabalhado em Gálatas e Romanos, entre outros livros. Vemos o desenrolar dessa controvérsia em Atos 15, onde os apóstolos tiveram que se reunir em Jerusalém para debater a questão e formalizar para todas as igreja de gentios, que aqueles que se entregam a Cristo, não precisam mais praticar a Lei de Moisés.
    Resumindo, o que a Bíblia define como “cair da graça” é quando alguém que já tinha crido em Cristo e já estava vivendo pela graça, volta a praticar a Lei de Moisés supondo que precisa praticar a Lei para ser salvo. Isso é o cair da graça, que nada tem a ver com perda de salvação.
    Talvez você esteja dizendo pra si mesmo: "Mas eu nunca segui a Lei de Moisés e não vou querer seguir ela, então qual a aplicação desse texto pra minha vida?" A resposta é muito simples. Seguir a Lei Mosaica era a forma de expressar religiosidade naquela época.
    Então o que esses textos nos informam é que toda vez que o cristão deixa de ter um relacionamento vivo e verdadeiro com Cristo, e passa a viver apenas com práticas de religiosidade, ele também está caindo da graça, da mesma forma que os primeiros cristãos também caiam ao retornar para o judaísmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe a intromissão, eu não sou o Lucas (quem sou eu..) mas me identifico com o judaísmo messiânico e penso que seu pastor está totalmente equivocado.

      Veja o que diz Pedro:
      "Pelo que, julgo eu, não devemos perturbar aqueles que, dentre os gentios, se convertem a Deus, mas escrever-lhes que se abstenham dos ídolos, bem como das relações sexuais ilícitas, da carne de animais sufocados e do sangue. Porque Moisés tem, em cada cidade, desde tempos antigos, OS QUE PREGAM NAS SINAGOGAS, ONDE É LIDO TODOS OS SÁBADOS" (Atos 15:19-21)

      E Paulo:
      "Porém, confesso-te que, segundo o Caminho, a que chamam seita, assim eu sirvo ao Deus de nossos pais, acreditando em todas que ESTEJAM DE ACORDO COM A LEI E COM OS PROFETAS," (Atos 24:14)

      "Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado senão por intermédio da Lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a Lei não dissera: Não cobiçarás [...] Por conseguinte, A LEI É SANTA; E O MANDAMENTO, SANTO, E JUSTO, E BOM" (Romanos 7:7-12)

      E JESUS!:
      "Na cadeira de Moisés, se assentaram os escribas e os fariseus. FAZEI E GUARDAI, POIS, TUDO O QUE ELES DISSEREM, porém não os imiteis nas suas obras; porque dizem e não fazem" (Mateus 23:2-3)

      Este pastor que você citou fez uma exegese muito comum, mas errônea e perigosa, visto que muitos podem cair em pecado por ela. Pois a lei de Deus transmitida a Moisés continua viva, mas não mais somente nas escrituras e sim em nossos corações, que, por graça do Espírito Santo, nos faz saber de nossas transgressões. A Dispensação da Graça não é o fim da Lei e sim o entendimento que ela não salva se Deus não conceder a graça, como fez a Noé: "Porém, NOÉ ACHOU GRAÇA diante do Senhor" (Gênesis 6:8).

      Agora veja que, já no Antigo Testamento, Moisés falava sobre como a Lei deve ser compreendida!:
      "Circuncidai, pois, o vosso coração espiritual; retirando toda a obstrução carnal, e deixai de ser insubmissos e teimosos!" (Deuteronômio 10:16)

      Abraços!

      Excluir
  7. E aqui ele explica o que significa perder a coroa. Onde ele erra? veja o texto dele:

    Aqueles que afirmam que alguém que foi verdadeiramente salvo por Cristo, que experimentou o novo nascimento, a regeneração pelo Espírito Santo, que foi eleito segundo as presciência de Deus Pai, que teve o nome escrito no Livro da Vida desde a fundação do mundo; possa perder esta graça de salvação; costumam citar o texto de Apocalipse 3.11 o qual diz: “Venho em breve! Retenha o que você tem, para que ninguém TOME A SUA COROA”
    E afirmam que nesse texto, a coroa significaria a salvação da pessoa e por isso, a pessoa pode ter sua salvação tirada ou tomada por alguém. Mas será que é realmente isso que esse texto nos diz? Antes de qualquer coisa, temos que entender que os textos originais gregos do Novo Testamento, utilizam duas palavras diferentes que são traduzidas como “coroa” para a língua portuguesa. Porém esses dois termos tem significados totalmente distintos.
    O primeiro deles é o termo “diadema”, que significa coroa de monarca/rei. Esta é a definição com a qual estamos mais acostumados, aquela que nos informa que quem usa este tipo de coroa (diadema) é um rei ou um governante sobre o qual foi investida a autoridade para administrar.
    O outro, é o termo “stefanos” que tem um significado completamente diferente. O stefanos, não é uma coroa de monarca, mas se parece muito mais com uma tiara, geralmente feita com folhas de louro, ou com o formato delas. A stefanos era utilizada nas antigas sociedades helênicas para honrar os vencedores dos jogos olímpicos ou os soldados que voltaram vitoriosos de uma batalha.
    Quando o atleta vencia a competição, ele era presenteado com essa stefanos para demonstrar que ele havia vencido. O que, para nós hoje, equivale a entrega da medalha nas olimpíadas. Agora voltando para o texto de Ap. 3.11, o termo alí traduzido por “coroa”, não é diadema, mas sim, STEFANOS.
    Ou seja, esta “coroa” é um PRÉMIO diretamente proporcional ao desempenho do salvo na sua caminhada cristã. O que também é chamado de GALARDÃO, em outros textos bíblicos. Sendo assim, perder sua coroa (stefanos) em Ap. 3.11 não significa perder a salvação, mas significa, perder seu galardão, seja parcialmente, ou totalmente.
    A “stefanos” de Apocalipse 3.11 jamais poderia ser a salvação, porque pela própria definição, ela é uma PREMIAÇÃO MERITÓRIA por boas obras, o que contradiz totalmente o conceito de salvação pela graça recebida por meio da fé, amplamente descrita nas Escrituras.
    Outro ponto importante a ser observado é que nem os demônios, nem mesmo o próprio Satanás tem poder para “roubar” a salvação de alguém. Isso está claramente afirmado em Romanos 8.38-39, onde está escrito: “Pois estou convencido de que... nem anjos nem demônios... nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor”.
    Talvez, alguém que ainda insista que o Diabo possa roubar a salvação de um salvo, cite a parábola do semeador, que diz: “Quando alguém ouve a mensagem do Reino e não a entende, o Maligno vem e lhe arranca o que foi semeado em seu coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho”. (Mateus 13.19) Porém observe que este trecho não fala de salvos, fala de pessoas que foram evangelizadas mas não chegaram a se converter. Nessa parábola, os salvos são “a boa terra”.
    Resumindo: em Apocalipse 3.11 o termo grego traduzido por coroa é “stefanos”, que é definido como uma premiação meritória, por isso, ele não significa salvação, mas significa o galardão que cada cristão poderá ou não receber por suas obras aqui na terra. Aquele que “perder sua coroa” ficará com o galardão reduzido, ou na pior das hipóteses, sem nenhum galardão; mas mesmo assim, não perderá a salvação garantia pelo sacrifício de Cristo. Por isso que a tradução literal da Bíblia (O Livro) traduz este versículo da seguinte forma: “Em breve virei. Conserva firmemente o que tens, para que ninguém te roube o prémio da vitória”

    continua ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre a coroa: pode significar o que ele disse (perda do galardão, somente), mas também pode significar a perda da salvação, uma vez que quem não tem salvação consequentemente também não terá galardão.

      Sobre o texto de Romanos 8:38-39: o texto não fala nada sobre não se separar de Deus, mas apenas sobre não se separar DO AMOR de Deus. É impressionante o quanto que imortalistas e calvinistas distorcem sistematicamente esse texto vez após vez, sempre com A MESMA ESTRATÉGIA de tirar a palavra "amor" do texto, sem mais nem menos. O texto apenas mostra que o amor de Deus por nós não irá expirar nunca, o que é totalmente assimilável já que Deus ama até mesmo o pior dos pecadores. Não tem absolutamente nenhuma implicação contra a perda da salvação.

      Sobre Mateus 13:19: nunca usei esse texto para provar a perda da salvação, então não tenho nada a comentar. O que ele diz sobre esse texto em particular está correto.

      Excluir
  8. Paulo explica isso claramente em 1Coríntios 3.11-15:
    “Porque ninguém pode colocar outro alicerce além do que já está posto, que é Jesus Cristo. Se alguém constrói sobre esse alicerce, usando ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno ou palha, sua obra será mostrada, porque o Dia a trará à luz; pois será revelada pelo fogo, que provará a qualidade da obra de cada um. Se o que alguém construiu permanecer, ESSE RECEBERÁ RECOMPENSA. Se o que alguém construiu se queimar, ESSE SOFRERÁ PREJUÍZO; contudo, SERÁ SALVO como alguém que escapa através do fogo”.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não li o texto inteiro ainda (mais tarde refuto o restante), mas sobre esse texto em particular, se ele lesse o texto até o final veria que Paulo ainda mencionaria aqueles que se perdem:

      "Se alguém destruir o santuário de Deus, DEUS O DESTRUIRÁ; pois o santuário de Deus, que são vocês, é sagrado" (1 Coríntios 3:17)

      O problema é que ele parou de ler o texto no verso 15, quando deveria ter ido até o 17 (pelo menos). Paulo falava de três categorias de pessoas:

      1) Aqueles que são salvos com galardão.

      2) Aqueles que são salvos, mas que não recebem galardão.

      3) Aqueles que são destruídos (portanto, não-salvos).

      Uma pessoa salva pode se enquadrar na primeira ou na segunda condição dependendo do seu desempenho como cristão, mas se cair da graça só pode se enquadrar na terceira. Como eu disse, mais tarde comento o restante do texto, mas você pode ver um estudo meu mais aprofundado sobre o tema aqui:

      http://apologiacrista.com/e-possivel-perder-a-salvacao

      Excluir
    2. e o restante?

      Excluir
    3. Você comentou em três partes, a segunda eu respondi embaixo da segunda e a terceira eu respondi embaixo da terceira. Quanto ao primeiro, a interpretação dele ignora o fato de que, para Paulo, cair da graça implica em ESTAR SEPARADO DE CRISTO:

      “Vocês, que procuram ser justificados pela lei, SEPARARAM-SE DE CRISTO; caíram da graça” (Gálatas 5:4)

      E alguém que está SEPARADO de Cristo está salvo? É lógico que não. Quem não está na "videira" (Cristo) será cortado e lançado ao fogo (Jo 15:1-7).

      Excluir
  9. Lucas, por que os apologistas católicos conservadores repugnam tanto o concílio Vaticano II?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Vaticano II foi um divisor de águas entre a Igreja tridentina (anterior, mas que já estava em processo de decadência) e a Igreja ecumênica atual (onde é costume dos papas se reunirem com pastores protestantes e com outros líderes religiosos em clima amistoso). Sai aquela Igreja tirânica, que perseguia os não-católicos, que só queria ver um "herege" de perto se fosse na fogueira, que afirmava taxativamente que quem não se submetesse ao pontífice romano já estava condenado ao inferno, que desprezava os leigos fazendo missa de costas, em latim e outros costumes medievais ridículos, que atacava a liberdade de pensamento e a consciência individual incansavelmente, que era o símbolo-mor da intolerância e do radicalismo, e entra essa Igreja com cara "boazinha" que nós vemos hoje por aí, com padres cantores, pregando junto com evangélicos em igrejas evangélicas, com papas assinando acordos em comum com a Igreja Luterana fazendo concessões, falando bem da Reforma e elogiando Lutero, pedindo perdão pela Inquisição e por outros crimes da Igreja, e até com movimentos internos semelhantes aos dos pentecostais e baseado neles (RCC).

      É lógico que os tridentinos não têm estômago para suportar essa modernização da Igreja. O que eles querem mesmo é aquela Igreja tirânica, assassina, a da Inquisição, a que não perdoava ninguém em circunstância nenhuma, a que forçava o Estado a ser atrelado à Igreja e que tinha horror ao Estado laico e à liberdade de expressão, a que fazia uma lista de livros proibidos que não podiam ser lidos sob penalidades extremas, enfim, é dessa Igreja aí que eles gostam. Eles vislumbram no Vaticano II o nascimento de uma "nova Igreja", embora a ICAR já estivesse passando por transformações antes mesmo desse concílio, porque de fato ali foi criada uma "outra Igreja", com outra direção, outros ventos, novos ares, uma nova perspectiva. O que é intolerável na visão dos intolerantes.

      Excluir
  10. Ei Lucas (o mito), tudo bem. Ultimamente tenho lido e assistido alguns vídeos sobre o judaísmo messiânico (Ministério Ensinando de Sião, do rabino Matheus Zandona). Cheguei até a ver páginas gringas e ouvir lindíssimas músicas em hebraico falando de Yeshua. Como eu era da Igreja Adventista, me identifiquei com o amor destes judeus por Cristo e pelo seu entendimento da Lei. Não me entra na cabeça como os judeus não messiânicos leem o Torah todo santo dia e não tenham notado as mais de 300 profecias que se cumpriram em Cristo! É bizarro! Existem profecias assustadoramente específicas como a de Daniel que profetizou que o Messias adentraria em Jerusalém setenta semanas proféticas (1 dia = um ano) após a reedificação da cidade. Tiro e queda! Mas eles também duvidam da veracidade do dilúvio então com essa gente eu nem discuto... Mas o que mais me chamou atenção foi a "pureza" e simplicidade da doutrina. Jesus (Yeshua) é Deus, e devemos ser como Ele, estudiosos da Palavra e vigilantes. Tanto que os conheci na página "Pela volta da Igreja Primitiva" no facebook. Eles eram Sola Scriptura muito antes de Lutero. Mas a questão é: eles não falam "Jesus"! Dizem que "Jesus" é uma invenção da ICAR para perverter o real nome do Mashiach (Messias) em um termo greco-latino. O nome dEle era Yeshua e sempre foi. Eles não falam "Deus". Dizem que Mitra, o deus que a ICAR adora sem saber através de seu simbolismo pagão, também é um deus... pagão. O nome dEle é Yahweh, Elohim, Adonai... O que você acha? De fato, "Jesus" é uma invenção católica para retirar o judaísmo de Yeshua? Em um video gringo, vi um rabino dizendo que, em Marcos 12:32, um escriba entendedor da Lei enaltece a Yeshua dizendo: "respondestes bem, Rabi, e com verdade dissestes que Ele é único". Ele disse que Yeshua era rabi, mas a ICAR substituiu 'rabi' por 'mestre' porque 'rabi' é muito judeu. Você acredita que o anti-semitismo da ICAR vem de berço, logo na tradução da Bíblia? Que "Jesus" é coisa de católico e cristãos sem devida instrução? Eles também dizem que a ICAR não é grande meretriz do Apocalipse: ela é imensa quenga do fim do mundo!, que criou centenas de tradições em cima dAquele que veio justamente destruir as tradições dos fariseus. A Igreja fez tanto pelos judeus quanto o fez o nazismo e que o Papa é tão santo quanto a Inquisição. Tem como não amá-los? Kkkkk mas o que você acha dessa história de Jesus vs. Yeshua? Judaísmo vs. Catolicismo. A outra pergunta é: qual sua comida favorita?
    Fique com Deus/Yahweh!

    https://m.youtube.com/watch?v=EnXwP0DrMXg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, sobre Jesus e Yeshua, o único problema é que eles não aceitam que nomes sejam traduzidos, porque todo mundo sabe que Jesus é apenas a tradução de "Yeshua", nada a mais que isso. Só que no NT os apóstolos SEMPRE traduzem os nomes do hebraico para o grego, senão Maria seria Miriã e Paulo seria Sha'ul (como alguns deles chamam). Mas o próprio Paulo traduzia para o grego o seu próprio nome e dos demais personagens bíblicos, o que mostra que nome pode ser traduzido sim. Esse artigo prova isso com mais clareza e detalhes:

      http://testemunhasdeyahoshuarefutados.blogspot.com.br/2014/11/nome-se-traduz.html

      A mesma lógica se aplica ao nome "Deus" e ao "rabi", são meras traduções. No NT o nome que os escritores bíblicos atribuem a Deus é "Theos", sendo que Theos no mundo grego era uma divindade pagã acima de Zeus. Ou seja, os apóstolos não se incomodaram com isso, porque sabiam que estavam transmitindo a ideia correta (de Deus supremo), mesmo que o nome em si não fosse "Yahweh" ou "Elohim". Então chamar de "Deus, ou "Dios", ou "God", não tem problema nenhum.

      Sobre a perseguição da Igreja Católica aos judeus isso é histórico e incontestável, ela foi a que mais perseguiu judeus ao longo de toda a história, se Hitler matou judeus por alguns anos a Igreja Católica matou judeus por pelo menos oito séculos de forma sistemática e incansável, criando o fundamento para o nazismo e todo o antissemitismo moderno.

      Abs!

      Excluir
    2. Cara, eu já li diversas vezes sobre esse negócio do nome, sobre a consagração da Bíblia, sobre outras coisas nesse sentido, e cheguei a seguinte conclusão. Muitos confundem o símbolo com o seu próprio significado, ou a sua representação física com a realidade que ele porta. A Bíblia é um ótimo exemplo disso. Há quem queira tornar sagrado o objeto, achando que é pecado carregá-la abaixo da cintura, derrubá-la no chão, rasgar as suas páginas, idolatrando o objeto. Não há nada de sagrado no objeto Bíblia. Sagrada é a informação que ela porta, dada por Deus para os homens, que por diversos meios (papiros, livros, cd's, e-maisl, páginas da internet) chega até nós. Os objetos que carregam a Palavra de Deus, inclusive um amontoado de papéis impressos que chamamos de Bíblia, não são sagrados. Da mesma forma, o nome dito por nós, humanos, não faz diferença. O que importa é a quem nos referimos em nosso interior, como a nossa alma se comunica com Deus. Tanto que para nós é Jesus, para o inglês é "Gisas", para outras línguas outras maneiras, e Deus ouve todas. O que importa é que a palavra que você diz se refira ao filho de Deus citado na Bíblia. Então isso, prá mim, é mais uma forma de idolatria com o símbolo que diversos cristãos amam fazer. A sua adoração não vai mudar se você se referir ao Jesus bíblico por Jesus ou Yeshua.

      Excluir
    3. Amigos, vejam só esse excelente vídeo do Matheus Zandona sobre essa questão do nome Jesus e Yeshua. Esse pessoal que afirma que não pode falar Jesus viaja na maionese.
      https://www.youtube.com/watch?v=WjxYhlelfik

      Excluir
    4. Obrigado ao anônimo aí de cima por dar a melhor resposta do Universo!: Citou o Matheus Zandona, o rabino do meu Ministério, pra me dar uma resposta categórica! Valeu, mano.

      Excluir
  11. Lucas, o que acha dessa pagina? https://www.facebook.com/VerdadeSemManipulacao/posts/307415906049896

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma página que defende um governo que levou o país à ruína e a uma das piores crises que o Brasil já viu não pode ser levada a sério.

      Excluir
  12. Lucas, em Mateus 1:15-16 está escrito, na genealogia de Cristo, que "Eliúde gerou a Eleazar; Eleazar, a Matã; Matã a Jacó. Jacó gerou a José, marido de Maria, da qual nasceu Jesus, que se chama Cristo". Mas José não manteve relações com Maria, que deu a luz pelo Espirito Santo. Como explicar a ascendência de Cristo (Davi, Jacó, Isaque) se a descendência de José não se fez em Cristo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, a maioria dos teólogos acredita que Lucas seguiu a genealogia por parte de mãe (Maria), veja por exemplo o que Norman Geisler e Thomas Howe comentam no "Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e 'Contradições' da Bíblia":

      «Isso é de se esperar, já que são duas linhas diferentes de ancestrais, uma através de seu pai legal, José, e outra através de sua mãe de fato, Maria. Mateus apresenta-nos a linha oficial, já que seu propósito é mostrar as credenciais messiânicas judaicas de Jesus, que requeriam que o Messias viesse da semente de Abraão e da linhagem de Davi (cf. Mt 1:1). Lucas, tendo em vista um público grego bem mais amplo, dirige-se para o interesse grego de ver Jesus como o homem perfeito (que era o que buscava o pensamento grego). Assim, ele traça a linha genealógica de Jesus até o primeiro homem, Adão (Lc 3:38). Há várias razões para que Mateus apresente a genealogia paterna de Jesus, e Lucas, a materna. Primeiramente, mesmo que as duas linhas vão de Jesus a Davi, cada uma delas o faz através de um filho diferente de Davi. Mateus inicia com José (pai de Jesus segundo a lei) e vai até o rei Salomão, filho de Davi, de quem Cristo por direito herdou o trono de Davi (cf. 2Sm 7:12). O propósito de Lucas, por outro lado, é mostrar Cristo como verdadeiramente humano. Então ele vai de Cristo a Nata, filho de Davi, seguindo a genealogia de Maria, sua mãe de fato, pela qual Jesus pode declarar ser perfeitamente humano e o redentor da humanidade. Lucas não diz que está traçando a genealogia de Jesus a partir de José. Antes, ele observa que Jesus, "como se cuidava" era "filho de José", quando de fato ele era filho de Maria. Também o fato de Lucas registrar a genealogia pela linha de Maria vinha bem ao encontro de seu interesse, como médico, por mulheres e nascimentos, o que se vê inclusive por sua ênfase em mulheres no seu Evangelho, que tem sido chamado de "o Evangelho para as mulheres»

      Abs!

      Excluir
  13. Lucas, tudo bem?Meu irmão em Cristo fiquei surpreso com um vídeo que o vi do Pe. chamado CHRYSTIAN SHANKAR de chamar Maria de Imperatriz...é tanta criatividade ridícula desse Padre que não tem respaldo bíblico e além do mais ele disse: que tinha alegando que Jesus é Rei e Rei governa, então pela lógica dele Maria por ser mãe do filho ...o própio filho deu esse status a Maria de ser Imperatriz da humanidade, por que no conceito romano os Imperadores eram chamados de Ave que era a saudação dada a eles e quando Roma segundo ele Cristianizou o Império pagão mudou de vez de ser para o Imperador colocaram em Maria.veja que absurdo Lucas e o pior disso tudo ele estava falando mostrando na Bíblia e nos fatos históricos...meu Deus quanta cegueira essa Roma tá completamente poluída de fato.ele Padre fez a mistura da saudação de Isabel deu a Maria como garantia de superioridade com relação as outras pessoas...ridículo essa interpretação.Lucas irmão você já tinha visto algo parecido?pelo menos pra mim é a primeira vez, que vejo um Padre dentre outras heresias chamar Maria de Imperatriz é um cúmulo mesmo , o Que pensa a esse respeito e a comparação que esse Padre fez?Estou pela primeira vez no seu artigo e gostei muito e aos poucos tô aprendendo cada vez mais sobre seus artigos e vou passar esses conhecimentos pra outros concerteza...abs! fica com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, a crença em Maria como Rainha dos céus é algo que eles já creem há um bom tempo, "imperatriz" não demoraria a chegar. O engraçado é que Epifânio, ainda no século IV, condena algumas pessoas (as quais ele chama de idólatras) que estavam chamando Maria de "Rainha dos céus", e hoje em dia a Igreja Romana adota esse título mariano de forma oficial e ainda considera Epifânio como um de seus "santos". Isso não é difícil de se compreender, já que no século IV houve a paganização do Cristianismo romano, ocasião na qual muitos costumes do paganismo (em relação a Ísis, a deusa principal do paganismo romano) foram trazidos para dentro do Cristianismo na concepção popular e aos poucos ganhando status "teológico". Assim, os títulos que antes eram atribuídos a Ísis foram então transferidos à nova "deusa-mãe" da Cristandade, Maria. E ao longo dos séculos a coisa só foi piorando cada vez mais, ao ponto de chegar no nível caótico e surreal dos dias atuais.

      Abs!

      Excluir
  14. Lucas, querido irmão bom dia! Banzoli queria saber quando Cristo falou ao jovem rico vendi o que tens e segue-me ele tava falando que temos que fazer boas obras e praticar a lei pra sermos salvos , digo isto por que a ICAR usa esse texto pra provar a salvação pelas obras.Fique com o Senhor Jesus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, para entender esse texto primeiramente é preciso compreender o contexto. Jesus não disse isso à toda a multidão ou a uma pessoa aleatória, ele disse isso a um jovem rico que tinha o seu coração preso nas riquezas. Ou seja, dizer para ele especificamente abrir mão de todo o seu dinheiro era uma forma de provar se o amor dele pelas riquezas era maior que o desejo dele por Cristo e pelo Reino de Deus, o que infelizmente acabou se comprovando. O princípio aqui exposto é que o nosso coração tem que estar firmado em Deus, com o Seu Reino acima das coisas materiais, mais importante e valioso que tudo. Isso não refuta a justificação pela fé, até porque para se ter um coração assim é preciso ter muita fé em Jesus, e a fé precede as obras. O jovem rico não tinha, e por isso acabou daquele jeito. As obras evidenciam a fé, em vez de serem a causa da mesma. Abs!

      Excluir
  15. Lucas, meu pai me presenteou com sua velha Bíblia de Estudos de Genebra com a qual ele deu tantos cursos de Teologia Sistemática! Muito Feliz !!

    ResponderExcluir
  16. Lucas, boa tarde!Queria saber o que Jesus quis dizer "muitos são chamados e poucos escolhidos".Fique na paz do Senhor Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, veja nos meus comentários a Mateus 22:14, aqui:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.com.br/2014/07/comentarios-de-mateus-22.html

      Abs!

      Excluir
  17. ... e o Macabeus já fez um vídeo para refutar o Lucas. Ele resolveu aparecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA (rindo até 2050)

      O cara é tão profissional que fez o vídeo LENDO ali no lado, pqp, é o fim do mundo mesmo, nem pra fazer um vídeo decente de quatro minutos consegue. E ainda pronunciou "SÊDÊVACANTES" em vez de "sedevacantes", o que me lembrou um outro vídeo antigo dele onde ele pronuncia "CANÔN" em vez de "cânon" umas duzentas vezes no vídeo hsuahsuahsuash além de não ler nada, também não ouve.

      E os argumentos então? Só passou o vídeo inteiro atacando os sedevacantistas igualando-os aos protestantes(!), o que é fácil de se fazer numa hora dessas, difícil mesmo é ser durão assim na hora dos debates, enquanto sedevacantistas, católicos tradicionais e modernistas se unem para atacar os evangélicos e ninguém fala nada. Aliás, ao invés de ficar vociferando contra os sedevacantistas, ele deveria é REFUTAR OS ARGUMENTOS DELES, que mostram uma enxurrada de textos históricos da Igreja Romana para provar o seu ponto, e até hoje eu nunca vi alguém refutá-los apropriadamente, texto por texto. Ele acha que os sedevacantistas surgiram do nada sem razão alguma, quando o surgimento deles ocorre JUSTAMENTE porque os papas modernos se desviaram da doutrina mais antiga, e isso é incontestável.

      E sem falar que católicos como Olavo de Carvalho, que creem no papa Francisco como antipapa ou falso profeta, não são sedevacantistas e mesmo assim discordam do Macabeus. Aliás, nem o catecismo católico defende o preterismo dele. É um festival de aberrações. Mas que bom que ele está fazendo vídeos e mostrando a cara, assim o Paulo Leitão deixará de monopolizar os vídeos de comédia apologética no Youtube.

      Excluir
    2. Ué, mas a ICAR não é una e infalível?

      Excluir
    3. Eles fingem que são "unidos" apenas quando é para atacar os protestantes, depois viram as costas e começam a se digladiar entre eles.

      Excluir
    4. E vi o vídeo desse Macabeus. Ele pediu pro cara que escreveu esse artigo, provar pra ele, através da análise das escrituras, que ele está errado na interpretação. Ao mesmo tempo, não acredita na livre interpretação das escrituras. O que seria provar pra esse cara?

      Quando convém, se apega a interpretações pessoais, quando convém se apega a tradição ou ao magistério.

      O nome disso: desonestidade. É uma pessoa de má fé.

      Excluir
    5. Pois é, na verdade o próprio preterismo que ele defende JÁ É UMA INTERPRETAÇÃO PESSOAL da parte dele, já que a Igreja Romana não tem uma escatologia oficial e o próprio catecismo nada diz a este respeito. Nunca a Igreja Romana alegou as interpretações que ele faz em cada capítulo do Apocalipse, que são fruto puramente da imaginação e criatividade dele, fazendo uso de livre exame e livre interpretação como bem entende. Mas se um protestante decide interpretar as Escrituras por conta própria como ele faz com o Apocalipse (inclusive se for para interpretar O PRÓPRIO Apocalipse) aí ele vocifera como um perturbado, enraivecido com o fato de estarem fazendo livre exame da Bíblia...

      Excluir
  18. Lucas, a paz de Cristo! Lucas tire uma dúvida ...que os apologistas católicos dizem que a Bíblia de Gutenberg era a mesma da ICAR 73 livros e Lutero subtraiu, isso procede irmão? preciso dá uma resposta a esse respeito a um amigo católico.Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O fato de algum livro apócrifo constar em alguma edição antiga da Bíblia NÃO SIGNIFICA que eles fossem considerados canônicos, esse é o grande erro dos apologistas católicos que, por puro amadorismo, pensam assim. Veja por exemplo o caso de Jerônimo, que colocou os apócrifos em sua versão da Bíblia (Vulgata Latina), mas que disse explicitamente que aqueles livros NÃO ERAM canônicos e nem tampouco podiam fundamentar qualquer doutrina. As citações estão neste meu artigo:

      http://apologiacrista.com/desmascarando-os-livros-apocrifos-p2

      Da mesma forma faziam os reformadores: incluíam os apócrifos nas suas versões da Bíblia, mas sem nunca considerá-los livros inspirados ou canônicos. Eles eram inclusos apenas para finalidades devocionais, nada a mais que isso. É por isso que a Septuaginta continha muitos outros livros apócrifos além dos apócrifos católicos, e nem por isso os católicos consideram esses outros livros inspirados também. O mesmo ocorre com a Bíblia de Gutemberg, cuja edição incluía livros como a Oração de Manassés, 3ª e 4ª Esdras e a “Oração de Salomão”, e todavia os católicos não consideram esses livros no cânon:

      http://www.bl.uk/treasures/gutenberg/search.asp

      Para entender melhor o assunto, leia esses artigos:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/03/respostas-rapidas-mitos-catolicos.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/10/lutero-retirou-sete-livros-da-biblia.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/10/a-lenda-do-canon-alexandrino.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/02/o-canon-biblico-dos-judeus.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2013/06/os-judeus-e-o-canon-veterotestamentario.html

      Abs!

      Excluir
  19. Banzoli, você deixou algo la acima sobre a Icar, sugerindo que a dita cuja pode ter falsificado versículos das Escrituras. Quero lhe dizer para não ficar apenas na suspeita.É verdade.



    Um exemplo marcante é João 19:25.Onde lemos "Maria de CLEOFAS", está adulterado. O certo é "Maria de CEFAS". Essa é a esposa de Pedro.

    Veja Atos 12:12 com I Pedro 5:13.


    Vai sair um estudo mais detalhado sobre isso, e vem com muitas surpresas.



    Alon

    ResponderExcluir
  20. Mas Lucas, independente do Concílio Vaticano II ter tornado a ICAR "boazinha" com demais cristãos, você não acha que a tolerância e o respeito não é uma imposição do mundo atual? Será que é possível ser tolerante sem fazer concessões? Ou é melhor cada um no seu lugar pra se evitar sincretismo religioso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso, eu escrevo sobre isso no livro sobre a Inquisição. A ICAR não se tornou assim porque do dia pra noite refletiu muito consigo mesma e decidiu repensar seu caminho e rever seus erros e então decidiu ficar "boazinha" e "inofensiva", ela FOI OBRIGADA a ficar assim depois que tiraram poder político dela e ela consequentemente não podia continuar matando pessoas em nome da fé, ou a dizer atrocidades contra a liberdade individual em um mundo moderno e pluralista. Mas se um dia ela obter o poder novamente (queira Deus que não), ela com certeza voltaria com as mesmas práticas do passado, que fazem parte do seu DNA. É por isso que é tão importante combatermos o fanatismo católico, os tridentinos e sua militância política.

      Quanto à sua outra questão, para ser tolerante não é preciso fazer concessões necessariamente, basta dar liberdade para o outro dizer o que pensa e "ficar na sua". No caso da ICAR, o ecumenismo moderno é parte de uma outra estratégia, a estratégia de limpar a imagem da Igreja (manchada e arruinada completamente com sua história de novecentos anos de opressão e terror) e de por meio da conversa e do "diálogo" conseguir trazer de volta os católicos convertidos (uma vez que eles não podem mais fazer isso por meio da violência e da coerção, como faziam antes).

      Excluir
  21. O Alon tem um site? Qual?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses aqui:

      https://agrandecidade.com

      https://sempredestinacao.wordpress.com

      https://nascidodemulher.wordpress.com

      Excluir
    2. Ele tem facebook/e-mail para eu entrar em contato?

      Excluir
    3. Vou deixar que ele responda (se ele quiser), já que não sei se ele me dá liberdade disso.

      Excluir
  22. Lucas, você diz que tudo que faz mal ao corpo e a mente é de uso pecaminoso e deve ser evitado. Mas, por outro lado, VOCÊ assistiu o video resposta do Cris Macabesta! Isso não soa contraditório?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão. Agora para resolver isso eu vou ter que me confessar ao padre (o único que pode perdoar os meus pecados), rezar o terço 150 vezes e o rosário 257 vezes (por dia), subir de joelhos as escadarias do senhor do Bonfim e peregrinar até Fátima, me autoflagelar e pagar todas as penitências para ver se assim, quem sabe, talvez eu tenha a sorte de ir para o purgatório e escapar do tormento eterno.

      Excluir
    2. Excesso de zuera banzólica pode ser considerado pecado? Se for, quero ir pro inferno

      Excluir
    3. Cris Macabesta kkkkkkkkkk essa vai ser a melhor do ano kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  23. Jéssica Tavares13 de maio de 2017 13:54

    Lucas, entrei no seu artigo por acaso e gostei muito, pretendo continuar...estou começando a gostar de temas religiosos e pelo que tenho visto, você é um dos apologistas protestantes até o momento ao meu ver mais preparado...claro que isso é só minha opinião.Queria saber se esse Alon é católico ou evangélico?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!

      Sobre o Alon, ao que tudo indica, ele não é católico...

      Excluir
    2. Nossa! Meu Deus!

      Olha ela: "queria saber se ESSE Alon é católico ou evangélico".

      Viram que referência bombástica?

      "Esse Alon"

      Me conhece de muito tempo, nao é Jessica?


      Excluir
    3. Jésse, por que seu nome está estático igual aos anônimos? Sabe do que to falano? Nao dá pra clicar e achar seu perfil. Coisa de matuto.

      Seu nome é Jéssica mermo ou é Jessé? Talvez Jerson? É Tonhão? Janjão?

      Excluir
  24. Lucas, sou coroinha da Igreja São Policarpo da Anunciação, e pretendo me tornar cardeal e futuramente, quem sabe, Papa! Mas tenho medo de ser excomungado pelo Olavo de Carvalho via Facebook :'( Como vencer esse medo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na vida há apenas dois medos que não se vencem: o medo da morte, e o de ser excomungado via facebook pelo Olavo de Carvalho:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/09/olavo-de-carvalho-excomunga-o-papa.html

      O papa Francisco está até agora aterrorizado com o fato de ter sido excomungado pelo astrólogo da Virgínia, há boatos de que ele já está escrevendo sua carta de renúncia como fez o Bento XVI, que renunciou após ser desmascarado como um illuminati pelo Olavão:

      https://www.youtube.com/watch?v=I1F09z1bAUA

      Excluir
    2. Eu nao sei ainda como esse povo católico consegue dar ouvidos ao Olavo.

      Excluir
    3. O papa Francisco mandou avisar que não está nem dormindo preocupado com a excomunhão do Olavo de Carvalho :(

      Excluir
  25. Olá Lucas, se a ICAR é Babilônia do apocalipse como você sugere no artigo eu te pergunto: segundo o apocalipse, Podemos entender que a existência da ICAR é um cumprimento profético?o que acontecerá com ela? qual será o destino das pessoas sinceras que foram enganadas e lá estão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que acontece com ela está bem claro em Apocalipse 18, em todo o capítulo. E a mensagem que Deus dá a essas pessoas também é claro: "Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas" (Ap 18:4). É lógico que nem todos os católicos irão para o inferno, mas o indicativo de que esse sistema influencia para levar a este lugar é evidente.

      Excluir
    2. Olá Lucas, insistindo no tema Babilônia do apocalipse. Para os católicos a Babilônia é o protestantismo e quem se levante contra a santa Sé. Para os protestantes a Babilônia é a ICAR. Para as testemunhas de Jeová a Babilônia é toda cristandade trinitariana. Para os adventistas a Babilônia é a cristianismo que (dentre outras coisas) não guarda o sábado... por que foi dado uma conotação religiosa (tratar-se de um grupo religioso) a Babilônia do apocalipse, se o texto, a meu ver, não deixa claro isso? obrigado amigo.

      Excluir
    3. Não é exatamente assim. Até onde eu sei (me corrija com fontes se eu estiver errado), para os adventistas a Babilônia é a Igreja Católica, mas as outras igrejas são as "filhas" da Babilônia. Eles deduzem isso pela parte que diz que ela é a "mãe", embora isso seja uma distorção já que as suas "filhas" não são outras igrejas (ou "mulheres", de acordo com a linguagem profética), mas sim as próprias prostituições que ela comete ("mãe de todas as prostituições da terra..."). E se eu não me engano, essa é a mesma crença dos TJ também, embora em relação a eles eu não esteja perfeitamente inteirado. Ou seja, eles não negam que a Babilônia seja a ICAR, mas creem que as outras igrejas sejam as suas "filhas" (o que é um erro interpretativo).

      Já a ICAR não tem uma interpretação oficial do Apocalipse, mas seus apologistas costumam dizer que a Babilônia é Jerusalém. Quando eles acusam o protestantismo de ser uma "Babilônia" eles não estão se referindo especificamente à Babilônia do Apocalipse mas sim uma forma de dizer que o protestantismo é "dividido" como numa "Babel" (de onde vem o termo "Babilônia"), de acordo com a terminologia que eles costumam usar. Tanto é que eles usam mais o termo "Babel" do que "Babilônia", porque para eles a Babilônia propriamente dita é Jerusalém.

      E que a Babilônia é mesmo a Igreja Romana e não pode ser Jerusalém, isso eu já abordo nesses dois artigos, com evidências suficientes:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/01/quem-e-babilonia-do-apocalipse.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/01/por-que-jerusalem-nao-e-babilonia-do.html

      Abs.

      Excluir
  26. Olá Lucas
    Eu vi em uma matéria (de um site católico) sobre os pais da igreja e a Virgem Maria uma declaração de Justino (o mártir) que me deixou confuso, e como eu sei que perguntando a um católico a resposta será as mesmas ladainhas de sempre eu queria saber se você (Lucas Banzolli) poderia me tirar essa dúvida: o que Justino, no diálogo com Trifão, quis dizer quando disse: "Vede como as mesmas coisas são prometidas a Isaac e Jacó. Com efeito, diz o seguinte para Isaac: "Em tua descendência serão abençoadas as nações da terra". E para Jacó: "Em ti e em tua descendência serão abençoadas todas as tribos da terra". Isso ele não diz a Esaú, Rubem ou a nenhum outro, mas somente para aqueles dos quais, POR DISPENSAÇÃO ATRAVÉS DE MARIA VIRGEM, haveria de nascer o Cristo."?
    OBS: As palavras que eu coloquei em maiúsculo são a parte que me deixaram confuso..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendo que dificuldade há nesse texto, já que tudo o que ele está dizendo é que Jesus nasceu de Maria. Aliás a tradução está levemente adulterada, pois a referência que eles dão é o Diálogo com Trifão (120:1), que no New Advent (site católico) está disponível aqui:

      http://www.newadvent.org/fathers/01288.htm

      O que é dito é: "came to be born man by the Virgin Mary", que traduzido fica: "veio a nascer homem pela virgem Maria". Não há nenhum dogma mariano aqui, aliás Justino praticamente nunca cita Maria em lugar nenhum, e quando cita é sempre de passagem, em contextos onde precisa citar pois fala do nascimento humano de Cristo.

      Justino não cita Maria nominalmente nenhuma vez em sua 1ª Apologia, nenhuma vez em sua 2ª Apologia, nenhuma vez em seu Oratório aos Gregos, nenhuma vez em sua obra sobre o Governo de Deus, nenhuma vez em sua obra sobre a Ressurreição, nenhuma vez em seus fragmentos, nenhuma vez em seu Discurso aos Gregos, e nove vezes em seu Diálogo com Trifão, em contextos onde contava a Trifão a história do nascimento de Jesus ou onde dizia que Jesus nasceu de uma virgem, sem citar absolutamente nenhum dogma mariano papista.

      Compare isso tudo com os pedantes católicos dos dias de hoje, que citam Maria até na introdução de uma simples carta (“Salve Maria”), independentemente do teor ou conteúdo da mesma...

      Excluir
    2. O que eu não entendi é o que ele quis dizer quando disse "por dispensação através de Maria Virgem", é essa a parte que me deixou confuso

      Excluir
    3. O termo "dispensação" é uma tradução errada, ou melhor, nem "tradução" chega a ser, pois introduziram o termo onde não existia. Mas mesmo se fosse o caso, o sentido do texto pelo contexto é muito claro e simples, Justino esava apenas dizendo que Jesus veio ao mundo através de Maria (algo evidente biblicamente), e não usando o termo "dispensação" no sentido mariólatra papista de "dispensação das graças" ou alguma invenção do tipo (que Justino não cria). Abs.

      Excluir
    4. Você não viu também que São Justino Mártir fala do Sacrifício da Eucaristia, e diz que após as palavras da ação de graças, o pão se torna verdadeiramente o corpo de Cristo? (embora sempre fosse necessário cautela ao tratar deste sacramento, para não escandalizar os infiéis e judeus) Se não viu, leia um pouco melhor... Eu mesmo já li algumas obras de São Justino e não vi uma palavra que fosse contrária à doutrina da Igreja, embora sua explicação da Trindade seja, por assim dizer, imperfeita, limitada, descuidada até...

      No mais, o fato de ele pouco citar a Virgem não significa que ela não deva ser cultuada com a devoção que merece, não só por ser a Mãe de Deus, mas por ter sido concebida sem o Pecado Original, exaltada pelo Anjo; mesmo porque seria possível aduzir uma miríade de citações dos antigos Padres em que eles reverenciam imensamente a Santíssima Virgem. Eis por que a Igreja diz com muita correção que Santa Maria, pela natureza, é inferior aos Anjos, mas pela graça é-lhes superior; as glórias de Maria não vêm dela, mas daquele que é poderoso e a glorificou. Supor que a Virgem seja uma figura marginal da fé cristã é um erro realmente diabólico.

      Enfim, quando um católica saúda a Virgem e expressa sua devoção a ela pelas palavras "Salve Maria", não faz mais do que repetir a saudação que o Anjo lhe fez: "Ave, cheia de graça".

      Excluir
    5. “Você não viu também que São Justino Mártir fala do Sacrifício da Eucaristia, e diz que após as palavras da ação de graças, o pão se torna verdadeiramente o corpo de Cristo?”

      Justino não cria em transubstanciação, essa distorção já foi refutada diversas vezes, como por exemplo aqui:

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2011/04/justino-martir-sobre-eucaristia.html

      E aqui:

      http://respostascristas.blogspot.com.br/2016/02/os-pais-da-igreja-e-eucaristia-inacio.html

      “(embora sempre fosse necessário cautela ao tratar deste sacramento, para não escandalizar os infiéis e judeus)”

      Ué, não são vocês que sempre afirmam que Jesus quis escandalizar os judeus de propósito em João 6, para ensinar a transubstanciação? E que inclusive trocou os verbos propositalmente para acentuar este fato? Que contradição é essa? E você acha mesmo que uma religião que ensinava que um Messias nasceu de nascimento virginal iria precisar ter “cautela” e “precaução” para não “escandalizar” em relação à eucaristia?

      “Eu mesmo já li algumas obras de São Justino e não vi uma palavra que fosse contrária à doutrina da Igreja”

      Então lhe recomendo bons óculos, porque não é possível alguém ler Justino e achar nele qualquer coisa parecida com a Igreja Romana medieval ou moderna.

      “No mais, o fato de ele pouco citar a Virgem não significa que ela não deva ser cultuada com a devoção que merece, não só por ser a Mãe de Deus, mas por ter sido concebida sem o Pecado Original, exaltada pelo Anjo; mesmo porque seria possível aduzir uma miríade de citações dos antigos Padres em que eles reverenciam imensamente a Santíssima Virgem”

      Reverenciar é totalmente diferente de cultuar. Me mostre aqui qualquer citação de um Pai da Igreja dizendo que toda a Igreja prestava culto de hiperdulia a Maria. E a crença de que Maria foi concebida sem o pecado original foi rejeitada por TODOS eles sem exceção, e até por Tomás de Aquino:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/05/a-igreja-primitiva-nao-cria-na.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/08/os-pais-da-igreja-contra-imaculada.html

      “Eis por que a Igreja diz com muita correção que Santa Maria, pela natureza, é inferior aos Anjos, mas pela graça é-lhes superior; as glórias de Maria não vêm dela, mas daquele que é poderoso e a glorificou”

      Onde a Bíblia diz que Maria já foi glorificada? Em que parte ensina a assunção, ou a ressurreição de Maria? E em que parte afirma que é superior aos anjos, seja por natureza ou por graça?

      “Supor que a Virgem seja uma figura marginal da fé cristã é um erro realmente diabólico”

      Supor que Jesus não seja a figura central da fé cristã é um erro realmente diabólico. Paulo, que falava em Jesus o tempo todo em todas as suas cartas, não cita Maria em nenhuma delas. Maria é mencionada nos evangelhos por razões históricas óbvias, então em mais uma breve menção no início de Atos (At 1:14-15), e depois literalmente some da Bíblia. Não é mais sequer mencionada em todo o livro de Atos, em todas as treze epístolas de Paulo, nem nas cartas de João, de Pedro, de Tiago ou de Judas. Você deveria ensinar essa sua teologia onde Maria é central não a mim, mas aos apóstolos.

      “Enfim, quando um católica saúda a Virgem e expressa sua devoção a ela pelas palavras "Salve Maria", não faz mais do que repetir a saudação que o Anjo lhe fez: "Ave, cheia de graça"

      Sim, mas isso o anjo disse A MARIA, e não a uma outra pessoa como uma forma padrão de saudação entre os crentes. Você em momento nenhum da Bíblia encontra algum cristão dizendo “Salve Maria” a outro, mas somente um “A Paz do Senhor”, que é como os evangélicos costumam fazer hoje. O foco, desde o início (saudação) até o fim (despedida, com o “paz a todos vocês que estão em Cristo”) era SEMPRE focado somente em Jesus, e NUNCA em Maria. Você pode não gostar, pode contestar, pode não achar bonito, pode resmungar, pode chorar, mas não pode negar este FATO.

      Excluir
  27. Lucas, paz, estava vendo uma reportagem (link abaixo) que me emocionou muito (ironia), é cada história de encher os olhos de lágrimas. mas deixou-me com alguma duvidas já que não tenho a mente zumbizado. Fique a vontade para corrigir-me:
    1 - "o papa declarou: "O Brasil precisa de santos. De muitos santos!"." - Ninguém explicou pra ele que o que o Brasil mais precisa é de Deus?
    2 - " mortos por calvinistas holandeses, tiveram o aval por terem sido assassinados por "ódio à fé"." - ou seja, nós tivemos também inquisição protestante (nossa, como somos malvados)
    3 - (Essa me preocupou um pouco)- A proporção de católicos aumenta em pessoas com mais de 40 anos, enquanto, no caso dos evangélicos, a proporção aumenta entre crianças e jovens" - Quer dizer que estou 4 anos (tenho 44 anos) atrasado pra se tornar católico?
    Ricardo soares
    http://www.bbc.com/portuguese/brasil-39942688

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaha

      Mas o terceiro ponto eu até entendo o que eles quiseram dizer, que a proporção de católicos é maior entre pessoas acima de 40 anos do que entre os mais jovens, o que só significa que os católicos estão envelhecendo e a juventude é cada vez mais evangélica, implicando que nas próximas gerações os futuros adultos serão mais protestantes do que católicos. Não é à toa que os censos mostram que até 2040 o Brasil já terá maioria evangélica e que se você ligar a tv num canal católico durante uma missa verá 99% de velhos com um pé na cova e o outro também...

      Excluir
  28. Oi Lucas

    Aqui é o João Felipe mais uma vez e de novo preciso da sua ajuda para refutar argumentos de católicos
    Em um site católico eles fizeram as seguintes afirmações para dizer que a Igreja Católica não é a Babilônia do apocalipse, eles usam como argumentos:

    "A cidade de Babilônia era uma cidade prostituída e entregue a idolatria do Império Romano. Entretanto, a Igreja que estava naquela cidade, era a Igreja Eleita:

    “A igreja eleita de Babilônia saúda-vos, assim como também Marcos, meu filho.” (1 Pedro 5:13 )

    Essa Igreja é obviamente a Igreja de Roma, uma vez que é:

    É citado Marcos, que sabemos que só veio a Roma porque Paulo (Que estava em Roma) mandou Timóteo trazê-lo (2 Tm 4:11).
    A epístola de Pedro foi escrita punho de Silvano (I Pd 5:12) e em 1 Ts 1:1; é deixado claro que Silvano era colaborador em Roma.
    O próprio historiador eclesiástico do século IV, Eusébio de Cesaréia, em sua obra História Eclesiástica (Livro II, XV,2) comprova que neste caso, a Babilônia era Roma."

    Como posso refutar cada uma dessas afirmações?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, todas as provas de que Pedro não escreveu sua carta em Roma você pode ver aqui neste artigo específico sobre o tema:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/03/pedro-escreveu-sua-primeira-epistola-em.html

      Sobre os argumentos aqui oferecidos, vamos lá:

      1) O fato de a Babilônia ser "prostituída" por causa do Império Romano não tem nada a ver com a "Igreja eleita", precisamente porque Pedro falava da IGREJA na Babilônia e não da própria Babilônia! Quem deu esse argumento só pode ser amador ou desonesto. Isso sem falar que esse argumento seria uma prova ainda mais contundente contra a própria escrita em Roma, pois se a Babilônia era "prostituída" por estar no Império Romana, imagine então Roma, a própria capital do Império!

      2) Esse argumento não prova nada, porque a primeira epístola de Pedro foi escrita entre 60-65 d.C, enquanto 2 Timóteo foi escrita em 67 d.C. Ou seja, tempo mais do que o suficiente para que Marcos saísse de um lugar para outro, ainda mais levando em consideração que os apóstolos da época eram missionários itinerantes, evangelistas que estavam o tempo todo viajando para levar o evangelho às outras partes do mundo da época, cumprindo a missão que lhes foi designada por Cristo, de "ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura".

      3) Esse cara só pode ser desonesto e picareta mesmo, onde é que em 1 Tessalonicenses 1:1 é dito que Silvano era colaborador EM ROMA??? Aqui está o tal texto citado:

      "Paulo, Silvano e Timóteo, à igreja dos tessalonicenses, em Deus Pai e no Senhor Jesus Cristo: A vocês, graça e paz da parte de Deus e de nosso Senhor Jesus Cristo" (1 Tessalonicenses 1:1)

      Ou seja: nada de Roma!!!

      Na verdade essa foi a primeira carta escrita por Paulo, ainda em 51 d.C, quando ele ainda estava em Corinto. Esse argumento dele é uma mentira deslavada!

      4) Eusébio escreveu três séculos após os acontecimentos e ainda não afirmou aquilo como um "fato histórico", mas disse que "parece" que foi escrita em Roma, ou seja, aquilo era um entendimento pessoal que ele achava mais provável e não algo conservado pela tradição ou que estivesse claro. Levando em consideração todas as evidências internas, é indiscutivelmente evidente que a carta foi mesmo escrita na Babilônia e não em Roma, como eu provo neste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/03/pedro-escreveu-sua-primeira-epistola-em.html

      Abs!

      Excluir

Postar um comentário

Comente abaixo. Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente, mas ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links), control c + control v e manifestações de fanatismo não serão aceitos.