Por que a apologética católica no Brasil é a expressão da mediocridade


Essa semana fui surpreendido com um expert católico comentando aqui. Nem sempre aparece teólogos romanos tão qualificados, mas quando surge um desses é uma grande honra e eu não poderia deixar de responder a este profissional de alto calibre. Trata-se do “Nivaldos Lulas”, isso mesmo, NIVALDOS, no plural mesmo. O sujeito é tão mito que leva um nome coletivo (ou talvez seja só um fã do Lula mesmo, ou melhor, do “Lulas”...). Eu confesso que fiquei sem refutação diante de palavras tão sábias e até cheguei a cogitar me converter à Babilônia Igreja Católica, por isso gostaria da ajuda de vocês para entender o que ele quis dizer conseguir refutar esse profissional:


Diante de tantos conselhos de sabedoria, eu me convenci de que sou mesmo um pobre prolixo e fui buscar conhecimento, começando por esse tal historiador renomado que refuta todos os meus textos – o Daniel Gols. Como eu sou um ignorante sem cultura que não leio tanta coisa como o grande letrado Nivaldos Lulas, tive que recorrer ao Google como um pobre mortal, para descobrir quem ele é. E o resultado foi esse:


E agora? Será o Daniel Alves ou o Daniel dos Anjos, o craque do Figueirense? Nessa dúvida cruel, tive que ser mais específico na busca, e procurei por “historiador Daniel gols”:


Não apenas não ajudou, como começou a falar em “historiador do Corinthians”! Caiu é pênalti! Isso não pode ser admissível, então decidi fechar o Google e abrir o facebook. O que eu encontro então me deixou assustado.

Encontre o erro:


Sim, é exatamente isso: o apologista católico, desesperado em catar qualquer coisa que via pela frente na internet para sustentar que existiu uma “Inquisição protestante” em um debate, saiu copiando e colando qualquer coisa no Google logo de cara e cometeu uma pequena gafe: POSTOU O MEU ARTIGO SATÍRICO! Não, não é brincadeira. A coisa realmente já chegou a esse nível!

Depois quando eu digo que esse povo todo nunca leu nada, nunca estudou nada, nunca pesquisou nada e que se juntar o QI de todos eles não dá o do meu cachorro, acham que eu estou exagerando!

Isso apenas comprova tudo aquilo que venho escrevendo, fruto de anos e anos observando o modus operandi desse pessoal:

Nenhum deles lê qualquer coisa, nem pesquisa, nem estuda nada. Tem verdadeiro horror a livros de história.

Eu pensava que esse horror todo aos livros era só aos livros imparciais escritos por historiadores sérios, mas não, eles não leem nem mesmo as fontes deles, escritas por outros apologistas católicos com finalidade propagandista proselitista.

Como são autênticos preguiçosos intelectuais e néscios no maior e mais completo sentido da palavra, precisam simular um falso conhecimento, fingindo que leram livros católicos e autores que só conhecem pelo título ou pelo nome. Daí sugerem a leitura de Thomas Woods, Scott Hahn, Daniel Rops (que às vezes vira “Daniel Gols”), mas nunca mais do que meia dúzia no máximo, porque mais do que isso o católico não é capaz de citar nem por nome. São verdadeiras fraudes intelectuais que não enganam ninguém que possua ao menos uma parte de cérebro na cabeça.

Depois disso, esses mesmos catoleigos tão “estudiosos” ao ponto de citar meia dúzia de historiadores que ele nem sabe quem são (mas que cita por saber que estão do lado deles, e é só isso o que importa), esses mesmos caras não fazem qualquer citação direta dos livros (óbvio, porque não os leram), e por isso precisam recorrer a uma tática antiga e ancestral que a apologética católica conhece melhor que o Ave-Maria: o COLTROL C + COLTROL V de qualquer blog lixo que encontre aleatoriamente no Google com o único requisito de falar alguma coisa boa da Igreja Católica (não precisa nem ler o artigo, basta copiar e colar mesmo).

Para ver como essa tática ancestral é característica de praticamente TODOS os blogs de apologética católica no Brasil (porque são todos fraudes intelectuais), vou usar aqui como exemplo o primeiro caso que me veio à mente, que é esse trecho descarado e mentiroso tirado do site do Macabesta, cuja mentira caluniosa eu já denunciei neste artigo:


Aqui eu não vou desmascarar de novo esse embuste, que já foi desmascarado no outro artigo. Apenas achei que a frase estava estranha, quero dizer, gramaticalmente decente. E como não é nada normal o Macabesta escrever duas linhas decentemente sem nenhum erro grosseiro de português e sem parecer um louco desvairado escrevendo de qualquer jeito, eu decidi jogar no Google e olha no que deu:

Primeira página do Google:


Segunda página do Google:


Terceira página do Google:


Pois é: o embusteiro caipira copiou de uns dois mil e quinhentos sites católicos que disseram exatamente a mesma coisa palavra por palavra sem sequer mudar uma vírgula, e ainda assina na caradura o seu nome no final da matéria:


Nem sequer pode dizer que essa parte foi dos seus “colaboradores” (risos), os já conhecidos trapaceiros Fakenando Nascimento, Antonio (Demapro) e Oswaldo (que sozinho criou uns 700 blogs católicos onde escreve a mesma coisa em todos eles e ninguém lê). Isso porque o Veritatis postou aquele artigo dizendo exatamente a mesma coisa há nove anos atrás, segundo as informações que constam no site deles, ou seja, muito antes do Cris Macabesta copiar e colar no artigo “dele” e dizer que é de autoria dele e dos seus “colaboradores”. E o mais feio: sem nem sequer dizer que é tudo copiado e que os seus “colaboradores” colaboraram apenas em mais control v do Google. Bota colaborador nisso!

Na verdade, o artigo INTEIRO dele é um plágio descarado de várias páginas da internet, principalmente do Veritatis, sem citar a fonte que copia em momento nenhum, e não apenas aquele trecho de duas linhas. Compare, por exemplo, esse parágrafo inteiro do texto “dele” com o do Veritatis (de onde ele comete o plágio). À esquerda o texto original (ou “original”, quem sabe) do Veritatis, e à direita o “dele” (clique na imagem para ampliar):


E abaixo uma foto exclusiva do Macabesta enquanto produz um texto para um artigo “dele”:

(Créditos da imagem: Tony Nascimento)

Há também uma outra possibilidade: todos os sites católicos do Brasil disseram as mesmas bobagens uns dos outros palavra por palavra, não por terem copiado uns dos outros, mas sim porque tiveram uma revelação divina extraordinária que fez todos eles por coincidência dizerem tudo igual. Afinal, se o papa recebe revelações divinas até para proclamar novos dogmas, por que eles não? É difícil de acreditar? É, mas em se tratando de uma Igreja Santa, pura, íntegra, com uma história tão bonita, tão bela, tão honesta, tão verdadeira, tão, tão... (fiquei sem palavras agora), é até difícil acreditar que os apologistas dessa mesma Igreja maravilhosa copiem tudo uns dos outros e atribuam cada um deles a autoria a si próprio.

A verdade é que a apologética católica entrou em um estado tão caótico e decadente, fruto do mais puro desespero por estarem perdendo fieis como nunca e por não saberem refutar coisa alguma, que levam ao pé da letra o ditado: “Se tá na internet é verdade!”. De fato, todas as “fontes” que eles citam são de internet (ou seja, de outros blogs deles mesmos), e o que não é da internet é de livros que eles nunca leram em idiomas que nunca falaram, mas que citam mesmo assim porque viram alguém citando em algum lugar. Ou alguém realmente acredita que o cidadão que escreveu o texto abaixo que não sabe nem escrever em português tem o hábito de ler livros?

Desafio: tente encontrar uma vírgula certa!


O desafio é tão impossível que essa nem o professor Pasquale consegue! E reza a lenda que se alguém tentar ler um texto desse cidadão inteiro, vai se enjoar tanto até o ponto de vomitar, isso se não pegar câncer antes. Parece ser contagioso. Infelizmente não dá pra saber porque não há relatos de alguém na humanidade que tenha feito isso, mas no dia em que alguém suportar ler um texto inteiro desse indivíduo saberemos. Claramente ele escreve qualquer bobagem, depois fecha os olhos e vai pontuando onde dá na telha, aleatoriamente mesmo, e seja o que Deus quiser. Há dois anos eu fiz um desafio oferecendo mil reais para quem encontrasse uma vírgula bem posicionada em qualquer artigo já escrito por esse cidadão em toda a vida e ninguém jamais conseguiu. Talvez quando o cometa Halley voltar em um ano bissexto num dia de eclipse solar isso aconteça.

Talvez você esteja pensando que eu estou nivelando por baixo e que o nível dos outros apologistas é melhor. Nana-nina-não. Pode ser menos rude ou grosseiro, até porque disputar nisso com o Macabesta é impossível, mas não deixa de ser ignorante tanto quanto. Veja o caso de Rafael Rodrigues, o famoso astronauta católico, o rei do “nada haver”. Esse texto ele escreveu contra mim há uns anos atrás, antes de ser refutado e nunca mais aparecer:


Nesse outro está “mais do que provado” que ele é um semianalfabeto que a mitra não tem “nada haver” com o paganismo:


O mais engraçado é que esse hilário sujeito é tão viciado nos “nada haver”, que escreve assim até mesmo quando está fazendo uma citação!!! Aqui ele faz uma citação de um livro das testemunhas de Jeová que ele transcreve assim:


E aqui ele faz Tertuliano se revirar do túmulo, transcrevendo uma citação dele assim:


Alguém precisa entregar URGENTEMENTE um dicionário a esse rapaz, não é possível passar tanta vergonha! Qual será o próximo passo? Escrever “agente” em vez de “a gente”? Tudo é possível em se tratando dessa gentalha. O nível é tão incrível que ele lê “nada a ver” no livro, acha que está errado e corrige na redação para “nada haver”, achando que o autor original está errado! Agora me respondam honestamente: alguém realmente acredita que um sujeito que até hoje no alto dos seus trinta anos não aprendeu como se escreve “nada a ver”, tenha o hábito de ler livros? Óbvio que não. Tudo o que esse populacho lê são textinhos de facebook e assim aprendem tudo errado, e, na falta de livros, tornam-se incorrigíveis. É capaz de mesmo depois de ler este artigo, o rei do nada haver continue escrevendo assim!

E o que comentar de um de seus discípulos, que ainda não sabe que se usa o “por que” para pergunta, que é o básico do básico da língua portuguesa?


E o pior é que isso está logo no título de um dos tópicos do artigo do menino. Que feio! Tudo bem que nesse caso é menos mal porque ninguém chegou a ler, e nem eu, mas mesmo assim é feio demais para alguém que tenta passar uma de intelectual!

Cabe aqui fazer a importante ressalva de que eu não estou menosprezando os analfabetos ou semianalfabetos, ou quem possui pouca instrução, pois muitos deles são extremamente dignos e apenas não tiveram oportunidades na vida. A minha colocação diz respeito especificamente a essa gente orgulhosa, prepotente, arrogante e narcisista que fala dos evangélicos com desprezo, de cima pra baixo, que nos chama de “rebelados”, “evanjegues” e “filhos da serpente”, que pagam uma de “intelectuais” e fazem a pose de “estudiosos” sem nunca terem lido porcaria nenhuma na vida e sem nem ao menos saber escrever direito.

Esse tipo de gente é muito pior que os fariseus da época de Cristo, pois estes ao menos tinham estudo, ainda que um estudo errôneo com tradições erradas, mas pelo menos isso tinham, enquanto essa gentalha que constitui a apologética católica nem isso tem. Não é de se admirar que um dos maiores “mestres” dessa geração de retardados abestalhados que se acham alguma coisa desprezando os protestantes (o Conde esquizofrênico), para se impor em um debate, precisa fazer isso:


 







Ou então aprecie o nível do próprio Macabesta:




Ou do maior boca suja deste país que descobriu pelos mapas astrais que “Lutero foi um genocida” e que “Calvino inventou o Estado totalitário”:


Como se não bastasse os control v, o analfabetismo funcional e o linguajar obsceno e chulo, os apologistas católicos também inventaram uma nova modalidade: a de traduzir textos sem fontes com um monte de baboseiras e grosserias anti-históricas de deixar qualquer um com os cabelos de pé. Quem iniciou essa modalidade aqui no Brasil foi um charlatão amador chamado Emerson de Oliveira, que postou essa piada no “Logos”:


Não é pra rir, é sério, isso está no texto dele. Ele também poderia provar a existência de duendes e fada dos dentes usando como fonte o mesmo que ele usa neste artigo: NADA. Literalmente todas as citações não tem fontes, e muito menos as informações transmitidas. Repete o mito de Henrique VIII ser protestante (desmascarado aqui) e, como se não bastasse, ainda vomita a aberração de que Isabel matou mais do que a Inquisição, o que lhe renderia não apenas a expulsão mas um processo em qualquer universidade de História decente, além da mais completa ridicularização. Um cidadão desses deve estar escrevendo direto de um hospício. A sorte é que ele tem uma “fonte” sim: um SITE CATÓLICO(!) do qual ele copia integralmente, e se você for no link católico em questão, também não tem fonte nenhuma. Incrível!

Um monte de acusações, delírios e devaneios sem nem uma única fonte histórica, sem nem uma única referência, sem nem uma única bibliografia, com apenas um link de um blog católico em outro idioma que também não traz fonte nenhuma, e ainda tem jumento adestrado que é doutrinado com esse lixo! É isso, amigos: é exatamente nisso que consiste a apologética católica brasileira. Não sei quem inventou a expressão “fundo do poço”, mas provavelmente estava pensando na apologética católica.

Mas não pense que Emerson de Oliveira está sozinho em sua mediocridade no “Logos”. Não, não: ele tem consigo o grande “historiador” Rogério Espantalho, o mesmo que depois de ser refutado por mim aqui e aqui correu igual menininha do debate que ele mesmo criou, mas nem por isso deixa de me difamar pelas costas diante dos outros fanáticos. Esse comentário abaixo ele fez bem recentemente sobre a minha pessoa:


Como vemos, trata-se claramente de um indivíduo de muita classe mesmo, estamos lidando aqui com alguém de alto nível. Eu sou a “bicha doido”, mas pelo menos não sou um lunático que em pleno século XXI quer se vestir como um cruzado católico pronto para a guerra:


Quando certas pessoas perdem a noção do ridículo, se tornam como o Rogério Espantalho, o “historiador” de gibis e quadrinhos da Mônica.

Falando em fontes super confiáveis, está na hora de falarmos em outro guru da apologética católica: Fakenando Nascimento. Há dias atrás ele postou um comentário aqui que eu não aprovei por não aceitar lixo no meu blog e porque quando eu lhe dei a oportunidade de debater 1 contra 1 em uma comunidade de debates católica onde ele era o moderador e todos os participantes eram católicos, ele fugiu igual covarde com o rabo entre as pernas deletando todos os meus comentários sistematicamente e deixando os dele para que os trouxas pensassem que ele ficou sem resposta, então um verme desse nível não merece qualquer espaço aqui, senão para ser desmascarado como já foi em tantos artigos.

Agora vejam o trecho final do comentário que ele enviou, onde ele faz uma citação supostamente atribuída a um “pastor protestante” que ninguém sabe quem é:


É isso aí: a fonte dele é o finado ORKUT, que não bastasse nunca ter sido uma fonte acadêmica ou histórica, ainda foi deletado há anos e sequer existe mais! O próximo passo será usar como fonte: “UOL”. Ops, esse cara é tão bom que já chegou nesse nível também!



E para fechar com chave de ouro, em conjunto com o ORKUT e o UOL, o “gênio” também usa como fonte a... WIKIPÉDIA, é claro!


Poderia ficar aqui por mais horas e horas apenas mostrando o quanto a apologética católica brasileira é tosca, ignorante, burra, desonesta, amadora, deplorável, grosseira e medíocre, mas eu já estou com sono, cansado e não vale a pena perder mais tempo revelando o óbvio que qualquer ser pensante e racional consegue descobrir por si mesmo apenas acessando os blogs de qualquer um deles. A apologética católica brasileira representa o conjunto do que há de mais nojento e repugnante tanto em termos intelectuais como em morais, e sem falsa modéstia eu posso garantir que leio em uma semana mais do que todos eles juntos leem em um ano, pelo menos no que se refere a fontes históricas aceitas academicamente (em posts de facebook e videozinhos adolescentes de Youtube eles ganham, confesso).

Sim, é verdade que existem exceções (poucas, mas existem) mesmo aqui no Brasil (eu poderia citar algumas, como o blog do Gledson e o do Evaldo), e também é verdade que a apologética católica americana é bem menos ruim, e é dela que esses amadores copiam os argumentos e os trechos dos livros que nunca leram. Tampouco tenho uma explicação para o porquê que o nível da apologética católica daqui é tão ruim ao ponto de ser uma comédia total, bastando para mim a tese simplista de que isso é o resultado da mistura de duas coisas ruins (cultura brasileira e catolicismo romano) que juntas formam uma pior (apologética católica). Mas seja lá por que razão que for, o fato é que essa mediocridade continuará a ser exposta, refutada e detonada aqui, como já está sendo há tanto tempo. Mas em uma coisa eles têm toda a razão: as portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja Romana – porque, afinal, ela é a própria porta do inferno.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

-Meus livros:

- Veja uma lista de livros meus clicando aqui.

- Confira minha página no facebook clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros blogs:

LucasBanzoli.Com (Um compêndio de todos os artigos já escritos por mim)
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Artigos devocionais e estudos bíblicos)
Desvendando a Lenda (Refutando a imortalidade da alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)
Fim da Fraude (Refutando as mentiras dos apologistas católicos)

Comentários

  1. "Fica na paz e Deus te elimine"

    MEU DEUS, NÃO CONSIGO PARAR DE RIR DISSO... SOCORRO, VOU INFARTAR

    ResponderExcluir
  2. Lucas, me ajude, se for possível. Entender a fraca apologética católica eu considero até fácil (incultura). O que eu nunca consegui entender por que a "inquisição protestante" foi terrível, monstruosa e abominável e a inquisição católica não foi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas isso é fácil de se entender: porque a Inquisição protestante foi criada por aquele monstro beberrão, aquele monge maldito que mutilou a Bíblia e era casado com quatro mulheres (ao mesmo tempo), que foi o precursor de Hitler e genocida, que praticava ocultismo e era endemoniado, que era filho da serpente e adulterava a Bíblia, que se suicidou e morreu de causas naturais (aí vai depender de qual site católico você vai usar de referência), enfim: Lutero, o malvadão.

      Excluir
  3. Agora que você desabafou, você pode dizer se existe um livro apócrifo ou canônico escrito por um cristão de verdade, que exponha a sua tese sobre o terceiro Tiago. Porque tudo o que você disse até agora é só a sua interpretação bem discutível da Bíblia.

    Responda ao Macabeus, Lucas. Ele fez um desafio simples. Você se limitar a atacar os apologistas católicos é mera fuga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O terceiro Tiago já foi provado tantas vezes e de tantas formas e há tanto tempo que o próprio “desafio” apenas serve para expor como o contestador é realmente medíocre. Se existe uma coisa que já foi mais do que provada e comprovada “em escritos canônicos por um cristão de verdade”, foi o terceiro Tiago sobre o qual já escrevi duzentas vezes, a esmagadora maioria sem qualquer tipo de refutação, e uma minoria com respostas deprimentes que apenas provam que os papistas estão mesmo desesperados e sem argumentos:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2016/05/as-provas-incontestaveis-do-terceiro.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/08/o-terceiro-tiago-revisto-e-atualizado.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/05/o-terceiro-tiago-provado-historicamente.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/01/o-terceiro-tiago-pela-terceira-vez.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/01/mais-evidencias-do-terceiro-tiago.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/12/as-aberracoes-de-cris-macabeus-e-volta.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/01/o-terceiro-tiago-o-irmao-de-jesus.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/09/os-irmaos-de-jesus-eram-primos.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/03/as-constituicoes-apostolicas-sobre.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/06/o-autor-do-quarto-evangelho-finalmente.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/06/refutando-objecoes-autoria-de-tiago.html

      Que existiu um Tiago irmão (e não primo) de Jesus, distinto de qualquer Tiago entre os apóstolos, é fato incontestável provado taxativamente pelas Escrituras que não necessitam sequer de “interpretação” minha. Tiago é chamado de ADELPHOS de Jesus (Gl 1:19), termo este que nunca é empregado para o Tiago de Alfeu, e a escapatória católica de perverter o significado de adelphos para “primos” é um desespero ridículo que ignora o fato de que os escritores neotestamentários escreviam em grego, idioma que já possuía distinção entre irmão e primo, que era anepsios, palavra inclusive usada em outra situação pelo mesmo apóstolo Paulo que falou que Tiago era adelphos (e não anepsios) de Jesus (Cl 4:10). E como se não bastasse em TODAS as ocasiões sem exceção os irmãos de Jesus serem chamados de adelphos em vez de anepsios (palavra que já existia no grego e que foi usada no NT), havia ainda o termo suggenes, que designava um parente sem especificação (podia ser primo, tio, sobrinho, etc), palavra essa que foi usada AMPLAMENTE no Novo Testamento para designar parentes que não eram irmãos, mas que NUNCA foi usada nos vários textos que falam dos irmãos de Jesus:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/09/os-irmaos-de-jesus-eram-primos.html

      Excluir
    2. Vai ver os primos também moravam DENTRO DA CASA dele:

      “’Não é este o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, José, Judas e Simão? Não estão aqui conosco as suas irmãs?’ E ficavam escandalizados por causa dele. Jesus lhes disse: Só em sua própria terra, entre seus parentes e EM SUA PRÓPRIA CASA, é que um profeta não tem honra” (Marcos 6:3-4)

      1) “Em sua própria terra” = habitantes de Cafarnaum

      2) “Entre seus parentes” = primos, tios, etc

      3) “NA SUA PRÓPRIA CASA” = se não é irmãos é o que?????

      Isso sem falar que a Bíblia distingue VÁRIAS vezes os irmãos de Jesus dos apóstolos de Jesus, como por exemplo em João 7:5 (onde é dito que os irmãos de Jesus não criam nele, embora os apóstolos cressem, e o verso 3 diferencia os apóstolos dos irmãos), em Mateus 12:46-50 (onde os discípulos estão dentro da casa com Jesus e os irmãos de Jesus chegam do lado de fora achando que ele estava “fora de si”), em Atos 1:13-14 (onde os apóstolos e os discípulos são mencionados em grupos à parte) e em diversos outros textos que deitam por terra qualquer delírio romanista de que os irmãos de Jesus (Tiago, Simão e Judas) fossem os mesmos apóstolos com os mesmos nomes e “primos” do Mestre.

      Conclusão: se os autores bíblicos não acreditavam que os irmãos de Jesus eram irmãos mesmo mas apenas primos, eles fizeram de TUDO, TUDO, mas TUDO MESMO para passar essa impressão, quando precisavam apenas e tão-somente escrever UMA ÚNICA VEZ anepsios ou suggenes e acabar com qualquer possibilidade contrária. Engraçado, não é? Mas para ignorantes como você e seu mestre besta (Macabesta), isso é apenas “interpretação bem discutível da Bíblia” (risos).

      Sobre o “desafio” em si, em primeiro lugar você deturpou o “desafio” que ele fez, que foi sobre provar o terceiro Tiago com uma fonte DO PRIMEIRO SÉCULO. Isso porque provar com fontes patrísticas dos séculos seguintes é RIDICULAMENTE FÁCIL e o Bruno Lima já provou isso com dezenas de citações dos Pais da Igreja nessa série de artigos que calam a boca de todo e qualquer apologista católico mentiroso e embusteiro:

      http://respostascristas.blogspot.com.br/2016/05/a-virgindade-perpetua-de-maria-e.html

      http://respostascristas.blogspot.com.br/2016/05/a-virgindade-perpetua-de-maria-e_23.html

      Foi por isso que a Besta que você segue delimitou ao PRIMEIRO SÉCULO, já sabendo que nos séculos seguintes é refutado, mas o animal é tão burro que não sabe que de fontes patrísticas do PRIMEIRO século nós só temos a carta de Clemente aos Coríntios, a Didaquê, a carta de Policarpo e, talvez, a do Pastor de Hermas (se for situada em 95 d.C como fazem alguns estudiosos, e não em 150 d.C, como fazem outros), sendo que NENHUMA delas trata dos irmãos de Jesus, nem de Tiago, seja para confirmar uma tese ou outra. Ou seja, o animal é tão ignorante de patrística e história que pensa que os Pais da Igreja escreveram numerosos livros no primeiro século dizendo um monte de coisa sobre os irmãos de Jesus, quando escreveram pouquíssimas obras e nenhuma fala nada sobre essa questão, o que prova que o Besta é ou um completo ignorante (se pensava que os Pais que escreveram no primeiro século falavam alguma coisa disso) ou é um completo malandro descarado (se SABE que não falaram sobre isso e por isso mesmo faz o “desafio”).

      De um jeito ou de outro, eu volto com o mesmo desafio que o cretino fez:

      - ME PROVE COM UM ÚNICO DOCUMENTO COMPROVADAMENTE AUTÊNTICO DO PRIMEIRO SÉCULO QUE DIGA QUE TIAGO ERA UM PRIMO E NÃO IRMÃO DE JESUS.

      Excluir
    3. Não precisa de um monte de enrolação e devaneios, apenas cite UM documento que diga expressamente que os irmãos de Jesus eram primos (assim como existem tantos textos bíblicos dizendo que eram IRMÃOS).

      E até para facilitar o trabalho do picareta, eu vou colocar aqui onde encontrar esses livros em português, já que ele não deve ter lido nenhum e nem deve saber onde encontrar:

      http://arminianismo.com/index.php/categorias/obras/patristica

      Nem todos dessa lista são do século I, muitos são de até metade do segundo século, mas como eu sou bonzinho, vou abrir uma exceção e admitir também como válidos os documentos dessa lista que não são do primeiro século. Vamos ver se o cretino consegue, aguardarei aqui ansiosamente.

      E para terminar, você quer saber mesmo o porquê que o seu mestre Besta fez questão de dizer que só admitia um documento do primeiro século de um “cristão de verdade”? Porque ele sabe que seu ídolo Flávio Josefo, o historiador judeu do primeiro século do qual ele é fã quando se trata de provar os delírios preteristas, diz que Tiago era IRMÃO de Jesus em sua obra escrita em grego, e aqui não tem como contestar dizendo que “na verdade era um primo” porque Josefo usa o termo “primo” (anepsios) CENTENAS de vezes nas suas obras, inclusive na que fala de Tiago, mas quando faz menção ao Tiago irmão de Jesus usa adelphos (pra variar). Aqui tem todas as citações:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/01/mais-evidencias-do-terceiro-tiago.html

      Mas o cretino é tão sem-vergonha, mas tão sem-vergonha, que dá credibilidade histórica total a Josefo quando se trata do cerco de Jerusalém, mas o considera totalmente irrelevante quando se trata do grau de parentesco de Tiago, apenas e exclusivamente porque refuta as pretensões romanistas. Quer dizer: mesmo não sendo cristão, Josefo é válido como fonte histórica quando o que está em jogo é o preterismo dele, mas é totalmente nulo como fonte histórica quando o que está em jogo é o Tiago irmão de Jesus. É mesmo um canalha no pior sentido da palavra. Isso sem falar no ossuário de Tiago que já foi PROVADO VERDADEIRO EM TRIBUNAL, que esse sem-vergonha mente dizendo que eu tirei de um documentário fantasioso do History Channel para tentar invalidar o argumento.

      Apenas ressaltando: se você ou qualquer outro fã do Besta quiser postar novamente aqui qualquer coisa relacionada a isso, o comentário só será aceito se trouxer a PROVA DO PRIMEIRO SÉCULO DE QUE TIAGO ERA PRIMO DE JESUS, com algum documento patrístico daqueles que eu dei uma mãozinha mostrando onde podem ser encontrados. Se ninguém conseguir fazer isso, estará atestando que o “desafio” desse idiota era só pra chamar atenção de imbecis que não sabem nada de patrística e nem quantos e quais livros foram escritos no primeiro século, e que o Besta é tão cretino quanto sempre deixou transparecer.

      Excluir
    4. Lucas,já tinha visto este texto?

      http://solascriptura-tt.org/Cristologia/IrmaosDeJesusDeAcordoComCarne-AECosta.htm

      Excluir
    5. Ainda não tinha visto, vou dar uma olhada. Obrigado pela recomendação.

      Excluir
    6. Porque, na grega LXX, Abraão e Lot são adelphos (irmãos) e não tio/sobrinho? Não seria porque adelphos significa algo além de literais irmãos de sangue?

      Excluir
    7. Lucas, o texto usado contra falar palavrão é o da palavra torpe, mas teria algum problema falar só por diversão?

      Excluir
    8. Das 343 vezes em que o N.T usa o termo adelphós, ele apresenta dois sentidos para a palavra “irmão”: a de irmão legítimo (carnal) e o metafórico.
      Sentido metafórico: Neste sentido, enquadram-se todos os textos sobre os seguidores de Jesus (Mc 3.35), os cristãos da igreja (1Co 1.1), os judeus (Rm 9.3) e os seres humanos em geral (Hb 2.11,17). É obvio que as referências nos evangelhos e nas epístolas aos “irmãos” (filhos de Maria) de Jesus não se enquadram nesta categoria.
      Sentido literal: É justamente neste sentido que a palavra irmãos (no plural) é usada, em sua grande maioria, na Bíblia. Nenhum estudioso católico jamais traduziu esta palavra como primos ou irmãos espirituais. As Escrituras não deixam nenhuma dúvida quanto a esse assunto. Duvido que alguém leia os textos que seguem e consiga empregar o sentido de primo ou irmão espiritual onde aparece a palavra irmãos.

      Excluir
    9. "Porque, na grega LXX, Abraão e Lot são adelphos (irmãos) e não tio/sobrinho? Não seria porque adelphos significa algo além de literais irmãos de sangue?"

      Porque a LXX é apenas uma TRADUÇÃO, e não uma escrita original, interpretação ou cópia no mesmo idioma. Ou seja, quando os setenta liam a palavra "irmão", eles não se preocupavam em interpretar pelo contexto do livro se era irmão mesmo ou não, eles simplesmente vertiam por "irmão" e pronto. Isso é totalmente diferente de autores que já escreviam originalmente em grego (ou seja, que não estavam traduzindo nada, mas escrevendo por conta própria) e, tendo a ciência dos fatos sem precisar "interpretar" nada, podiam optar entre "adelphos" e "anepsios" (e até mesmo o "suggenes") à sua própria escolha e arbítrio, tornando totalmente sem sentido optarem por "irmão" quando é primo, ou vice-versa.

      "Lucas, o texto usado contra falar palavrão é o da palavra torpe, mas teria algum problema falar só por diversão?"

      A palavra torpe não deixa de ser torpe por ser num contexto de diversão, embora por não estar ofendendo ninguém ela tenha um peso evidentemente menor do que seria se estivesse sendo usada neste outro contexto.

      Excluir
    10. Agora quero ver qual será a resposta do Rodrigo(que é Ortodoxo).

      Excluir
    11. É uma forma bem especulativa de ver as coisas. A outra forma, tradicional e caucada em testemunhos da Patrística, é entender que os escritores do NT usavam a LXX a fartar, bem como os seus termos, por isso, por influência da LXX, também preferiram lançar mão de um sentido mais amplo para adelphos.

      Adelphos - Definition (Strong's Concordance): a brother, member of the same religious community, especially a fellow-Christian.

      biblehub.com/greek/80.htm

      Daí que dizer "olha, ele diz que Jesus era adelphos de Tiago" não significa nada em especial, porque o uso comum da palavra é muito amplo.

      É o que eu venho dizendo, não é? O que você chama de evidência interna, sem provas tradicionais, externas, é apenas a sua opinião, uma especulação qualquer.

      Excluir
    12. “É uma forma bem especulativa de ver as coisas”

      Mais especulativo do que ver a palavra “irmão” e especular que na verdade se trata de “primo”?

      “A outra forma, tradicional e caucada em testemunhos da Patrística, é entender que os escritores do NT usavam a LXX a fartar, bem como os seus termos, por isso, por influência da LXX, também preferiram lançar mão de um sentido mais amplo para adelphos”

      Se é assim, então por que Paulo usa anepsios em sua carta? Não existe primos na LXX, não é mesmo?

      “Adelphos - Definition (Strong's Concordance): a brother, member of the same religious community, especially a fellow-Christian. Daí que dizer "olha, ele diz que Jesus era adelphos de Tiago" não significa nada em especial, porque o uso comum da palavra é muito amplo”

      Não, o uso da palavra de acordo com o próprio léxico que você citou se restringe a dois: irmão (de carne) ou irmão “na fé” (o uso em sentido espiritual, como quando Paulo chama os cristãos de “irmãos”). Qualquer um com o mínimo de honestidade poderá constatar que no caso dos irmãos de Jesus não se trata desse uso espiritual de “irmão”, em textos como:

      “’Não é este o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, José, Judas e Simão? Não estão aqui conosco as suas irmãs?’ E ficavam escandalizados por causa dele” (Marcos 6:3)

      Os irmãos são mencionados em conjunto com o pai e a mãe, então não são “irmãos em Cristo”, mas irmãos DE Cristo mesmo.

      “Depois disso Jesus percorreu a Galileia, mantendo-se deliberadamente longe da Judéia, porque ali os judeus procuravam tirar-lhe a vida. Mas, ao se aproximar a festa judaica dos tabernáculos, os irmãos de Jesus lhe disseram: ‘Você deve sair daqui e ir para a Judéia, para que também os seus discípulos possam ver as obras que você faz. Ninguém que deseja ser reconhecido publicamente age em segredo. Visto que você está fazendo estas coisas, mostre-se ao mundo’. Pois nem os seus irmãos criam nele” (João 7:1-5)

      Aqui os irmãos são distinguidos dos discípulos (mas os discípulos também não eram “irmãos” no sentido espiritual mais amplo?), e ainda é dito que “não criam nele”, então não podiam ser irmãos no sentido espiritual de “member of the same religious community, especially a fellow-Christian”, mas sim um irmão carnal. É como o Rafael comentou com maestria aqui mesmo:

      “Das 343 vezes em que o N.T usa o termo adelphós, ele apresenta dois sentidos para a palavra “irmão”: a de irmão legítimo (carnal) e o metafórico. Sentido metafórico: Neste sentido, enquadram-se todos os textos sobre os seguidores de Jesus (Mc 3.35), os cristãos da igreja (1Co 1.1), os judeus (Rm 9.3) e os seres humanos em geral (Hb 2.11,17). É obvio que as referências nos evangelhos e nas epístolas aos “irmãos” (filhos de Maria) de Jesus não se enquadram nesta categoria. Sentido literal: É justamente neste sentido que a palavra irmãos (no plural) é usada, em sua grande maioria, na Bíblia. Nenhum estudioso católico jamais traduziu esta palavra como primos ou irmãos espirituais. As Escrituras não deixam nenhuma dúvida quanto a esse assunto. Duvido que alguém leia os textos que seguem e consiga empregar o sentido de primo ou irmão espiritual onde aparece a palavra irmãos”

      Excluir
    13. Primeiro, adelphos não se restringe só à irmandade de sangue ou de fé:

      ... "according to that use of language by which ἀδελφός LIKE the Hebrew אָח denotes ANY blood-relation or kinsman (Genesis 14:16; 1 Samuel 20:29; 2 Kings 10:13; 1 Chronicles 23:2, etc.)"... Ver no link que eu indiquei.

      Segundo, se você admite que os tradutores da LXX tomaram certas liberdades com relação à palavra adelphos, sendo que podiam ser mais exatos (coisa que os escritores do NT também fizeram, daí a irmandade de fé como adelphos) eu não entendo o que você quer objetar. Usar adelphos ou outra palavra para descrever uma relação parental é uma questão simples de liberdade literária. O que realmente importa é o que diz o contexto fornecido pela tradição. É o contexto, e não a suposta evidência interna, que determina o real significado do texto.

      Terceiro, eu não afirmei que os irmãos de Cristo são os Seus primos de primeiro grau. Eles são primos-tios, ou melhor, irmãos legais por parte de um tio adotivo. São José, tio-avô de Jesus, O adotou, implicando que Ele é legalmente o irmão de São Tiago e outros.

      Essa é a interpretação que eu adoto, que é a interpretação ortodoxa. Porém, como visto acima, mesmo que fossem primos de primeiro grau, o que não é verdade, adelphos seria adequado para descrever a relação parental.

      Excluir
    14. "É uma forma bem especulativa de ver as coisas. A outra forma, tradicional e caucada em testemunhos da Patrística, é entender que os escritores do NT usavam a LXX a fartar, bem como os seus termos, por isso, por influência da LXX, também preferiram lançar mão de um sentido mais amplo para adelphos."

      "É o que eu venho dizendo, não é? O que você chama de evidência interna, sem provas tradicionais, externas, é apenas a sua opinião, uma especulação qualquer."

      Até onde eu já li, a Igreja Ortodoxa acredita que esses eram irmãos de Jesus, por ser filho de José de um casamento anterior e não parentes num sentido amplo, como primos.

      Por que essas provas externas são contrárias as usadas pela igreja católica apostólica romana se são tão evidentes?

      Excluir
    15. A relação de Jesus com seus irmãos de sangue filhos de José e Maria é tão clara, mas tão clara, que não acreditar nisso é desvirtuar completamente a palavra "adelphos" de seu contexto e de seu significado. Somente fanáticos em defender a virgindade perpétua de Maria podem entender de outra maneira. O sentido é unívoco: Jesus é irmão de Judas, Tiago, José e Simão, além de outras irmãs não citadas na Bíblia. E isso não macula em nada a missão dada à Maria, porém destroça, acaba, joga no lixo a interpretação ortodoxa e romana sobre Maria. Só este fato já bastaria para que toda a religião católica passasse por mentirosa e incompatível com a palavra de Deus. Porém existem mais outros diversos pontos que demonstram que o catolicismo não é condizente com a palavra de Deus. Isso é caso encerrado.

      Excluir
    16. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    17. Rodrigo, o seu erro em interpretar o texto reside na graduação dos documentos que você faz. Quando se avalia qualquer coisa escrita, se deve partir, primeiramente, do documento original, ou de uma cópia válida. Logo, não é especulação você inferir do documento original qualquer informação. Aquele dado é o original. A confirmação externa apenas reforça a informação. E há informações externas que tanto apontam para que eles sejam irmãos de sangue como para o contrário, sendo que as obras mais próximas indicam que eles eram irmão de sangue, e as mais distantes (distantes em função do tempo), apontam o contrário. Engraçado, não? Será que isso não seria para reforçar uma mentira, no caso, a virgindade perpétua de Maria? Rodrigo, coloque os devidos pesos aos documentos, em busca da verdade, e você mesmo verá que a insistência em uma mentira tão flagrantemente aparente só te faz da verdade divina.

      Excluir
    18. Quero ver qual será a resposta do Rodrigo.Vamos ver de qual site ortodoxo ele irá extrair a resposta.

      Excluir
    19. Me desculpe caro Rodrigo, mas você está distorcendo completamente e descaradamente o que o léxico de Thayler diz. Para que não conste apenas o trecho isolado e tirado totalmente do contexto como você fez, segue o conteúdo completo e explicativo:

      1. a brother (whether born of the same two parents, or only of the same father or the same mother): Matthew 1:2; Matthew 4:18, and often. That 'the brethren of Jesus,' Matthew 12:46, 47 (but WH only in marginal reading); f; Mark 6:3 (in the last two passages also sisters); Luke 8:19; John 2:12; John 7:3; Acts 1:14; Galatians 1:19; 1 Corinthians 9:5, ARE NEITHER SONS OF JOSEPH BY A WIFE MARRIED BEFORE MARY (WHICH IS THE ACCOUNT IN THE APOCRYPHAL GOSPELS (cf. Thilo, Cod. Apocr. N. T. i. 362f)), NOR COUSINS, THE CHILDREN OF ALPHAEUS OR CLEOPHAS (I. E. CLOPAS) AND MARY A SISTER OF THE MOTHER OF JESUS (THE CURRENT OPINION AMONG THE DOCTORS OF THE CHURCH SINCE JEROME AND AUGUSTINE (cf. Lightfoot's Commentary on Galatians, diss. ii.)), according to that use of language by which ἀδελφός like the Hebrew אָח denotes any blood-relation or kinsman (Genesis 14:16; 1 Samuel 20:29; 2 Kings 10:13; 1 Chronicles 23:2, etc.), BUT OWN BROTHERS, BORN AFTER JESUS, is clear principally from Matthew 1:25 (only in R G); Luke 2:7 — where, had Mary borne no other children after Jesus, instead of υἱόν πρωτότοκον, the expression υἱόν μονογενῆ would have been used, as well as from Acts 1:14, cf. John 7:5, where the Lord's brethren are distinguished from the apostles. See further on this point under Ἰάκωβος, 3. (Cf. B. D. under the word ; Andrews, Life of our Lord, pp. 104-116; Bib. Sacr. for 1864, pp. 855-869; for 1869, pp. 745-758; Laurent, N. T. Studien, pp. 153-193; McClellan, note on Matthew 13:55.)

      Disponível em:

      http://biblehub.com/greek/80.htm

      Como está óbvio para qualquer um que entenda um mínimo de inglês, o léxico em questão NÃO está favorecendo a tese de que os irmãos de Jesus eram primos, AO CONTRÁRIO, estava citando aquela tese PARA REFUTÁ-LA, por isso mostra o argumento dos que pensam que os irmãos de Jesus eram filhos de José por outro casamento ou primos, não para corroborar este pensamento, mas PARA CONTRADIZER essas teses e confirmar que os irmãos de Jesus eram mesmo irmãos, nascidos depois dele. A parte que você seleciona NÃO corrobora com a tese de que adelphos significa “primos”, apenas mostra o argumento de Jerônimo e Agostinho de que o hebraico também pode significar isso, para REFUTAR essa tese em seguida com diversos textos bíblicos e etc. Quero crer que a distorção que você fez do léxico não foi de má-fé, até porque até hoje eu não tive razões para pensar assim. Vou considerar apenas um erro.

      No mais, eu nunca vi até hoje um léxico que traga “primos” como significado de “adelphos”, o que além de tudo seria ilógico e sem sentido, pois tornaria “anepsios” uma palavra inteiramente desnecessária no idioma grego. Seria como alguém usar “primo” hoje para um irmão ou “irmão” para um primo, em nosso idioma que também possui distinção nítida entre ambos, assim como o grego já possuía. Leia as obras de Josefo por exemplo, autor judeu que escreveu na mesma época do Novo Testamento e também em grego koiné, e veja como ele cita tantas vezes o termo “anepsios” (primo) e também “adelphos” (irmão), sempre distinguindo irmãos e primos, mesmo sendo influenciado pela LXX e mesmo sendo um judeu, por que raios que com o NT a coisa seria totalmente diferente? Ainda mais quando Paulo usa anepsios para Marcos (em relação a Barnabé) e adelphos para Tiago (em relação a Jesus).

      Excluir
    20. Rodrigo disse: "eu não afirmei que os irmãos de Cristo são os Seus primos de primeiro grau. Eles são primos-tios, ou melhor, irmãos legais por parte de um tio adotivo. São José, tio-avô de Jesus, O adotou, implicando que Ele é legalmente o irmão de São Tiago e outros."

      Resposta: A visão ortodoxa é que os irmãos de Jesus seriam filhos do relacionamento anterior de José. Você mente de forma descarada no seu comentário. E como o Lucas não permite que coloque sites, deixo o pensamento ortodoxo do site fatheralexander, que é sempre indicado por Padres ortodoxos para quem está iniciando(prova maior disso, foi quando fui buscar saber melhor sobre a fé ortodoxa, o Padre Roman, da Igreja Ortodoxa do Rio, me indicou esse site): "Os já bastante idosos Joaquim e Ana não viveram muito mais tempo e a Virgem Maria ficou órfã. Quando completou 14 anos, Ela não poderia mais continuar, pelas leis, a residir junto ao templo e era necessário que se casasse. O pároco principal, conhecendo o voto por Ela feito, para não o prejudicar, celebrou apenas pró-forma o Seu casamento com um parente distante, que enviuvara na casa dos 80 anos - um ancião de nome José. José comprometeu-se a cuidar Dela e a proteger a Sua condição de Virgem. José vivia em Nazaré. Ele também era descendente da família de David, mas era um homem sem posses e trabalhava como marceneiro. Do seu primeiro casamento José tivera os filhos Judas, Ócio, Simão e Jacób., os quais nas escrituras são denominados "irmãos" de Jesus. A Sagrada Virgem Maria, levava na casa de José a mesma vida modesta e disciplinada que levara antes no templo."

      De resto, A palavra “irmão”, no hebraico, pode significar primo, mas, mesmo neste caso, temos de tomar cuidado. Geralmente, quando a palavra “irmão” é empregada no sentido de parente próximo o contexto esclarece a questão (1Cr 23.21-22). Mas como o Rodrigo disse de forma errônea, os irmãos de Jesus pela visão ortodoxa, não seriam filhos adotivos de José,mas sim de um relacionamento com uma tal Melca ou Esca(salvo engano, defendidos por (Orígenes, Eusébio de Cesaréia, Epifânio, Ambrósio e outros). O problema é eles conseguirem desenvolver este raciocínio apresentando embasamento histórico.

      Excluir
    21. Thayler, embora tentasse refutar a história, citou uma tradição existente, por isso a minha menção dele. A tradição de um uso amplo para adelphos existe, esse é o ponto.

      Meu caro, a LXX cita anepsios e adelphos como intercambiáveis em Tobias 7:2 e 7:4. A Bíblia CNBB Versão Neo-Vulgata traduz ambos os versículos como irmãos.

      Excluir
    22. Gustavo,

      A questão é que o significado desses documentos, e não a origem deles, estão em disputa. Ele não são auto-evidentes. Daí que se recorre à tradição, que recebeu dos próprios escritores desses documentos, maiores detalhes para a sua adequada hermenêutica.

      Um exemplo é Filipenses 2:5-8. Se não fosse a tradição, uma conclusão possível e ridícula que se extrairia do texto, seria a de que Cristo deixou de ser Deus em algum momento.

      Excluir
    23. "Um exemplo é Filipenses 2:5-8. Se não fosse a tradição, uma conclusão possível e ridícula que se extrairia do texto, seria a de que Cristo deixou de ser Deus em algum momento."

      As igrejas copta (Egito) e nestoriana (que se desenvolveu no oriente médio e índia) acreditam supostamente na mesma tradição católica e ortodoxa, mas discordam das naturezas divina e humana de Jesus.

      Muitos católicos acreditam que o cristianismo é uma religião ocidental e se limita apenas a católicos e protestantes.

      O pensamento deles é esse: Até o seculo 15, somente existia a igreja católica que se desenvolveu principalmente na Europa. Depois dessa data, os protestantes quiseram mudar toda a história do cristianismo e dizer que estava tudo errado durante todo esse tempo, ignorando grupos discordantes antes desse tempo, como por exemplo, os ortodoxos.

      Os ortodoxos acreditam que existiu uma unica religião com suas tradições e doutrinas até o século 11, quando houve o cisma. Até então era uma religião una, ignorando a existência de outros grupos antes disso.

      Os ortodoxos nesse caso caem no mesmo erro dos católicos. A igreja ortodoxa teve seu desenvolvimento no mundo bizantino ignorando que o cristianismo se desenvolveu também fora dessas fronteiras.

      Excluir
    24. "Thayler, embora tentasse refutar a história, citou uma tradição existente, por isso a minha menção dele. A tradição de um uso amplo para adelphos existe, esse é o ponto"

      Não, ele citou essa tese para REFUTÁ-LA, para contradizê-la, e não para confirmar o ponto. Usar Thayler para contrariar o que Thayler disse é incoerência total.

      "Meu caro, a LXX cita anepsios e adelphos como intercambiáveis em Tobias 7:2 e 7:4. A Bíblia CNBB Versão Neo-Vulgata traduz ambos os versículos como irmãos"

      Eu já respondi sobre a LXX anteriormente. Ela não é uma escrita original, é apenas uma transcrição para outro idioma, nada a mais do que isso. E uma transcrição falível, com erros humanos naturais de qualquer tradução. Compare com o NT ou com os escritos de Josefo por exemplo, que sempre diferencia adelphos e anepsios:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/01/mais-evidencias-do-terceiro-tiago.html

      Excluir
    25. Fantastico!

      Lucas Banzoli, disse:


      “Depois disso Jesus percorreu a Galileia, mantendo-se deliberadamente longe da Judéia, porque ali os judeus procuravam tirar-lhe a vida. Mas, ao se aproximar a festa judaica dos tabernáculos, os irmãos de Jesus lhe disseram: ‘Você deve sair daqui e ir para a Judéia, para que também os seus discípulos possam ver as obras que você faz. Ninguém que deseja ser reconhecido publicamente age em segredo. Visto que você está fazendo estas coisas, mostre-se ao mundo’. Pois nem os seus irmãos criam nele” (João 7:1-5)

      Aqui os irmãos são distinguidos dos discípulos (mas os discípulos também não eram “irmãos” no sentido espiritual mais amplo?), e ainda é dito que “não criam nele”, então não podiam ser irmãos no sentido espiritual ...".

      Das 343 vezes em que o N.T usa o termo adelphós, ele apresenta dois sentidos para a palavra “irmão”: a de irmão legítimo (carnal) e o metafórico.

      Sentido metafórico: Neste sentido, enquadram-se todos os textos sobre os seguidores de Jesus (Mc 3.35), os cristãos da igreja (1Co 1.1), os judeus (Rm 9.3) e os seres humanos em geral (Hb 2.11,17). É obvio que as referências nos evangelhos e nas epístolas aos “irmãos” (filhos de Maria) de Jesus não se enquadram nesta categoria. Sentido literal: É justamente neste sentido que a palavra irmãos (no plural) é usada, em sua grande maioria, na Bíblia. Nenhum estudioso católico jamais traduziu esta palavra como primos ou irmãos espirituais. As Escrituras não deixam nenhuma dúvida quanto a esse assunto. Duvido que alguém leia os textos que seguem e consiga empregar o sentido de primo ou irmão espiritual onde aparece a palavra irmãos”

      Excluir
    26. Sr Rodrigo, Jesus faz referência aos seus irmãos mesmo quando disse que haviam incrédulos na SUA FAMÍLIA:

      "Então Jesus lhes dizia: Um profeta não fica sem honra senão na sua terra, entre os seus parentes, e na sua própria casa", Marcos:6:4.

      Quem eram os incrédulos NA SUA PRÓPRIA CASA?

      "Pois nem seus irmãos criam nele".
      João:7:5

      Rodrigo, numa ocasião Jesus estava expulsando demônios e a multidão estava ao redor.

      Enquanto isso, em outro lugar, "Quando os seus (familiares) ouviram isso, saíram para o prender; porque diziam: Ele está fora de si", Marcos:3:21.

      O verso 31 mostra quem são esses: "Chegaram então sua mãe e seus irmãos e, ficando da parte de fora, mandaram chamá-lo".

      O termo, "os seus", em grego é "par autou", que significa, "os pertencentes a ele", os da mesma família.

      A Aramaic Bible in Plain English traduziu assim:

      "And his relatives heard and they went out to take hold of him, for they were saying, “He has gone out of his mind".

      Veja aqui o significado de "Par Autou"

      http://biblehub.com/text/mark/3-21.htm

      Vocês perderam!

      Excluir
    27. Outra coisa: Irmaos na fé fala de pessoas nascidas de novo, novas criaturas, filhos de um mesmo pai.

      Quando a referência é aos Irmãos de Jesus fala de incrédulos! Eles não eram adelfos na fé, mas em carne, filhos de uma mesma mãe.

      Excluir
  4. kkkkk Lucas Banzoli ,quem seria o historiador Daniel Gols?Será que ele consegue fazer mais gols que o Henrique Dourado atacante do meu Fluzão e artilheiro do Brasileirão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito mais gols, porque além de ser um grande artilheiro ele também refuta todos os meus textos, então é um mito. Messi e Cristiano Ronaldo que se preparem: Daniel Gols está na área (literalmente).

      Excluir
  5. Eu descobri a direita através do facebook. Eu sei, é ridículo, mas eu estudei em escolas públicas onde o marxismo era colocado em prática todos os dias, então, não havia estudado absolutamente nada que fosse a favor da liberdade econômica e conservadoreismo. Meu primeiro contato com a direita foi através de certas páginas do facebook e de youtubers brasileiros que eu seguia e, como eram católicos romanos, eu quase fui tragada. Obrigada, Lucas , por não me deixar ser doutrinada novamente rs. Estou a procura de fontes confiáveis, procurando ler mais sobre a história da igreja, sobre o protestantismo. Eu tenho um pouco de medo dessa direita brasileira. Usam John Lennox e William Lane Craig mas, ao mesmo tempo, anseiam por novas cruzadas, celebram o assassinato de hereges - eu posso não concordar com as heresias, mas Cristo não ordenou que queimássemos os hereges - e, comecei a perceber que, os mesmos católicos que afirmam nunca ter existido uma santa inquisição, são os que dizem que ela deveria existir hoje...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente essa nova direita que surgiu aqui no Brasil é, em grande parte, uma direita olavete extremista e fanática católica, que divulga todas as lorotas e devaneios anti-históricos como por exemplo que o protestantismo leva ao comunismo e ao ateísmo, que o catolicismo é o "baluarte" do conservadorismo no Brasil e no mundo, que o mundo era fabuloso na época em que a Igreja Romana controlava tudo (Idade Média), dentre diversos outros mitos revisionistas pífios que só enganam gente ignorante que nunca estudou na vida e que só fazem sucesso em terra de gente com pouca cultura como aqui no Brasil. Eu já cansei de refutar esses devaneios em montões de artigos neste blog, e estou desenvolvendo um livro sobre o tema, que será lançado no dia do aniversário da Reforma (se eu conseguir a tempo).

      Enfim, é bom ser de direita, mas de uma direita inteligente e racional como a americana, e não dessa direita chula, burra, fanática e ignorante como boa parte (embora não toda) que temos aqui no Brasil. Infelizmente, o que acontece com muitos é que se libertam da prisão do marxismo, para então cair em outra prisão tão lastimável quanto, que é a do revisionismo católico romano. Citam Lennox e Craig apenas quando é para refutar ateus (já que não tem católicos decentes que façam isso), mas creem do fundo do coração que são hereges filhos da serpente que já estão condenados ao inferno porque fora da Igreja Romana não há salvação. Infelizmente, são eles que já se perderam com essa visão de mundo tosca, degenerada e preconceituosa.

      Abs!

      Excluir
    2. Olá Lucas. Não sou católico, apenas uma observação. Vi um bispo católico dizer, citando documentos do concílio Vaticano II, "os atos de cultos de nossos irmãos separados (protestantes, anglicanos, ortodoxos, coptas) são canais de graça e podem conduzir a salvação, (...) essas ações podem realmente produzir a vida da graça e devem ser mesmo tidas como aptas para abrir porta, comunhão, salvação. Portanto, o Espirito do Ressuscitado serve-se também dessas comunidades separadas da igreja católica." Ou seja, no entender da ICAR, existe salvação fora da igreja católica sim. Essa desavença fica mais na periferia da fé, pessoas despreparadas pra defender a fé que possuem, "apologistas" que não leem nem documentos de sua própria igreja. obrigado amigo.

      Excluir
    3. Essa é mais uma contradição do catolicismo romano, e é por isso que os tradicionalistas odeiam tanto o CVII, porque ele mudou a visão da Igreja quanto às pessoas de outras religiões. Isso daí eu já denunciei nestes artigos, cuja leitura eu recomendo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/12/afinal-ha-salvacao-fora-da-igreja.html

      E também de forma mais breve aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/12/catecismo-catolico-refuta-apologetica.html

      Compare o que é dito aí no CVII, com o que é dito na bula Unam Sanctam (1302):

      "Por isso, declaramos, dizemos, definimos e pronunciamos que é absolutamente necessário à salvação de toda criatura humana estar sujeita ao romano pontífice"

      Para conferir em seu contexto:

      http://www.montfort.org.br/bra/documentos/decretos/unamsanctam/

      Como se não bastasse ele dizer que a submissão ao pontífice romano é ABSOLUTAMENTE NECESSÁRIA para a salvação, ainda usa como exemplo os ortodoxos orientais, como não sendo salvos por não se submeterem ao papa. Isso foi escrito antes da Reforma, mas se essa era a visão que tinham até dos ortodoxos (muito mais próximos da doutrina romana do que os protestantes), imagine dos protestantes. As outras citações que eu ponho no primeiro artigo provam que essa também era a visão que tinham sobre o protestantismo, depois que ele surgiu.

      Ou seja: a Igreja Romana é um mar de contradições, e na prática os católicos podem escolher livremente se seguem os papas antigos e fecham as portas da salvação aos protestantes, ou se seguem os modernos e abrem as portas.

      Abs.

      Excluir
  6. Até nas igrejas ortodoxos tem divergências
    http://aenergeia.blogspot.com.br/2017/07/a-igreja-ortodoxa-e-os-nao.html

    ResponderExcluir
  7. Lucas, eu tenho notado que você mudou de opinião em relação a certas figuras católicas como o Emerson Oliveira (do logos apologética) e do Olavo de Carvalho. Eu já li em seus artigos mais antigos e no seu livro "Deus é um delírio" em que você chama o Olavo de "professor" e, além disso, nesse mesmo livro citado acima, você indica o site do Emerson como uma fonte apologética contra o ateísmo. Por que você mudou de opinião em relação a essas figuras? Penso que, apesar de toda a propaganda de desinformação católica, tanto o Emerson como Olavo tem a contribuído no debate contra os ateus e esquerdistas. Penso que devemos separar o que há de bom neles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre o Olavo de Carvalho, eu já expliquei ontem ao responder a este outro comentário:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/06/o-dia-em-que-o-papa-se-aliou-aos.html?showComment=1498977493908#c3880623932442115238

      Sobre o Emerson de Oliveira, é um caso relativamente parecido, com a diferença de ser covarde além de desonesto. Você pode notar que este é o primeiro artigo em que eu falo dele, mas eu tenho dezenas de prints que o pessoal envia pra mim dele me xingando pelas costas, divulgando páginas lixo que me caluniam e fazendo tudo aquilo que é típico dessa raça de apologistas católicos desonestos. Um cara que ataca covardemente pelas costas sem nunca ter tomado coragem de escrever algum artigo diretamente contra mim (em vez disso fica mandando os outros escreverem, como o tal do Rogério) é pior do que os outros que eu citei aqui. Eu nunca achei o Logos bom, apenas o incluía na lista de links recomendados porque poderia servir de introdução ao assunto a um leigo em ateísmo, mas até hoje tem leitores dele que vem tirar suas dúvidas comigo já que a apologética dele é fraca, e neste ponto eu nunca pensei diferente (diferentemente do Olavo, que sempre mostrou ser inteligente, embora esteja usando a inteligência dele para o mal nos últimos anos).

      Além disso, o cara passou a defender atrocidades morais como a Inquisição, e pior, atacando os protestantes com a criação de uma fabulosa e fantasiosa “Inquisição protestante”, e pior ainda, dizendo que matou mais que a católica(!), ou seja, é a desonestidade em pessoa. Ele é aquele tipo de apologista católico que para refutar ateu e ao mesmo tempo defender a ICAR faz de tudo, até defender as atrocidades morais da Igreja, o que só dá mais munição aos ateus e nos iguala a eles. É como se as atrocidades morais do lado cristão (e estou usando o termo “cristão” aqui apenas em termos técnicos, porque não considero o catolicismo romano um tipo de Cristianismo autêntico) estivessem valendo, mas as do lado contrário não.

      Ou seja, ele não é contra o assassinato e perseguição ideológica de seres humanos por razões morais, mas apenas quando os perseguidos estão do lado dele. Isso é desonesto e imundo. No fundo, ele está confirmando que as atrocidades cometidas pelos ateus estariam certas, se eles fossem católicos em vez de ateus. Não é a atrocidade moral que é má “per se”; apenas se torna má dependendo do lado para o qual é direcionada. Essa tática eu já refutei em artigos bem antigos, e se eu não me engano, também falei sobre isso no “Deus, um Delírio?”, embora não imaginasse na época que esse Emerson chegaria a tanto.

      Pra mim o cristão que defende abominações morais como a Inquisição é tão baixo quanto um ateu que defende as abominações morais ateístas, e faz um enorme desserviço à apologética cristã, transmitindo a imagem de que o Cristianismo legitima as atrocidades que forem feitas contra “hereges”, em vez de passar a imagem correta de uma religião de paz e tolerância. Mas fazer o que, essa é apenas a consequência lógica de se defender a Igreja Romana medieval como cristã de fato, como ele crê para salvar a pele da Igreja que segue. Os ateus usam de desonestidade para refutar os cristãos, e eles usam de desonestidade para refutar ateus, é um pior que o outro.

      Excluir
  8. Lucas, tudo isso é desespero romanista e muitos de boca tão suja e com muita raiva, no qual eles se esqueceram que o 'CASTELO DE AREIA' dos católicos desmoronou de vez, ou seja, sua hegemonia foi quebrada pra sempre e definitiva...por que onde existem protestantes em ascensão eles se sentem no seu íntimo derrotados sim, eles dizem não por serem hipócritas.só sabem mentir abertamente e muitas das vezes de forma que até nos surpreende como por exemplo que Lutero se suicidou, queria ser papa, que era beberrão,adúltero e etc...é muita mediocridade desses apologistas de meia tigela.os católicos líderes se esquecem que a MONARQUIA ACABOU,eu acho que estão achando que ainda é IDADE MÉDIA.Tenho pena e compaixão desses católicos envenenados pela SERPENTE que induziu a Eva ao erro.Temos que orar , evangelizar e combater as heresias demoníacas dos romanos intensamente para que o ESPÍRITO SANTO convença dos erros.Fica com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. A hegemonia deles em números absolutos já acabou faz tempo, desde a década de 90 quando houve o "boom" evangélico, as últimas pesquisas mostram apenas 50% de católicos e que o protestantismo já terá superado o catolicismo até 2040. Mas no campo apologético eles ainda tinham a hegemonia nos primeiros anos de internet e das redes sociais, quando ainda não havia quase nenhum site apologético protestante decente refutando os erros do catolicismo romano, e já haviam milhares de apologistas católicos dominando a apologética em português. Naquela época eles pintavam e bordavam, e não tinha ninguém pra rebater as demências ditas e propagadas aos montões. Já faz alguns anos que a festa acabou, principalmente depois que surgiram os blogs do Hugo, do Bruno, do Alon, do Elisson e os meus. Hoje, eles já não têm mais a hegemonia nem no campo apologético que era a última resistência deles; a onda de conversão ao catolicismo pela via apologética foi superada há tempos e é mais comum um católico que estuda apologética se tornar protestante do que o contrário, mesmo existindo milhares de sites e apologistas católicos a mais do que evangélicos, numa proporção esmagadora. E a tendência evidente é de só ir piorando cada vez mais pro lado deles. É por isso que eles estão tão desesperados. O tempo deles acabou, e eles tem consciência disso.

      Excluir
  9. Ei Lucas quando os catoleigos começaram a falar que o protestantismo gerou o comunismo aí você fala " Sim , Claro ! Herman dooyeweerd , Kuper , Gary North, Adam Smith ( Sim ele era Calvinista !) Todos eles eram um bando de comunistas !"

    ResponderExcluir
  10. Faltei falar também do Francis Schefer e do T.S Eliot e do C S lewis todos comunistas !

    ResponderExcluir
  11. Lucas, o que vc tem a dizer sobre o Historiador Jacques Le Golf

    Os católicos ficam usando ele como fonte para dizer que na Idade Média foium " período de luz"
    Esta certo isso ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mais um caso crônico dos que eu cito aqui no artigo, ESSES CARAS NÃO LEEM NENHUMA DAS FONTES QUE CITAM. Eu já li vários livros desse autor e posso garantir que ele não defende nada das aberrações que os católicos defendem em relação à Idade Média. Simplesmente dizer que a Idade Média não foi uma época de "trevas" em relação à Idade Antiga não significa que ele esteja dizendo que foi uma maravilha, isso até eu afirmo em meus artigos. Se os católicos lessem Le Goff, eles:

      a) Nunca mais defenderiam as Cruzadas.

      b) Nunca mais diriam que a Igreja Romana não foi contra o capitalismo.

      c) Nunca mais defenderiam a Inquisição.

      d) Nunca mais defenderiam o purgatório como tendo sido uma criação apostólica primitiva.

      e) Nunca mais diriam que o protestantismo não impulsionou o capitalismo e gerou prosperidade por onde se instalou.

      f) Nunca mais diriam que "a Igreja Católica construiu a civilização ocidental".

      g) Nunca mais diriam que o ocidente católico era mais desenvolvido que o oriente árabe e bizantino.

      h) Se bobiar, não seriam nem católicos mais (ou pelo menos não católicos fanáticos e militantes, com certeza).

      Excluir
  12. Ai Lucas, bem que vc poderia fazer um grande artigo sobre como o protestantismo ajudou a ciencia

    Eu pesquisei livros e artigos para te ajudar

    Livro:
    Ciência e Religião- Peter Harrison ( historiador da ciência)

    a biblia , o protestantismo e a ciencias naturais - Peter Harrison ( acho que so tem em inglês esse)


    Tem artigos em pdf , vc vai no google pesquisa:

    A ciência e a reforma protestante , Robeert Hooykaas

    A ética puritana, a educação, a ciência e a tecnologia na Inglaterra no séc 17

    E tem mais esse :

    http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742011000300012

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelas recomendações. Na verdade esse é um dos capítulos de um livro que pretendo que esteja pronto até o aniversário de 500 anos da Reforma (em 31 de outubro), talvez o capítulo mais importante. Já tenho bastante material reunido e pretendo continuar lendo sobre o tema até setembro, para em outubro colocar no papel tudo o que foi pesquisado. Qualquer nova sugestão até lá é sempre bem-vinda. Abs!

      Excluir
  13. Lucas, na minha opinião, a desavença Banzoli x "apologistas" católicos é improdutiva e só serve pra dar munição ao inimigo (diabo), pois você acaba se nivelando a essas pessoas que de cristão nada tem. São pessoas que Paulo chama de inimigos da cruz de Cristo cujo deus é o ventre. No meu entender, a postura cristã é não revidar, não dar aos cães o que é santo. Obrigado amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respeito a sua opinião, mas Jesus desmascarou gente assim chamando-as de víboras, serpentes, sepulcros caiados e filhos do demônio sem "se nivelar" a elas; Paulo lançou maldições e disse até que preferia que se castrassem, sem estar se rebaixando ao nível delas; e Pedro e Judas falaram mais um monte de coisas semelhantes sem ser um "revide" neste sentido que você coloca. Às vezes é necessário desmascarar as fraudes deles e até eles próprios, não com a finalidade de destrui-los (porque disso a natureza já se encarrega), mas sim para alertar os demais e fazer com que as pessoas abram os olhos para esse tipo de fraude e estejam vacinadas para as artimanhas deles, os truques usados pelo maligno.

      Excluir
    2. Lucas, concordo, mas sem querer criar polêmica, é triste ver pessoas inteligentes como você "pegar corda" com gente desse nível. Em outras palavras, um jovem com seu talento é muito mais produtivo discorrendo temas importantes da fé cristã. Obrigado amigo

      Excluir
    3. Concordo com você, por mim eu só escreveria artigos com temáticas importantes, mas sou obrigado a escrever artigos mais pessoais às vezes, principalmente quando sou difamado (e pela quantidade de ataques que recebo, acho que eu me defendo pouco...). Amanhã mesmo terei que escrever um artigo refutando mais difamações recebidas, mas garanto que será o último deste tipo neste blog.

      Excluir
  14. Lucas e qual sua opinião sobre a Igreja Ortodoxa?E a Igreja Anglicana?Você citou a Igreja Anglicana no post sobre o rei Henrique VIII,que fundou essa igreja,mas não rompeu com as doutrinas de Roma,o que só foi feito pelo seu filho Eduardo VI,mas pelo que eu li não me parece que eles sejam tão protestantes assim,visto que acreditam em santos http://super.abril.com.br/cultura/igreja-anglicana-do-comeco-ao-fim/ ,apesar de não cultuarem imagens,no entanto não tenho certeza se eles rezam e olham os santos como capazes de realizar milagres como católicos,e outra cosa ruim da Igreja Anglicana é o fato de ordenarem bispos e casarem homossexuais,caíram no liberalismo teológico http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/09/bispo-da-igreja-anglicana-inglesa-revela-que-e-homossexual.html e sobre as igrejas ortodoxas,me parece que a única diferença teológica é o padre poder casar,visto que não reformaram as doutrinas,só se separaram de Roma por questões políticas,mas me parece que como só são influentes no Oriente Médio e lá ainda são perseguidos pelos extremistas islâmicos,na Rússia, na Grécia e em alguns países do Leste Europeu,que não possuem tanta visibilidade e número de habitantes como o Ocidente católico me parecem um mal menor que o catolicismo romano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Lucas tem um texto que mostra a diferença entre a Igreja Ortodoxa da Protestante;

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/09/semelhancas-e-diferencas-entre.html?m=1

      Sobre as Igrejas Anglicanas, existe no Brasil uma que é alinhada as Igrejas Reformadas.Segue o site dela:

      http://igrejaanglicana.com.br/bispo-anglicano/

      PS: Há várias diferenças entre a Igreja Ortodoxa da Icar:
      http://antonioeca.blogspot.com.br/2007/07/as-diferenas-entre-igreja-ortodoxa-e.html?m=0

      PS2:A Igreja Ortodoxa é muito forte na Rússia.Cerca de 75% da população russa é Ortodoxa. No Brasil existem grupos que seguem a Quarta Teoria Politica(Ex:Nova Resistência;Avante),que foi criada justamente por um Ortodoxo chamado Dugin. Dizem que ele influencia até hoje o governo do Putin.

      Excluir
    2. O liberalismo teológico e ordenação homossexual da Igreja Anglicana é coisa bem recente na história deles, mas não são todas as igrejas anglicanas que permitem essa ordenação. E sobre os "santos", o conceito deles é muito diferente do catolicismo, consistindo mais em um ato simbólico do que em algo efetivo, uma vez que não se presta culto a eles e nem os consideram mediadores entre nós e Deus. Sobre a Igreja Ortodoxa, eles têm várias divergências doutrinárias com a Igreja Romana além da questão do casamento dos padres, você pode ver algumas delas neste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/09/semelhancas-e-diferencas-entre.html

      E concordo com você; levando em consideração o maior número de católicos romanos do que ortodoxos no Brasil (de forma esmagadora), além do maior número de heresias e de maior gravidade, a Igreja Romana é um mal muito maior a ser combatido.

      Abs!

      Excluir
    3. Lucas, gostaria de acrescentar que existem igrejas ortodoxas que mantêm comunhão com ICAR, reconhecendo sua primazia.

      Excluir
    4. A Igreja Ortodoxa no Brasil não representa nem 2%. Ainda é irrelevante por aqui. Mas no Oriente,principalmente na Rússia, ela cresce a cada dia. Só em Moscou, é previsto a construção de mais de 200 templos ortodoxos.

      Excluir
  15. artigo esclarecedor e que mostra com argumentos demonstráveis a palhaçada dos argumentos católicos, o fakenando é embusteiro isso se percebe claramente, ele em sua desonestidade intelectual se mostra apenas um mestre mesmo do ctrl+v e ctrl+c, esse cara já pegou tanta surra dos apologistas cristãos não romanistas, mas nunca aprende. excelente artigo Lucas, parabéns.

    ResponderExcluir
  16. Lucas, como parar de falar palavrão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só orando mesmo, como qualquer outro pecado.

      Excluir
  17. Você aceitaria um debate, por escrito, com Olavo de Carvalho?
    Caso não, por que não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, embora eu nunca tenha visto ele debater por escrito com um protestante, ele sabe que as mentiras dele seriam facilmente desmascaradas em qualquer debate com um evangélico esclarecido. Tanto é que se recusou a debater com o Vitor Barreto, que desmascarou alguns embustes dele nestes artigos:

      http://bereianos.blogspot.com.br/2015/09/a-genese-da-revolucao-civil-uma.html

      http://bereianos.blogspot.com.br/2015/10/a-genese-da-revolucao-civil-uma.html

      Aliás, me recordo que no meu artigo sobre a Igreja Católica contra o capitalismo, ele foi o primeiro a comentar, dizendo que talvez faria um artigo "me refutando", mas até hoje nada:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/04/a-igreja-catolica-contra-o-capitalismo.html

      Excluir
  18. Amigo Lucas eu que macabesta postou algo no blog dele sobre Tiago, e ainda fez um desafio ao amigo. Já viu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A resposta dele só comprova tudo aquilo que eu escrevi neste artigo: ele é REALMENTE um ignorante sem cultura, que nunca leu um livro na vida, e que forma toda a sua concepção de mundo baseado em blogs católicos tão medíocres quanto o dele. Eu vou repetir o desafio que eu fiz:

      - Me prove com um único documento COMPROVADAMENTE AUTÊNTICO do primeiro século que diga que Tiago era um primo e não irmão de Jesus.

      Eu pedi um documento COMPROVADAMENTE AUTÊNTICO, justamente porque sabia que esse texto que ele iria copiar do Veritatis trata-se de um texto duvidoso com ampla evidência de falsificação e nenhuma prova concreta de autenticidade. O ignorante sem cultura mordeu a isca direitinho.

      O burrão ainda sublinhou a parte que aponta a Clemente de Alexandria em sua obra “O Pedagogo” como sendo a suposta fonte de origem da citação em questão, porque burrão que é, nunca se deu ao trabalho de ler a obra de Clemente, senão saberia que este NUNCA falou nem de Papias e nem de Maria na obra supracitada. Confira a obra de Clemente e veja se ele cita esse suposto fragmento de Papias:

      http://www.newadvent.org/fathers/02091.htm

      http://www.newadvent.org/fathers/02092.htm

      http://www.newadvent.org/fathers/02093.htm

      O Veritatis comete a gafe, e qual besta morde a isca? O Macabesta, é claro!

      Além disso, o fragmento de Papias em questão é dado como falso por especialistas em patrística como B. F. Westcott, esse sim um grande estudioso, e não um palpiteiro malandro e vagabundo como Cris Macabesta, que nunca leu e nem estudou porcaria nenhuma em toda a vida. E a posição de Westcott é seguida também por muitos outros estudiosos patrísticos, como J. B. Lightfoot, que também aponta a fraude.

      Esse suposto fragmento de Papias não foi preservado por Clemente, como esse vagabundo afirma seguindo a mentira do Veritatis, e nem por qualquer outro Pai da Igreja. Em vez disso, trata-se de um manuscrito medieval tardio cuja margem indica “Papias”, sem trazer qualquer evidência de autenticidade, MAIS DE MIL ANOS DEPOIS DE PAPIAS. E como se não bastasse, essa citação não é do Papias de Hierápolis (do século I), mas sim de outro Papias, o Papias de Lombardia, do século XI, autor do autor do “Elementarium Doctrinae Erudimentum”, um léxico latino medieval:

      http://www.textexcavation.com/papias.html

      Excluir
    2. Portanto, trata-se de um extrato manifestamente falso, além de falsamente atribuído ao Papias do século I, que o cretino e embusteiro pensa que foi escrito no primeiro século e citado por Clemente de Alexandria porque não passa de um tratante sem-vergonha e obsceno que nunca prezou por conferir a veracidade das fontes que usa (ou melhor, que copia descaradamente de blogs católicos tão chulos como o dele), e por essa razão comete tantas e tantas fraudes, gafes e micos que já foram desmascarados aqui.

      No mais, essa cobra tenta sorrateiramente passar a ideia de que os irmãos de Jesus eram apenas irmãos em sentido espiritual de “irmãos em Cristo”, o mesmo no qual são mencionados os “quinhentos irmãos”, o que só prova o quanto esse descarado é mesmo um pilantra no pior sentido do termo. Qualquer um que leia os evangelhos consegue perceber que os irmãos de Jesus NÃO são citados como irmãos neste sentido espiritual, mas sim no sentido carnal, mencionados junto com sua mãe Maria e seu pai José (Mc 6:3), e muitas vezes à parte dos apóstolos (At 1:14).

      O que dizer então de uma serpente como ele? Simplesmente que é o retrato de uma apologética católica falida e fracassada, desesperada por já terem perdido a hegemonia até no campo apologético mesmo tendo milhões de sites a mais, desesperada porque o Brasil é cada vez mais evangélico e menos católico, desesperada porque este ministério aqui está tirando cada vez mais pessoas da cegueira e das trevas do catolicismo romano, que percebem cada dia mais as fraudes de cretinos como o Macabesta, obsceno e ignorante ao ponto de citar qualquer trecho que conste em um blog católico em português como já sendo a priori “comprovadamente autêntico” sem sequer pesquisar a respeito. Esse lixo é a expressão da mediocridade da apologética católica que eu provei neste artigo, e graças a Deus o povo está acordando e percebendo essas picaretagens de vagabundos como ele.

      Excluir
  19. Vc poderia falar sobre como os protestantes foram perseguidos aqui no Brasil, e como foi a inquisição no Brasil

    Eu vejo muitos católicos falando que os protestantes holandeses perseguiram católicos aqui no Brasil , é verdade ?????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem alguns livros escritos sobre a Inquisição no Brasil, o meu trata da Inquisição de uma forma mais ampla. Eu recomendo esses livros de Anita Novinsky, a maior estudiosa sobre a Inquisição brasileira:

      NOVINSKY, Anita. Inquisição: Prisioneiros do Brasil - Séculos XVI-XIX. Rio de Janeiro, Expressão e Cultura, 2002.

      NOVINSKY, Anita Waingort. Gabinete de Investigação: uma “caça aos judeus” sem precedentes. São Paulo: Humanitas Editorial/Fapesp, 2007.

      Sobre os holandeses perseguirem os católicos no Brasil, é pura lorota. Os holandeses eram minoria, como iriam perseguir a maioria? É totalmente nonsense. Além disso, é fato histórico que os holandeses eram os mais tolerantes da época, tão tolerantes que permitiam que os judeus convivessem ali tranquilamente (longe das perseguições da Inquisição) e que ainda se convertessem ao judaísmo:

      “Com a permanência holandesa em Pernambuco, há inúmeros relatos de cristãos-novos que já viviam na capitania e que retornaram ao judaísmo. Também cristãos-velhos se converteram, como é o caso de Francisco de Faria, morador de Olinda, que se ‘fez judeu para casar-se com uma judia’, e sendo do exército pernambucano passou para o lado holandês” (DORO, Norma Marinovic. Recife: Morada de Hereges. In: Ensaios sobre a intolerância: inquisição, marranismo e anti-semitismo (ed. GORENSTEIN, Lina; CARNEIRO, Maria Luiza Tucci), 2ª ed. São Paulo: Associação Editorial Humanitas, 2005, p. 193)

      Mais citações da tolerância holandesa por diversos historiadores:

      “Portugal perdeu muito com a sistemática intolerância em relação aos judeus, pois muitos migraram para a Holanda, dada a tolerância calvinista, e para lá levaram o seu trabalho e o seu capital” (LOPEZ, Luiz Roberto. História da Inquisição. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1993, p. 129)

      “O espírito holandês, no começo do século XVII, era muito tolerante, e a prova está em que quase todos os grandes livros que revolucionaram o pensamento foram primeiro impressos na Holanda” (CLARK, Kenneth. Civilização. São Paulo: Martins Fontes, 1980, p. 215)

      "Os mouros e os judeus, saídos dos países submetidos à Espanha, refugiaram-se nos Países Baixos, Roterdã e Amsterdã" (CANTÚ, Cesare. História Universal – Vigésimo Segundo Volume. São Paulo: Editora das Américas, 1954, p. 21)

      “Depois da sua independência total da Espanha, reconhecida em 1648, reina nos Países Baixos uma grande tolerância religiosa e filosófica. Numerosos teólogos e filósofos, perseguidos noutros países, aqui procuram refúgio, entre os quais Descartes e Espinosa, contribuindo bastante para o brilho intelectual e cultural deste país” (HERMAN, Jacques. Guia de história universal. Lisboa: Edições 70, 1981, p. 145)

      Há muitas outras citações que eu poderia passar aqui, que provam que a Holanda (ou Países Baixos) protestante era o país mais tolerante da época.

      Excluir
    2. A propósito, há uma matéria da Foic…Folha, do início do ano, que parece mais que saiu num desses sites católicos meia boca, e os crentes não fizeram caso algum. O(a) editor(a) tem a cara de pau de dizer que trata-se dos primeiros "mártires" do Brasil, nem imagino o papa Francisco tendo essa audácia "romanocêntrica".
      (A manchete por si só é puro click bait, mostrando o nível da coisa)
      http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/04/1872002-papa-francisco-pode-canonizar-vitimas-de-massacre-no-rn.shtml

      Excluir
    3. Pensava que a Folha era horrível só em se tratando de política, mas pelo jeito é horrível em se tratando de religião também. Sobre o tal "massacre", comentei aqui (mais abaixo):

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/06/por-que-apologetica-catolica-no-brasil.html?showComment=1499286583567#c2898048879076039599

      Abs

      Excluir
  20. Tem uma nova boa página no facebook , o nome é " apologética rotestante" vale a pena ver

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já conheço a página, muito boa por sinal. Para quem quiser curtir:

      https://www.facebook.com/ApologeticaProtestanteBR/

      Excluir
  21. Banzoli, esses Apologistas Católicos não raciocinam quando escrevem sobre inquisição protestante.

    Quando estourou a reforma os protestantes eram uma minoria; imediatamente após a reforma ainda eram uma minoria. Como poderiam ter tanto poder e liberdade para assassinar em massa diante do estado e o exército oponente?

    Parabéns pelo artigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não escrevi nada sobre inquisição até o presente momento. Inquisição, na minha concepção, sempre foi sinônimo de catolicismo romano, como as palavras catequese, homilia e sacramento, são.

      Não consigo imaginar inquisição protestante quando o mundo inteiro era 80% de populacao católica romana. Que poder tinham os protestantes?

      Como os protestantes poderiam sair matando católicos romanos sem sofrer uma extinção? Basta lembrar da noite de São Bartolomeu na França quando 70 mil huguenotes foram assassinados. O número de católicos sempre foi elevadíssimo comparado ao número de protestantes, e isso no mundo todo.

      E agora me aparece a digníssima Apologética Romana tentando justificar a propria inquisição católica inventando a cruel inquisição protestante.

      Vou vomitar

      Excluir
  22. Ai Lucas, tem um historiador que os católicos usam como fonte para dizer que a Igreja é " construtora da civilização " , o nome é Christopher Henry Dawson

    ResponderExcluir
  23. Lucas, como vai? Irmão me esclareça o seguinte eu ouvi do Prof. Felipe Aquino que o Protestante Maurício de Nassau no BRASIL ele veio explorar primeiro o engenho de produção da cana-de-açúcar, além de promover em território brasileiro as crenças protestante...no qual os protestantes foram os maiores causadores de desgraça no qual foram mortos 2 Padres e mais 36 cristãos católicos que não queria se converter ao protestantismo.isso procede? já que que o papa irá canonizá-los onde esses cristão católicos foram mortos no Rio Grande do Norte.Fica na paz de Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses caras só mostram um lado da história, as descrições dos católicos brasileiros tentando demonizar os holandeses por serem protestantes. O outro lado (o da verdade) eles não contam, por isso vou passar aqui o que foi escrito com base no texto de Francisco Schalkwijk, doutor em História:

      1. É preciso entender (ou buscar na história laica) que não foi o governo holandês que ordenou a chacina. Na verdade, a outra versão que fazemos aqui o levante, narra que foi uma vingança por parte dos índios que ali moravam ajudados por uma outra tribo da Bahia. Todos esses, se revoltaram devido notícias da crueldade cometidas pelos portugueses para com os indígenas. No início da revolta (13/6/1645), isso é aceito pela maioria dos historiadores (laicos) que por onde passavam os portugueses e estabeleciam seu domínio, a violência, a morte estavam presente de forma cruel. Os “brasilianos” (como eram chamados os índios tupis) fugiam para bem próximo das fortificações holandesas, que eram difíceis de serem atacadas e destruídas. Outros decidiram evitar o desastre aparentemente inevitável e pegaram em armas. Foi isso que aconteceu em Cunhaú.

      “No Rio Grande do Norte, a população indígena consistia em grande parte de índios antropófagos (tapuias), sob a liderança do seu cacique Nhanduí. Para os holandeses, os tapuias significavam um bando de aliados um tanto inconstantes, pois eram um povo muito independente, que não aceitava ordens de ninguém, mas decidia por si o que era melhor para sua tribo. Um tal de Jacob Rabe, casado com uma índia, servia de ligação entre eles e o governo holandês” (Schalkwijk – 1986)

      Os holandeses eram considerados como os libertadores da opressão portuguesa. E, por várias vezes, esses índios quiseram aproveitar-se da situação de derrota dos portugueses para vingar-se da violência anterior. Como acontecera no Ceará em 1637, em 1645 os índios procuraram matar todos os portugueses da região, que foram protegidos pelos holandeses, por meio das armas. Os tapuias sentiram que, com o início da revolta contra os holandeses, eram eles ou os portugueses. No dia 16 de julho, começaram por Cunhaú, massacrando as pessoas que estavam na capela e posteriormente, numa luta armada, os restantes.

      2. O nome do Pastor protestante Rev. Jodocus à Stetten que era capelão do exército holandês está ligado a esse episódio de Cunhaú, é preciso observar e entender que exatamente o contrário do que alguns afirmam, esse pastor foi enviado pelo governo holandês do Recife para acalmar os ânimos dos indígenas. Porém, os índios, não entendiam como os holandeses podiam defender seus inimigos mortais.

      3. É preciso também registrar que esse sim: como afirma Schalkwijk, o Algoz-mor de Cunhaú: Jacob Rabe alguns meses depois do massacre, esse funcionário da Companhia das Índias Ocidentais, que havia recebido o pastor Jodocus de pistola em punho, foi morto por ordem do próprio governador da capitania do Rio Grande do Norte, Joris Garstman. O capitão Joris era casado com uma senhora portuguesa que havia perdido muitos parentes em Cunhaú. Na história não podemos eleger nossos heróis, mas os inimigos, o algoz, sempre queremos descobrir que o foi. Nesse relato, apresentamos uma outra versão que evidentemente não esclarece de um todo, mas apresenta através de três pontos que a história precisa ser revista.

      Confira em:

      https://joaobosco.wordpress.com/2007/09/22/onde-esta-a-verdade-sobre-o-masacre-de-cunhau/

      Excluir
    2. Em resumo:

      1) O “massacre” foi cometido pelos índios, e não pelos holandeses.

      2) A razão pela qual os índios fizeram isso é porque eram oprimidos pelos portugueses (católicos), que estavam por expulsar os holandeses daquela terra (que os protegiam), e sabiam que se os holandeses fossem embora eles voltariam a ser oprimidos e massacrados, então tomaram essa atitude radical e irracional.

      3) O pastor protestante em questão não foi enviado para massacrar os católicos, mas pelo contrário, para acalmar os ânimos dos indígenas, o que deixou os próprios índios estupefatos por não entenderem como os holandeses poderiam estar protegendo quem queria a sua destruição (i.e, os portugueses).

      4) É engraçado e até revoltante a Igreja Católica se ocupar tanto com esses “30 mártires” ao ponto de falar tanto neles e canonizá-los, ao mesmo tempo em que vira a cara descaradamente para os 20 milhões de índios exterminados pelos espanhois no Novo Mundo.

      Excluir
  24. Lucas, irmão tire uma dúvida...Como voce responderia a um cético que lhe falasse que não dá pra acreditar na Bíblia, por que ao longo do tempo ela foi adulterada e falsificada com 'várias' contradições aparente passando ao longo do tempo de mãos em mãos.como diferenciar se ele as Escrituras é um livro altamente confiável?Grande abraço irmão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neste artigo eu falo sobre isso com detalhes que não seria possível expor em poucas linhas nesse comentário:

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2014/12/a-autenticidade-do-novo-testamento.html

      Abs!

      Excluir
  25. Lucas, meu querido irmão.eu te pergunto as cartas dirigidas ao Apocalipse foi dada a cada pastor daquela comunidade local , ou seja, templos nessas cidades para serem instruídos e ensinados ou o Apocalipse fala que essas recomendações foi dada em casa onde os irmãos estavam reunidos ,estou confusa se eram em casas ou em templos ou congregações independentes...tire essa dúvida?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Cristianismo não teve templos próprios até a época da conversão de Constantino por causa da perseguição no Império, razão pela qual eles não podiam se expor deste jeito, e por isso se reuniam em casas. Mas essas casas não deixavam de ser verdadeiras congregações como os templos são entendidos hoje, não é por serem casas que deixam de ser "igrejas". As cartas do Apocalipse foram dirigidas primeiramente a essas comunidades locais, cada uma delas se reunindo em casas naquelas regiões (as sete para as quais João escreveu). Abs!

      Excluir
  26. Lucas, me explique melhor o conceito de sola scriptura, por gentileza. Porque os reformadores não criam que os dons espirituais continuam, mas que foi só para o período apostólico. Hoje, nós que cremos na contemporaneidade dos dons, dizemos que as doutrinas tem que ter base bíblica. Mas eu tenho a impressão de que o conceito original defendido pelos reformadores deixava os dons de fora. Se assim for, nós não cremos no sola scriptura, ou criamos um conceito diferente. Ou não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso não tem a ver com a Sola Scrtiptura, mas sim com a interpretação da Bíblia. O fato de a Bíblia ser a autoridade final de fé não significa necessariamente que todos irão ter as mesmas opiniões a respeito dela; como somos seres humanos, é evidente que uns terão interpretações diferentes de outros em certos pontos, como é natural. Abs!

      Excluir
  27. Se o Arminianismo defende que Deus elege por presciência, isto é, elegeu porque viu lá no futuro quem o aceitaria, como a expiação não é limitada? Deus não sabe contar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem arminianos que creem neste conceito de eleição individual por presciência, mas não é como eu creio, então essa objeção é fútil.

      Excluir
    2. Mas é isso que o arminianismo ensina: a eleição com base na pre-ciencia. Veja: “Eleitos segundo a presciência de Deus Pai.1 Pedro 1:2.

      como vc entende isso?

      Excluir
    3. "Segundo a presciência" é que a presciência está de acordo, e não que Deus previu e então elegeu (como se houvesse alguma relação de causa-efeito nisso).

      Excluir
  28. A paz Lucas.Lucas poderia responder por que os pentecostais tem tanta facilidade de implantar igrejas do qual as igrejas históricas tem muita dificuldade, por ser pentecostal voce poderia esclarecer melhor sobre este assunto? que até os pastores históricos não sabe, ou seja, não tem a mesma desenvoltura do que os pentecostais.Grande abraço e fica na graça do Senhor Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso tem a ver com o conceito determinista do calvinismo, que entende que "o que será, será", ou seja, que Deus já determinou tudo de tal mnodo que quem será salvo será salvo mesmo sem a gente fazer nada, e quem se perderá se perderá mesmo se formos pregar a eles. No fim das contas, isso torna a pregação do evangelho sem sentido lógico e eu já denunciei isso no meu livro sobre arminianismo e calvinismo. Os pentecostais, ao contrário, por crerem que vidas que não seriam salvas por não pregarem o evangelho podem ser salvas através da pregação (e vice-versa), são mais empenhados em evangelizar nos mais distantes lugares do mundo.

      Excluir
    2. Concordo com o Lucas, mas também vejo outro motivo. As igrejas reformadas se elitizaram e se intelectualizaram ao ponto de afastar as pessoas mais simples de sua convivência. Eu sou presbiteriano desde guri e vejo que há um certo "narizinho empinado" dos membros de minha igreja com relação aos pobres. Isso, junto com o determinismo calvinista, mata a penetração nas camadas mais pobres.

      Excluir
    3. Concordo com vocês. Ao contrário das igreja da linha pentecostal, as igrejas históricas parecem um tanto indolentes, acomodadas.

      Excluir
  29. Lucas, como vai? Queria saber se o cientista Newton era anti- trinitariano e também se a universidade de Oxford foi fundada por quem de fato protestantes ou católicos? já que foi fundada em 1090 muito antes da reforma, mas tem muitos pastores afirmando que foi fundada por protestantes, isto procede?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho nenhuma informação sobre Newton ter sido anti-trinitariano, e não tem sentido algum dizer que Oxford foi fundada por protestantes uma vez que é do século XI. Talvez quem disse isso tenha confundido com Harvard ou alguma outra universidade tão conhecida quanto Oxford.

      Excluir
  30. Realmente a internet esta desproporcional, a internet tem muitos apologistas católicos e você é um dos muito poucos apologetas protestantes do Brasil

    Mas mesmo assim eé divertido ver o tanto que vc incomoda os fanáticos católicos, no facebook sejo que vc encomoda muita gente, eu ate teria pena dos apologetas católicos se existissem mais protestantes tão bons quanto vc

    Se um Lucas Banzoli incomoda muita gente, dois Lucas Banzoli incomodam, incomodam muito mais ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se existissem tantos apologistas protestantes quanto há de apologistas católicos, eles NEM EXISTIRIAM mais. Se um só em atividade já causa esse pânico todo entre eles que passam o dia inteiro falando em mim, imagina se existisse uns cem...

      Excluir
  31. Quando crianças dormem , elas tem medo do bixo papão

    Quando os apologistas católicos dormem, eles tem medo do Lucas Banzoli

    As pessoas se reúnem em volta da fogueira para contar histórias de fantasmas

    Os apologistas católicos se reúnem em volta da fogueira para contar histórias do Lucas Banzoli

    ResponderExcluir
  32. Júlio Gomes-Roraima4 de julho de 2017 22:28

    Cuidado , fique muito atento com esse anonimo que disse pra voce não 'pegar em corda' 'contra os apologistas católicos por ser ferrenho contra os apologistas católicos do qual foi tens defendido muito bem , não desista de se posicionar seus argumentos contra as difamações severa da ICAR que de fatos eles vão continuar desmoralizando sem piedade aos protestantes. seu blog tá surtindo efeito produtivo , pode ser que alguém católico infiltrado que estar sentindo que seu ataque pesado contra eles e que até tendo conversões de alguns católicos aos poucos aos protestantismo com a luz da palavra que Deus te deu, não desfaleça querido irmão em defesa do EVANGELHO que através de seus blogs muitos estão abrindo os olhos e sendo esclarecido e até estão aceitando a Jesus , não desista querido irmão tens ajudado muito a nossa COMUNIDADE PROTESTANTE E ATÉ PASTORES PODE CRER.É só um conselho, lembresse que voce estar batalhando pela fé que foi dado aos santos. fiquefirme nossa comunidade agradece.estamos orando por ti e fica na paz. isso prova sim de fato desespero católico sim , por que se fosse o contrário estavam atacando sem piedade diferente que tens defendido com sabedoria dos céus sem mentiras do qual eles só difamam, é isso que eles querem que voce parem de defender o que a palavra e a reforma diz.cuidado fique de olhos bem abertos dizendo não pegue pesado que pode ser católicos aborrecidos por ser um bom apologeta e que até tem medo de debater contigo pelos seus argumentos ilumidados pelo ESPÍRITO SANTO.Abraço amado irmão com esse pessoal católico não se pode brincar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato pelas orações. Grande abraço!

      Excluir
    2. Olá amigo Julio Gomes. Sou o anônimo que você se refere, NÃO SOU CATÓLICO nem romano, nem ortodoxo, SOU PROTESTANTE CONVICTO, filho de protestante. NUNCA fui a uma missa, NUNCA pus dúvida na minha fé em favor do catolicismo, NUNCA rezei um terço, NUNCA fiz preces a nossa senhora e aos santos. NUNCA rezei por parentes falecidos, (...) Talvez meu "pecado" seja entender que o entrevero Banzoli x "apologistas" católicos é contraproducente. Apenas expus meu entender (que pode estar errado e o seu certo). Lucas é inteligente e vai saber o que é melhor pra ele. Grato

      Excluir
  33. LUCAS,um cristão pode ouvir músicas do tipo rock pop como por exemplo a banda norueguesa A-ha? o que acha da banda? Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço essa banda, mas escuto bastante pop-rock, o estilo em si de modo algum é um impedimento, o que deve ser causa de impedimento é a letra e não o ritmo de uma música. Sobre isso o Maurício Zágari já escreveu com brilhantismo aqui:

      https://apenas1.wordpress.com/2011/09/26/cristao-deve-ouvir-musica-do-mundo/

      Abs!

      Excluir
  34. Olá Lucas tudo bem?Na sua opinião Adolf Hitler um dos maiores tiranos da história pode ser classificado como católico? No seu livro "Deus Um Delírio? " em resposta a Richard Dawkins você o classifica como ateu,posto que em reunião com seus ministros ele criticava fortemente o cristianismo de modo geral,tanto a vertente católica como a protestante e mesmo chegou a persegui-los, porém ele foi criado em uma família e cultura católica,nasceu no interior da Áustria, cresceu em Viena, a Áustria é de maioria católica, o protestantismo nunca foi muito influente por lá,e além disso Hitler nunca foi excomungado pelo papa,até mantinha boas relacoes com o Vaticano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hitler era um católico nominal, como confirmam todas as biografias dele, se apresentando como católico para ganhar a simpatia do povo, mas era um ateu de fato, que detestava tudo o que tinha a ver com religião e mais ainda com o Cristianismo em si, como atestam os registros feitos por aqueles que tinham contato pessoal com ele em vida.

      Excluir
  35. Lucas, o que significa não dar pérolas aos cães e porcos, lógico que aqui é um sentido figurado dos animais , mas no contexto quer dizer o que? entendi que se eu repreender, aconselhar , exortar e alguém receber como uma afronta, ofensa a verdade do evangelho as Escrituras diz que não devemos mais continuar insistindo em falar por que o coração endureceu de tal forma que blasfemou contra a verdade este conceito do qual entendo faz sentido ou não é bem assim?Fica na paz querido irmão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso. Há pessoas tão duras de coração que continuar tentando dizer alguma verdade a elas é pura perda de tempo, sendo melhor esquecê-la e ir falar a outros com a mente mais aberta à verdade. Abs!

      Excluir
  36. Lucas e qual a sua opinião sobre a origem dos povos ameríndios?Eu assim como vc fiz faculdade de história, no entanto minha professora de história da América falou que não dá para ter uma confirmação exata sobre a procedência deles,apesar que a maioria dos historiadores dizem que eles vieram da Ásia atravessando o Estreito de Bering durante a era glacial,mas para nós que somos cristãos criacionistas,a era glacial nem chegou a existir não é? Eu acredito sinceramente que a Terra tenha no máximo 10 mil anos e esses estudos dão a data de 12 mil anos como o tempo de chegada dos asiáticos a América

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles atravessaram o Estreito de Bering mesmo, mas não há tanto tempo assim como creem os evolucionistas, e sim algum tempo depois do dilúvio. Essa de 12 mil anos é apenas um chute deles, não tem como provar ao certo quando foi que eles atravessaram. E biblicamente a terra não tem mais do que seis mil e poucos anos, não chega nem a dez mil. Abs!

      Excluir
  37. Olhe as heresias que esse católico fanático diz. Por que esses idólatras não admitem que tem Maria como uma deusa? veja as blasfêmias: https://www.facebook.com/PuritanoReformadoOficial/videos/1917421905178999/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sei o que é mais louco: se é o que ele diz, ou se é o "pentecostalismo católico" dele, ou se é esse chapeuzinho de rabi que ele usa, fazendo-o parecer um legítimo católico pentecostal messiânico. Estou tão confuso que acho que preciso de um tempo pra pensar.

      Excluir
  38. Gustavo-Sorocaba5 de julho de 2017 23:37

    Lucas, meu irmão em Cristo.Por que os católicos ignoram tanto a Sola Scriptura? por que segundo eles a própia Bíblia é contrária a esse conceito protestante somente as Escrituras...que os católicos acham uma heresia sem tamanho, eles ficam muito pertubado com isso , por que será? o que de fato de forma objetiva o que é afinal a Sola Scriptura?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neste artigo eu refuto essa heresia de que a Bíblia é contra a Sola Scriptura:

      http://apologiacrista.com/sola-scriptura

      Sola Scriptura é a crença de que a Bíblia é a regra suprema e final de fé e prática do cristão.

      Excluir
  39. Sou protestante, posso namorar uma moça católica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Poder" você pode tudo ("tudo me é lícito, mas nem tudo convém" - 1Co 10:23), mas isso seria jugo desigual, reprovável biblicamente (2Co 6:14).

      Excluir
  40. Márcia Araújo-Jundiaí6 de julho de 2017 13:15

    A PAZ irmão em Cristo.Lucas, me responda a passagem que muitos católicos utilizam da passagem de atos que fala do comandante militar romano Cornélio que foi salvo segundo os líderes católicos dizem que essa passagem por si só mostra que a salvação é juntamente com fé e obras, isso de fato é verdade? por que nós evangélicos falamos somente pela fé como os Reformadores disseram?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem nada no texto da conversão de Cornélio que diga que ele foi salvo pelas obras. Sobre a justificação pela fé, recomendo-lhe estes artigos:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/01/a-sola-fide-na-biblia-justificacao.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/01/tiago-ensinava-justificacao-pelas-obras.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2016/05/agostinho-e-justificacao-pela-fe.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/08/somente-fe.html

      Abs.

      Excluir
  41. O que patrística no conceito ortodoxo, católico e evangélico?Fica com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A patrística se refere aos escritos dos Pais da Igreja, independentemente da vertente religiosa, não se discute esse conceito. Abs.

      Excluir
  42. Heloísa-Cabo Frio6 de julho de 2017 17:18

    Lucas, oi como vai? como entender a carta do apóstolo Paulo falando da tradição do qual os católicos falam bastante dizendo que ele não falou que somente a Bíblia é a única fonte de autoridade e sim também a tradição , em que contexto Paulo estava falando?Fica na paz querido tens me ajudado muito os seus argumentos.sempre oro por voce Lucas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/09/paulo-e-as-tradicoes-do-catolicismo.html

      Abs.

      Excluir
  43. Lucas, boa noite irmão.estou no seu blog pela primeira vez e me despertou ao estudar a Bíblia através de ti sendo instrumento de Deus na minha vida.Mas quero lhe fazer uma pergunta que uma amiga minha muito católica disse que Lutero não era contra nós usarmos crucifixo é verdade isso? ela disse que Lutero falou que ao moribundo olhando para o crucifixo este ato fortalecia a fé em Jesus. ele falou no contexto quando ele já era protestante, porque minha amiga disse que nós somos ignorantes por não sabermos a história da reforma do qual Martinho era favorável termos o crucifixo em casa ou no pescoço, será mesmo ou ela queria ver se eu caia na dela?Fica com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não faço a menor ideia se Lutero era contra ou a favor de crucifixos, mas conhecendo o seu estilo e forma de pensar, por certo consideraria algo irrelevante para a fé, em comparado às doutrinas centrais e à insondável compreensível do conhecimento de Deus.

      Excluir
    2. Cara Vanessa, me intrometendo um pouco na conversa, eu penso que toda a análise sobre Lutero deve ser feita sobre a mudança que ocorreu ao longo do tempo em sua vida. Ele não se converteu e, como nos dias de hoje, já existem diversas outras igrejas e teologias prontas na qual ele poderia aderir. Ele foi, ao longo de sua vida, percebendo alguns erros e os foi apontando. Portanto, talvez em alguma época ele tenha achado não ter problema o crucifixo, pois estava meditando em outras coisas mais relevantes no momento, e foi construindo a base teológica dele com o tempo. Além disso, não há problema em usar o crucifixo mesmo, o que há problema é você torná-lo um amuleto. Grande abraço.

      Excluir
  44. Olá, Lucas. por que os missionários protestantes demoraram tanto a evangelizar em sentido, ou em expansão global, universal, já que os católicos foram bem mais ágeis com a companhia de Jesus começando em 1534 por Inácio de Loyola tudo pra combater com certeza a reforma, já que os protestantes ficaram presos até o século18 presos muito mais na Europa, será que era pra consolidar o protestantismo na Europa? ou quais foram outros fatores que não fez o protestantismo avançar em outros continentes? foi a questão de recursos financeiros , já que Roma recebia muitas verbas do Império?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não concordo, a razão pela qual os protestantes não foram evangelizar em nossas terras é porque aqui já era território de Portugal e da Espanha desde o Tratado de Tordesilhas em 1494, quando a Reforma nem tinha ocorrido ainda, e esses países católicos proibiam que pessoas de outras religiões se instalassem em seus domínios, e ainda mais que evangelizassem alguém. Os holandeses tentaram por um breve tempo, mas foram expulsos. Se tivesse sido a Alemanha ou a Inglaterra a ter descoberto o Novo Mundo no século XV teríamos tido uma sorte diferente, mas enfim, deu azar. Não foi culpa dos protestantes. Os protestantes agiram rápido em relação à América do Norte e também na Oceania, que foram, por assim dizer, os territórios que sobraram. E depois que os Estados da América Latina se tornaram laicos, também passaram a evangelizar bastante, e por isso o protestantismo cresce cada vez mais em quase todos os países latino-americanos, bem como na Ásia e África.

      E no fim das contas foi até bom para comparar e ver a diferença gritante entre o que é ser colonizado por católicos (América latina) e por protestantes (EUA e Canadá). Tivesse a gente ou eles colonizado tudo, e não teríamos hoje como comparar e ver os frutos de cada um, comprovando a imensa superioridade do protestantismo sobre o catolicismo.

      Abs.

      Excluir
  45. Oi, Lucas. Lucas queria saber no seu ponto de vista por que os americanos batistas tem uma certa 'ojeriza' contra os pentecostais e olhe que lá a denominação que mais cresce são os pentecostais ,inclusive da Assembleia de Deus? será por que os fundadores pentecostais eram da batista ou não é bem assim?Abs querido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é típico de toda igreja tradicional, não apenas dos batistas. Eles veêm os pentecostais como cheios de misticismo e modismos, se escandalizam com alguns exageros que infelizmente existem neste meio e então formam essa concepção errônea.

      Excluir
  46. Lucas, como vai irmão? Ouvir uma pregação do Pr. Marcos Granconato dizendo que Jesus bebeu vinho alcoólico de forma moderada sem pecar por que na época não existia suco de uva, ele disse que os reformadores bebiam vinho alcoólico por exemplo Calvino e o própio Lutero que tinha uma fábrica de cervejaria, é verdade irmão? até o rev. Augustus Nicodemus bebe quando estar em família de forma moderada e entre amigos reformados.Fica na PAZ do Senhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Bíblia faz distinção entre vinho fermentado e não-fermentado, então pelo menos na Palestina havia essa distinção e a opção do vinho não-alcoólico. Sobre isso comentei abaixo, em 2.9:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.com.br/2014/08/comentarios-de-joao-2.html

      Abs!

      Excluir
  47. Lucas, me responda a uma dúvida que tem me incomodado que é a questão sobre os 'espíritos em prisão' sobre as controvérsias entre Jeronimo e Rufino?a doutrina que Cristo desceu ao inferno sem ser a sepultura surgiu dessas discussões sobre este assunto entre os 2 PAIS DA IGREJA no século4?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho conhecimento sobre eles terem discutido este assunto. Se tiver uma fonte confiável que afirme isso, seria do meio interesse analisar. Sobre o texto dos espíritos em prisão em si, comentei aqui:

      https://www.youtube.com/watch?v=oijZhReKWIo

      Abs.

      Excluir
  48. Olá, irmão.é verdade que o papa Francisco disse que tanto os judeus e ateus não precisam crer em Cristo necessariamente para serem salvos?e como fica essa infalibilidade em questão de fé e moral, porque eu estava estudando o catecismo que é contrário a isso, mas depois desses argumentos do papa fiquei confuso não sei quem é que estar com a razão se é o papa ou catecismo ou nenhum dos dois.até o papa emérito Bento foi a favor do que Francisco disse ou é sensacionalismo da mídia, blog...o que acha disso tudo?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, pode ver aqui:

      https://oglobo.globo.com/mundo/judeus-podem-alcancar-salvacao-sem-se-converter-diz-vaticano-18265535

      Sobre quem é "mais infalível" (o papa ecumênico atual, os papas ditadores antigos, o catecismo ou a comissão do Vaticano que interpreta o tempo todo o que o papa diz), quanto menos você pensar sobre isso, melhor.

      Abs

      Excluir
  49. Lucas, quem chegaram de fato primeiro não foram os colonizadores espanhóis e franceses e depois foi a Inglaterra nos EUA? Quem disse foi um primo meu que é formado em História também, eu não sei por que ele é católico nominal , mas os pais desses meu primo eram também na época professores de História , agora fiquei confuso ...quem de fato colonizou primeiro os EUA?Fica na graça do Senhor Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os franceses só formaram colônias no território que hoje pertence aos EUA a partir de meados do século XVII, portanto não foram os primeiros. Os espanhois, que descobriram a América, priorizaram a América Central e não tiveram um interesse original pela América do Norte. Também teve colônias suecas um pouco antes das francesas, além de colônias russas no século XVIII. Mas quem colonizou primeiro foram mesmo os britânicos, que ainda no final do reinado de Isabel enviaram para lá os primeiros colonos, tanto é que o primeiro Estado americano foi a Virgínia, em homenagem à "rainha virgem" (Isabel).

      Excluir
  50. Lucas, eu achava que o Pr. Marcos Granconato era mortalista, vendo um vídeo que foi publicado em 2012 no youtube falando do inferno ...percebi que é um tremendo defenso da imortalidade da alma ele explicou de forma bem didática é muito inteligente e até sábia , eu só não sei por que os Adventista faz tanta questão sobre este tema mortalidade por que dá a impressão que esse tema é pra salvação entende irmão? tenho na família Adventista e eles são um pouco cabuloso é um dos temas que eles falam muito tirando o sábado, por que creio na imortalidade respeitando o contraditório, mas pra os Adventista é como fosse doutrina de Satanás e no final a pessoa fosse perder a salvação por causa dessa doutrina secundária...eu acho meus familiares são um pouco fanáticos e me evangelizam por não ser da vertente deles, eles tem até uma cartilha como evangelizar os pentecostais,presbiterianos,batistas,metodistas e etc,se acham os defensores da verdade.o que acha Lucas dessa denominação sabatista?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nunca ouvi alguém dizer que o Granconato é mortalista, ele sempre expressou sua crença imortalista tradicional, ainda que o foco dele seja o calvinismo e não o imortalismo. A respeito dos adventistas, eu nunca vi algum deles dizendo que esse tema é para a salvação, e isso que eu estudo o que eles dizem sobre isso há muito tempo. O simples fato de colocar ênfase nisso ou tentar dizer a verdade às pessoas a respeito deste importante tema não significa mais do que um calvinista tentando convencer um arminiano (ou vice-versa), ou um pentecostal tentando convencer um tradicional sobre o dom de línguas e outros dons espirituais (e vice-versa), ou coisas do tipo. Isso não significa que esses grupos entendam essas doutrinas como absolutamente fundamentais para a salvação e muito menos que condenem os outros automaticamente ao inferno, apenas significa que tem interesse em mostrar aos demais aquilo que entende como sendo a verdade bíblica em torno do tema que lhe seja de interesse. E dizer que tal doutrina herética é de Satanás não significa dizer que quem creia nela é de Satanás, na verdade em minha opinião qualquer falsa doutrina vem de Satanás porque é ele quem tem interesse nelas, mas isso não implica que sejam "satânicas" as pessoas que incorrerem em erros doutrinários os quais, convenhamos, ninguém escapa em termos absolutos. Por fim, sobre converter os outros evangélicos, eu considero isso um grande erro deles, mas não um erro menor do que esses outros grupos evangélicos que por sua vez também tentam converter os adventistas, fazendo na prática exatamente a mesma coisa.

      Excluir
  51. Está aí mais um exemplo que nos mostra porquê essa apologética te odeia, Lucas Banzoli.

    Eles não admitem ninguém mais inteligente do que eles, muito menos do meio evangélico. Você é realmente um problemão para essa gente.

    Eles são tão desonestos que, além de espalharam por ai que você não refuta nada deles, ainda impedem que seus alunos católicos, cegos, surdos e mudos, leiam seus artigos. Não é de admirar, pois esse modelo católico é milenar: PROIBEM QUE SE LEIA qualquer coisa que contrariem seus próprios argumentos.

    Eles deram um azar imenso, pois no meio evangelico está uma gama enorme de bons debatedores. Você é um deles, um daqueles que está na linha de frente.

    Infeliz do apologista católico que soltar algum de seus alunos para ler os artigos construídos por Lucas Banzoli nos últimos 10 anos.

    Esse artigo seu me deu saudades do Orkut. Parabéns, pois foi muito bem elaborado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Alon. De fato, essa é a tática que eles sempre empregaram; outrora oficialmente, com a criação do Index, e em tempos recentes de forma velada, mas tão presente quanto, com a apologética católica. Gde abraço!

      Excluir
  52. Eu nunca vi uma apologética mentir tanto como a católica!

    São mentirosos profissionais que lutam contra Deus. Filhos de Ninrode!

    ResponderExcluir
  53. Prezado Lucas,
    Descobri hoje o seu blog e gostei muito do que vc escreve, da forma como escreve. A vontade era de ler tudo. Mas aí cheguei a esta postagem e me entristeci. Porque, como cristã, tenho procurado um melhor entendimento das escrituras e da história do cristianismo. Vc me apontou caminhos, assim também como a excelente revista católica Permanência (visite o site). Todavia, tratar assuntos cristãos da maneira como se tratou aqui é incoerente da sua parte. Vc estimula uma disputa evangélicos x católicos. O que há de construtivo nisso do ponto de vista cristão? Eu que pensava em indicar seu blog para amigos, já não o farei. Continuarei a ler os seus textos, mas já lamentando o tom arrogante dos comentários. Se sua intenção é esclarecer e corrigir erros na interpretação das escrituras e da história cristã, não persista nesse tipo de postura agressiva. Isso depõe contra o seu trabalho, que é de excelente nível.
    Um abraço.
    Elaine de Sousa

    ResponderExcluir
  54. Elaine de Sousa, da onde você tirou que o Lucas é arrogante e praticou algum insulto contra os romanos?você fala como se os católicos fossem pessoas indefesas...é só ver em sites católicos , no youtube detonam, denigrem toda a história protestante tratando como se nós fôssemos a desgraça da humanidade, no desespero por que eles sabem que a cada dia, a cada década estão perdendo milhões para o protestantismo e isso é fato.esses bandos de fanáticos católicos que se acham os detentores da moralidade.Elaine a questão é defender a fé , o Lucas em nenhum momento foi agressivo em se comparando com os apologistas católicos que só fazem xingar, chamando os evangélicos de filhos do demônio, palavrões,vários insultos contra nós..e o Banzoli em nenhum momento se utilizou dessa baixaria é só ver nos comentários dele, leia com mais atenção Elaine pra não tirar conclusões precipitadas.Graças a Deus que o Lucas tem nos ajudado no conhecimento já que temos poucos apologistas protestantes em comparação com os católicos, no mas Elaine acesse o os artigos do Bruno Lima no site Respostas Cristãs e do Elisson Freire o Firme Fundamento e Resistência Apologética.Fique na paz e que o Senhor te conceda mais e mais bênçãos pra tua vida.Abs!

    ResponderExcluir
  55. Ri demais com esse artigo kkkkkkkkkk, esses caras são uma vergonha. Dói muito ver o modo que o Conde debate, essa forma suja de falar.

    ResponderExcluir
  56. É como disseram aí meu amigo, muitas vezes não te odeiam por você ser evangélico, mas por você ser tão jovem com tamanho conhecimento, com mais conhecimento do que velhos gagás como eles e por ter graças a sua honestidade, dedicação e bondade ser abençoado (Esse é o motivo de um certo Conde gordo pegar tanto no seu pé kkkkkkk)

    Só o fato de você ser bem-educado já mostra o quanto você é um estudioso bem mais sábio que esses tridentinos.

    ResponderExcluir
  57. Que tal começar, então, a "refutar" apologistas internacionais --- americanos, italianos, mexicanos, russos, gregos, egípcios e israelenses?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Egípcio? Qual apologista católico egípcio você me recomenda?

      Excluir

Postar um comentário

Comente abaixo. Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente, mas ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links), control c + control v e manifestações de fanatismo não serão aceitos.