11 de abril de 2013

A primazia romana tem apoio nas Escrituras?


Como vocês podem perceber, desta vez estou refutando as asneiras do Fakenando Nascimento por partes, e não todas elas de uma vez só como fiz da última vez. Prosseguirei com minhas refutações até que todas as pilhérias dele caiam por terra, como sempre foi e sempre será. Nesta parte irei tratar sobre o conteúdo da carta de Paulo aos romanos e as supostas “adivinhações” que o nosso desbravador dos mares, Fernando Nascimento, fez em cima delas.

Antes, é importante passarmos aqui os links das outras refutações até aqui:

-Adulterações católicas nos escritos de Cipriano:

-Refutando as demências do pimpolho Fakenando Nascimento:

-O papa Pio IX era negro? – Refutando mais demências de Fakenando Nascimento:

-Desmascarando outras calúnias do pimpolho:

-Refutando Fakenando Nascimento e Rafael Rodrigues sobre o Concílio de Niceia e as “falsificações” do Lucas Banzoli:

-Refutando Rafael Rodrigues sobre o Cânon VI de Niceia:

Embora todas as bobagens que foram escritas por este indivíduo já tenham sido refutadas anteriormente, terei que dar uma nova lição ao indivíduo, pois ele não aprende. Primeiro, que o texto que ele usa diz somente que “em todo o mundo é anunciada a vossa fé” (Rm.1:8), nada fala de infalibilidade ou primazia como afirma Fakenando. É tão triste para eles não terem uma passagem de Paulo aos romanos que declare infalibilidade, primazia, primado do bispo romano ou qualquer outra coisa que eles têm que apelar para uma passagem que simplesmente fala da abrangência do evangelho que estava sendo pregado pelos romanos, nada mais que isso.

-Se eu falar que o evangelho está sendo pregado pelos brasileiros ao mundo inteiro, isso obviamente não significa que os brasileiros tem primazia sobre o todo o mundo.

Mas quando o texto fala dos romanos, Fakenando crê que isso implica em primazia, infalibilidade papal e todas as demais invenções perpetuadas pela Igreja de Roma através dos séculos. A fé dos romanos era a fé em Cristo. Essa fé em Cristo, diz Paulo, estava sendo anunciada a todo o mundo. É apenas isso o que o texto está dizendo, simplíssimo, e aí vem um charlatão como Fakenando e distorce tudo.

Dizer que a fé dos romanos em Cristo estava sendo anunciada em todo o mundo não implica em dizer que os romanos tem primazia sobre o mundo todo, tem infalibilidade em ex cathedra ou tem um bispo superior a todos os demais, essas são coisas que não aparecem no texto bíblico, mas sim nas alucinações sofridas pelo pobre Fernando Nascimento, são frutos da lavagem cerebral sofrida por ele pela instituição religiosa que ele idolatra.

Dizer que este texto implica na superioridade dos romanos é o mesmo que dizer que em Mateus 26:13 Jesus estava ensinando a superioridade daquela mulher que derramou o unguento sobre o seu corpo:

“Em verdade vos digo que, onde quer que este evangelho for anunciado em todo o mundo, também será referido o que ela fez, para memória sua” (Mateus 26:13)

Se dizer que “em todo o mundo é anunciada a fé dos romanos” implica em uma superioridade dos romanos, então dizer que onde o evangelho fosse anunciado no mundo todo aquele feito seria lembrado em memória dela significa o que? E, aos tessalonicenses, Paulo diz a mesma coisa, que o evangelho pregado por eles estava sendo anunciado em todos os lugares:

“De maneira que fostes exemplo para todos os fiéis na macedônia e Acaia.Porque por vós soou a palavra do Senhor, não somente na Macedônia e Acaia, mas também em todos os lugares a vossa fé para com Deus se espalhou, de tal maneira que já dela não temos necessidade de falar coisa alguma” (1ª Tessalonicenses 1:7-8)

O malfadado Fakenando, tentando contradizer este texto tão claro, apelou para a distinção entre “mundo” “lugar”, esquecendo-se apenas de que Paulo não disse que o evangelho pregado pelos tessalonicenses havia se espalhado em um lugar, em alguns lugares e nem mesmo em vários lugares, mas em TODOS os lugares. Então, vemos ensinar ao fake o que significa “todos”:

-Significado de “todo”:
1. Completo, íntegro.

2. Que não deixa nada de fora.
3. A que não falta parte alguma.


Portanto, se Paulo disse que o evangelho dos tessalonicenses estava sendo pregado em todos os lugares, ele não estava falando de algo meramente local ou regional, mas em termos globais, “que não deixa nada de fora”, e que “não falta em parte alguma”. Ou seja, é o mesmo de dizer “no mundo todo”, como Paulo disse aos romanos.

Além disso, a evidente abrangência global e não apenas local da fé dos tessalonicenses é também respaldada por todo o contexto, uma vez estando claro que Paulo disse que o evangelho deles chegou não somente na Macedônia e na Acaia, mas também em todos os lugares. O Fernando Nascimento tem que prestar mais atenção ao “não somente” e no “mas também”. O “não somente” evidencia que não é apenas aquilo, não é meramente local, é bem mais abrangente que a região deles, e o “mas também”, incluindo o “todos” na sequencia, evidenciam que não havia lugares fora da Macedônia e da Acaia que o evangelho dos tessalonicenses também não tivesse sido anunciado.

Se Paulo quisesse dizer que a fé dos tessalonicenses era apenas de abrangência local, como alega Fakenando, ele teria limitado o alcance da fé deles somente às regiões da Acaia e Macedônia sem ir além, ou, no máximo, acrescentado que a fé deles veio também a “outros” lugares fora dali, mas não a todos os lugares fora dali! Dizer que a fé deles não era de abrangência local, mas que ia além disso, e que este alcance externo alcançava a todos os lugares, é evidentemente uma descrição de um alcance global, igual ao que Paulo afirmou aos romanos.

É uma pena que a interpretação de um texto bíblico não seja o forte de Fernando Nascimento, cuja melhor arma é a calúnia, os ataques covardes e a difamação, assim como o seu pai, que é o “pai da mentira” (Jo.8:44), quem espera “choro e ranger de dentes” (Mt.13:50). Além disso, há vários outros detalhes na carta de Paulo aos tessalonicenses que passaram batido pelo infantil fake, e que destroem por completo a tese de que Paulo teria colocado Roma num pedestal como superior a todos. Vejamos:

“Sempre damos graças a Deus por vós todos, fazendo menção de vós em nossas orações, lembrando-nos sem cessar da obra da vossa fé, do trabalho do amor, e da paciência da esperança em nosso Senhor Jesus Cristo, diante de nosso Deus e Pai, sabendo, amados irmãos, que a vossa eleição é de Deus; porque o nosso evangelho não foi a vós somente em palavras, mas também em poder, e no Espírito Santo, e em muita certeza, como bem sabeis quais fomos entre vós, por amor de vós. E vós fostes feitos nossos imitadores, e do Senhor, recebendo a palavra em muita tribulação, com gozo do Espírito Santo. De maneira que fostes exemplo para todos os fiéis na macedônia e Acaia. Porque por vós soou a palavra do Senhor, não somente na macedônia e Acaia, mas também em todos os lugares a vossa fé para com Deus se espalhou, de tal maneira que já dela não temos necessidade de falar coisa alguma; porque eles mesmos anunciam de nós qual a entrada que tivemos para convosco, e como dos ídolos vos convertestes a Deus, para servir o Deus vivo e verdadeiro, e esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dentre os mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura” (1ª Tessalonicenses 1:2-10)

“Pois quem é a nossa esperançaalegria ou coroa em que nos gloriamos perante o Senhor Jesus na sua vinda? Não são vocês? De fato, vocês são a nossa glória e a nossa alegria (1ª Tessalonicenses 2:19-20)

Tarefinha de casa básica para o pimpolho:

1º Onde foi que Paulo lembrou “sem cessar” das obras, do trabalho, do amor, da paciência e da esperança dos romanos (quero um por um e capítulo e versículo, por favor)?

2º Onde foi que Paulo disse aos romanos que eles eram um exemplo para todos os fieis?

3º Onde foi que Paulo disse que o evangelho pregado aos romanos chegou lá não apenas em palavras,mas também em poder no Espírito Santo?

4º Onde foi que Paulo disse que os romanos eram a sua esperança?

5º Onde foi que Paulo disse que os romanos eram a sua alegria?

6º Onde foi que Paulo disse que os romanos eram a sua coroa?

7º Onde foi que Paulo disse que se gloriaria diante de Jesus pelos romanos?

8º Onde foi que Paulo disse que os romanos eram a sua glória?

Essas são perguntas que infelizmente o pobre pimpolho Fakenando não pode responder simplesmente repetindo exaustivamente o mesmo texto de Romanos 1:8, Romanos 1:8, Romanos 1:8 e Romanos 1:8 milhares de vezes, como em uma verdadeira lavagem cerebral, até fazer algum incauto crer realmente que um versículo daqueles em si mesmo afirma todas as prerrogativas que os católicos colocam ao bispo de Roma. É muito evidente que Paulo elogiou os romanos, mas que ele também elogiou da mesma forma muitas outras igrejas, muitas vezes com elogios que iam muito além daquilo que ele falou aos romanos.

Mas isso Fakenando não percebe, pois para ele só é válido aquilo que Paulo disse aos romanos, esqueçamos todos os elogios muito mais profundos que Paulo fez às outras igrejas, das quais eu só citei uma! Ademais, é interessante notarmos que Paulo não cita os romanos ou a fé deles a nenhuma outra igreja, nem tampouco cita uma suposta “primazia” dela sobre as outras. Paulo não cita nem os romanos nem a suposta “primazia” deles em nenhuma outra de suas cartas!

Convenhamos:

1º Se os romanos fossem os únicos infalíveis e exercessem uma primazia universal sobre todas as outras igrejas, por que é que nem Paulo, nem nenhum outro apóstolo, lembrou-se de mencionar tal fato ao escrever às outras igrejas? Por que manter isso em oculto?

2º Por que eles nunca apelaram aos romanos como sendo autoridade sobre as outras igrejas quando exortavam essas outras igrejas, mas mencionavam apenas a Sagrada Escritura, a autoridade do Senhor Jesus ou a autoridade deles mesmos como apóstolos, mas nunca a suposta autoridade dos romanos ou da Igreja de Roma?

3º Por que Paulo nunca elogiou os romanos fora da epístola aos romanos? Afinal, se os romanos exerciam uma primazia universal na igreja cristã da época, seu exemplo, supremacia e extrema autoridade deveriam obviamente serem ressaltados às outras igrejas também, para aprenderem com os romanos e serem submissas à eles.

4º Por que Paulo mencionou, elogiou e colocou os tessalonicenses como exemplo às demais igrejas fora da carta aos tessalonicenses, mas não mencionou, nem elogiou, nem tomou como exemplo os romanos fora da carta aos romanos?

Para ficar mais claro, vejamos uma carta de Paulo aos coríntios, onde ele cita as igrejas da Macedônia (onde ficava Tessalônica) como um exemplo a ser seguido pelos coríntios:

“Agora, irmãos, queremos que vocês tomem conhecimento da graça que Deus concedeu às igrejas da Macedônia. No meio da mais severa tribulação, a grande alegria e a extrema pobreza deles transbordaram em rica generosidade. Pois dou testemunho de que eles deram tudo quanto podiam, e até além do que podiam. Por iniciativa própria eles nos suplicaram insistentemente o privilégio de participar da assistência aos santos. E não somente fizeram o que esperávamos, mas entregaram-se primeiramente a si mesmos ao Senhor e, depois, a nós, pela vontade de Deus” (2ª Coríntios 8:1-5)

Por que Paulo cita o exemplo dos tessalonicenses e os elogia também fora da carta aos próprios tessalonicenses, mencionando-os como exemplo a ser seguido pelas demais igrejas, mas nunca cita os romanos como sendo qualquer exemplo a qualquer outra igreja quando ele escreve às outras igrejas fora de Roma? Por que Paulo nunca disse a qualquer igreja para “tomar conhecimento da graça que Deus concedeu à igreja de Roma”, já que ela supostamente era a primaz, e, portanto, a que mais seria agraciada por Deus?

Já sei com o que o Fernando vai me responder todas essas questões: com Romanos 1:8! Ele usa essa passagem como uma carta-mágica que resolve todos os problemas bíblicos do catolicismo do mundo todo de uma vez só e que soluciona todos os dilemas, achando que dizer que a fé de alguém é proclamada em todo o mundo significa dizer que todo mundo sabe que eles são infalíveis, superiores, que exercem um primado jurisdicional sobre todas as igrejas e mais um monte de baboseiras inventadas por apologistas tão imaturos e insignificantes quanto o próprio Fernando.

O raciocínio do Fernando é bem interessante: Paulo diz aos romanos que a fé deles é anunciada no mundo todo, e que isso significa que os romanos são infalíveis e que a Sé Romana é a primaz exercendo jurisdição universal, mas Paulo fala aos tessalonicenses que a fé deles é espalhada em todos os lugares além da Macedônia e da Acaia, e não apenas isso, ele também elogia suas obras, seu trabalho, seu amor, sua paciência, sua esperança, diz que eles eram um exemplo aos fieis, diz que o evangelho chegou a eles não apenas em palavras mas também em poder, diz que eles eram a sua esperança, a sua alegria, a sua glória, a sua coroa, de que ele se alegraria no dia da volta de Cristo, elogia eles também diante das outras igrejas, os coloca como exemplo a ser seguido por elas, mas para o Fernando isso não significa nada, é claro!

O único texto bombástico, chocante e revelador é o de Romanos 1:8, isso sim é “bombástico” na cabeça dele! E o pior de tudo é que este cidadão ainda ignora completamente o texto que Paulo escreveu aos romanos, que diz:

“Se alguns dos ramos foram cortados, e se tu, oliveira selvagem, foste enxertada em seu lugar e agora recebes seiva da raiz da oliveira, não te envaideças nem menosprezes os ramos. Pois, se te gloriares, sabe que não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz a ti. Dirás, talvez: Os ramos foram cortados para que eu fosse enxertada. Está certo. Eles, porém, foram cortados devido à incredulidade, e você permanece pela fé. Não se orgulhe, mas tema. Pois se Deus não poupou os ramos naturais, também não poupará você. Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: severidade para com aqueles que caíram, bondade para contigo, desde que permaneça na bondade dele. De outra forma, você também será cortado (Romanos 11:17-22)

Descaradamente ele diz que estes versículos, que Paulo escreveu aos romanos, não se aplica aos romanos!

“Os versículos citados pelo pescador Lucas Banzoli, que fala do enxerto da oliveira selvagem em Romanos 11,17-22, nada tem a ver com os romanos, é um simples pregação de Paulo

Primeiro ele menospreza a pregação de Paulo, dizendo que era uma “simples pregação”, como se fosse algo sem valor nem importância a ser considerado, na cabeça dele a única coisa que importa na carta de Paulo aos romanos é Romanos 1:8, óbvio.

Segundo, de tão ridículo que ele é, afirma que um texto que Paulo escreveu aos romanos “não tem nada a ver com os romanos”! Talvez ele tenha razão, esse texto não tem nada a ver com os romanos para quem ele escreve aquela carta, tem a ver mesmo é com a Igreja Bola de Neve. O mais interessante é ver como que este sujeito é totalmente arbitrário, parcial e tendencioso nas suas respostas. Quando alguma passagem parece favorecê-lo, como é o caso de Romanos 1:8 que ele grita aos quatro cantos do mundo ou de Romanos 16:20 que iremos analisar em seguida, isso vale para os romanos e somente para os romanos, é claro. Mas quando um outro texto aos romanos nitidamente complica a vida dele, aí “não tem nada a ver com os romanos” não, imagina.

Eu em momento nenhum neguei que Romanos 1:8 fale dos romanos, refutei suas interpretações usando a exegese, o princípio de que a Bíblia interpreta a própria Bíblia, e provei que as suas maluquices eram... bem, eram maluquices, como sempre. Mas você, como não tem resposta a mim, prefere dizer que Paulo escreveu aos romanos algo que não tem nada a ver com os romanos. É de dar dó. Usou como “analogia” o texto de 1ª Tessalonicenses 4:3-8 dizendo que aqueles versos igualmente não se aplicam aos tessalonicenses, quando obviamente se aplicam, é só ver o começo do verso onde Paulo diz a eles:

Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação (v.3)

Será que não era da vontade de Deus que os tessalonicenses se santificassem? Óbvio que sim; a mensagem era para eles mesmos, e não para um extraterrestre que lesse a carta. Preste atenção que Paulo diz a vossa santificação, ele não usa a terceira pessoa, mas a segunda; ele está falando com os próprios tessalonicenses, só não percebe isso quem for muito idiota. Na continuação do texto Paulo não diz que os tessalonicenses eram imorais como você quer dizer; muito pelo contrário, ele continua dizendo qual era a vontade de Deus para a vida deles, que era se abster de toda forma do mal:

“...que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra...” (vs. 3-4)

Veja que Paulo não está dizendo que os tessalonicenses eram imorais, mas sim expondo a vontade de Deus para cada um de nós, que é a santificação que consiste em se abster da imoralidade. Será que não era da vontade de Deus que os tessalonicenses se abstivessem da prostituição? É triste ter que debater com uma criança dessas, não lê a Bíblia e pincela textos desses, e ainda diz que é uma repreensão de Paulo. Não é uma repreensão, é uma exortação, vai procurar no Google pra ver se entende.

Nada que Paulo falou em alguma carta para alguma igreja não se aplica à própria igreja. As sete cartas do Apocalipse não foram escritas a sete igrejas de forma totalmente aleatória e arbitrária, foram escritas porque se alinhavam especificamente com aquilo que cada igreja vivia. Seu método “hermenêutico” é simplesmente uma piada, Fernando. Uma declaração escrita a alguma igreja se aplica àquela igreja e pode se aplicar também a um grupo maior de pessoas além da própria igreja, mas nunca “a ninguém”.

Tal é o caso do outro texto tão alardeado por você, o de Romanos 16:20, onde Paulo estava dizendo que Satanás seria esmagado diante dos vossos pés, é a mesma linguagem sobre as portas do inferno não prevalecerem contra a Igreja de Deus: significa que o diabo não tem domínio sobre os verdadeiros filhos de Deus, que formam a Igreja, ecclesia. Essa igreja é a reunião de todos os que têm o testemunho de Jesus Cristo e que guardam os mandamentos de Deus (Ap.12:17). Seus membros estão espalhados nas mais diversas partes do mundo, inclusive em Roma, mas não se limitando ao território romano. Dizer, portanto, que Deus esmagaria Satanás sob os pés dos romanos mas não faria nada em relação aos efésios, coríntios ou tessalonicenses, por exemplo, é pura heresia.

Um pequeno exemplo de como se cozinha as bobagens do Fakenando:

Quando Tiago escreveu ás doze tribos de Israel dizendo para resistir ao diabo que o diabo iria fugir deles (Tg.4:7), isso não significa que Satanás iria fugir só das doze tribos e não das demais igrejas; quando Paulo escreveu aos efésios para se revestirem de toda a armadura de Deus (Ef.6:11), isso não significa que as demais igrejas não teriam as armaduras de Deus; quando Paulo diz aos coríntios que o testemunho de Cristo foi confirmado entre eles (1Co.1:6), isso não significa que as outras igrejas rejeitaram a Cristo; quando Paulo diz aos filipenses que lhes é concedido crer e sofrer por Cristo (Fp.1:29), isso não significa que as outras igrejas não deveriam crer ou sofrer por Cristo.

Da mesma forma, quando Paulo diz aos romanos que Satanás seria esmagado debaixo dos pés deles, isso não significa que Satanás não seria esmagado debaixo dos pés dos demais cristãos fora de Roma. Essa promessa se cumprirá quando Satanás for preso no milênio e, finalmente, “esmagado debaixo dos nossos pés”, quando sofrerá o dano da segunda morte, o lago de fogo, que é a morte final e irreversível (Ap.20:14; 21:8).

Então Satanás estará esmagado debaixo dos crentes fieis a Cristo, tanto dos que viviam em Roma no século I como de todos os demais cristãos de todas as eras e de todas as outras regiões. Até lá, Satanás continua agindo e “rugindo como um leão, procurando a quem possa tragar” (1Pe.5:8). Portanto, ele não está esmagado ainda, ele ainda está bem vivo e ainda tentando e conduzindo ao pecado os cristãos de Roma e fora de Roma. Dizer que o uso do “breve” implica em dizer que este fato já aconteceu significa dizer que, desta forma, o próprio Jesus já voltou, já que os apóstolos também disseram que Ele voltaria "em breve" (Hb.10:37; Ap.3:11; 22:12; Mt.26:64), mas Ele não voltou ainda.

Então, nada impede que Satanás, que seria esmagado “em breve”, não tenha sido esmagado. Estes acontecimentos – volta de Cristo e derrota final de Satanás – se darão no fim dos tempos, com o estabelecimento de Novos Céus e de Nova Terra e a destruição final do diabo, do pecado e dos pecadores. Até lá, teremos que ouvir as lastimáveis interpretações de Fakenando Nascimento, que já demonstrou ser um completo ignorante de Bíblia e que só sabe manipular e falsificar textos patrísticos sem qualquer tipo de vergonha na cara.

Cai a farsa mais uma vez.

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (apologiacrista.com)


-Meus livros:

-Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Reflexões cristãs e estudos bíblicos)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Desvendando a Lenda (Refutando a Imortalidade da Alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)

5 comentários:

  1. Bom dia, Lucas, saudações em Cristo!

    Sou novo por aqui, acompanho seu trabalho há pouco tempo, mas gostaria de parabenizá-lo pelo seu excelente trabalho de evangelização, pois como está escrito: "E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim." (Mateus 24:14). Quero me aprofundar cada vez mais na Palavra do Senhor (inclusive adicionei este blog e o Apologia Cristã aos meus "Favoritos"), mas ainda tenho muitas dúvidas sobre os diferentes temas cristãos; eu poderia encaminhar essas dúvidas para o seu e-mail (pouco a pouco, claro)? Se sim, você pode confirmá-lo para mim? Desde já agradeço pela atenção dispensada.

    Continue assim e fique na paz de Cristo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, a paz. Pode sim encaminhar ao meu e-mail, o meu é: lucas_banzoli@yahoo.com.br. Deus te abençoe!

      Excluir
  2. Na boa irmão, não desça ao nível dos católicos. Simplesmente refute exponha a palavra de Deus. Eu iria compartilhar este artigo seu mas infelizmente ele foi escrito COM CUNHO MAIS PESSOAL do que para evangelização.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Martins, obrigado pela sua opinião. Ressaltando que, se o meu texto teve um cunho pessoal, isso vem do fato de que texto dele teve um cunho ainda mais pessoal (eu até que peguei mais leve do que ele). Mesmo assim agradeço o seu comentário. Fique na paz.

      Excluir
    2. Amém, paz e graça também

      Excluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links) e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.