20 de setembro de 2015

Não existia Escritura na época de Irineu; logo, ele não cria na Sola Scriptura!


Não há nada mais insuportável, cansativo, nauseante e tedioso do que debater teologia com zumbis tridentinos, daquele estilo papagaio que só sabe repetir os devaneios e sandices dos tios Paulos: o Leitão e o Ricardo. A lavagem cerebral feita na cabeça dos fanáticos é tão evidente que não importa o conteúdo do post, eles sempre repetem as mesmas coisas já explicadas e refutadas milhões e milhões de vezes: cânon e divisão. Isso foi tudo o que eles aprenderam do titio Paulo Ricardo e do titio Paulo Leitão. Então o zumbi tridentino age da seguinte maneira:

a) Entre em um artigo qualquer, de qualquer tema que seja.

b) Não leia absolutamente nada do que foi escrito no artigo.

c) Não refute absolutamente nada do que foi escrito no artigo.

d) Vá direto correndo para a caixa de comentários praticar trollagem e vandalismo.

e) Fale sobre o cânon bíblico, a divisão protestante, ou as duas coisas juntas (mesmo se o artigo tratar sobre qualquer outro tema, não importa).

f) Se for possível, acrescente que o protestante é um “filho da serpente” e um “descendente do dragão”, para garantir que você é um demente mesmo.

g) Mantenha a pose arrogante, como se você tivesse mesmo refutado alguma coisa na vida.

Todos, repito, TODOS os comentários feitos por católicos neste blog desde a sua fundação seguem este esquema. Dos milhares de comentários já feitos, não tem UM ÚNICO que não siga à risca o esquema da lavagem cerebral repetida à exaustão pelos zumbis tridentinos. Agora veio mais um com um “desafio”, em um artigo que trata sobre confissão auricular:

“Lendo um dos seus artigos vc disse que Irineu de Lião era adepto do sola scripture...no entanto, quando Irineu estava vivo o cânon nem havia se formado. Ou seja, não existia Bíblia. Como então Irineu pode ser adepto de algo que nem existia? Me mostre qual era o Novo Testamento que Irineu seguia”

Vou ignorar o fato de que nenhum zumbi tridentino sabe o que Sola Scriptura significava para os reformados, porque 100% deles acham que se não tem cânon na Bíblia então lá se foi a Sola Scriptura. Dá pena. Este aí está mais perdido ainda, porque nem escrever “Sola Scriptura” sabe, colocando um “e” no final. Na cabeça do sujeito, “não existia Bíblia” antes do cânon ter “se formado”, ou seja, a Escritura passou a surgir em um passe de mágica a partir do dado momento em que o concílio de Hipona (393) decidiu que “existiria”. É tanta canalhice que não perde em nada para as teorias da conspiração neo-ateístas, de que “Constantino inventou a Bíblia”, e sandices semelhantes. E o camarada, por fim, solta a pérola de que Irineu não podia crer na Sola Scriptura, já que o cânon não estava totalmente formado na época!

São tantas tolices que eu mal consigo pensar por onde começar. Vamos começar assim: a Escritura já existia na época de Irineu, o que não existia ainda era a delimitação final do cânon, mas ninguém da época precisava esperar por séculos até um concílio se reunir e tratar a questão para finalmente descobrir: “Puxa vida, isso daqui é Escritura!”. Na cabeça do papista, ninguém podia reconhecer por exemplo que o Evangelho de Lucas era “Escritura”, até que o bendito concílio de Hipona se reunisse e decidisse que “é Escritura”. A Escritura, na cabeça do papista, surge em um passe de mágica, de uma hora pra outra. Ninguém fazia a mínima ideia do que era Escritura e do que não era, e de repente puft – este livro se torna “Escritura”!

É lógico que nem os apóstolos nem os Pais da Igreja de data anterior ao concílio de Hipona pensavam desta maneira. Pedro não precisou esperar concílio nenhum para escrever claramente que as epístolas de Paulo eram “Escritura”, assim como os escritos do Antigo Testamento:

“Tenham em mente que a paciência de nosso Senhor significa salvação, como também o nosso amado irmão Paulo lhes escreveu, com a sabedoria que Deus lhe deu. Ele escreve da mesma forma em todas as suas cartas, falando nelas destes assuntos. Suas cartas contêm algumas coisas difíceis de entender, as quais os ignorantes e instáveis torcem, como também o fazem com as demais Escrituras, para a própria destruição deles” (2ª Pedro 3:15-16)

O apóstolo Paulo também não precisou esperar concílio nenhum para saber que o evangelho de Lucas era Escritura:

“Devem ser considerados merecedores de dobrados honorários os presbíteros que presidem bem, com especialidade os que se afadigam na palavra e no ensino. Pois a Escritura declara: ‘Não amordaces o boi, quando pisa o trigo’. E ainda: ‘O trabalhador é digno do seu salário’” (1ª Timóteo 5:18)

A primeira citação da “Escritura” encontra-se em Deuteronômio 25:4, mas a segunda, “o trabalhador é digno do seu salário”, não se acha em nenhum lugar do Antigo Testamento. Ela ocorre, porém, em Lucas 10:7, que diz:

"Ficai nessa casa, comendo e bebendo do que eles tiverem; pois o trabalhador é digno do seu salário. Não andeis de casa em casa” (Lucas 10:7)

Portanto, Paulo não precisou esperar até o ano 393 para “descobrir” que o evangelho de Lucas era Escritura Sagrada. Ele já sabia, mesmo sem concílio nenhum ter se reunido para tratar a questão!

Ao avançarmos para os escritos dos primeiros Pais, vemos o mesmo cenário aparecendo. Policarpo (69-155), que conviveu com João, já considerava as epístolas de Paulo como “Escritura”, pois ele disse:

“Creio que sois bem versados nas Sagradas Letras e que não ignorais nada; o que, porém, não me foi concedido. Nessas Escrituras está dito: ‘Encolerizai-vos e não pequeis, e que o sol não se ponha sobre vossa cólera’. Feliz quem se lembrar disso. Acredito que é assim convosco”[1]

Onde encontramos a referência que Policarpo diz que era da Escritura?

Aqui:

“...Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira” (Efésios 4:26)

Policarpo precisou esperar até o concílio de Hipona (em 393) para então começar a citar algo do Novo Testamento como “Escritura”? Não. Ele já sabia que Efésios era, mesmo sem concílio nenhum ter se reunido para tratar a questão! Por que os apologistas católicos não condenam Policarpo, alertando que “não existia Escritura” naquela época? Por que Policarpo cita algo do Novo Testamento como Escritura, se nosso amigo católico garante que não era possível saber o que era Escritura até finais do século IV, quando de repente “surgiu” a Bíblia?

Eu não vou perder tempo mostrando todas as outras milhares de citações dos Pais da Igreja mencionando o Novo Testamento como Escritura muito antes do concílio de Hipona. Para não tornar este artigo demasiadamente longo, passarei aqui apenas a lista de Atanásio (296-373), que corresponde aos exatos 27 livros que temos hoje em nossas Bíblias. Atanásio declara:

Não é tedioso repetir os [livros] do Novo Testamento. São os quatro Evangelhos, segundo Mateus, Marcos, Lucas e João. Em seguida, o Atos dos Apóstolos e as sete Epístolas [chamadas ‘católicas’], ou seja: de Tiago, uma; de Pedro, duas; de João, três; de Judas, uma. Em adição, vêm as 14 Cartas de Paulo, escritas nessa ordem: a primeira, aos Romanos, as duas aos Coríntios, uma aos Gálatas, uma aos Efésios, uma aos Filipenses, uma aos Colossenses, duas aos Tessalonicenses, uma aos Hebreus, duas a Timóteo, uma a Tito e, por último, uma a Filemom. Além disso, o Livro da Revelação de João”[2]

Atanásio morreu décadas antes do concílio de Hipona se reunir, e já sabia perfeitamente bem quais eram os livros do Novo Testamento. O jeito que ele se expressa passa nitidamente a noção de que os cristãos já sabiam há muito tempo quais eram os livros do Novo Testamento, porque ele começa dizendo que “não é tedioso repetir os livros do Novo Testamento...”, passando claramente a ideia de que os cristãos daquela geração já sabiam perfeitamente bem quais eram os livros, tanto ao ponto de chegar a ser tedioso repetir a lista!

Não obstante, na cabeça dos zumbis tridentinos, foi somente em Hipona, décadas e décadas mais tarde, que de repente “surgiu” a Escritura, em um passe de mágica, ao maior estilo adbacadabra. Alguém precisa urgentemente ensinar história da Igreja a este povo, que os liberte do lixo superficial e mentiroso oferecido pelos “Paulos”.

Mas e quanto a Irineu? Embora Irineu claramente já admitisse a existência da Sagrada Escritura e muitos de seus livros, é perfeitamente razoável que alguns poucos livros canônicos fossem considerados “duvidosos” para ele, porque o Cânone de Muratori, na mesma época de Irineu, considerava canônicos quase todos os livros do Novo Testamento que temos hoje, com exceção da epístola aos Hebreus e de 3ª João, que não são mencionados. Supondo que Irineu também tivesse dúvidas quanto a Hebreus e a 3ª João, será que isso impugna a Sola Scriptura? Só se for no mundo de fantasia romanista.

Dizer que a Escritura não existia só porque naquela época alguns poucos livros do Novo Testamento ainda tinham canonicidade incerta seria o mesmo que dizer que a Igreja Católica Romana também não existia antes do século XIX, porque só dali em diante que surgiram dogmas como a infalibilidade papal, a imaculada conceição e a assunção de Maria. Mas nenhum católico romano admitiria uma conclusão dessas. Para eles, a Igreja Romana já existia mesmo antes destas três doutrinas serem tidas como dogmas na Igreja. Perceba então a “lógica” do papista: a Igreja Romana já existia antes destas três doutrinas serem tidas como dogmas, mas a Escritura “não existia” antes de Hebreus e 3ª João serem tidos como canônicos. Alguém antes do século XIX podia crer na Igreja Romana (mesmo sem os dogmas mais recentes), mas ninguém antes do século IV podia crer na Escritura.

Se isso ainda não ficou claro o suficiente, pensemos na analogia da casa. Eu já vivo nesta casa há doze anos, mas nos primeiros anos ela só tinha a parte inferior, e a parte superior só foi construída depois de uns cinco anos. Será que alguém que não fosse demente afirmaria que “não existia casa” nos primeiros cinco anos, e que eu não morava em “lugar nenhum” por causa disso? Será que alguém seria tão insano em supor que a minha casa só passou a existir depois que a parte de cima foi construída também? É lógico que não (a não ser que você seja um zumbi tridentino).

Eu morava somente na minha casa, mesmo antes dela se tornar “completa” como está hoje. Da mesma forma, os cristãos da época de Irineu criam somente na Escritura, mesmo antes dela se tornar “completa” como está hoje. A verdade é bastante simples para quem não está desesperado em corrompê-la a fim de seguir os “Paulos”.

Mas como ter certeza que Irineu cria mesmo na Sola Scriptura? Primeiro, ele disse que as Escrituras são o pilar e o fundamento da nossa fé:

"De nada mais temos aprendido o plano de nossa salvação, senão daqueles através de quem o evangelho nos chegou, o qual eles pregaram inicialmente em público, e, em tempos mais recentes, pela vontade de Deus, nos foi legado por eles nas Escrituras, para que sejam o fundamento e pilar de nossa fé[3]

Segundo, ele cria que a doutrina tinha que estar em diligente harmonia com as Escrituras, sem adição nem subtração:

"O verdadeiro conhecimento é a doutrina dos apóstolos, e a antiga constituição da Igreja em todo o mundo, e a manifestação distinta do Corpo de Cristo conforme as sucessões dos bispos, pelas quais eles transmitiram aquela Igreja que existe em todos os lugares, e chegou até nós, sendo guardada e preservada sem nenhuma falsificação nas Escrituras, por um sistema muito completo de doutrina, e sem receber adição nem subtração; e a leitura [da Palavra] sem falsificação, e uma exposição lícita e diligente em harmonia com as Escrituras, sem perigo nem blasfêmia, e o preeminente carisma do amor, o qual é mais precioso do que o conhecimento, mais glorioso do que a profecia, e que excede todos os outros dons"[4]

Terceiro, Irineu cria que na Escritura estava toda a doutrina que Jesus ensinou:

“Leia com maior diligência aquele evangelho que nos foi dado pelos apóstolos; e leia com maior diligência os profetas, e você encontrará cada ação e toda a doutrina de Nosso Senhor neles pregados[5]

Quarto, Irineu rejeitava as tradições orais dos gnósticos, porque elas não estavam de acordo com a Escritura:

Leem coisas que não foram escritas e, como se costuma dizer, trançando cordas com areia, procuram acrescentar às suas palavras outras dignas de fé, como as parábolas do Senhor ou os oráculos dos profetas ou as palavras dos apóstolos, para que as suas fantasias não se apresentem sem fundamento. Descuidam a ordem e o texto das Escrituras e enquanto lhes é possível dissolvem os membros da verdade. Transferem, transformam e fazendo de uma coisa outra seduzem a muitos com as palavras do Senhor atribuídas indevidamente a fantasias inventadas”[6]

Quinto, Irineu repudiava aqueles que acrescentavam algo que não estava no evangelho:

“São, pois, fúteis, ignorantes e presunçosos os que rejeitam a forma sob a qual se apresenta o evangelho, ou introduzem no evangelho um número de figuras maior ou menor do que o referido”[7]

Sexto, sempre quando Irineu falava da tradição ele se referia a uma tradição bíblica, e nunca a uma tradição oral fantasmagórica que supostamente dá base a um monte de doutrina que não se encontra na Bíblia. Quem quiser conferir isso, é só ler este artigo:


E, por fim, todos os outros Pais da Igreja criam no mesmo conceito de Irineu: da Escritura como sendo a autoridade suprema e final, e da tradição como submetida à Bíblia e a ela condicionada. Embora eu saiba que será totalmente inútil eu passar o link do meu livro que nenhum zumbi tridentino irá ler (mas que irá criticar assim mesmo) já que a lavagem cerebral implica em só ler o material dos “Paulos”, ainda assim irei passar aqui para os evangélicos que se interessam pelo tema, e também para os católicos honestos (não-tridentinos):


O problema dos tridentinos é que eles se deixam doutrinar pelos “Paulos” errados. Se ao invés do Ricardo e do Leitão ouvissem mais o apóstolo com o mesmo nome, não estariam postando sandices aqui, mas se convertendo a Jesus Cristo.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (www.lucasbanzoli.com)


-Meus livros:

- Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:

LucasBanzoli.Com (Um compêndio de todos os meus artigos já escritos)
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Artigos devocionais e estudos bíblicos)
Desvendando a Lenda (Refutando a imortalidade da alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Fim da Fraude (Refutando as mentiras dos apologistas católicos)





[1] Policarpo aos Filipenses, 12:1.
[2] Epístola 39, c. 5.
[3] Contra as Heresias, Livro III, 1:1.
[4] Contra as Heresias, Livro IV, 33:8.
[5] Contra as Heresias, Livro IV, 66.
[6] Contra as Heresias, Livro I, 8:1.
[7] Contra as Heresias, Livro III, 11:9.

25 comentários:

  1. Ótimo artigo Lucas! Os catoleigos, invés de atualizarem o sistema de falácias deles, vivem se desgastante, utilizando seus últimos suspiro de heresias e repetições exaustivas de asneiras. Mas é bom, pois quando mais eles falam, mais surgem artigos ótimos como esse.

    Deus te abençoe!

    Att, Rafael.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, Rafael. Eu debato com eles desde a época do Orkut (em 2009) e são sempre OS MESMOS argumentos ultrapassados de sempre, eles NUNCA MUDARAM NADA, e quando são refutados em alguma coisa preferem repetir e repetir e repetir mais ainda o mesmo argumento ultrapassado, ao invés de refutar as nossas contra-argumentações. Se alguém estivesse em coma desde aquela época e voltasse agora não acreditaria que se passou tanto tempo e que os catoleigos continuam atolados nos mesmos sofismas refutados de sempre. Em contrapartida, a apologética evangélica vem se fortalecendo cada vez mais, graças a Deus.

      Excluir
  2. Irineu cria num cânon do Novo Testamento bem semelhante ao nosso, que inclusive continha os quatro evangelhos.

    Se todas as cópias de manuscritos bíblicos fossem perdidos, seria possível reconstituir quase toda a Escritura só utilizando citações dos Pais da Igreja, como alguém pode afirmar que eles não tinham Escritura? O fato de eles consideram certos livros canônicos sem consultar um suposto magistério infalível nos mostra que eles não cria como os romanistas.

    O argumento romanista é tiro no pé. Se o fato de Pais da Igreja sustentarem um cânon não idêntico ao nosso contradiz a Sola Scriptura, como o romanista pode considerar a tradição uma autoridade infalível? já que não há um cânon definido da tradição? A ICAR nunca definiu os limites da tradição, nunca disse quais todas as doutrinas que foram transmitidas oralmente, ainda assim dizem que a tradição é uma autoridade infalível. Da mesma forma, os Pais da Igreja mesmo não crendo no cânon definido mais tarde, criam num conjunto de livros chamado Escritura a quem conferiram infalibilidade. Como eles consideravam apenas a Escritura como autoridade infalível - Sola Scriptura.

    ResponderExcluir
  3. Uma dúvida, se os católicos consideram o papa infalível, como explicam o vai e vem de doutrinas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ué, se o papa é infalível por que ele não pode revogar infalivelmente aquilo que foi infalivelmente decretado antes por um outro papa infalível infalivelmente?

      Excluir
    2. É comum eles apelarem ao desenvolvimento da doutrina. No caso do papado, muitos historiadores católicos admitem que a Igreja dos primeiros séculos não enxergava o bispo de roma como um papa, mas que esta doutrina se desenvolveu paulatinamente ao longo do tempo.

      Essa teoria foi criada pelo Cardeal Newman. Na prática, não passa de uma consequência da Sola Ecclesia. A verdade é o que a Igreja diz que é, não importando quão inconsistente seja. Eles vão dizer que a semente de muitas doutrinas sempre esteve lá, mas a Igreja só foi descobrindo as implicações destas sementes ao longo do tempo. É uma teoria bem frágil que carece de fundamentos bíblicos ou históricos.

      Excluir
    3. Essa crença foi desacreditada pelo Fedeli, Montfort. Os ultraconservadores acreditam que tudo já era crença da igreja e o que ocorreram foram reconfirmações da doutrina. Esse seria o papel do magisterio na opinião deles, resgatar as veredas antigas. Essa tese é ainda mais furada, pois não consegue explicar as diferenças de doutrinas ao longo da história.

      Segundo a visão desses que vc citou, a função do magistério não é confirmar doutrina, mas revelar doutrina. Acreditam que a revelação não acabou depois dos discípulos, continuou a existir.

      Ao mesmo tempo, a tese do Fedeli faz mais sentido, pq qdo eles falam de tradição significa que qdo mais pra traz vc vai, mais se chega perto da revelação original.

      Portanto, até mesmo sobre o papel da tradição e do margistério, existe divisão entre católicos.


      Excluir
    4. "Ué, se o papa é infalível por que ele não pode revogar infalivelmente aquilo que foi infalivelmente decretado antes por um outro papa infalível infalivelmente?"

      Essa foi boa! kkkk... Daí vc já ver a tamanha incoerência da infalibilidade Papal.

      Excluir
  4. A paz de NSJC a todos. Por favor, me permita fazer uma pequena correção sobre algo no texto.
    O texto afirma que os Concílios da Igreja, criavam dogmas para os católicos, isso não é correto ou honesto de se afirmar. Como o próprio nome diz um Concílio concilia as práticas e ensinamentos para que não haja divergência em lugar algum do mundo, visto que a ICAR tem apenas um catecismo para todo o globo.
    Constatar que dogmas tão antigos só foram canonizados bem depois, mostra que a tradição da ICAR é extremamente eficiente, pois mesmo que os dogmas tenham surgido com a Igreja primitiva, erros doutrinais demoraram a ocorrer.

    O cânon dos livros da bíblia, tanto do AT quanto do NT, não foi apenas pra dizer que os livros que se sabiam inspirados pelo Espírito Santo eram mesmo. Durante algum tempo houve muitas listas de livros, entre canônicos e apócrifos e havia muita discussão sobre quais livros deveriam integrar as Sagradas Escrituras. O cânon Católico deu um fim nisso.
    Como disse Santo Agostinho: "Ego vero Evangelio nos crederem, nisi me catholicae Ecclesiae commoveret auctoritas" – "Eu não creria no Evangelho, se a isto não me levasse a autoridade da Igreja Católica."

    Agora sobre a sola escriptura, o próprio texto que você usou para defendê-la, a nega:
    "De nada mais temos aprendido o plano de nossa salvação, senão daqueles através de quem o evangelho nos chegou, o qual eles pregaram inicialmente em público, e, em tempos mais recentes, pela vontade de Deus, nos foi legado por eles nas Escrituras, para que sejam o fundamento e pilar de nossa fé”
    Afinal, se inicialmente pregaram em público e somente depois “tempos mais recentes” que surgiu as escrituras, fica claro que, no mínimo, a tradição oral foi importante para o surgimento e crescimento da Igreja primitiva, com a sola escriptura surgindo depois que já havia uma doutrina.

    Em outra citação usada por você diz:
    "O verdadeiro conhecimento é a doutrina dos apóstolos, e a antiga constituição da Igreja em todo o mundo, e a manifestação distinta do Corpo de Cristo conforme as sucessões dos bispos, pelas quais eles transmitiram aquela Igreja que existe em todos os lugares, e chegou até nós,(...)”
    Existe alguma outra Igreja Cristã que possui apenas uma constituição em todo o mundo e que manifesta distintamente o Corpo de Cristo através de uma sucessão de bispos desde a ressurreição até hoje?
    Antes de falar que não, pense que se essa continuidade foi interrompida por um instante só que seja, então as portas do inferno prevaleceram sobre essa igreja e a Promessa de Jesus Cristo não se confirmou para nenhuma.

    A ICAR não cria nem inventa nada, Ela apenas mantém os ensinamentos de Jesus livre das interpretações individuais de pessoas que se dizem inspiradas por Deus, afinal, até hoje, Jesus não mudou uma única vírgula de tudo o que Ele ensinou em Sua primeira passagem por este mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais um ataque-clichê que não refuta absolutamente nada do que foi exposto no artigo, mas apenas repete as mesmas lorotas e falácias romanistas de sempre. Como que os concílios não criavam os dogmas? Existia o DOGMA da imaculada conceição de Maria na igreja primitiva? Se você não for absurdamente desonesto, admitirá que não. Isso porque virtualmente TODOS os Pais da Igreja criam que Maria NÃO teve uma concepção imaculada, o que já foi explanado devidamente neste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/05/a-igreja-primitiva-nao-cria-na.html

      Ou seja, vocês romanistas pegam uma crença que nunca foi crida pelos Pais da Igreja, que nunca foi crida na tradição do oriente, que até hoje não é crida na Igreja Católica Ortodoxa, que foi rebatida até pelo próprio Tomás de Aquino(!) no século XIII, e séculos mais tarde inventam o dogma e ainda querem ter a cara de pau em dizer que a ICAR não criou dogma nenhum, e que a tradição da ICAR é “extremamente eficiente”? Você está vendo alguém com nariz de palhaço aqui?

      Quando foi que algum Pai da Igreja creu na infalibilidade do bispo de Roma em particular? Se não criam, como você ousa dizer que o dogma “surgiu na igreja primitiva”, mas que misteriosamente passou totalmente despercebido pela totalidade dos Pais da Igreja até que de repente brilhou uma luz na cabeça do papa em pleno século XIX definindo infalibilidade para si mesmo? Será que você não sabe que naquela época o maior historiador católico da Igreja, o teólogo alemão Johann Joseph Ignaz von Döllinger, escreveu uma obra chamada “O Papa e o Concílio”, onde refuta a decisão do concílio e prova historicamente que o bispo de Roma nunca foi infalível? E você vem me dizer que isso não foi inovação, mas que o “erro doutrinal” é justamente crer que o papa NÃO é infalível? Pensa que alguém aqui nasceu ontem?

      Depois você repete todos aqueles argumentos que já foram refutados no artigo. Eu acabei de escrever que houve discussão quanto à canonicidade de certos livros, e você vem aqui comentar (sem ter lido o artigo) dizendo que houve discussão quanto à canonicidade de certos livros, como se isso refutasse o artigo, quando fui eu mesmo que escrevi isso! Desde quando o fato de haver discussão sobre certos livros impugna a Sola Scriptura? Por que os Pais já tinham listas exatas do cânon do NT antes de qualquer concílio se reunir para tratar a questão? Por que os apóstolos e os primeiros Pais já reconheciam certos livros como Escritura, se supostamente só é possível conhecer quais livros são Escritura depois de um concílio delimitar o cânon? É isso o que vocês precisam responder, e ao invés de eu obter respostas apenas obtenho a repetição daquilo que EU MESMO ESCREVI no artigo.

      E pior: você também distorce grosseiramente aquilo que foi dito por Agostinho, como se o bispo de Hipona estivesse falando do cânon e da Igreja Romana. Parece que você pensa que nos enganar é tão fácil quanto enganar os catoleigos de missa. O que Agostinho meramente estava dizendo é que se não fosse pela autoridade da Igreja ele nunca teria conhecido o evangelho, O QUE É ÓBVIO, já que a Igreja é o corpo de Cristo, e esses cristãos são os que levam o evangelho ao mundo. Portanto, se a Igreja não pregar, o mundo não ouvirá a mensagem, e, consequentemente, não crerá no evangelho. Aí vem os papistas e pisam em cima do que Agostinho disse, tirando criminosamente do contexto para fazer parecer aquilo que ele jamais afirmou. O próprio João Calvino deu um xeque-mate nos papistas desinformados nas Institutas, que eu transcrevi neste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/01/agostinho-eu-nao-creria-no-evangelho-se.html

      Excluir
    2. Os outros argumentos que você usa só provam que você tem uma COMPLETA INCOMPREENSÃO do significado de Sola Scriptura, porque os blogs católicos de quinta categoria internet afora montam o ridículo espantalho de que crer na Sola Scriptura implica em achar que os discípulos não falavam nada, mas apenas escreviam. Qual protestante da face da terra crê numa baboseira dessas? Qual evangélico do planeta contesta o fato óbvio que Irineu disse, de que o evangelho foi primeiro pregado oralmente, e só depois passado por escrito? Eu não conheço nenhum. Que os discípulos pregaram oralmente, isso é ÓBVIO. A discussão não é essa, mas sim de que forma que nós podemos encontrar HOJE esse conteúdo do que foi originalmente pregado pelos apóstolos. E Irineu responde igualzinho os protestantes fazem: Escritura, Escritura, Escritura!

      E o argumento da sucessão apostólica? Ele já parte de uma premissa falsa, de que supostamente somente o bispo de Roma possui sucessão. Isso é notoriamente falso. Qualquer principiante em história da Igreja sabe que TODAS as igrejas antigas possuíam sucessão, inclusive a de Antioquia, que teve Pedro como seu primeiro bispo, e cuja sucessão reside hoje na Igreja Ortodoxa. Você pode ver a lista de sucessão dessa igreja aqui:

      http://sor.cua.edu/patriarchate/patriarchschronlist.html

      Só isso já seria o bastante para jogar no lixo a tese de que a sucessão apostólica é o bastante para garantir a legitimidade da doutrina. NÃO É. Se fosse, então os ortodoxos não teriam caído em apostasia (segundo os romanos), nem os romanos teriam caído em apostasia (segundo os ortodoxos). Isso porque a verdadeira sucessão apostólica nos dias de hoje reside em guardar as DOUTIRNAS APOSTÓLICAS, uma vez que a apostolicidade e a ortodoxia de uma Igreja mede-se pela correspondência da sua doutrina com a doutrina pregada pelos apóstolos de Jesus Cristo conforme esta se encontra registrada no Novo Testamento, e não pela mera sucessão de bispos, que podem cair em apostasia. O corpo doutrinal do catolicismo romano, da forma que existe hoje, tem muito pouco de bíblico, e portanto não pode ser legitimamente considerado “apostólico”.

      E isso significa que as portas do inferno prevaleceram contra a Igreja? NÃO! Para que as portas do inferno prevalecessem, teria que todos os cristãos do mundo todo apostatassem, de modo que a Igreja de Cristo não se encontrasse em lugar nenhum. Obviamente isso nunca aconteceu, porque sempre houve remanescentes, assim como Israel, mesmo quando em Israel apenas sete mil joelhos não haviam se dobrado diante de Baal (1Rs.19:18). Isso obviamente NÃO SIGNIFICA que uma igreja local em particular, como Roma, não possa apostatar, como Paulo escreve aos romanos:

      “Se alguns ramos foram cortados, e você, sendo oliveira brava, foi enxertado entre os outros e agora participa da seiva que vem da raiz da oliveira, não se glorie contra esses ramos. Se o fizer, saiba que não é você quem sustenta a raiz, mas a raiz a você. Então você dirá: ‘Os ramos foram cortados, para que eu fosse enxertado’. Está certo. Eles, porém, foram cortados devido à incredulidade, e você permanece pela fé. NÃO SE ORGULHE, MAS TEMA. Pois se Deus não poupou os ramos naturais, TAMBÉM NÃO POUPARÁ VOCÊ. Portanto, considere a bondade e a severidade de Deus: severidade para com aqueles que caíram, mas bondade para com você, desde que permaneça na bondade dele. De outra forma, VOCÊ TAMBÉM SERÁ CORTADO” (Romanos 11:17-22)

      Não se orgulhe, mas tema!

      Mas temer o que, se eles já eram “infalíveis” e os romanos “não podem errar na fé”? Fica claro que Paulo não tinha a mínima ideia de infalibilidade para a igreja de Roma, nem para igreja nenhuma. Eram todas falíveis, pecadoras, sujeitas ao erro e à repreensão. É por isso que o significado primordial de ekklesia, aquela que as portas do inferno não prevalecerão (Mt.16:18), não tem nada a ver com uma comunidade cristã visível em particular (como Roma), mas com o conjunto de todos os crentes verdadeiros e regenerados, onde quer que eles estejam.

      Excluir
    3. A ICAR inventa e inventa muito, distorcendo os ensinamentos de Jesus através de livres interpretações dos papas que se dizem inspirados por Deus, mas Jesus não mudou uma única vírgula de tudo o que Ele ensinou em Sua primeira passagem por este mundo, e que nos é legado hoje nas Escrituras, que são o pilar e o fundamento da nossa fé. E, por favor, antes de postar um novo comentário, faça uma consulta neste site, pois não há nada que você possa argumentar que já não tenha sido refutado em alguns dos mais de 330 artigos que aqui contém. Muito obrigado.

      Excluir
    4. Lucas dizem que o ebscopado monárquico surgiu na segundo metade do segundo século,mas vc disse que a igreja de Antioquia tem como primeiro bispo Pedro,além do mais,Policarpo era bispo da Ásia também logo no primeiro se cujo para o segundo,não há uma contradição em afirmar um ebscopado monárquico tardio?

      Excluir
    5. O que não existia era um bispo acima de todos os outros bispos, como um "papa". E em Roma, nem sequer havia a figura do "bispo único", sendo essa igreja liderada por presbíteros. Mas em outras igrejas, como é atestado nas cartas de Inácio, já existia naquela altura a figura de um bispo acima dos outros bispos, mas apenas no âmbito da própria igreja local e não da Igreja universal (católica). Embora na Bíblia o bispo não seja mais do que o presbítero ou pastor, são apenas nomenclaturas diferentes para um mesmo cargo, o próprio apóstolo João, assim como Pedro, se chamavam de "presbíteros" em vez de se colocarem como bispos.

      Excluir
  5. ... Enquanto Isso os católicos festejam...

    https://pt-br.facebook.com/paulo.leitao.7/posts/540499222725630

    Posso ver o P Leitão babando de alegria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkk

      Paulo Porcão sempre se superando nos argumentos imbecis. Quer dizer que Jesus não pode ser a pedra de fundamento, já que ele é citado como sendo também a pedra angular? Então como Pedro pode ser a pedra de fundamento, já que ele é citado como sendo também uma COLUNA (Gl.2:9), que qualquer pedreiro à la Leitão sabe que NÃO É o fundamento? Hushausahsaush o cara se auto-refuta no mesmo parágrafo e ainda quer "refutar protestantes".... que piada.

      Isso sem falar que o bobalhão ainda não sabe que em 1 Coríntios 3:11 Jesus é declarado EXPLICITAMENTE como sendo o fundamento, e pior, como sendo o ÚNICO fundamento(!), e agora o que o Leitão vai fazer para continuar engando seus zumbis adestrados?

      "Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo" (1 Coríntios 3:11)

      A parte final do argumento é tão ridícula quanto. A Igreja estaria edificada, não sobre Pedro como pessoa, mas sobre a confissão de Pedro, sobre “Cristo, o Filho do Deus vivo” (v.16), o que foi confessado por ele. Tal entendimento é provado em versículos como Atos 7:17-19, em que o “este” se refere não ao antecedente mais próximo, mas ao mais distante:

      “À proporção que se aproximava o tempo da promessa que Deus fez a Abraão, crescia o povo, e multiplicava-se no Egito, até que se levantou ali outro rei, que não conhecia a José. Este rei usou de astúcia contra a nossa raça e afligiu nossos pais, ao ponto de fazê-los enjeitar seus filhos, para que não vivessem” (Atos 7:17-19)

      No caso acima, o tradutor preferiu incluir a palavra “rei” no verso 19 para deixar claro que a menção não é a José, mas ao Faraó. Ocorre, porém, que a palavra “rei” não existe no verso 19, que diz: “ἄχρι οὗἀνέστη βασιλεὺς ἕτερος ἐπ’ Αἴγυπτον ὃς οὐκ ᾔδει τὸν Ἰωσήφ, οὗτοςκατασοφισάμενος τὸ γένος ἡμῶνἐκάκωσεν τοὺς πατέρας”. A tradução literal seria: “este usou de astúcia...”. Embora o antecedente direto seja José, a referência evidentemente não é a ele, mas ao antecedente mais distante, o Faraó. O mesmo podemos observar em outros casos, como, por exemplo, o de Atos 4:10-11:

      “Seja conhecido de vós todos, e de todo o provo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, em nome desse é quem este está são diante de vós. Ele é a pedra que foi rejeitada por vós…” (Atos 4:10,11)

      Aqui, os tradutores optaram por colocar “ele” no verso 11, quando o original traz “este”, e não “ele”. Literalmente, o texto bíblico diz: “este é a pedra que foi rejeitada por vós...”. Evidentemente, a referência não é imediatamente ao mais próximo no relato (o paralítico curado), mas ao antecedente mais remoto, Jesus, que foi citado no início do verso anterior, que é a pedra de que Pedro fala no verso 11. E, se usássemos a mesma lógica católica, deveríamos crer que Jesus é o anticristo, pois João diz:

      “Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Este mesmo é o anticristo, que nega o Pai e o Filho” (1ª João 2:22)

      No original grego lemos:

      “Τίς ἐστιν ὁ ψεύστης εἰ μὴ ὁ ἀρνούμενος ὅτι Ἰησοῦς οὐκ ἐστιν ὁΧριστός οὗτος ἐστιν ὁ ἀντίχριστος ὁἀρνούμενος τὸν πατέρα καὶ τὸν υἱόν”

      Perceba que οὗτος (traduzido por “este” na grande maioria das vezes em que se encontra no NT) segue imediatamente a Χριστός (traduzido por Cristo), mas seria completamente descontextual, e até mesmo blasfêmia, considerarmos que o “este mesmo” se referia ao antecedente mais direto, que é Jesus, quando na verdade é uma referência ao antecedente mais remoto, o “mentiroso” que aparece no início do verso.

      Alguém precisa urgentemente ensinar exegese a este pobre coitado Porcão.

      Excluir
  6. olá lucas.
    vc poderia tirar estas dúvida , antes que eu esqueça, não estou conseguindo entrar no site fim da fraude.
    http://www.ofielcatolico.com.br/2005/09/sola-scriptura-e-as-imagens-no-culto.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Fim da Fraude está funcionando normalmente aqui:

      https://fimdafraude.wordpress.com

      Sobre o artigo católico, tudo o que eu li é a repetição exaustiva dos mesmos argumentos católicos batidos de sempre, ou seja, o mesmos que eu ouço todos os dias há sete anos consecutivos, e que já foram refutados milhões de vezes neste blog. Abaixo você confere o argumento católico e o artigo de refutação embaixo:

      a) Igreja Católica é coluna e sustentáculo da verdade:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/06/a-igreja-e-coluna-e-sustentaculo-da.html

      b) Sobre a Sola Scriptura em 2 Timóteo 3:16:

      http://apologiacrista.com/a-sola-scriptura-p3

      c) Sobre a Bíblia ser filha da Igreja Católica:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/02/a-biblia-e-filha-da-igreja.html

      d) Sobre a Septuaginta e os deuterocanônicos:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/02/o-canon-biblico-dos-judeus.html

      e) Sobre a Igreja ter sido fundada sobre Pedro:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/01/estudo-exegetico-completo-sobre-mateus.html

      f) Sobre Pedro pastorear as ovelhas:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2013/10/pedro-pastoreie-as-minhas-ovelhas.html

      g) Sobre a Escritura não ser de interpretação individual:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/09/pedro-disse-que-escritura-nao-pode-ser.html

      h) Sobre os discípulos perdoarem pecados:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/09/os-discipulos-podiam-perdoar-pecados.html

      i) Sobre a tradição que Paulo mandou guardar:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/09/paulo-e-as-tradicoes-do-catolicismo.html

      j) Sobre o culto às imagens:

      http://apologiacrista.com/imagens-de-escultura

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2013/05/nao-adoram-so-veneram.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/09/a-arca-da-alianca-justifica-idolatria.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/03/os-pais-da-igreja-contra-o-culto-as.html

      Enfim, todo o conteúdo do artigo dele é apenas uma repetição ad nauseam das mesmas falácias romanistas de sempre, às quais já refutamos milhares de vezes (mas eles continuam repetindo assim mesmo).

      Se precisar de ajuda em algum outro texto em particular, fique à vontade.

      Abraços.

      Excluir
  7. "Afinal, se inicialmente pregaram em público e somente depois “tempos mais recentes” que surgiu as escrituras, fica claro que, no mínimo, a tradição oral foi importante para o surgimento e crescimento da Igreja primitiva, com a sola escriptura surgindo depois que já havia uma doutrina."

    Resposta

    Será que o católico aí poderia nos apresentar alguma prova de que essa dita tradição oral dos apóstolos É A MESMA TRADIÇÃO CATÓLICA ROMANA????

    Lembrando que segundo eles mesmos "nem tudo está na Bíblia" logo eles NÃO PODEM USÁ-LA para atestar tal argumento.

    E mais, a obra "Erros e principais males dos crentes ou protestantes" publicada sobre o IMPRIMATUR do Monsenhor Aristides Rocha diz que "... ACIMA DA BÍBLIA, está a TRADIÇÃO ", logo eles consideram i que NÃO ESTÁ ESCRITO simplesmente SUPERIOR À ESCRITURA INSPIRADA PELO PRÓPRIO DEUS.

    O "X" da questão é:

    QUAIS EVIDÊNCIAS ELES TEM DISSO, SE A TRADIÇÃO CATÓLICA ROMANA DIZ UMA COISA E A BÍBLIA DIZ OUTRA TOTALMENTE OPOSTA?

    Queimem bem a mufa pra responder isso católicos.

    ResponderExcluir
  8. Meu prestado irmão, me permita lhe dar uma ajuda. Seria bom que os católicos também pudessem ler esse artigo antes de despejar seus argumentos inúteis aqui:

    http://agrandecidade.com/2015/08/14/paulo-e-as-tradicoes-do-catolicismo/

    ResponderExcluir
  9. Como é????

    "A ICAR não cria nem inventa nada, Ela apenas mantém os ensinamentos de Jesus livre das interpretações individuais de pessoas que se dizem inspiradas por Deus, afinal, até hoje, Jesus não mudou uma única vírgula de tudo o que Ele ensinou em Sua primeira passagem por este mundo."

    Resposta

    Me responderia essas perguntinhas?

    1- Qual apóstolo ensinou a fazer preces aos mortos? Jeremias 33.3 e Isaías 8.19 foram riscados da sua biblia??

    2- Qual apóstolo ensinou que Maria é imaculada - A igreja do Oriente DISCORDA? Romanos 3.23 e 5.12 foram riscados da sua biblia??

    3- Qual apóstolo ensinou que a Rocha inabalável da Igreja seria Pedro? Isaías 28.16 e 44.8 foram riscados da sua?

    4- Qual apóstolo ensinou que existia hierarquia entre os apóstolos? Mateus 20.26,27 também foi riscado da sua biblia?

    5- Qual apóstolo ensinou que Pedro tinha um suposto primado e que esse mesmo primado recaia JUSTAMENTE SOBRE OS BISPOS ROMANOS?

    6 - Qual apóstolo confirma a presença de Pedro em Roma como BISPO?

    7- Qual apóstolo ensinou que Roma possui a primazia UNIVERSAL sobre as demais igrejas?

    8- Qual apóstolo ensinou que fora da igreja católica não há salvação ao invés de fora de CRISTO?

    9- Qual apóstolo ensinou que pra sermos salvos devemos nos submeter ao Papa? Tiago 4.7 foi riscado da sua biblia?

    10- Qual apóstolo ensinou que devemos colocar imagens RITUALISTICAS nos templos e render o culto de DULIA - ESCRAVO - E HIPERDULIA - SUPER ESCRAVO a essas imagens e as da Virgem Maria? Mateus 4.10 e 1 Coríntios 7.23 também foram riscados da sua biblia?

    11- Qual apóstolo ensinou que se deve batizar recém nascidos que NEM CONSCIÊNCIA DO PECADO PARA QUE POSSAM SE ARREPENDER DELE POSSUEM? Marcos 16.15,16 também foi riscado da sua biblia?

    12- Qual apóstolo ensinou que existe o purgatório? Lucas 23.43 foi riscado da sua biblia?

    13- Qual apóstolo ensinou devemos acender velas aos finados?

    14- Qual apóstolo ensinou que "ao Reino de Maria, TODOS ESTÃO SUJEITOS, ATÉ O PRÓPRIO DEUS " - glórias de Maria? Isaías 42.8 foi riscado da sua biblia?

    continua.

    ResponderExcluir
  10. Parte 2

    15- Qual apóstolo ensinou que "seremos muito mais rapidamente atendidos se pedirmos em nome de Maria que invocando o santíssimo nome de Jesus" - Glórias de Maria? Mateus 6.6, e João 14.13,14 também foram riscados da sua biblia?

    16- Qual apóstolo ensinou que "NINGUÉM SE SALVA SE NÃO FOR POR MEIO DE MARIA" - glórias de Maria? Atos 4.11,12, Romanos 10.9 e Atos 16.31 também foram riscados da sua biblia?

    17- Qual apóstolo ensinou que "ninguém pode entrar no céu SENÃO PELA PORTA, QUE É MARIA" - glórias de Maria? João 10.9 também foi riscado da sua biblia?

    18- Qual apóstolo ensinou que "se Maria é por nós, quem será contra nós " - Glórias de Maria? - Romanos 8.31 também foi riscado da sua biblia?

    19- Qual apóstolo ensinou que Maria é eternamente virgem? Mateus 1.25 também foi riscado da sua biblia?

    20- Qual apóstolo ensinou que Pedro era chefe dos apóstolos? Mateus 20.26,27 também foi riscado da sua biblia???????

    21- Qual apóstolo ensinou que Maria é senhora espiritual dos cristãos e da igreja? Deuteronomio 6.4, Isaías 45.5 e Mateus 6.24 também foram riscados da sua biblia????

    22- Qual apóstolo ensinou que Roma era a maior e mais antiga das igrejas? Atos 11.29 também foi riscado da sua biblia?????

    23- Qual apóstolo ensinou que o bispo de Roma é infalível? Romanos 3.4 também foi riscado da sua biblia?

    24- Qual apóstolo ensinou que Maria foi assusta aos céus em corpo e alma?

    Essa aqui é a melhor de todas

    25- Qual apóstolo ensinou que o deus ALÁ dos muçulmanos É O MESMO DEUS DOS CRISTÃOS? Êxodo 20.2 TAMBÉM FOI RISCADO DA SUA BIBLIA????

    DUVIDA? OLHA

    A Declaração sobre a Relação da Igreja com as Religiões Não-Cristãs, do Concílio Vaticano II, Nostra Aetate 3:

    "A Igreja olha também com estima para os muçulmanos. Adoram eles o Deus Único, vivo e subsistente, misericordioso e onipotente, criador do céu e da terra, que falou aos homens e a cujos decretos, mesmo ocultos, procuram submeter-se de todo o coração, como a Deus se submeteu Abraão, com quem a fé islâmica de bom grado vincula-se."

    É ISSO QUE A TRADIÇÃO CATÓLICA ENSINA???? FOI ISSO QUE OS APÓSTOLOS ENSINARAM ORALMENTE????
    ENTÃO É MELHOR JOGAR A BÍBLIA FORA CATÓLICO, POIS NEM NELA VOCÊ ACHA ESPAÇO PRA ESSE ENSINO MENTIROSO, VIRO CATÓLICO SE VOCÊ ME
    MOSTRAR O CONTRÁRIO.

    ResponderExcluir
  11. Esta citação de Irineu é interessantíssima:

    "De nada mais temos aprendido o plano de nossa salvação, senão daqueles através de quem o evangelho nos chegou, o qual eles pregaram inicialmente em público, e, em tempos mais recentes, pela vontade de Deus, nos foi legado por eles nas Escrituras, para que sejam o fundamento e pilar de nossa fé”

    Irineu deixa claro que a pregação apostólica foi escriturada. Se ele fosse romanista, diria que PARTE da pregação apostólica foi escriturada e a outra parte foi transmitida apenas oralmente. Não por acaso, sempre que Irineu nos diz o conteúdo doutrinário da tradição apostólica, descreve apenas doutrinas bíblicas.

    A Sola Scriptura não nega que o Evangelho foi pregado oralmente, nem nega que o Evangelho foi transmitido oralmente, assim como qualquer pregador evangélico o faz todos os domingos. O que afirmamos junto com Irineu é que a pregação apostólica foi escriturada, e que qualquer apelo a alguma doutrina não-escrita carece de qualquer evidência.

    ResponderExcluir
  12. Olá Lucas, gostaria de poder conhecer uma lista completa de todas as citações de livros do novo testamento a respeito de outros livros do novo testamento, a exemplo de (2ª Pedro 3:15-16) e (1 Timóteo 5:18), se quiser pode escrever na resposta ou me dá um link que contem esta lista.
    Não precisa a citação do novo testamento a respeito do antigo testamento, pois eu já possuo esta lista.
    grato desde já.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São raras as citações do Novo Testamento em outras partes do próprio Novo Testamento, da mesma forma que são raras as citações do Antigo Testamento no próprio Antigo Testamento. Isso porque os livros ainda estavam sendo escritos na época, e não circulavam em todos os lugares ainda. De cabeça, eu só lembro dos seguintes:

      “Devem ser considerados merecedores de dobrados honorários os presbíteros que presidem bem, com especialidade os que se afadigam na palavra e no ensino. Pois a Escritura declara: ‘Não amordaces o boi, quando pisa o trigo’. E ainda: ‘O trabalhador é digno do seu salário’” (1 Timóteo 5:18)

      A segunda parte foi citada de:

      "Ficai nessa casa, comendo e bebendo do que eles tiverem; pois o trabalhador é digno do seu salário. Não andeis de casa em casa” (Lucas 10:7)

      Outro exemplo:

      "E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim" (1 Coríntios 11:24)

      Com:

      "E, comendo eles, tomou Jesus pão e, abençoando-o, o partiu e deu-lho, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo" (Marcos 14:22)

      Claro que isso desconsidera os ecos dos evangelhos (quando um evangelista citava ou mencionava um mesmo evento ou história contada por Jesus). Pedro também cita os escritos de Paulo em 2 Pedro 3:15, mas sem citar nenhum texto em específico.

      Excluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links) e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.