6 de setembro de 2015

Vinte sinais de que você está em decadência


Em poucas linhas, decadência é “o estado do que está começando a se degradar e se encaminha rapidamente para o fim, para a ruína”. Geralmente, embora não sempre, essa decadência vem depois de muitos anos em que alguém constrói alguma coisa útil, e na velhice decide destruir tudo o que construiu com atitudes infantis e imbecis. Aqui irei citar alguns sinais de decadência, que podem ser observados na vida de um senhor (senhor não, Mestre) que de tanto andar com o Pe. Paulo Ricardo contraiu também o vírus do fanatismo antiprotestante e do ódio aos evangélicos.

Bloqueie sem volta quem lhe pede coerência ou educação.


Ridicularize o tempo todo quem não escreve tudo certinho, e logo depois escreva “Martha” Suplicy.




Solte a pérola de que a “Alemanha protestante era atrasada”, enquanto a maioria dos países majoritariamente católicos é pobre ou miserável.


Como um típico picareta, contradiga absolutamente tudo o que você afirmava até poucos anos atrás.

-Olavo hoje:


-Olavo em 2003:


Vomite em um poço de ignorância histórica afirmações do tipo: “a venda de indulgências nunca existiu”.


Surte e diga que os fundadores protestantes da América estavam fugindo dos protestantes e por causa dessa perseguição que protestantes sofriam de protestantes decidiram fundar um país protestante.


Invente uma citação apócrifa de Jesus que nunca existiu, e depois bloqueie aquele que denunciar o fato.





Depois disso, seja humilhado em um debate pela mesma pessoa que denunciou sua fraude, e depois de ser refutado saia de fininho, fingindo que nada aconteceu:


 

Depois de ser surrado, diga que vai provar suas afirmações antiprotestantes com filmes de Hollywood(?), que provam de forma cabal e totalmente irrefutável que existe um plano mundial secreto conspiracionista armado contra a #ICAR por esses protestantes do mal. E entre essas provas cabais, cite filmes como “O Código da Vinci” e “O Poderoso Chefão”.


 

 

Diga que todos aqueles que não concordam com suas sandices e demências é porque ainda não estão “qualificados” o suficiente.


10º Faça afirmações de cunho extraordinário, das quais você não terá a mínima condição de provar, e jogue o ônus da prova para o oponente caso ele conteste a afirmação fantasiosa.


11º Depois de muitos protestantes o ajudarem a chegar ao local em que chegou, mande todos eles à merda.


12º Chame Lutero e Calvino de “filhos da p***”, e aproveite e xingue também os de sua própria religião. E se alguém mais tarde o inquirir a respeito, se esconda sob o manto da “máquina bilionária de difamação anticatólica hollywoodiana”.


13º Diga que a ascensão do PT é culpa das igrejas evangélicas, mesmo que a esmagadora maioria dos eleitores de Lula/Dilma tenha sido católica, mesmo que a bancada conservadora no congresso esteja repleta de pastores e não de padres, mesmo que sejam os pastores que mais preguem contra o PT enquanto a maioria dos padres se omite, mesmo que a CNBB seja um quartel vermelho, mesmo que os próprios petistas estejam cagando e andando para a #ICAR e se coloquem explicitamente em guerra contra os evangélicos (veja aqui), mesmo que nos EUA a queda do conservadorismo tenha sido proporcionalmente equivalente à queda do protestantismo, e mesmo que em outros lugares (como a Venezuela) partidos muito mais esquerdistas do que o PT (como o de Hugo Chávez) tenham conseguido o poder em nações cuja quantidade de evangélicos é completamente insignificante em comparado com a quantidade de católicos.


14º Use o fantástico e extraordinário “argumento do sangue” contra os protestantes, demonstrando o mesmo nível profundo de conhecimento teológico que os pirralhos catoleigos debatedores de fundo de quintal demonstram por aí todos os dias.


 

15º Pregue a idolatria a Maria sem absolutamente nenhum fundamento teológico, mas pelo puro achismo proveniente da cabeça de eisegetas que querem fundamentar doutrinas com base no eu quero, porque quero, porque quero!


16º Depois de dar o apito à Maria, observe em sua própria página os abestados fanatizados sendo atraídos explicitamente para a divinização de Maria, com os demais zumbis o apoiando.


17º Continue demonstrando habilidades teológicas profundas afirmando que a predestinação que a Bíblia fala é uma “figura de linguagem”.


18º Compre o diploma de retardado tentando relacionar o nazismo a Lutero (pelo mesmo assim ele teria algum), e ignore sumariamente todo o caminhão gigantesco de antissemitismo presente massivamente nos documentos católicos por séculos e mais séculos.


Sínodo
Catolicismo
Nazismo
Sínodo de Elvira, em 306
Proibição de casamentos e relações sexuais entre cristãos e judeus e proibição aos judeus de comerem junto com cristãos.
Em 15 de setembro de 1935:

O nazismo fez o mesmo, criando a lei de proteção ao sangue e honra dos alemães.
Sínodo de Clermont, em 535
Exclusão dos judeus de todas as funções públicas
7 de abril de 1933:

O Nazismo fez o mesmo, criando a Lei para a restauração do serviço público profissional.
Sínodo de Orleans, em 538
Proibição aos judeus de terem empregados cristãos.
15 de setembro de 1935:

O Nazismo fez o mesmo, com sua Lei para a Proteção do Sangue Alemão e Honra Alemã.
Sínodo de Orleans, em 538
Proibição aos judeus de aparecerem nas ruas durante a Semana Santa.
03 de dezembro de 1938:

O Nazismo fez o mesmo, com um decreto que autorizava as autoridades locais proibirem os judeus de aparecem nas ruas durante certos feriados.
XII Concilio de Toledo, 681
Destruição do Talmud e outros livros judaicos.
Os nacionais-socialistas fizeram o mesmo em toda a Alemanha.
Sínodo de Trulanic 692
Proibição aos cristãos de se tratarem com médicos judeus.
25 de julho de 1938:

Cria-se um decreto nazista estabelecendo o mesmo.
Sínodo de Narbonne 1050
Proibição a cristãos de conviverem com famílias judias.
28 de dezembro de 1938:

O nazismo faz o mesmo, criando a Diretiva de Goering, proibindo a concentração de judeus em casas residências arianas.
Sínodo de Szabolcs,  1092
Proibição de trabalhar aos domingos
Idem.
Terceiro Concilio de Latrão, em 1179
O Canon 26, proíbe judeus deporem contra cristãos em tribunais.
9 de setembro de 1942:

O nazismo faz o mesmo, com a Proposta de Chancelaria do Reich, impedindo os judeus de executarem ações civis na Justiça.
Terceiro Concílio de Latrão, em 1179
Judeus são proibidos de receber herança de cristãos.
31 de Julho de 1938:

Novamente, o nazismo toda a mesma medida, criando um decreto que permite ao Ministério da Justiça substituir as vontades que ofendem o "bom senso das pessoas".
Quarto Concílio de Latrão, em 1215
Estabelece o uso obrigatório de um símbolo a ser usado pelos judeus em sua vestimenta como marca de identificação.
01 de setembro de 1941:

O nazismo faz o mesmo.
Concilio de Oxford, em 1222
Proibição de construir novas sinagogas.
Idem.
Sínodo de Viena, em 1267
Proibição a cristãos de assistirem as cerimônias judias.

Proibição aos judeus de discutir doutrinas da religião cristã com cristãos do povo.
24 de outubro de 1941:

O nazismo faz o mesmo, proibindo aos arianos de manterem quaisquer relações amistosas com os judeus.
Sínodo de Breslau, em 1267
Se estabelece o confinamento de judeus em Guetos obrigatórios.
21 de setembro de 1939:

Inicia-se a Ordem de Heydrich, definindo o aprisionamento de judeus em guetos.
Sínodo do Ofen, em 1279
Proibição aos cristãos de venderem ou alugarem bens imobiliários a judeus.
Idem.
Sínodo de Lavour, em 1368
Proibição de vender ou transferir aos judeus objetos pertencentes à Igreja.
Proibição de vender ou transferir aos judeus objetos pertencentes ao estado nazista.
Concílio de Basiléia, em 1434
Proibição a judeus de agirem como intermediários em transações comerciais, imobiliárias ou contratos de casamentos.
Idem.
Concílio de Basileia, em 1434
Proibição de dar títulos acadêmicos a judeus.
25 de Abril de 1933:

O mesmo faz o nazismo, retirando os judeus de todas as escolas e universidades.

Para ler mais sobre, confira:


Mas é claro que o velho decadente prefere omitir tudo isso (e muito mais) da parte da Igreja Romana, a fim de atacar apenas Lutero (que surpresa).

19º Se você quiser ser bem hardcore no quesito de argumentos imbecis, cite este argumento bombástico contra a Sola Scriptura, que esmiúça por completo qualquer Norman Geisler ou John Piper:


20º Finalmente, forme para si uma seita constituída por uma legião de zumbis fanatizados, cegos bitolados, adoradores incondicionais, vaquinhas de presépio e catoleigos idiotizados. Dê até nome a esta seita, e de preferência um bem descolado, do tipo “olavettes”. Faça com que essa legião de zumbis fanatizados com carência de um Mestre o siga de forma tão acrítica e incondicional que agrida qualquer um que o critique mesmo quando você está errado. Em suma, condicione-os de tal forma com que eles se tornem impossibilitados de pensar por si próprios, e precisem do Mestre para tudo.


 

Se você conseguiu reunir todas essas características em si mesmo, parabéns: você está em decadência. E para saber disso não será preciso nem consultar os astros.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (www.lucasbanzoli.com)


-Meus livros:

- Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:

LucasBanzoli.Com (Um compêndio de todos os meus artigos já escritos)
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Artigos devocionais e estudos bíblicos)
Desvendando a Lenda (Refutando a imortalidade da alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Fim da Fraude (Refutando as mentiras dos apologistas católicos)

34 comentários:

  1. Eu acho tudo isso bem feito...

    Cansei de ver protestante defendendo este senhor com sérios sintomas de transtorno mental. Os caras tem como mestre alguém que defende que a Igreja Romana é uma instituição divina, que diz que o romanismo é uma espécie de guardião da sociedade contra o avanço comunista.

    90% do que esse homem fala são teorias da conspiração malucas sem provas, sem contar os traços de personalidade que em nada lembram um cristão.

    Se a direita do Brasil tem esse ai como mestre, eh entendo por que ainda estamos tão atrasados no avanço de uma mentalidade pro-mercado e menos estatista.

    ResponderExcluir
  2. Onde está a lista dos livros no Novo Testamento na própria Bíblia ? Me prove isso pelo sola scripture

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkk outro demente que não sabe nem o significado de "Sola Scriptura", aliás, que não sabe nem sequer ESCREVER a palavra, que é "Scriptura" e não "Scripture", e vem postar sandices aqui no meu blog. Até quando vocês vão ficar repetindo este argumento ridículo? Coloque na cabeça de uma vez por todas: cânon NÃO É doutrina, e Sola Scriptura é o princípio segundo o qual todas as DOUTRINAS tem que estar na Bíblia. O cânon não é extraído de dentro das Escrituras, mas através de métodos históricos legítimos (ou seja, de fora dela) praticados pela Igreja cristã dos primeiros séculos. Em resumo: para o lixo este argumento.

      Encontrem uma DOUTRINA legitimamente APOSTÓLICA que não esteja na Bíblia, provem que esta doutrina possui mesmo ligação com os apóstolos, e AÍ SIM vocês estarão impugnando a Sola Scriptura.

      Sem mais.

      Excluir
    2. Este argumento é péssimo.

      O cânon não é a revelação em si, mas um subproduto da revelação. Ninguém precisa crer que o Evangelho de Mateus foi escrito por Mateus para ser salvo.

      Se um autor decide escrever um conjunto de livros, automaticamente, um cânon foi criado, mesmo que este autor não tenha escrito em lugar alguma a lista de livros. E só quem pode dizer infalivelmente o conteúdo deste cânon é o próprio autor. Assim, de forma que Deus inspirou os escritos canônicos, automaticamente um cânon foi criado, e coube à Igreja apenas reconhecê-lo e não determiná-lo, pois o autor da revelação é Deus e não a Igreja.

      A nossa confiança num cânon correto deriva das evidências externas históricas e internas dos próprios escritos e principalmente da providência divina. Se Deus inspirou um certo número de livros para que eles servissem para edificação, correção e exortação do seu povo, inevitavelmente, Deus propiciaria meios para que o seu povo reconhecesse estes livros, e foi assim que Deus trabalho no processo histórico de reconhecimento do cânon.

      Romanistas argumentam que ninguém poderia saber o cânon sem uma autoridade magisterial infalível para atestá-lo. Porém, a própria Escritura destrói este paradigma, pois Jesus responsabilizou os Judeus por conhecerem, compreenderem e praticarem as Escrituras, mesmo não tendo nenhuma autoridade infalível para dizer quais livros eram ou não canônicos. Como um Judeu que viveu 50 anos antes de Cristo poderia saber o cânon, se não havia uma autoridade infalível. Vemos que Deus trabalhou ao longo da história com o seu povo sem precisar instituir qualquer autoridade infalível.

      Não esqueçamos que o cânon só foi definido pela Igreja Romana no Concílio de Trento, no séc XVI. Durante este período de séculos, a Igreja já havia formado uma consenso quase unânime sobre o cânon do NT sem apelar a autoridade da Igreja Romana, o que prova que (1) A Igreja Primitiva não cria na existência de uma autoridade infalível, além das Escrituras (2) A Igreja reconhecia os escritos canônicos sem a necessidade de um pronunciamento infalível a respeito.

      A argumentação romanista é contradita tanto pelas Escrituras como pela história. Há também enorme incoerência na argumentação romanista, pois eles alegam terem outras duas autoridades infalíveis (magistério e tradição), porém não existe um cânon infalível da tradição ou dos documentos infalíveis do magistério. Até hoje o magistério não foi capaz de produzir uma lista de todas as tradições orais apostólicas infalivelmente transmitidas nem de todos os documentos papais supostamente infalíveis. A questão é, como você pode apelar à tradição ou magistério, se não sabe seus limites e exato conteúdo?

      Excluir
    3. Aprenda isso aqui - é menos de 15 minutos e não vai doer: http://radioipb.podomatic.com/entry/2015-08-29T12_27_48-07_00

      Não é preciso uma lista de versículos porque a Bíblia inteira se apresenta como autoridade máxima depois de Deus. Coisa óbvia porque a Bíblia é Sua palavra. Os escritores bíblicos sempre se reportam aos escritos anteriores como base para seus próprios escritos e como autoridade.

      Excluir
  3. Lucas, uma das fontes que o Olavo usa para atacar a reforma é o famoso agnóstico Eric Voegelin. Ele devia saber que a visão negativa deste não é bem vista entre seus próprios seguidores. Leia este painel do Eric voegelin institute:http://www.lsu.edu/artsci/groups/voegelin/society/2000%20Papers/PANEL5.shtml
    Os melhores artigos são:An Agnostic View of Voegelin's Gnostic Calvin e Was Eric Voegelin Fair to Martin Luther?, Que, quem sabe, possam ser traduzidos neste blog para refutar os leigos olavetes que pensam que todo sujeito pensante está do lado do Vaticano (não do Vaticano II, he he). Deus lhe de forças.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela sugestão, vou tentar traduzir quando tiver tempo e talvez nos próximos dias já esteja no blog. Abraço!

      Excluir
  4. Calunias, calunias, o Olavo só sabe falar isso Mas e todo o material antiprotestante que os catoleigos amam regurgitar ? Só a lista de difamadores de Martinho Lutero no beggars all:https://web.archive.org/web/20140528174626/http://tquid.sharpens.org/catlut1.htm, já daria prato cheio para esfregar a verdade na cara do Olavo. Graças a Deus nem os próprios scholars catolicos de hoje seguem essa linha, mas as olavetes nem ligam e falam que tudo mudou com o vaticano 2. Não reconhecem um concilio papa e ainda acham que são catolicos romanos. Que piada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pior é que a maioria das olavettes confessadamente só leem Olavo. Eles tem a mente tão fechada que parecem que vivem em uma bolha. Acreditam fielmente em tudo o que o Mestre fala, assim como os nazistas seguiam Hitler incondicionalmente. Depois que nós mostramos que já existia conservadorismo antes do Olavo, eles se irritam. Na prática, eles apenas trocaram a autoridade final da Escritura pela autoridade final do Olavo. No caso dos católicos, trocaram a autoridade final do papa pela autoridade final do Olavo. É por isso que eu nem chamo os olavettes de "católicos" mesmo, pra mim é só mais uma seita pseudocatólica.

      Excluir
  5. Lucas, já disse isso aqui uma vez e volto a repetir seu trabalho é magistral. Eu pensei que você não estivesse sabendo das asneiras que o OC estava escrevendo contra nós protestantes mas felizmente você esta atento e fez um trabalho primoroso. Eu a muito tempo deixei de ler OC, até mesmo o que ele escreve sobre politica, existem pessoas muito mais educadas e lúcidas que escrevem sobre política hoje em dia sem precisar denegrir e criar essas rixas ridículas que ele cria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado.

      Sim, e o pior é que ele se acha o único guardião do conservadorismo no Brasil, desprezando o trabalho de inúmeros conservadores bem melhores, mais educados e mais cultos do que ele. Ninguém merece tanta arrogância.

      Excluir
  6. E como vc sabe que o NT tem 27 livros?Que igreja determinou isso? se isso não tivesse ocorrido vc poderia estar agora mesmo com vários outros livros na sua biblia sem ser esses que vcs tem hoje?
    Lucas a qualquer um que ler a Bíblia, o Espírito Santo garante um correto entendimento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De novo isso? Você não se cansa de ser refutado e de voltar aqui com AS MESMAS asneiras?

      Em primeiro lugar: a Igreja não DETERMINOU o cânon, ela apenas RECONHECEU o cânon. O cânon já existia muito antes de uma Igreja dizer isso ou aquilo. O evangelho de Lucas, por exemplo, não se tornou inspirado subitamente a partir de algum concílio no século IV - ele é DESDE SEMPRE inspirado, isto é, desde que Lucas o escreveu. Este é o básico do básico, releia a resposta que o Bruno te deu, a qual você não refutou NADA.

      Em segundo lugar: essa Igreja cristã que RECONHECEU (e não que "determinou") o cânon NÃO FOI a Igreja Romana. Coloquem isso na cabeça de uma vez por todas: Hipona e Cartago NÃO ERAM Roma. Eram sínodos locais, que sequer tinham uma aplicação universal. E muito antes de Hipona e Cartago, os Pais da Igreja como Atanásio e Jerônimo já listavam os livros inspirados do NT exatamente igual estes concílios fizeram.

      Em terceiro lugar: essa Igreja cristã não tinha NADA A VER com a Igreja Romana atual. Os cristãos da época não eram liderados por um papa infalível, não criam na supremacia universal do bispo romano, não admitiam doutrinas espúrias como assunção de Maria ou imaculada conceição, não tinham dogmas como o purgatório, enfim, não tinham quase nada do que a Igreja de Roma arroga hoje como necessário para ser um "católico" de fato.

      Em quarto lugar: não há a mínima chance de estar "agora mesmo" com livros diferentes na Bíblia, porque qualquer historiador sério sabe que o NT que temos é exatamente o que deveríamos ter. Os apócrifos que não foram aprovados são comprovadamente escritos do segundo século em diante, de origem não-apostólica, e todos os que temos como canônicos são comprovadamente do século I. A decisão dos concílios não foi arbitrária! Eles sabiam o que estavam fazendo!

      Em quinto lugar: é claro que o Espírito Santo não vai dar um entendimento mágico para qualquer um que ler a Bíblia. Para isso existe uma coisa chamada EXEGESE. Vá ler a obra chamada "A Doutrina Cristã", de santo Agostinho, e veja os métodos exegéticos que ele aborda no livro, e as formas de interpretação. Depois que você terminar de ler todo o livro, volte aqui e me responda se EM QUALQUER PARTE DA OBRA Agostinho diz que a interpretação da Bíblia está condicionada a um magistério infalível romano, que é a primeira coisa que os papistas avisam nos dias de hoje, quando se trata de interpretação. Eu aguardarei sua resposta ansiosamente.

      Mais uma coisa: se você voltar aqui de novo sem refutação e com as mesmas perguntinhas infantis que já foram refutados por mim e pelo Bruno, eu deleto sem ler.

      Excluir
  7. Vou lhe dar a resposta... E isso está atestando na HISTÓRIA UNIVERSAL. Foi o Papa Dâmaso, no ano 381, que definiu quais livros deveriam entrar no Cânon do Novo Testamento. E todos os protestantes aceitam isso. Lutero quis retirar a Epístola de Tiago, mas acabou deixando-a lá. Vocês se submetem à força da Tradição, mesmo sem saber ou reconhecer. Entendeu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resposta horrível. Na lista de Dâmaso falta o livro de 2ª Coríntios. Por que você tem ele na sua Bíblia? Tradição fail?

      Excluir
    2. Nosso amigo romanista parece ter lido blogs de pouca qualidade e sequer pesquisou melhor sobre a suposta lista do Papa Dâmaso.

      (1) O Concílio de Roma, assim como os de Hipona e Cartago não eram ecumênicos, portanto, não poderia vincular toda a Igreja;

      (2) A suposta lista do Papa Dâmaso não é deste Papa, como nos diz o estudioso F. F Bruce:

      “O que é habitualmente chamado o Decreto Gelasiano sobre livros que devem ser recebidos e não recebidos toma o seu nome do Papa Gelásio (492-496). Dá uma lista de livros bíblicos como apareciam na Vulgata, com os apócrifos dispersos entre os demais. Em alguns manuscritos, na verdade, é atribuído ao papa Dámaso, como se tivesse sido promulgado por ele no Concílio de Roma em 382. Mas na realidade parece ter sido uma compilação privada redigida em alguma parte de Itália em princípios do século VI” (F.F. Bruce, “The Canon of Scripture”. Downers Grove: InterVarsity Press, 1988, p. 97).

      (3) Ainda que a lista do Papa Dâmaso fosse verdadeira, antes dele, Atanásio e provavelmente Orígenes já haviam produzido a lista com os 27 livros do Novo Testamento. No máximo, Dâmaso estaria reiterado o consenso que já havia na Igreja a respeito do N.T.

      E qual o problema de concordamos com uma tradição específica? como você acha que isso de alguma forma contraria a doutrina protestante. Não há nenhum problema em aceitar uma tradição histórica atestada pelas evidências (como é o caso do cânon) que é consistente com as Escrituras. O que não aceitamos são tradições papistas contrárias às Escrituras ou carentes de comprovação histórica.

      O fato é que o cânon bíblico só foi infalivelmente definido pela Igreja Romana em Trento, no século XVI. As questões que nosso amigo romanista precisa responder é:

      Se precisamos de uma autoridade infalível para determinar o cânon:

      (1) Como Jesus poderia ter responsabilizados os Judeus por conhecerem e aplicarem as Escrituras, se eles não poderia ter recorrido a nenhuma autoridade infalível para definir o cânon do Antigo Testamento?

      (2) Por que tantos Pais da Igreja (Orígenes, Irineu, Atanásio e outros) produziram por conta própria listas de livros inspirados que diferem do cânon romanista? Se eles cressem que na existência de um magistério infalível encabeçado pelo Bispo de Roma, teriam apelado a este magistério para dirimir a questão que tinha certa controvérsia.

      (3) Se cabia ao magistério da Igreja Romana definir infalivelmente o cânon, por que só o fez no século XVI? Para que serve um magistério infalível que deixa seus fiéis na dúvida ou no erro por séculos? A questão do cânon sempre foi motivo de controvérsia, destaca-se que na idade média, vários teólogos divergiram sobre esta questão, inclusive adotando um cânon diferente daquele definido por Roma.

      Excluir
  8. Lucas, o que dizer daquele católico velhote, que diz que a Bíblia SEM a Igreja é só papel, mas a Bíblia COM a Igreja é a Palavra de Deus?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí já é pra ser internado mesmo. Em um manicômio.

      Não existia Igreja no Antigo Testamento, será que o Antigo Testamento é só papel, e que só se tornou Palavra de Deus depois que a Igreja Romana foi fundada? E as várias partes da Bíblia nas quais nunca um papa se pronunciou sobre elas em ex cathedra, será que são só papel também, e que não há Palavra de Deus ali?

      Tem coisas que são tão ridículas que é difícil acreditar. "Papel" é o que este sujeito é - na verdade, um papelão.

      Excluir
  9. Uma das coisas que mais irrita quando o Olavo fala de Lutero é que, na cabeça dele, tudo que ocorreu de ruim na Alemanha esta na conta do reformador. Quase como se magicamente Lutero tivesse determinado a guerra dos 30 anos, o iluminismo,o pietismo, Bismarck, Hitler e a crise econômica atual. Chega até a dar medo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E em contrapartida, paradoxalmente, nada do que a Alemanha é hoje - o 6º Lugar no IDH e o 5º colocado no PIB mundial - tem a ver com Lutero. Lutero só tem a ver com as coisas ruins, é claro.

      E neste meio-tempo, enquanto os países protestantes tinham uma mentalidade profundamente estatista (segundo o Mestre), o primeiro país revolucionário é justamente... a França católica.

      Deve ser culpa de Lutero também. Maldito Lutero!

      Excluir
  10. Os argumentos do Olavo estão no nível deste video:https://www.youtube.com/watch?v=v9NGHjGX10Y&list=PLHoDNjAuh0F838rDDgFjQ8MlUu3ZRcm5t&index=13
    Foque na conversa a partir do 1:45.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahaha eu ainda acho que esse cara do vídeo tem argumentos melhores do que o Olavo :)

      Excluir
  11. Essa sobre a predestinação ser apenas uma figura de linguagem entrou na história. Olavo aloprou!
    Essa declaração, para mim, o qualifica como um pelagiano.

    ResponderExcluir
  12. Acompanhei ultimamente Olavo pelo Facebook, até li um de seus livros, não tinha visto esses comentários. Pode me indicar algum conservador decente pra eu tentar acompanhar agora (politicamente)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Algumas obras de referência:

      Francis Schaeffer, livro: "Como Viveremos", e "A Morte da Razão".

      Gordon Clark, "Uma visão cristã dos homens e do mundo".

      Herman Dooyeweerd, "Raízes da cultura ocidental".

      Vale ressaltar que o fato de Olavo ser um abestado em questão de religião não significa que ele não seja útil em relação a outras questões (políticas e filosóficas), eu nunca disse que não é pra ler Olavo (eu mesmo leio), é só ler de forma crítica da mesma forma que se lê qualquer outro autor (diferentemente dos olavetes bitolados e fanatizados, que acham que Olavo sempre tem razão sobre qualquer coisa, e aceitam acrítica e incondicionalmente qualquer bobagem sem sentido).

      Abraços.

      Excluir
    2. Eu já acho que nem em matéria política você deveria perder seu tempo lendo-o. Existem outras fontes muito melhores e mais qualificadas, e como o tempo é um dos ativos mais importantes que temos, aproveite-o melhor.

      O Olavo tem raros momentos de sanidade, não vale o tempo gasto.

      Excluir
  13. KKKK (são 4 Ks e não 3 Ks daquela organização " anticatólica ", racista e " protestante " etc, etc, etc, etc...), rachei de rir ! ... E sugiro 0 21o. sinal: fuja de um " santo " país Comuno-católico " avançadíssimo " e exile-se ( ou melhor, refugie-se ) num país capitalista e protestante " diabólico " e fale mal, muito mal deles ( os protestantes " capetalistas " ) que te receberam e acolheram em seu " tosco " país !

    ResponderExcluir
  14. Estou com dois sentimentos vendo os comentários dos católicos e sobre o OC
    1 - Não sei se rio ou se choro com tanta "sabedoria"
    2 - Não sei se choro ou se dou risada, pois pelo que estou vendo que para esse senhor, nós evangélicos somos o braço direito do tinhoso.
    Acho que vou ver qual é a marca da agua sanitária que lavam o cerebro

    ResponderExcluir
  15. Excelente artigo! Olavo falou muitas asneiras mesmo. Além disso, quando alguém refutava as suas proposições... ele (OC) automaticamente bloqueava. Mostrando, assim, a sua desonestidade intelectual. Porque se um seguidor do meu face apresentasse algum argumento falso... eu imediatamente refutava o mesmo. E, assim, demonstrava para os demais que aquele indivíduo estava errado nas suas colocações. Mas bloquear este... Hum, isso é tática de esquerdista... Omitir a verdade e os bons argumentos. Portando, parabéns pelos seus artigos Lucas! Que Deus esteja capacitando você todos os dias e que a Paz do Senhor também esteja com você. Até mais! Obs: Vou continuar acompanhando os seus artigos porque são excelentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade quando esse artigo foi escrito, em 2015, ele não havia dito nem 1% das canalhices e dos ataques histérios e mentirosos contra a fé evangélica que ele fez depois disso (e continua fazendo até hoje). Mas como o que esse senhor mais quer é atenção e ibope, o melhor a fazer é ignorá-lo e deixá-lo no ostracismo ao qual ele está irremediavelmente fadado. Abs!

      Excluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links) e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.