A tradição oral de Abraão e a Sola Scriptura


Recentemente, um catoleigo postou nos comentários do artigo sobre "Paulo e as tradições do catolicismo" um argumento mega bombástico que fulminou de uma vez por todas com a Sola Scriptura:


Eu sei que muita gente deve ter pensado que eu inventei um fake católico para ridicularizar o catolicismo criando argumentos do tipo. Mas eu juro por tudo o que é mais sagrado que não. Para ridicularizar o catolicismo já basta o Paulo Leitão. Eu diariamente recebo emails tão ou mais aberrantes que isso, que mostram o nível da apologética católica tupiniquim. O print do comentário acima é somente mais um dentre tantos exemplos de uma apologética medíocre, falida e fracassada, que expressa bem a imagem dos principais proponentes da apologética papista no Brasil.

No mundo de fantasia dos zumbis tridentinos, Abraão na verdade guardava a tradição oral romanista e seguia à risca o magistério infalível da Igreja. Eis aí a resposta fatal que desmorona por completo com a Sola Scriptura.

Mas no fundo de todo o lixo argumentacional papista, há sempre algo que podemos aprender. O romanista ilustrou algo bastante interessante: de que forma que podemos saber hoje aquilo que Abraão cria? Note bem: não estou perguntando o que Abraão seguia ou não. É óbvio que Abraão não seguia a Escritura se a Escritura não existia ainda, assim como Adão não tinha a Bíblia como a "regra de fé e prática" (e nenhum dos dois tinha a tradição oral papista também, ou um magistério infalível). O que eu estou perguntando é bem específico: de que forma que nós, hoje em dia, podemos saber no que Abraão cria?

Ironicamente, a resposta tanto de católicos quanto de evangélicos é uma só: com a Escritura. Se não fosse pelo registro por escrito sobre Abraão, naquilo que hoje é conservado nas páginas da Sagrada Escritura, no Gênesis, não saberíamos nada sobre Abraão, ou no máximo teríamos apenas uma ideia bem vaga, duvidosa e obscura. Quantas fontes seguras fora da Bíblia nós temos sobre Abraão? Nada, exceto alguns livros apócrifos pouco confiáveis, de data muito posterior ao Gênesis. E quantas tradições orais seguras fora da Bíblia nós temos sobre Abraão? Nada, exceto tradições rabínicas igualmente muito pouco seguras, que nem a #ICAR segue nos dias de hoje.

É irônico pensar que na época de Jesus havia o mesmo confronto que existe hoje entre cristãos e católicos, mas entre Cristo e os fariseus. Enquanto Jesus tinha a Escritura como a regra de fé e prática, os fariseus observavam também várias tradições orais e ensinamentos que supostamente teriam sido conservados incorruptivelmente desde os tempos antigos até a época deles, e, assim, acrescentavam doutrinas além daquilo que estava na Escritura, e que mais tarde foram incluídas no Midrash. Veja como os judeus tratavam as tradições orais do Midrash e compare com o que é argumentado hoje em dia pelos papistas e suas próprias tradições orais:

"[O Midrash] foi uma forma narrativa criada por volta do século I a.e.c em Israel pelo povo judeu. Esta forma narrativa desenvolveu-se através da tradição oral até ter a sua primeira compilação apenas por volta do ano 500 e.c. no livro Midrash Rabbah. Segundo a tradição oral judaica Deus teria revelado a Moisés não somente as leis de seu povo Torá mas também uma série de conhecimentos complementares que deveriam ser passados de pai para filho, o que eles chamavam de Torá Oral"[1]

Parece católico falando, mas não é nada a menos que o pensamento dos fariseus na época de Cristo, que diziam exatamente a mesma coisa que os católicos romanos dizem nos dias de hoje em relação à tradição oral extra-bíblica. Mas note como Jesus lhes tratou:

Mateus 5:13 – E por que vocês transgridem o mandamento de Deus por causa da tradição de vocês?

Mateus 15:6 – Assim vocês anulam a palavra de Deus por causa da tradição de vocês.

Marcos 7:3 – Assim vocês anulam a palavra de Deus, por meio da tradição que vocês mesmos transmitiram. E fazem muitas coisas como essa.

Marcos 7:6,7 – Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim; em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens.

Marcos 7:8 – Vocês negligenciam os mandamentos de Deus e se apegam às tradições dos homens.

Marcos 7:9 – Vocês estão sempre encontrando uma boa maneira para pôr de lado os mandamentos de Deus, a fim de obedecer às suas tradições!

Jesus aceitava as tradições orais doutrinárias extra-bíblicas, que supostamente teriam sido conservadas incorruptivelmente pelos fariseus? Claro que não. Ele só tomava como normativo o conteúdo da Sagrada Escritura. Ele obviamente não achava que as tradições orais sobre Abraão, Moisés, Davi ou quem quer que seja tivessem se preservado realmente. Isso significa que, para Jesus, apenas aquilo que foi transmitido por escrito, na Escritura, é que havia sido conservado incorruptivelmente. Esta é a razão pela qual é somente na Escritura que algum judeu da época de Cristo poderia conhecer as crenças e a história de Abraão, e é essa a razão pela qual a própria Igreja Católica não se apoia em nenhuma tradição oral rabínica em torno de Abraão, mas somente naquilo que foi conservado por escrito sobre ele.

Portanto, ironicamente, a Igreja Romana é Sola Scripturista em relação ao Antigo Testamento como um todo, descartando por completo as tradições orais rabínicas que foram rejeitadas pelo próprio Cristo, ainda que não haja nenhum versículo do Antigo Testamento que diga explicitamente que só a Escritura era a regra de fé e prática. Mas quando os protestantes aplicam o mesmo princípio e critério também ao Novo Testamento, os papistas se unem aos fariseus e a todos os grupos gnósticos e heréticos, propondo a existência de uma suposta tradição oral que serve de regra de fé paralela às Escrituras, fazendo exatamente o mesmo que os fariseus faziam. Hipócritas.

À luz de tudo isso, o argumento papista se volta como um bumerangue contra eles mesmos. Ele prova que é somente na Bíblia que hoje podemos ter acesso confiável sobre aquilo que Abraão fez e cria. Isso é Sola Scriptura, pura e simplesmente. Qualquer sofista e embusteiro que negue isso tem a obrigação moral de mostrar uma lista de tradições orais infalíveis sobre Abraão, e provar que estas tradições orais foram transmitidas incorruptivelmente de geração após geração, de boca em boca, sem passar por nenhum tipo de acréscimo ou modificação. Se o papista não pode fazer isso, admitindo que somente na Escritura podemos ter acesso à doutrina de Abraão, então que calem a boca da próxima vez que pensarem usar tal argumento sofista contra a Sola Scriptura, ou qualquer outro do tipo, que apele para a autoridade da "tradição".

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (www.lucasbanzoli.com)


-Meus livros:

- Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:

LucasBanzoli.Com (Um compêndio de todos os meus artigos já escritos)
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Artigos devocionais e estudos bíblicos)
Desvendando a Lenda (Refutando a imortalidade da alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Fim da Fraude (Refutando as mentiras dos apologistas católicos)

Comentários

  1. Como os apóstolos eram adeptos da Sola Scriptura, se alguns deles eram analfabeto?
    Atos 4:13

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pqp, isso só pode ser zueira ou doença, povo burro do caramba. Depois ficam pensando por aí que eu invento fake católico pra ridicularizar a fé de vocês.

      Então a tradição oral é falsa já que tem católico surdo por aí.

      Sério, vá se tratar. O próximo comentário imbecil eu nem aprovo.

      Excluir
    2. Lucas, discutir com católico é perda de energia,tempo e beleza. É um povo,uma raça uma incógnita. Em um debate fui atacada por pregar o evangelho. E a 'benção' intelectual praticamente me jogou praga kkkkkkkkkkkkkk. Coitada dá até pena. Dizia que nós temos meio que inveja porque o catolicismo é forte no mundo. Morta. Só esqueci de dizer que pra ela, que satanas é o principe do mundo, logo, dizer que é da ICAR é um pleonasmo.
      Deixei quieto pq pra descer o nivel dessa gente, é daqui pra li. Povo ignorante. Sabem ler, escrever, mas são os piores ignorantes desse mundo.

      Excluir
    3. O catolicismo é "forte no mundo"? HushUSAhsuAH esses caras não tem mais o que inventar mesmo. A ICAR é uma igreja morta, cada vez mais decadente no mundo todo. Perde fieis em escala global em cada canto do planeta, cada vez mais igrejas se fecham, cada vez mais escândalos de pedofilia, e os poucos que ficam nem vão às missas, não estão nem aí, de tão morta que essa igreja é. Se você tiver paciência de Jó, tente assistir a uma missa pela TV: só tem velhinha com o atestado de óbito decretado, só elas que ainda aguentam essa chatice enfadonha. Ou a ICAR se torna toda ela uma Renovação Carismática estilo pentecostalismo evangélico, ou ela fecha as portas dentro de vinte anos.

      Excluir
    4. Verdade. Eu sinto é pena dos coitados enganados . Mas dos tridentinos eu gosto é de esmagar com a verdade. E sites como o seu são uma brisa fresca no verão pra derrubar as loucas doutrinas deles. Já que eles como espiritualmente mortos , é preciso ir além da Bíblia ( que eles não entendem mesmo ). Logo os fatos extra bíblicos parecem derrubar eles mais ainda. Já que , novamente eu reintero, não são espirituais . Só no que diz respeito á mãe deles, a Maria. Lol
      É um povo que não aguenta ouvir a verdade . Porque ela dói nos coraçãozinhos deles.
      Povo doido .....

      Excluir
  2. Lucas, tem algum artigo seu que refuta o que os católicos falam sobre a ''grande prostituta'' ser jerusalém ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/01/por-que-jerusalem-nao-e-babilonia-do.html

      Abraços.

      Excluir

Postar um comentário

Comente abaixo. Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente, mas ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links), control c + control v e manifestações de fanatismo não serão aceitos.