17 de maio de 2016

Agostinho e a justificação pela fé


Há poucos dias o Bruno Lima, do blog Respostas Cristãs, escreveu dois artigos sobre os Pais da Igreja e a Justificação pela Fé, os quais recomendo entusiasticamente, e podem ser conferidos clicando aqui e aqui. Nesses artigos ele cita Pais como Clemente romano, Inácio, Policarpo, a Epístola a Diogneto, Justino Mártir, Tertuliano, Vitorino, Hilário, Dídimo, Basílio, Gregório de Nissa, Jerônimo, Ambrósio, João Crisóstomo, Cirilo de Alexandria, João Damasceno, Beda, dentre vários outros. Mas não cita Agostinho, razão pela qual acrescentarei aqui algumas citações do bispo de Hipona, como suporte ao excelente artigo dele.

As citações se encontram no Sermão 2 de Agostinho. É bem provável que haja mais citações do tipo nos outros sermões, mas foquemos neste aqui por hora. Agostinho cita o exemplo de Abraão, que foi justificado pela fé:

“Abraão, nosso pai, era um homem fiel daqueles tempos, crente em Deus, justificado pela fé, como afirma a Escritura, tanto a Antiga como a Nova [os dois Testamentos]” (Sermão 2, 7)

Em seguida, o bispo de Hipona dá o exemplo de alguém que morre sem ter realizado obra alguma, mas crendo em Cristo. Tal pessoa que apenas creu sem realizar obras seria salva ou não? Agostinho responde positivamente, citando como exemplo o ladrão da cruz, que foi salvo sem ter realizado nenhuma boa obra:

“Certa pessoa crê, recebe os sacramentos da fé no leito e morre; lhe faltou tempo para realizar obras. Que diremos? Que ficou justificado? Abertamente afirmamos que foi justificado, ao crer naquele que justifica ao ímpio. Assim, pois, essa pessoa foi justificada sem haver realizado obras, e cumpre a sentença do apóstolo que disse: Cremos que o homem se justifica pela fé sem as obras da lei. O bandido que foi crucificado com o Senhor creu no coração para a justiça, e com a boca confessou para a salvação” (Sermão 2, 9)

Agostinho cria na necessidade das obras, não como causa da salvação, mas em decorrência dela:

“O apóstolo, ao anunciar a fé aos gentios, via que os que tinham acesso ao Senhor recebiam a justificação pela fé, de modo que os que já haviam crido realizavam obras corretamente, sem que houvessem merecido crer por haverem realizado boas obras. Por isso, cheio de segurança, exclamou e disse: Pois o homem pode ser justificado pela fé sem as obras (Sermão 2, 9)

Assim, vemos que o famoso bispo de Hipona sustentava a mesma visão que pautou Lutero e os demais Reformadores no século XVI: o homem é justificado somente pela fé, e as obras são uma consequência desta fé genuína que salva o homem. Lembremos que a justificação pela fé foi o principal pilar dos Reformadores, a bandeira pela qual a Reforma triunfou.

Não deixem de ler os artigos do Bruno para conferir as outras citações (dos demais Pais). 

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,


-Meus livros:

- Veja uma lista de livros meus clicando aqui.

- Confira minha página no facebook clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros blogs:

LucasBanzoli.Com (Um compêndio de todos os artigos já escritos por mim)
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Artigos devocionais e estudos bíblicos)
Desvendando a Lenda (Refutando a imortalidade da alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)
Fim da Fraude (Refutando as mentiras dos apologistas católicos)

37 comentários:

  1. LUCAS O QUE VOCE ACHA DESTES DOIS SITES ANTI-HERESIAS BLOGSPOT.COM.BR BEREIANOS BLOGSPOT.COM.BR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São bons blogs, mas eles se direcionam mais a refutar heresias "evangélicas", enquanto este blog é voltado especificamente às heresias do catolicismo romano.

      Excluir
    2. Por que "evangélicas", com aspas? Não existem heresias evangélicas?

      Excluir
    3. Depende. Se "evangélico" está no sentido de denominações protestantes, é claro que existem. Mas se estiver no seu sentido legítimo, ou seja, de uma pessoa que segue o evangelho, não pode existir.

      Excluir
  2. Lucas, o sermão 2,9 não poderia acabar se tornando um tiro no pé, já que menciona os sacramentos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, porque Agostinho não via o recebimento dos sacramentos como uma "boa obra" por parte da pessoa, tanto é diz que tal pessoa foi justificada "pela fé sem obras". E o exemplo que ele deu, do ladrão da cruz, exclui a possibilidade de que os próprios sacramentos sejam estritamente necessários para a salvação, visto que o ladrão da cruz não recebeu sacramento nenhum, mas ainda assim recebeu a garantia da salvação.

      Excluir
    2. Falando em sacramentos, digamos que um católico não idolatre qualquer ídolo católico,do jeito mais xiita,o que é muito difícil, visto que na missa é rezado ave Maria que se configura um ato idolatra. Mesmo que ele reze apenas por fazer, e não seja devoto de ninguém (meu caso quando católica),o fato dele se apoiar nessas obras para ser salvar, não é uma negação á Cristo? Mesmo que o mesmo o "confesse" como seu salvador? Não ficaria isso configurado como uma "fé morta" e naquela fé que satanás tambem tem segundo Tiago e no que diz aquela palavra de Mateus 15: 8;9 ?
      Impossibilitando essa pessoa de ser realmente salva?

      Excluir
    3. Também acho, Isaías diz que nossas melhores obras são como trapo de imundície diante de Deus, porque só a fé em Cristo é que justifica. Abs!

      Excluir
    4. Lucas, Agostinho não fala em penitência?

      Excluir
    5. Penitência na época de Agostinho não tinha nada a ver com o conceito romanista tardio que se tornou depois:

      http://cristianismopuro.blogspot.com.br/2014/12/a-importancia-da-traducao-correta-das.html

      Excluir
  3. Agostinho era calvinista?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No final da vida ele passou a crer em eleição incondicional e graça irresistível, mas não ainda não esboçou a ideia de uma expiação limitada. Portanto ele seria "praticamente" um calvinista, mas não totalmente.

      Excluir
  4. Lucas o que voce acha da ordenação pastoral feminina ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escrevi sobre isso aqui:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.com.br/2015/08/o-pastorado-feminino-e-correto.html

      Excluir
  5. A primeira citação de Agostinho: "Abraham pater noster homo erat illis temporibus fidelis, credens deo, iustificatus ex fide, sicut scriptura dicit, et uetus et noua."

    A segunda citação de Agostinho: "credit aliquis, percipit fidei sacramenta in lecto, et mortuus est. defuit illi operandi tempus. quid dicimus? quia non est iustificatus? plane dicimus iustificatum, credentem [in eum qui iustificat impium]. ergo iste iustificatus est, et operatus non est. et impletur sententia dicentis apostoli: [arbitramur iustificari hominem per fidem sine operibus legis]. latro qui cum domino crucifixus est, [corde] credidit [ad iustitiam, ore] confessus est [ad salutem]."

    A terceira citação de Agostinho: "apostolus autem praedicans fidem gentibus, cum eos qui accedebant ad dominum uideret iustificatos ex fide, ut iam qui crediderant bene operarentur, non quia bene operati sunt credere mererentur, exclamauit securus et ait quia potest iustificari homo ex fide sine operibus legis"

    ResponderExcluir
  6. No protestantismo, é correto caracterizar uma igreja como "santa e pecadora"? Ou na realidade, a igreja é santa e seus membros que são pecadores?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anonimo, igreja biblicamente falando nao é pedra e concreto. Pra exemplificar: o conjunto de abelhas se chama enxame, o de cristãos é igreja. Portanto não tem essa de igreja santa/pecadora no sentido que é imposto por uma seita aí.. Somos todos pecadores porém chamados de santos pois somos lavados pelo sangue do Senhor e chamados a se santificar sempre.

      Excluir
    2. A Nataly tirou as palavras da minha boca.

      Excluir
    3. Olá Nataly

      Bom dia

      A Igreja é Santa pois é O Corpo de Cristo, o que faz de um crente membro da Santa Igreja é a presença do Espirito SAnto(100% Santo) nos crentes, Jesus ser a Cabeça e Jesus(100% Santo)Santo e Deus(100% Santo) deseja ver a Santa Igreja imaculada conforme II Pedro 3:14 e Efésios 5:27. Então veja a Santíssima Trindadde agindo na Igreja.

      Sim, somos pecadores mas enquanto estando em Cristo somos membros da Santa Igreja e santos e santas na comunhão dos santos em Cristo.

      Em última análise a definição de Igreja é Corpo Espiritual ( Igreja Invísivel)conforme I Corintios 12:27 que se manifesta de forma visível nos membros.

      A Bíblia usa também a a palavra ekklesia mas a palavra ekkleisa não aponta em última analise para o que efetivamente é a Igreja mas sim indica uma manifestação visível dos crentes no mundo. Isso pode ser visto em Atos 8:1 onde igreja( ekklesia) ai são as pessoas ou seja manifestação visível do Corpo Espiritual e em I Corintios 14:28 em que significa ekklesia significa reunião ou seja reunião( Igreja) de membros( Igreja) em um espaço físico(lugar) que pode ser chamada de Igreja então em última análise se templo naõ é Igreja os membros e a reunião também não são Igreja mas sim manifestações visíveis da Igreja.

      Agora uma pergunta: Jesus no Céu agora está com o Sangue dEle ou não?

      Um abraço

      Luiz

      Excluir
    4. Nataly, um conselho de amigo, é melhor desistir de tentar entender a lógica de pensamento do Luiz.

      Excluir
  7. Agostinho era calvinista?

    Calvino era agostiniano?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou copiar a resposta que dei há pouco a um outro leitor:

      No final da vida Agostinho passou a crer em eleição incondicional e graça irresistível, mas não ainda não esboçou a ideia de uma expiação limitada. Portanto ele seria "praticamente" um calvinista, mas não totalmente.

      Calvino era um grande admirador de Agostinho, tanto é que o cita diretamente quatrocentas vezes nas Institutas, em comparação com muita pouca citação dos outros Pais. Mas eles não concordavam em absolutamente tudo.

      Excluir
  8. Lucas Deus está acima da verdade ou de igual a ela?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como assim? Que pergunta é essa? Eu acredito que toda virtude plena, imaterial, é representada em Deus. Deus é a verdade. Deus é a perfeita justiça, etc.

      Excluir
  9. Você é contra a clonagem humana?

    ResponderExcluir
  10. Lucas vc poderia fazer uma resenha sobre o livro "A inquisição em seu mundo"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, já é um dos capítulos do meu livro sobre a Inquisição que estará pronto no final do mês que vem.

      Excluir
  11. Olá a todos e a todas

    Fé e obras devem andar juntas se as obras são consequências da salvação do crente então um crente que está em Cristo perseverando consequentemente gera boas obras então se o mesmo não gerar boas obras isso então não evidenciaria a salvação e então o crente não estaria salvo.

    É aquele raciocino que o crente no Senhor não é salvo por fazer boas obras mas faz boas obras porque está salvo, então se a consequência da salvação são as boas obras então as mesmas são necessárias pois imagina um crente que aceitou Jesus tem a Graça e a fé e não produz boas obras?como fica? Seria uma fé morta que não teria capacidade de produzir obras.

    Pode-se argumentar que até as boas obras vem de Deus mas aí então é que as boas obras são essenciais pois se vem de Deus faz parte do processo de salvação.

    Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas boas obras são inerentes à salvação.
      Por que como alguém poderá dizer que ama a Deus, se não ama a seu próximo?
      Logo, as boas obras são uma decorrência lógica de uma salvação genuína.
      Inclusive, a mudança de vida é vista como uma boa obra. Posto que o contexto da época em que foi escrita a epístola, demonstra que muitos, sob o pretexto da salvação pela graça, achavam que bastava confessar a Cristo como Senhor e Salvador que seriam salvos e poderiam continuar vivendo no adultério ou explorando os outros.

      Excluir
  12. Mas o resultado já é esperado, pois segundo o Lucas pode-se afirmar que esse livro Inquisição em seu mundo não serve pra nada!.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Serve sim; serve pra ser desmascarado e mostrar que o autor é um picareta da pior espécie.

      Excluir
  13. Olá Nataly

    Minha definição de Santa Igreja está corretíssima e é totalmente biblica.

    Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A igreja não é santa, pois nenhuma instituição humana é santa. A Igreja, a noiva, o corpo de Cristo, que estará na vida eterna, essa sim é santa. A ICAR não é santa, a Universal não é santa, a presbiteriana não é santa. Isso é autobajulação ridícula e herege.

      Excluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links), control c + control v e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.