28 de março de 2017

Paulo Leitão refuta completamente o mortalismo de forma totalmente irrefutável (eu me rendo)

(Paulo Leitão enquanto espera a sua alma imortal sair do corpo)

Há poucos dias o grande apologista católico Paulo Leitão, o Porcão, comunista e petista de carteirinha (além de antissemita), postou um vídeo de 16 minutos mega extraordinário de seu programa na poderosa e influente “TV Potiguar”, onde destroça completamente o mortalismo (coitado de mim). Os argumentos foram tão destrutivos e irrefutáveis que eu joguei no lixo os meus três livros sobre o tema que somam mais de 1200 páginas, além de jogar no lixo também o livro do Bacchiocchi e o do Oscar Cullmann, afinal de contas nenhum deles chega perto da exegese brilhante do Porcão. Para quem quiser conferir esses argumentos maravilhosos, assista o vídeo abaixo, mas pule direto para o minuto 0:17, a não ser que você queira ser torturado com uma música católica:


O vídeo começa com um “Salve Roma”, a saudação típica do Leitão. As saudações papistas sempre mostram logo de cara onde está o foco deles: é sempre um “Salve Maria” ou um “Salve Roma”, nunca um “Salve Jesus” ou “A Paz do Senhor”. O dia em que um católico iniciar um texto com uma saudação que remeta a Jesus eu fecho este blog pelos séculos dos séculos. Mas ok, eu não vou focar aqui em todos os detalhes, senão esse artigo teria umas cem páginas de tantas “maravilhas” para comentar. Então irei para alguns pontos mais pertinentes.

No minuto 0:47, ele afirma que boa parte dos adventistas e testemunhas de Jeová creem que a alma morre”. Não, criatura, não é “boa parte” deles que crê assim, são todos eles, isso é parte da doutrina oficial dessas igrejas! Bom, logo de cara já sabemos que ele está muito bem informado sobre o que está refutando. Isso fica ainda mais nítido no início do minuto 4, quando ele pronuncia o grego psiquê como “psíque” (como se tivesse um acento no i), uma pronúncia totalmente aberrante que eu nunca vi ninguém dizer na vida, o que mostra que o sujeito nunca sequer ouviu falar a respeito do que comenta. E pra acabar de uma vez, em 9:34 ele pronuncia “Eids” em vez de “Hades”, como se o grego tivesse um sotaque americano – eu confesso que rachei de rir nessa hora, demorei bastante pra me recompor. Resumindo, o cara nunca estudou porcaria nenhuma de nada antes de fazer seu vídeo, nunca nem ouviu falar no assunto que se propõe a dissertar.

Logo no minuto 2 ele lê Gênesis 2:7 de uma forma adulterada e manipulando completamente o texto, que diz:

“E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou-se alma vivente (Gênesis 2:7)

Essa tradução autêntica do hebraico pode ser conferida clicando aqui. Também neste outro site que mostra o hebraico transliterado podemos conferir:


Ou seja, o texto é simples, claro, direto e categórico: a alma é o que o ser humano SE TORNOU, como o resultado da junção do pó da terra com o fôlego de vida. Mais claro do que isso, só desenhando. O que o cidadão faz para tentar negar a clareza deste texto? Muito simples: adultera o mesmo descaradamente, lendo para os seus espectadores “ser vivente” em vez de “alma vivente” na parte final, e pior ainda, dizendo em seguida que “esse fôlego, ESSA ALMA, esse espírito...” (2:45). Percebam a dissimulação e desonestidade do sujeito: primeiro ele adultera o texto colocando “ser” em vez de “alma”, e depois insinua que a alma não é o que o homem se tornou, mas o fôlego que recebeu! É incrível o nível de cinismo presente aqui!

O texto é claro:

PÓ DA TERRA + FÔLEGO DA VIDA = ALMA VIVENTE
(“e formou...”) (“e soprou...”) (“e tornou-se...”)

A tática suja do infeliz consiste primeiro em trocar o final, tirando a alma e colocando “ser”, e então jogar descaradamente a alma para o meio do versículo(!), como sendo a mesma coisa que o fôlego de vida(!), quando a alma é claramente colocada no final como o resultado da junção e não como parte dela. Isso é simplesmente um show de picaretagem! O camarada adultera o texto, não refuta nada dos argumentos mortalistas e ainda pressupõe que alma seja o mesmo que o fôlego sem mostrar uma única prova. É rir pra não chorar.

Então ele começa a mostrar o festival de desinformação ao interpretar textos bíblicos que supostamente afirmam que a alma sai do corpo, tese essa que nenhum linguista do hebraico seria capaz de sustentar. Ele cita Gênesis 36:18, que afirma que “saindo-se-lhe a alma (porque morreu), chamou-lhe Benoni”, e então conclui que a crença dos judeus era de uma alma imortal deixando o corpo após a morte. Um mínimo de conhecimento do que é um hebraísmo o pouparia de passar tanta vergonha, conhecendo textos como 1ª Reis 19:4, que esclarece o que é esse “sair a alma”:

“E ele mesmo entrou no ermo, sentou-se debaixo de certo zimbro. E começou a pedir que a sua alma morresse a dizer: ‘Já basta, Senhor, agora tira a minha alma, pois não sou melhor que os meus pais’” (1ª Reis 19:4)

No hebraico:


Note que a segunda parte do verso diz: “tira a minha alma”, o que qualquer imortalista ingênuo e imaturo como Paulo Leitão interpretaria como um pedido para que a alma fosse tirada do corpo, se separando dele. No entanto, note que não era isso o que Elias queria dizer pela expressão “tira a minha alma”, porque o texto é perfeitamente claro quando afirma que ele pediu que sua alma MORRESSE.

Ou seja, para o profeta a expressão “tira a minha alma” era apenas um hebraísmo, uma força de expressão usada para falar da morte da alma, que era o único destino da alma que os judeus conheciam. Não tinha nada a ver com uma alma sobrevivendo vivinha da silva e saindo do corpo literalmente. É assim que Gênesis 36:18 deve ser interpretado. Alegar que a alma sai do corpo por causa de textos como esses seria o mesmo que alguém daqui três mil anos, sem conhecer nenhuma de nossas forças de expressão, pensasse que eu morri literalmente quando disse que “estou morto de cansaço”, ou que tenho um cavalo de verdade quando alguém me diz para tirar meu cavalinho da chuva...

A coisa piora quando chega no minuto 3 e ele afirma que “alma e espírito são sinônimos”(!), e pra fechar o caixão de uma vez diz que “a Bíblia não faz distinção nenhuma entre alma e espírito” (5:35)! Uau! Faltou Leitão explicar isso para o apóstolo Paulo, que escreveu:

“E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (1ª Tessalonicenses 5:23)

Note que Paulo claramente faz distinção aqui entre corpo, alma e espírito. Dizer aqui que espírito é a mesma coisa que alma seria a mesma coisa que dizer que também é a mesma coisa que o corpo, citado em conjunto com os outros dois. Ou seja, o Paulo da Bíblia não conhecia a teologia do Paulo do Porco. E parece que o autor de Hebreus também não, pois faz claramente essa mesma distinção entre espírito e alma quando diz:

“Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração” (Hebreus 4:12)

Como alma e espírito podem ser divididos se são a mesma coisa??? Isso seria o mesmo que dizer que dá pra dividir Curitiba e a capital do Paraná (que são a mesma coisa). Faz sentido? Chega a ser constrangedor ter que explicar algo tão óbvio e elementar, e ainda tem gente que cai no conto do Leitão e acha que alma e espírito é a mesma coisa!

Os argumentos que ele deu para essa tese maluca são dos mais ridículos. Primeiro citou Lucas 1:46-47, que diz:

“Então disse Maria: "Minha alma engrandece ao Senhor e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador” (Lucas 1:46-47)

Onde esse texto diz que alma e espírito são a mesma coisa? Pelo contrário, o texto faz clara distinção entre uma coisa e outra, pois o texto grego inclui o “kai’ (e) – “minha alma engrandece ao Senhor e o meu espírito se alegra em Deus”, observe que há distinção entre alma e espírito:


O paralelismo de modo nenhum prova que se trata da mesma coisa, da mesma forma que “engrandecer” não é o mesmo que “se alegrar”. São coisas diferentes, tal como “alma” e “espírito”.

E a outra “prova” que ele tem é mais bizarra ainda, pegando um texto onde Jesus diz que sua alma está aflita (Mt 26:38) e tentando fundir isso com sua declaração ao pé da cruz onde entrega seu espírito a Deus (Lc 23:46). O que uma coisa tem a ver com a outra? Só o Leitão sabe. O curioso é que sempre que a Bíblia fala de alguém entregando algo a Deus na morte, é o espírito (fôlego de vida, que veio de Deus e que volta para Deus por ocasião da morte) e não a alma. Isso acontece com Jesus (Lc 23:46), com Estêvão (At 7:59) e com o texto de Eclesiastes que ele mesmo cita de forma deturpada e manipulada no minuto 6, dizendo que se trata da alma quando o texto em questão fala explicitamente no ruach (espírito):


Note que não é a nephesh (alma) que volta para Deus na morte, e sim o ruach (espírito), em todas as ocasiões que a Bíblia descreve. Isso não é mera coincidência, mas uma decorrência do fato de que a alma, consistindo no que o ser humano é como um todo, perece, enquanto o fôlego de vida que Deus nos deu por ocasião da criação volta para Ele por ocasião da morte, é simples assim. A narrativa bíblica é totalmente simples e fácil de se entender, quem complica tudo são os imortalistas que são obrigados a fazer malabarismos a cada vez que tentam enxertar os seus conceitos antibíblicos de qualquer forma para dentro da Escritura, como faz Leitão.

Continuando o festival de distorções e mentiras, ele afirma no início do minuto 7 que “as Bíblias são adulteradas, modificadas, com o intuito de promover a heresia do mortalismo”. Sim, acredite: os caras adulteraram mais de 60 textos bíblicos só dos que falam explicitamente na morte da alma, e mesmo assim para o Leitão são os mortalistas que andam “adulterando” a Bíblia! No artigo abaixo eu listo esses 60 textos (só dos que eu encontrei em uma pesquisa breve, porque seguramente há muito mais que isso) que as traduções imortalistas, católicas ou protestantes, simplesmente suprimiram da Bíblia sem mais nem menos:


Aqui não vou listar novamente um por um, para não deixar o artigo extenso demais (quem quiser ler um por um é só clicar no artigo e ler). Em vez disso, selecionei alguns desses 60 textos que provam isso, comparando com o original hebraico. Comecemos com Levítico 24:17, cuja tradução legítima do hebraico seria “ferir mortalmente uma alma”, mas as traduções imortalistas dão uma mãozinha e trocam por “matar alguém”. Abaixo um print do hebraico; a tradução em português é da ARCA (imortalista), e para mostrar que as católicas não ficam por menos passarei também a tradução da Ave Maria:


Na versão católica:


Agora vamos a Números 31:19, cuja tradução autêntica do hebraico deveria ser “todo aquele que tiver matado uma alma”, mas os tradutores imortalistas mais uma vez deram um jeitinho de transformar isso em um: “os que tiverem matado um homem”...


Na versão católica:


Jó 36:14 é outro exemplo típico, texto este que diz que “sua alma morrerá na infância”, mas que nas versões imortalistas a alma some misteriosamente e é substituída por “eles”:


Na versão católica:


E eles adulteram até textos que falam sobre os animais possuírem espírito (ruach), afinal isso é um completo disparate na teologia imortalista, onde o espírito é igualado a uma “alma imortal” no estilo platônico. Eclesiastes 3:19 diz que os homens e os animais têm O MESMO ESPÍRITO-RUACH, e não tipos diferentes de ruach. O que os imortalistas fizeram com um texto tão destrutivo como esse? Muito simples: traduziram por “fôlego”, que no hebraico seria nshamah e não ruach, mas é lógico que eles não iriam se preocupar com este pequeno detalhe, não é mesmo?


Na versão protestante o “espírito” passa a ser “fôlego”, e na versão católica isso é ainda mais camuflado, e o “fôlego” passa a ser apenas um “sopro”:


Para não dizer que não há texto nenhum onde as versões protestantes (ou pelo menos algumas delas) traduzem direito, selecionei aqui dois textos, o de Êxodo 31:14, que fala da alma sendo decepada ou extirpada (karath), e o de Números 35:11, que fala na alma sendo “golpeada fatalmente”, que é traduzida de uma forma suavizada, mas ainda assim mantendo o termo alma.

O texto de Êxodo 31:14:


O de Números 35:11:


O mais irônico nisso tudo é que mesmo nesses textos onde a versão protestante tenta parecer mais com os originais, a católica continua suprimindo a palavra alma descaradamente, tirando-a do texto nas duas ocasiões. No texto de Êxodo 31:14:


No texto de Números 35:11:


Não impressiona que os mortalistas ainda sejam minoria; com tantas versões adulteradas de forma tão grosseira e desonesta, as pessoas simplesmente não têm acesso ao conhecimento para descobrir a verdade. Leitão deveria tomar vergonha na cara antes de acusar os mortalistas de adulteração quando a turma dele é que são os mestres supremos na arte de perverter textos bíblicos, tanto no que tange à tradução quanto no que se refere à interpretação dos mesmos.

Mas vamos lá: para Leitão, as testemunhas de Jeová “adulteraram” a tradução de Mateus 25:46, vertendo por “decepamento eterno” no lugar de “tormento eterno”. Será isso verdade? Em primeiro lugar, quero deixar claro que eu não estou aqui defendendo a Tradução Novo Mundo, que é bem criticada especialmente em textos que tratam da divindade de Cristo, que não está sendo debatida aqui. E em meu livro "A Lenda da Imortalidade da Alma" eu defendo que a tradução mais plausível para o termo kolasin seria “punição”, e não “tormento” (como traduzem algumas versões imortalistas) ou “decepamento” (como verte a Novo Mundo). Mas as TJ neste quesito têm muito mais razão em traduzir por “decepamento” do que os imortalistas tem em traduzir por “tormento”, e eu vou explicar.

Em primeiro lugar, porque não existe nenhuma Concordância do planeta que aponte “tormento” como tradução legítima para kolasin. Isso eu já expliquei detalhadamente no artigo abaixo extraído do meu livro, onde eu mostro diversos dicionários do grego provando este ponto. Quem quiser ler o artigo com todas as citações e argumentações, confira:


Mas por que “decepamento” faz mais sentido do que “tormento”? Pela simples razão de que kolasin é uma punição no sentido de decepamento e não no sentido de tormento. O Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento dá o seguinte significado para kolasin:

“Kolasin = Castigo. Deriva-se de Kolos, ‘mutilar’, ‘cortar fora’; é usado figuradamente para ‘impedir’, ‘restringir’, ‘punir’” 

Como vemos, seu uso primário é de “mutilar” ou “cortar fora”, é neste sentido que ele é usado como punição. O respeitado Dicionário de Grego Clássico, editado por Lidell e Scott (que não são mortalistas) mostra o uso de kolasin nos mais diferentes escritos dos primeiros séculos e conclui que ele descreve “um método drástico de interromper o crescimento da amendoeira”[1]. Como é perceptível, kolasin é uma punição não em um sentido vago, mas especificamente uma figura de aniquilacionismo, exatamente como fazem com as amendoeiras. A obra intitulada A Critical Lexicon and Concordance to the English and Greek New Testament, de E. W. Bullinger, também dá este mesmo sentido a kolasin:

Kolasin. Restringir, cortar curto, podar, manter dentro de limites, interromper, punir... o castigo futuro pelo pecado é claramente definido como morte e destruição”

O The Classic Greek Dictionary (16ª Edição, 1962), do PhD George Ricker Berry, concorda com tudo isso e dá o seguinte significado a kolazo:

“Podar, cercear... metaforicamente: castigar, corrigir, punir”

O Theological Dictionary of the New Testament (Volume III, 1965), de Gerhard Kittel, diz que o verbo significa fundamentalmente “mutilar, decepar”. O Young’s Analytical Concordance, do Dr. Young, define kolasin como “podar, restringir”[2]. A nota de rodapé da versão The Emphatic Diaglott traz os seguintes significados para kolasin:

Kolasin, deriva-se de kolazo, que significa:
1) Decepar, como no truncamento de ramos de árvores, podar.
2) Restringir, reprimir.
3) Castigar, punir. Extirpar alguém da vida, ou da sociedade, ou mesmo restringir, é tido como castigo.

Outro fato que corrobora com tudo isso é que tal verbo deriva de kolazo, que, de acordo com a Concordância de Strong, significa:

2849 κολαζω kolazo
de kolos (enfezar); TDNT - 3:814,451; v
1) podar ou debastar, como árvores e asas.
2) controlar, reprimir, restringir.
3) punir, castigar, corrigir.
4) fazer ser punido.

Novamente vemos que a punição está relacionada não a um tormento, mas a cortar fora, decepar, mutilar, como se fazem com as árvores. O Léxico Grego do Novo Testamento NAS define kolazo como sendo:

1) Cortar galhos ou podar, como árvores e asas.
2) Frear, verificar, coibir.
3) Castigar, punir, corrigir.
4) Fazer com que sejam punidos.

Mais uma vez, é acentuando que o significado primário de tal verbo é de cortar algo, e seu sentido secundário deve estar relacionado ao seu sentido principal, e não a um que sequer faça parte do significado primário ou secundário de tal palavra, como o “tormento” que creem os imortalistas. Os Dicionário Vine do Antigo e Novo Testamento e o Thayer’s and Smith’s Bible Dictionary também definem kolazo como cortar, e não como atormentar:

Dicionário Vine
2849 kolazo
1) Primariamente: aparar, podar, cortar curto.

Thayer’s and Smith’s Bible Dictionary
1) Cortar galhos, podar, como árvores, asas.

Vale ressaltar que todos estes léxicos famosos mostrados acima não foram escritos nem por adventistas nem por testemunhas de Jeová; ao contrário, foram elaborados por eruditos bíblicos de diferentes denominações e os mesmos são constantemente utilizados pelos próprios imortalistas. Portanto, não estamos fazendo uso de dicionários bíblicos tendenciosos ou manipulados propositalmente, mas de fontes cujos autores criam na imortalidade da alma mas em seus trabalhos mantiveram os significados reais de kolasin.

Como vemos, kolasin era usado na época de Cristo, nunca para indicar um tormento sem fim, mas sim para acentuar o caráter bíblico do aniquilamento dos ímpios, os quais serão “mutilados”, “cortados fora” ou “despedaçados”, assim como as árvores que tinham seus galhos cortados. Essa analogia é feita para ressaltar o aspecto irreversível da destruição completa dos pecadores, mas nunca de um processo de tormento infindável. Jesus estava acentuando o contraste entre a vida eterna dos justos e a morte eterna dos ímpios, que serão mutilados e despedaçados (figuras de aniquilacionismo), cortados fora do Seu Reino. Para ler mais sobre isso, clique aqui e leia o artigo completo.

Leitão assegura que a mesma palavra que as testemunhas de Jeová traduzem por “decepamento” em Mateus 25:46 elas vertem por “castigo” em Atos 4:21. Isso simplesmente não é verdade, desde que Mateus 25:46 usa o termo kolasin e Atos 4:21 usa o termo kolazo (esqueceram de avisar o Leitão sobre isso). E mesmo tomando em conta que os termos são sinônimos, embora não idênticos, não há nada que exija a tradução por “tormento” em Atos 4:21, que não especifica a natureza do castigo que os apóstolos receberiam. Poderia ser a morte, como ocorreu com Estêvão, como também poderia ser uma forma de tortura ou aprisionamento, como ocorreu com Paulo e Silas. Isso não está claro no texto. Mas por conta disso o mais coerente seria traduzir ambos os textos por “punição” e deixar que o sentido fizesse luz através do contexto de cada passagem, a qual, especialmente em Mateus 25:46, não abriria margens para outra interpretação, uma vez que o inverso de vida eterna só pode ser morte eterna, e não um tormento eterno.

A próxima tentativa de Leitão é igualar os termos Sheol, Hades e geena, como significando todos “inferno” (minuto 8). Sim, para os imortalistas os escritores bíblicos eram esquizofrênicos e precisavam de um monte de palavras diferentes para falar de um mesmo lugar, é complicado. E mais uma vez não há argumentação, não há provas, não há textos bíblicos, há somente o delírio dele. Neste artigo eu explico o que é o Sheol e neste artigo eu resumo os significados de Hades, Sheol, geena e tártaro (termos que os imortalistas irão usar para confundir você). Basicamente, Sheol (hebraico)/ Hades (grego) é uma sepultura coletiva que os hebreus criam que os mortos iam, em contraste à sepultura individual (qéver). Em uma refutação ao lendário pastor Jamierson, eu provei esse conceito neste artigo altamente recomendado:


Jamierson, o “rei dos desafios”, desafiou qualquer mortalista a mostrar corpos indo ao Sheol. Ousadamente eu aceitei o desafio do rei dos desafios e mostrei um monte de textos onde o corpo ou os ossos de um cadáver desciam ao Sheol, textos esses que Jamierson, o editor de uma Bíblia de Estudos, lamentavelmente desconhecia. Jamierson prometeu me refutar. Isso faz dois anos. Sim, eu confio que ele ainda vai conseguir!

Numa das partes do artigo eu dividi os textos em “gols da Alemanha”, com a diferença de que tragicamente dessa vez não houve um gol de honra do Brasil.

Primeiro gol da Alemanha:

“Para apartar o homem do seu designo e livrá-lo da soberba; para livrar a sua alma da cova, e a sua vida da espada” (Jó 33:18)

No original hebraico:


A “cova” para onde a alma (nephesh) iria caso Deus não tivesse estendido os dias de vida da pessoa é a tradução do hebraico shachath, que significa “cova, destruição, sepultura” (Concordância de Strong, 7845).

Mais um gol da Alemanha:

“Sua alma aproxima-se da cova, e sua vida, dos mensageiros da morte” (Jó 33:22)

No original hebraico:


Outro gol da Alemanha:

“Ele resgatou a minha alma, impedindo-a de descer para a cova, e viverei para desfrutar a luz” (Jó 33:28)

No original hebraico:


Gol do Klose:

“Foi para minha paz que tive eu grande amargura; tu, porém, amaste a minha alma e a livraste da cova da corrupção, porque lançaste para trás de ti todos os meus pecados” (Isaías 38:17)

No original hebraico:


Não é replay, é outro gol:

“Que homem há, que viva, e não veja a morte? Livrará ele a sua alma do poder do Sheol?” (Salmos 89:48)

No original hebraico:


Note que neste texto “ir para o Sheol” é o oposto a “viver e não ver a morte”, ou seja, não há vida no Sheol!

É o sexto:

“Pois o resgate de uma alma não tem preço. Não há pagamento que o livre para que viva para sempre e não sofra decomposição (Salmos 49:8-9)

No original hebraico:


Alma sofrendo decomposição? Como assim?

E, por fim, o sétimo, de bicicleta:

“Se o Senhor não fora em meu auxílio, já a minha alma habitaria no lugar do silêncio (Salmos 94:17)

No original hebraico:


Sim, sim, este lugar do silêncio para onde a alma do salmista iria é justamente aquele lugar tormento e gritos tenebrosos no inferno (de acordo com a teologia do Leitão). Não tem nada a ver com a “sepultura” não!

Então Leitão apela para o conceito de “sono” da alma que eu já refutei no meu debate com Francisco Tourinho, o qual sustentava que o termo “dormir” era aplicável somente aos salvos, no sentido de que eles estavam já no “descanso de Deus” (=Céu). Leitão defende o mesmo conceito básico a partir do minuto 11. O problema é que a Bíblia destroça completamente com essa interpretação. Daniel é suficientemente claro ao dizer que os ímpios dormem também, e portanto isso não tem nada a ver com “descansar no céu”:

“Multidões que dormem no pó da terra acordarão: uns para a vida eterna, outros para a vergonha, para o desprezo eterno” (Daniel 12:2)

Leitão piora ainda mais o conceito de Tourinho quando inventa de igualar o descanso dos mortos com o “descanso” de Deus no sétimo dia da criação. Sim, para ele, o descanso de Deus e dos mortos é o mesmo! Eu quase caí da cadeira quando ouvi isso. Mas calma, ele tem um texto: Hebreus 4:10! O problema é que em Hebreus 4:10 o “descanso” não tem nada a ver com o Céu, mas sim com a salvação. O autor diz que “todo aquele que entra no descanso de Deus, também descansa das suas obras, como Deus descansou das suas”. Ele não diz “entrar”, mas entra, no tempo presente, passando a ideia de que podemos entrar já agora, porque podemos ser salvos hoje. É por isso que ele diz no contexto:

“Por isso Deus estabelece outra vez um determinado dia, chamando-o ‘hoje’, ao declarar muito tempo depois, por meio de Davi, de acordo com o que fora dito antes: ‘Se hoje vocês ouvirem a sua voz, não endureçam o coração’” (Hebreus 4:7)

Se a tese do Porcão estiver certa, esse hoje que o autor de Hebreus fala diz respeito à morte, ou seja, o autor estava querendo que seus leitores morressem naquele dia para entrarem no Céu! É óbvio que este conceito é ridículo, porque o que estava sendo incentivado era a busca pela salvação, a qual deve ser alcançada hoje mesmo, isto é, não deve ser atrasada ou postergada, não deve ser deixada para depois. É esse o “descanso” que ele trata aqui.

Nos minutos finais, Leitão começa a apelar a aqueles velhos textos mal interpretados pelos imortalistas, os quais já foram explicados milhares de vezes por nós, sempre sem qualquer tipo de refutação. Citou as “almas debaixo do altar” de Apocalipse 6:9-11, texto este que já foi explicado neste artigo. Citou também o “verme que não morre e o fogo que não se apaga” de Marcos 9:44. A linguagem de “fogo eterno” biblicamente prova exatamente o contrário do que ele afirma, como eu provei neste artigo, e o “bicho que não morre” prova o contrário mais ainda, como provei neste artigo. Tudo não passa de distorções no texto bíblico, ignorando totalmente o contexto e a linguagem bíblica, tal como o costume de todo e qualquer imortalista. Tratar todos esses conceitos aqui seria por demais longo, portanto recomendo que clique nos links acima e leia os artigos para os quais redireciono.

Outros dois textos que ele distorce no minuto 14 valem a pena uma explanação especial. Os dois são textos de natureza poética, e qualquer indivíduo que tenha cursado uma introdução básica à exegese bíblica já deveria saber que a poesia hebraica não deve ser tomada literalmente a não ser que se queira passar vergonha na internet, é por isso que nem os imortalistas costumam usar esses textos. Paulo Leitão não sabia disso porque nunca estudou teologia e nem a Bíblia, apenas recorta textos sem contexto que caem de paraquedas no meio dos vídeos dele para enganar os leigos bobões que o seguem.

O primeiro texto se encontra em Ezequiel 32:21, que é uma condenação em estilo de poesia hebraica sobre o rei do Egito, e segundo ele, o verso 21 afirma que os ímpios estão falando no inferno. Nada mais ridículo, já que o próprio texto diz que esses que esses que “falam” estão na sepultura e ali jazem: “De dentro da sepultura os poderosos líderes dirão ao Egito e aos seus aliados: ‘Eles desceram e jazem com os incircuncisos, com os que foram mortos à espada” (Ez 32:21). O verso seguinte (22) diz que a Assíria está ali nos túmulos, o verso 23 também, e o seguinte (24) fala que estão na cova. Toda a linguagem do texto diz respeito a pessoas mortas na sepultura que dentro da poesia estão agonizando o fato de que perderam aquele poder que possuíam aqui na terra (enquanto vivos). O verso 27 diz que eles estão ali com os seus ossos, e eu desafio o Leitão a me dizer se um espírito incorpóreo leva seus ossos ao inferno.

O outro texto distorcido é um caso ainda mais gritante. Trata-se de Isaías 14:9, um texto famoso sobre o rei da Babilônia que é interpretado por muitos como sendo uma referência tipológica a Satanás ou “Lúcifer”. Sem querer entrar no mérito deste outro debate, o fato é que todos os teólogos de bom senso sabem que estes trechos também são em forma de poesia, trabalhada mediante o uso de alegorias. Leitão usa o verso 9, tomando-o de forma literal para ensinar a consciência no Sheol (que ele por ignorância chama de “inferno”). A coisa é tão patética e pitoresca que logo no verso anterior é dito que “os pinheiros e os cedros do Líbano alegram-se por sua causa e dizem: ‘agora que você foi derrubado, nenhum lenhador vem derrubar-nos!’” (v. 8).

Um fanfarrão que usa o verso 9 de forma literal e ao pé da letra para ensinar a consciência no Sheol teria a obrigação de tomar de forma literal e ao pé da letra também o verso 8, o qual está inserido dentro do mesmo contexto. Mas isso ele toma como alegoria mesmo, senão teria que assumir que as árvores falam e se alegram da mesma forma que os mortos. Então ele prefere tirar do contexto apenas o verso 9, cruzar os dedos e torcer muito para que ninguém vá conferir o texto bíblico em questão e desmascare a fraude.

Leitão é todo ele um embuste, uma fraude, um dissimulado, mentiroso, canalha, pilantra. Ele representa tudo aquilo que há de pior e de mais sujo na apologética católica. Mas ele nos faz um favor, porque através de seus vídeos hilários podemos mostrar ao público um pouco das velhas técnicas e artimanhas que a malfadada apologética católica usa para enganar seus leigos incautos, e acredite: tem gente que cai nessa, basta ir nos comentários do vídeo dele para se assombrar com este fato. Leitão não acredita em uma só palavra do que diz, e basta assistir a um vídeo dele (qualquer que seja) para ver o quanto isso é óbvio. O fingimento e a hipocrisia estão em tudo, desde os seus gestos e caras até as asneiras que saem da sua boca. Mas ele não está preocupado se ensina algo que sabe que é uma mentira para enganar os trouxas, porque o que importa é vender seus produtinhos e ganhar dinheiro, como faz no minuto 15.


DESAFIO

Eu acabo de denunciar algumas das técnicas de manipulação usadas por este cidadão, e aqui vai mais uma: vocês devem se lembrar do dia em que ele desafiou o Silas Malafaia para um “debate” no programa dele, sim, o Malafaia, que nem sabe da existência dele. É como se eu chamasse o papa Francisco pra “debater” (sabendo que ele nem ficaria sabendo disso, e que teria coisas mais importantes pra se preocupar) e depois de não obter resposta proclamasse “vitória”. A prova disso é que logo depois deste acontecimento o Elisson Freire desafiou o charlatão a debater com ele, e o sujeito correu e continua correndo até hoje. Ele não quer um debate real porque sabe que não tem a mínima chance nem contra uma criancinha evangélica de 8 anos que tenha feito escolinha dominical, então propõe debates surreais contra celebridades protestantes que sabe que não vão nem ver o vídeo.

Por isso eu lhe dou mais uma chance de se redimir: já que você correu do Elisson, venha debater comigo sobre esse mesmo tema, o mortalismo. O mediador pode ser o Cristão Contemporâneo, o mesmo que mediou meu debate com o Tourinho e que mediará meu debate com o “Inquisição Online” no mês que vem. Aproveite que o meu forte é a escrita e não a fala, aproveite que eu sou inexperiente em vídeo e você tem um programa de televisão, aproveite que minha dicção e voz são ruins, aproveite que você tem uma legião de seguidores fanáticos que apostam todas as fichas em você, e aceite o desafio. Para ficar mais fácil de aceitar a proposta, eu te dou o dobro de tempo no debate, e pode triplicar se preferir. Continue fugindo e ficará ainda mais comprovado que você não é nada além de um farsante, um ator que faz um papel do qual não acredita em nada.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

-Meus livros:

- Veja uma lista de livros meus clicando aqui.

- Confira minha página no facebook clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros blogs:

LucasBanzoli.Com (Um compêndio de todos os artigos já escritos por mim)
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Artigos devocionais e estudos bíblicos)
Desvendando a Lenda (Refutando a imortalidade da alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)
Fim da Fraude (Refutando as mentiras dos apologistas católicos)




[1] Liddels and Scott, Greek-English Lexicon (Oxford na Clarendon Press, 1966), p. 971.
[2] Young’s Analytical Concordance, p.995.

60 comentários:

  1. Mais um Apologista hábil derrubando tradições e misticismo. E fez com elegância: Lucas Banzoli

    Meus parabéns

    Alon

    ResponderExcluir
  2. "(Paulo Leitão enquanto espera a sua alma imortal sair do corpo)"

    Mitou! HAUAHUAHAUAHUAHAUHAUAHUAHAUAHUA

    ResponderExcluir
  3. Lucas, bom dia. Como posso estar pesquisando palavra por palavra no original hebraico-grego, existe algum site que nos ajude nisso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No hebraico veja aqui:

      http://www.hebraico.pro.br/r/biblia/quadros.asp

      No grego aqui:

      http://www.sacrednamebible.com/kjvstrongs/index2.htm

      Abs!

      Excluir
  4. "Se alguém vem a mim e ama o seu pai, sua mãe, sua mulher, seus filhos, seus irmãos e irmãs, e até sua própria vida mais do que a mim, não pode ser meu discípulo” (Lucas 14:26).
    Pergunte ao Paulo Leitão se em alguma Bíblia católica ele leu essa passagem. Quem se diz cristão, mas é servo de Maria ou de santos, não é digno de Cristo.
    Deus te abençoe, Lucas!

    ResponderExcluir
  5. É visível o ódio entre os dentes cerrados desse nazista. Cada gesto dele e sorriso forçado são métodos para tentar esconder a podridão que entope o seu coração.
    Não se enganem: Esse traste apoia a matança de ´hereges` ao estilo Inquisidor e tenho certeza que ele mesmo adoraria ser um. Talvez ele seja um assassino, se não o é, é por mera falta de oportunidade e medo de punições judiciais.

    ResponderExcluir
  6. Na Bíblia Judaica Completa diz que o homem tornou-se alma vivente.

    ResponderExcluir
  7. "Yeshua said to him, "Yes! I promise that you will be with me today in Gan-`Eden." Luke 23:43.
    Bíblia Judaica Completa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Bíblia Judaica não é uma base boa para os textos do Novo Testamento (escritos em grego e não em hebraico). Para consultar textos do Novo Testamento, consulte uma fonte em grego. Sobre este texto em específico muito já foi debatido, recomendo estes artigos onde mostro que as evidências sugerem que a vírgula deve ser posicionada depois do "hoje", e não antes:

      http://desvendandoalenda.blogspot.com.br/2013/07/estudo-completo-sobre-lucas-2343-hoje.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/05/desmascarando-itard-e-sua-ridicula.html

      O Dr. Rodrigo Silva tem uma tese de mestrado inteira onde prova que essa é a tradução mais plausível do texto em questão, onde ele foi aprovado com nota dez, provando no hebraico e exegeticamente que a tradução imortalista está incorreta.

      Excluir
    2. Eu percebo que traduções do hebreu do Novo Testamento não são tão boas. Por outro lado, vindo do grego tem boa fidelidade.

      Excluir
  8. A paz de Cristo irmão,esse apologista é tudo menos católico! não esqueça de fechar o seu blogue,vc fará um grande bem pois vc está atestando multidões nos seus erros me lembra até o anticristo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHAHAHAHA o desespero de vocês é tão grande que até inventam de falar o que nunca falam ("A paz de Cristo") só na esperança de ver esse blog fechado huehuehue eu morro e não vejo tudo!

      Excluir
    2. Se tiver que fechar blogs por falsos ensinos, um dos poucos que permanecerão é o seu Lucas. :)

      Excluir
  9. DR. SAMUELE BACCHIOCCHI defendeu primado de Roma? ou os apologistas tão mentindo? botaram no site

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, ele nunca defendeu isso. Inclusive eu o cito no meu livro sobre Pedro, na parte referente ao primado dos bispos romanos, quando ele mostra a divergência pascoal que prova que o bispo romano não exercia uma primazia sobre os demais bispos. Não sei da onde foi que eles inventaram o contrário. Mas vindo da apologética católica, nada mais me surpreende...

      Excluir
    2. Se Cristo deixou claro pra mulher samaritana que Jerusalém não possuía nenhuma primazia por que deveria crer que Roma teria?

      Excluir
  10. Caso o Jair Bolsonaro se candidate para presidente em 2018, você vai votar nele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com os outros pré-canditados que temos hoje, sim. Mas se eventualmente o Dória ou o Justus se candidatassem (há uma pequena chance), meu voto com certeza seria neles.

      Excluir
  11. Você compraria a Peshitta traduzida?

    ResponderExcluir
  12. Qual será o dia do seu debate com o inquisição online ?

    ResponderExcluir
  13. Quem vai estar no debate?Qual vai ser o horário? Abs, fica na Paz de Cristo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei o horário, só sei que está marcado para o dia 22. É um debate 1 vs 1, ou seja, será só eu e ele, com o mediador é claro. Mas se as regras forem as mesmas do último, vai ter perguntas dos espectadores também. Na verdade esse debate já era para ter ocorrido há uns dois meses atrás, mas ele não pôde por causa de motivos pessoais e então foi adiado.

      Excluir
  14. E sobre quem escreveu o evangelho de João?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou deixar para as próximas semanas, porque cada vez mais surgem novos indícios e evidências, não quero precisar escrever outros artigos de complementação depois, então quando eu tiver tudo "fechado" eu monto um artigo único com todas as evidências prontas.

      Excluir
  15. Olá Lucas, ultimamente tenho me deparado com alguns vídeos no YouTube dizendo que a pronúncia "Jesus" seja errado. Eles dizem que isso é uma adulteração do nome do Filho de Deus. Eles negam que o nome de Cristo deva ser pronúnciado como Jesus, Iesous, Yeshua e outras formas. Alguns dizem que DEVE ser pronúnciado como Yahushua, outros dizem que deve ser Yehoshua.
    Eu já tinha ouvido essas teorias sobre qual é a pronúncia certa, e se é ou não falar uma pronúncia diferente, embora equivalente ao nome original. Mas só agora comecei a pensar sobre essas teorias. O que você acha delas e desses grupos que dizem isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, esses grupos sectários que afirmam isso estão viajando na maionese, eu não conheço ninguém que realmente entenda de grego e defenda essas loucuras. Nem o Fábio Sabino, liberal até a cabeça e anticristão declarado, defende uma coisa dessas (ele inclusive chegou a fazer vídeos refutando esse pessoal). Há inclusive um blog criado para refutá-los, segue o endereço:

      http://testemunhasdeyahoshuarefutados.blogspot.com.br

      Em minha opinião esse tipo de movimento serve apenas para desviar a atenção daquilo que é realmente importante, daquilo que de fato devemos nos preocupar. Tantas falsas doutrinas e ensinos perniciosos infiltrados no seio cristão, doutrinas perigosas o suficiente para enfraquecer alguém na fé ou até causar apostasia, e esses caras levantando uma polêmica inútil em torno da pronúncia de um nome que nunca na história da Igreja qualquer linguísta do grego ou hebraico jamais discutiu. É uma cortina de fumaça, apenas.

      Abs!

      Excluir
  16. Tu és Pedro, e sobre esta Pedra edificarei a minha igreja29 de março de 2017 21:47

    Salve Jesus!
    Muitos católicos não gostam do Paulo Leitão. Também não gosto dele, prefiro o Paulo Ricardo. Não esqueça de fechar este blog, querido. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como não temos refutação nenhuma, só nos resta pedir pra fechar o blog. :(

      Excluir
    2. Hahahahaha :)

      O mais engraçado é que antes de eu escrever aquilo no segundo parágrafo, você poderia procurar em qualquer lugar da internet que NUNCA iria ver algum católico exaltando a pessoa de Cristo na saudação inicial, com um "A Paz do Senhor" ou "Salve Jesus". Aí foi só eu dizer aquilo, que agora já está todo mundo exaltando Jesus só pra eu fechar o blog hahahaha

      Quando uma religião supostamente cristã só exalta Jesus no desespero para um protestante fechar um blog, é porque a coisa está feia mesmo. Mas vou continuar assim, vai que desse jeito eles abandonam toda a idolatria de uma vez =)

      Excluir
    3. E bota feia nisso. Os católicos estão em guerra com eles mesmos. Uma guerra interna.

      Alguns até esqueceram os protestantes e agora estão refutando o próprio papa.

      Como disse Bruce Wills em Duro de Matar II: this is just beginning!

      Alon

      Excluir
    4. Esse católico me inspirou. Vejam que coisa interessante:

      "Tu és Pedro e sobre você vou edificar minha Igreja".

      Os católicos talvez não gostem muito de ver a coisa ao pé da letra, mas nao podem fugir daquilo que entendem nesse versiculo. Para eles Jesus disse pra Pedro : "Tu és a Pedra e sobre voce vou edificar minha Igreja."

      Eles são obrigados a mudar os outros versículos que apontam Jesus como a Pedra. Na linguagem católica, tendo por base Mateus 16:16, as referencias ficam assim:

      "PEDRO é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça da esquina", Atos 4:11.

      "Porquê? Porque não foi pela fé, mas como que pelas obras da lei; tropeçaram na PEDRO de tropeço", Rm 9:3.

      kkkkkkkkk

      "E beberam todos duma mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os seguia; e a pedra era PEDRO", 1 Cor 10:4.

      "Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que PEDRO é a principal pedra da esquina", Ef 2:20.

      Aqui é Pedro escrevendo, bem humilde e discreto:

      "Chegando-vos para ele - PEDRO VIVO, reprovado, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleito e precioso", 1 pd 2:4.

      Francamente católicos, vocês são o máximo!

      Alon








      Excluir
  17. O que tu acha dos Irmãos Plymouth?

    ResponderExcluir
  18. Lucas, tenho certeza que ele vai aceitar seu desafio. Como ele é católico roxo, só esta esperando o dia de "São Nunca" cair no dia 31 de Fevereiro pra te refutar completamente.
    Ricardo Soares

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho. E além disso ainda vai ter que coincidir com a passagem do cometa Halley em um dia de eclipse lunar num ano bissexto. Ou seja, ele só está esperando o momento certo.

      Excluir
  19. O que você acha dessa afirmação de que os católicos criaram o islamismo???
    https://www.youtube.com/watch?v=AL9Aw68-sbU

    ResponderExcluir
  20. Qual o papel do islamismo no Apocalipse?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhum. O Islã é superestimado. Não passa de um fantoche na Nova Ordem Mundial, usado para os interesses da elite global.

      Excluir
  21. Um bom teólogo que eu leio e recomendo é Pe. Mário de França Miranda, o Paulo Ricardo não chega nem aos pés dele e o Paulo Leitão eu não vou nem comentar.

    ResponderExcluir
  22. Olá Lucas.
    Qual a sua posição (opinião) sobre o conflito monergismo x sinergismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escrevi sobre isso aqui:

      http://lucasbanzoli.no.comunidades.net/monergismo-ou-sinergismo

      Abs!

      Excluir
  23. Você lê mais o Novo Testamento do que o Antigo ou lê a Sagrada Escritura do começo ao fim?

    ResponderExcluir
  24. Olá Lucas, tudo bem irmão?Você o viu a treta entre Silas e Pr. Paulo Júnior, infelizmente é um dos assuntos mais comentados nas redes sociais.Na sua humilde opinião você acha Silas um Herege?...olha que coloquei com letra maiúscula.Silas disse: que a uma diferença entre heresia e discordância teológica o que ele quis dizer com isso?eu vejo "excessos" em ambos os lados...o que você acha , já que o Pr. Paulo Júnior é Calvinista radical e um "extremista" puritano, essa é minha opinião! fique na graça do Senhor Jesus Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acho ele um "herege" mas acho que ele ensina alguns enganos sim, que usando a terminologia dele cairia no que ele chama de "divergências teológicas". O Paulo Junior tem pregações excelentes, o problema que o Silas levantou é que ele só ataca os erros do pentecostalismo e neopentecostalismo, como se fora dali não existissem erros que devessem ser combatidos também. E por mais que eu admire o Paulo Junior, tenho que admitir que isso é verdade, pelo menos os vários vídeos que já assisti dele eram todos atacando o pentecostalismo e neopentecostalismo, meio que "afinando" e fazendo vista grossa para os erros do lado de lá (que também existem). Mas não acho o Paulo Junior um "extremista", embora às vezes ele diga algumas coisas que são mesmo radicalismos (como por exemplo quando ele condenou o rock cristão, as danças e o uso de bateria na igreja).

      Mas de uma forma geral, a Igreja estaria muito melhor se houvessem mais "Paulo Juniors" suplicando pela volta de um evangelho mais Cristocêntrico, assim como o papel do Malafaia na luta pela vida e pela família na grande mídia também é importante (o que ele disse é verdade, se não fosse por ele aquele PL 122 já teria passado há muito tempo e as crianças já estariam sendo doutrinadas).

      Abs!

      Excluir
  25. O que você acha dos judeus messiânicos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho eles em grande parte judaizantes demais ainda, mas pelo menos são messiânicos, creem em Jesus, já é um enorme avanço, considero como parte do povo de Deus, da mesma forma que a igreja da Galácia não deixava de ser igreja de Deus pelo fato de ser judaizante.

      Excluir
  26. Nem use esse termo judaizante. Eu me lembro do Paulo Leitão atacando.

    ResponderExcluir
  27. Lucas boa noite! no you tube tem um candidato para disputar com o Paulo leitão,chamado Claudio Campos. o cara ~disputa queda de braço com o leitão so que para ver quem e pior kkkkkk você deve conhecer! (Wougran)um abraco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não dá pra comparar. O Leitão é um lixo, mas é melhor que esse demente aí, que não tem nem conteúdo pra apresentar. O Leitão pelo menos tem algum conteúdo, algum argumento pra mostrar, mesmo que sejam argumentos fraudulentos, já essa outra criatura não consegue nem isso, é simplesmente ignóbil e insignificante. Umas duas vezes eu tentei ver vídeos desse sujeito há uns tempos atrás, é insuportável e inacreditavelmente ruim em todos os quesitos possíveis. Não pode ser comparado com Leitão, com padre Paulo, com Macabeus, com nada neste mundo. Compare com qualquer um e será um insulto a todos eles.

      Abs!

      Excluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links), control c + control v e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.