19 de agosto de 2012

A Sola Scriptura nos Pais da Igreja - Parte 1


Irei expor aqui de forma breve e resumida algumas das inúmeras e incontáveis citações patrísticas em conformidade com o princípio protestante da Sola Scriptura, que consiste no fato de que as Escrituras Sagradas constituem o ápice da mais salutar autoridade em regra de fé e prática, suficiente para a salvação e doutrinamento do homem e que qualquer tradição ou ensino deve estar em concordância e consonância com os ensinamentos bíblicos.


Tais princípios podem ser vastamente encontrados ao longo dos escritos dos Pais, dos quais passarei alguns aqui:

-Justino Mártir (100 – 165 d.C)

“Não temos algum mandamento de Cristo que nos obrigue a crer nas tradições e nas doutrinas humanas, mas somente naquelas que os bem-aventurados profetas promulgaram e que Cristo mesmo ensinou, e eu tenho cuidado de referir todas as coisas às Escriturase pedir a elas os meus argumentos e as minhas demonstrações (Justino Mártir, Diálogo com Trifão)

“Mas agora, por meio dos conteúdos das Escrituras estimada santa e profética entre vós, eu tentar provar tudo o que eu tenho apresentado, na esperança de que algum de vocês possa ser encontrado para ser parte do remanescente, que foi deixado pela graça do Senhor dos Exércitos, para a salvação eterna” (Diálogo com Trifão, Cap.32)

“Agora, então, tornar-nos a prova de que este homem que você diz que foi crucificado e subiu aos céus é o Cristo de Deus. Para você ter suficientemente provado por meio das Escrituras já citadas por você, que é declarado nas Escrituras que Cristo devia sofrer e entrar novamente na glória, e receber o reino eterno de todas as nações, e que cada reino esteja subordinado a Ele: agora mostram-nos que este homem é ele(Diálogo com Trifão, Cap.39)

“Mas você me parece não ter ouvido as Escrituras o que eu disse que tinha apagado. Para tal como foram citadas são mais do que suficiente para provar os pontos em disputa, além daqueles que são mantidas por nós, e ainda serão apresentados” (Diálogo com Trifão, Cap.73)

-Irineu de Lyon (130 – 202 d.C)

"O verdadeiro conhecimento é a doutrina dos Apóstolos, e a antiga constituição da Igreja em todo o mundo, e a manifestação distinta do Corpo de Cristo conforme as sucessões dos bispos, pelas quais eles transmitiram aquela Igreja que existe em todos os lugares, e chegou até nós, sendo guardada e preservada sem nenhuma falsificação nas Escrituras, por um sistema muito completo de doutrina, e sem receber adição nem subtração; e a leitura [da Palavra] sem falsificação, e uma exposição lícita e diligente em harmonia com as Escrituras, sem perigo nem blasfémia, e o preeminente carisma do amor, o qual é mais precioso do que o conhecimento, mais glorioso do que a profecia, e que excede todos os outros dons" (Adv Haer IV, 33,8)

"De nada mais temos aprendido o plano de nossa salvação, senão daqueles através de quem o evangelho nos chegou, o qual eles pregaram inicialmente em público, e, em tempos mais recentes, pela vontade de Deus, nos foi legado por eles nas Escrituras, para que sejam o fundamento e pilar de nossa fé" (Irineu, "Against Heresies" 3.1.1, p. 414)

-Clemente de Alexandria (150 – 215 d.C)

“É chegado o momento, como já dissemos nos os outros pontos, de irmos para as Escrituras proféticas, pois os oráculos nos apresentam os aparelhos necessários para a realização da piedade, para assim estabelecermos a verdade. As Sagradas Escrituras e instituições de sabedoria formam o caminho curto para a salvação(Exortação aos pagãos, 8)

“Tudo o que é imposto para a vida material é vinculativo para a multidão, mas o que é adaptado para viver bem, isto é, as coisas pelas quais a vida eterna é adquirida, deve ser capaz de ser reunida a partir das Escrituraspor aqueles que a leem” (Cristo, o Educador, 13)

-Tertuliano (160 – 220 d.C)

“Mostre-nos a escola de Hermógenes que o que ela ensina está escrito: se não está escrito, trema em vista do anátema fulminado contra aqueles que acrescentam à Escritura, ou tiram alguma coisa dela” (Tertuliano, Contra Hermógenes, cap. 22)

“Certamente não se poderia crer até mesmo nestas coisas mesmo do Filho de Deus, a menos que elas fossem dadas a nós nas Escrituras (Contra Práxeas, 16)

-Hipólito de Roma (170 – 236 d.C)

“Há, porém, irmãos, um só Deus, e o conhecimento que nós ganhamos disso provém das Sagradas Escrituras, e de nenhuma outra fonte (Contra Noetus, 9)

-Orígenes (185 – 253 d.C)

“Não observo que seja grandemente confirmado pela autoridade da sagrada Escritura; ao passo que, em relação aos restantes dois, se encontra um considerável número de passagens nas sagradas Escrituras que parecem passíveis de ser-lhes aplicados”(De Principii, 4)

“No entanto, se em todas as coisas desta roupagem, isto é, se em tudo o que se encontra na história da lei, fossem guardadas as conseqüências e conservada a ordem, de tal modo que nela a inteligência pudesse conservar um curso contínuo de entendimento, não acreditaríamos que pudesse haver mais nada inserido mais profundamente nas Sagradas Escrituras do que isto que nos é manifestado na sua superfície (De Principiis, Livro IV, Cap.15)

“Exortados assim brevemente pela própria lógica e coerência do assunto, embora nos tenhamos estendido um pouco, seja suficiente o que dissemos para mostrar que há algumas coisas cuja significação não pode ser explicada por nenhum discurso da língua humana, mas que são declaradas por uma inteligência mais simples do que as propriedades de quaisquer palavras. A esta regra deve ater-se também a inteligência das letras divinas, e considere-se o que se diz não pela vileza da palavra, mas pela divindade do Santo Espírito que inspirou quem as escreveu (De Principiis, Livro IV, Cap.27)

-Eusébio de Cesareia (265 – 339 d.C)

”Faz muito e bem longo tempo, querido Avircio Marcelo, que tu me ordenaste escrever algum tratado contra a heresia dos chamados "de Milcíades", mas até agora de certa maneira sentia-me indeciso, não por dificuldade em poder refutar a mentira e dar testemunho da verdade, mas por temor de que, apesar de minhas precauções, parecesse a alguns que de certo modo acres­cento ou junto algo novo à doutrina do Novo Testamento, ao qual não pode juntar nem tirar nada quem tenha decidido viver conforme este mesmo Evangelho (História Eclesiástica, Livro V, 16:3)

-Atanásio de Alexandria (295 – 373 d.C)

“As Sagradas Escrituras são inspiradas e são totalmente suficientes para a proclamação da verdade (Contra os pagãos 1, 3)

“Mas a Sagrada Escritura é em todas as coisas mais do que suficiente para nós. Portanto, recomendo àqueles que desejam conhecer mais sobre esses assuntos, que leiam a palavra divina” (Para os bispos do Egito 1, 4)

“Em vão, então, são executados com o pretexto de que eles exigiram Concílios, pois a divina Escritura é suficiente sobre todas as coisas, mas se um Concílio for necessário neste ponto, há os trabalhos dos Pais, para que os bispos de Niceia não negligenciem esta questão, mas afirmem a doutrina tão exatamente que as pessoas, lendo suas palavras, não possam deixar de se lembrarem da religião em direção a Cristo, anunciada na divina Escritura” (De Synodis 1, 6)

-Cirilo de Jerusalém (315 – 386 d.C)

"Que este selo permaneça sempre em tua mente, o qual foi agora, por meio do sumário, colocado em teu coração e que, se o Senhor o permitir, daqui em diante, será elaborado de acordo com nossas forças por provas da Escritura. Porque, concernente aos divinos e sagrados Mistérios da Fé, é nosso dever não fazer nem a mais insignificante observação sem submetê-la às Sagradas Escrituras, nem sermos desviados por meras probabilidades e artifícios de argumentos. Não acreditem em mim porque eu vos digo estas coisas, a menos que recebam das Sagradas Escrituras a prova do que vos é apresentado: porque esta salvação, a qual temos pela nossa fé, não nos advém de arrazoados engenhosos, mas da prova das Sagradas Escrituras ("The Catechetical Lectures of S. Cyril" Lecture 4.17)

"Mas enquanto avanças naquilo que estudas e professas, agarra-te e sustentes apenas a esta fé, que pela Igreja é entregue a ti e é estabelecida a partir de toda Escritura. Por nem todos poderem ler a Escritura, sendo uns por ignorância e outros pelos negócios da vida, o conhecimento da mesma está fora do alcance deles; assim, a fim de que suas almas não pereçam por carecerem de instrução, por meio dos Artigos, que são poucos, procuramos abranger toda a doutrina da Fé [...] E para o presente momento, confiamos a Fé à memória, meramente atentando às palavras; esperando, porém, que, no tempo oportuno, possa-se provar cada um destes Artigos de Fé pelas Divinas Escrituras. Pois os artigos de Fé não foram compostos ao bel-prazer dos homens: antes, os mais importantes pontos dela foram selecionados a partir de todas as Escrituras, forjando o único ensino da Fé. E, como a semente de mostarda em seu pequeno grão contém muitos ramos, assim também esta Fé, em umas poucas palavras, tem abrangido em seu seio o pleno conhecimento da piedade contido em ambos, Antigo e Novo Testamentos ("The Catechetical Lectures of S. Cyril" Lecture 5.12)

"Mas aprendendo a Fé e a professando, tenhais em mente e conservai aquilo somente que vos é agora transmitido pela Igreja e que foi estruturado fortemente nas Escrituras" (Leituras Catequéticas, 5,12)

“É adequado [ao citar o Credo] esperar a confirmação da Sagrada Escritura acerca e cada parte do conteúdo. Pois os artigos de Fé não foram compostos conforme pareceu bem aos homens, mas sim conforme os pontos mais importantes recolhidos de toda a Escritura, que constituem um ensino completo da fé(Leituras Catequéticas, 5,12)

“Vamos então falar sobre o Espírito Santo, mas do que está escrito; e tudo o que não está escrito, não vamos nos ocupar com isso. O próprio Espírito Santo falou pelas Escrituras, Ele também falou sobre Ele, tanto quanto quisesse, ou tanto quanto nós poderíamos receber. Vamos, portanto, falar as coisas que ele disse, pois tudo o que Ele não disse, não nos atrevemos a dizer...  pois se tivesse sido escrito, teríamos falado dele, mas o que não está escrito não vamos nos arriscar(Leituras Catequéticas, 16)

“Nem hoje usamos as sutilezas dos homens, o que seria inútil, mas apenas chamamos a atenção para o que vem das divinas Escrituras, porque este é o caminho mais seguro (Leituras Catequéticas, 17)

Vamos expor, portanto, pelo menos cinco evidências claras que constatamos nos escritos dos Pais da Igreja:

1. As Escrituras como o ápice da autoridade em matéria de fé na Igreja.

2. Que não devemos nos ocupar com o que não está escrito, mas somente com aquilo que nos foi legado nas Escrituras Sagradas.

3. Que é necessário expor argumentos da Escritura para provar um ponto de discussão, e não meramente apelar a uma suposta tradição “não escrita”.

4. Que a Escritura Sagrada é em tudo suficiente para os cristãos em matéria de fé e prática.

5. Que não se poderia fazer nem a mais insignificante observação sem antes submetê-la às Sagradas Escrituras.

Recomendo também a leitura do meu artigo mais ampliado sobre o tema, no Apologia Cristã, que chama-se: Os Pais da Igreja e a Sola Scriptura, um estudo meu com 146 mil caracteres (praticamente um livro) exclusivamente repleto de citações e comentários patrísticos acerca da Escritura e tradição nos Pais da Igreja cristã primitiva.

Paz a todos vocês que estão em Cristo. 

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (apologiacrista.com)


-Meus livros:

-Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Reflexões cristãs e estudos bíblicos)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Desvendando a Lenda (Refutando a Imortalidade da Alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)

3 comentários:

  1. Querido Lucas Banzoli , estava eu num debate com católicos sobre a SOLASCRIPTURA no face ,usei as falas patristicas q vc postou no seu blog em q os pais defendiam a solascriptura ,os ROMANISTAS ficaram revoltados sem argumentos eram pelo menos uns 7 contra apenas eu, eles n tendo argumento APELARAM para me pedir fontes , eu estava num smart na rua nao tinha como copiar e colar nada , disseram que inventei as falas q copiei do seu blog e me chamaram de mentiroso( eles não conheciam por exemplo a citação de Tertuliano lançando um ANÁTEMA sobre qualquer coisa q nao venha da escritura) por isso fui suspenso deste grupo q pertence a católicos por 10 dias ...Gostaria se possível que o senhor me mande os links de sates patrísticos de cada citação que o senhor postou no seu blog, ja tentei o CCEL ,mas por falta de experiencia em manipular o sate nao estou conseguindo achar , seo senhor me passar isso os donos do grupo católico passarão a maior vergonha, me ajude por favor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cosme, entra neste site católico que você encontra a grande maioria das citações:

      http://home.newadvent.org/fathers/

      A de Tertuliano, que você citou, você pode ver no link abaixo, capítulo 22:

      http://home.newadvent.org/fathers/0313.htm

      Abraços.

      Excluir
  2. Mas a sola primitiva era mais pura pois os protestantes em nada se compara a eles.

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links), control c + control v e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.