23 de agosto de 2012

Mulher, eis aí o teu filho


De nada adianta passarmos inúmeras provas de que os irmãos de Jesus são realmente irmãos e não meros primos, passarmos inúmeras provas de que José conheceu Maria depois que Jesus nasceu e que este é o primeiro de outros filhos que ela teve, se não refutarmos o principal (e único) carro-forte usado por eles: o de João 19:26-27, que diz:

“Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa” (João 19:26-27)

Em qualquer site ou blog católico que se denomine “apologético” você irá perceber que, no tocante ao dogma da virgindade perpétua de Maria, essa por vezes é a única passagem repetida à exaustão pelos apologistas católicos, como se fosse uma “prova conclusiva” de que Jesus não tinha irmãos consanguíneos.

A “lógica” que eles encontraram para isso vem do fato de que, seguindo o costume judaico existente na época, seria mais coerente que Jesus tivesse entregado a sua mãe aos cuidados de algum dos seus irmãos do que ao evangelista João. Então, surge a seguinte pergunta: se Jesus tinha irmãos consanguíneos (filhos de Maria), por que ele entregou sua mãe a João, e não a estes seus irmãos? A resposta a esta questão vem à tona logo abaixo, nos argumentos que serão apresentados.


1. Jesus considerava sua família espiritual acima de sua família natural

O problema com a interpretação católica (que apela à tradição e costume judaico) é que este costume judaico provém do fato de que eles consideravam o parentesco físico (carnal) com um grau muito grande de importância, muito mais do que o grau de um parentesco “espiritual” (no sentido de sermos irmãos em Cristo).

Aliás, a própria ideia de parentesco espiritual vem a partir de Cristo, e não a partir do costume judaico, que se ocupava estritamente com parentescos físicos, dando lugar a longas e intermináveis genealogias (1Tm.1:4; Tito 3:9). Jesus, porém, tinha um conceito totalmente novo em relação ao conceito judaico de sua época. Ele afirmou algo que nenhum judeu afirmaria, ao dizer:

"E a multidão estava assentada ao redor dele, e disseram-lhe: Eis que tua mãe e teus irmãos te procuram, e estão lá fora. E ele lhes respondeu, dizendo: Quem é minha mãe e meus irmãos? E, olhando em redor para os que estavam assentados junto dele, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos. Porquanto, qualquer que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, e minha irmã, e minha mãe(Marcos 3:32-35)

Aqui constatamos claramente que Jesus considerava a sua família espiritual acima de sua família natural, pois, para ele, a sua mãe e seus irmãos não se resumiam àqueles que eram os seus parentes consanguíneos, mas, antes, eram todos aqueles que faziam a vontade de Deus. Para os judeus, o parentesco era estritamente o físico; já para Jesus, o maior parentesco é o espiritual, que era considerado por ele como acima do parentesco natural.

Foi por isso que ele olhou para aquela multidão (os quais não eram sua família natural) e disse que “eisaqui minha mãe e meus irmãos”. O que queremos dizer, e que fica óbvio e evidente à luz das declarações inequívocas de Cristo, é que ele escolheu o apóstolo João por considerá-lo o mais apto para cuidar da sua mãe, mais do que os seus irmãos de sangue.

Isso poderia ser um escândalo para aquela comunidade judaica e para os católicos atuais, mas era em realidade nada a mais nada a menos senão o reflexo do conceito que Cristo tinha acerca da superioridade de importância do parentesco espiritual sobre o parentesco físico. Se Jesus fosse tal como os judeus e também considerasse o parentesco físico como sendo o mais importante, eu seria o primeiro a concordar imediatamente com a alegação católica e diria que ele deveria ter escolhido um de seus irmãos de sangue para entregar sua mãe aos seus cuidados.

Porém, como Jesus tinha um conceito totalmente diferente daqueles judeus e considerava o parentesco espiritual como sendo o mais importante, ele não olhou com os olhos humanos ou para o parentesco físico/carnal, mas sim como Deus vê, e escolheu aquele que seria o mais apto a cuidar de sua mãe, ainda que não fizesse parte da sua família natural, mas da espiritual (que é a que Cristo considerava a mais importante).

Sendo assim, o erro dos católicos está em inferir que Jesus cria exatamente como os judeus de sua época, obrigando-lhe a escolher aquele que tivesse mais proximidade física e fim de papo. Mas Jesus via de um modo totalmente diferente deles. Ele olhava para o coração, e não meramente para uma proximidade genealógica. Até porque, se Jesus olhasse dessa forma, ele teria escolhido os seus irmãos de qualquer jeito – mesmo se fossem primos – pois seriam mais próximos fisicamente e genealogicamente do que o apóstolo João.

Portanto, de um jeito ou de outro, o fato é que a escolha de João (e não de qualquer outro de seus irmãos ou primos) demonstra claramente que Jesus não estava procurando aquele que fosse mais próximo de sua mãe pela árvore genealógica, mas sim aquele que fosse espiritualmente o mais apto e fiel.

Sendo assim, para responder a esta questão católica sobre o porquê de Jesus ter escolhido João ao invés de algum de seus irmãos de sangue, é muito simples: porque ele considerava sua família espiritual antes que a sua família natural, e por isso procurou aquele que fosse espiritualmente mais apto, e não o que tivesse o parentesco mais próximo pela carne. Tendo isso em mente, ainda temos algumas questões a resolver, como, por exemplo:

-Por que os seus irmãos de sangue não eram os mais aptos a serem escolhidos, pelo prisma espiritual que Cristo olhava as coisas?

-Por que exatamente João, se poderia ter escolhido qualquer outro discípulo, como Pedro ou Tiago?

É sobre isso que veremos a partir de agora.


2. Os seus irmãos ainda não criam nele.

O fato de Jesus não considerar os seus irmãos consanguíneos como sendo os mais aptos a cuidarem de sua mãe após a sua morte era muito simples: ele não poderia ter escolhido alguém que nem sequer cria que ele era o Filho de Deus! Como é que Jesus iria escolher alguém que nem ao menos cria nele para cuidar da sua mãe?

Ora, partindo do princípio espiritual que Cristo via as coisas, ele certamente iria em primeiro lugar escolher alguém que cresse nele, pois ter fé que Jesus é o Filho de Deus que tira os pecados do mundo é o princípio mais básico e fundamental para fazer parte da família espiritual do Reino de Deus. Alguém que não crê em Cristo não pode ser chamado de “irmão” em um sentido espiritual, que é aquele que Jesus priorizava. E os seus irmãos não criam nele, o que explica o porquê que não foram eles os escolhidos:

Porque nem mesmo seus irmãos criam nele” (João 7:5)

“E, quando os seus ouviram isto, saíram para o prender; porque diziam: Está fora de si” (Marcos 3:21)

Sendo que o princípio mais básico, primário e fundamental para fazer parte da família espiritual de Deus é crer em Cristo de todo o coração, e os seus irmãos não criam nele, e ainda achavam que ele era um louco (“está fora de si”), é óbvio que Jesus não iria escolher um de seus irmãos na carne para cuidar da sua mãe após a sua morte, mas iria escolher alguém que fosse mais espiritualmente apto para cuidar da sua mãe, alguém que satisfizesse os requisitos básicos para fazer parte da família espiritual de Cristo, que consiste em crer que ele é o Filho de Deus e ser fiel à ele até a cruz.

Cabe, então, responder a última questão que resta para concluirmos o artigo: por que exatamente o apóstolo João? Por que não foi outro discípulo que cria nele? É isso o que iremos analisar agora.


3. João foi o único que permaneceu com Cristo até a cruz

Além do princípio básico de crer em Cristo para fazer parte do Seu Reino, o Nosso Senhor Jesus estipulou um outro preceito importante para ser considerado o mais apto, que consiste em seguí-lo até a cruz, perseverar até o fim e tomar a própria cruz para seguí-lo (Mt.24:13; Lc.9:23). Neste sentido, o único dos discípulos de Cristo que continuou firme com ele até o pé da cruz não foi outro senão o discípulo amado, o evangelista e apóstolo João.

Enquanto Judas o traía, Pedro o negava e todos os outros fugiam de medo, João foi o único que seguiu Cristo durante todo o caminho até o julgamento de Jesus na sala do sumo sacerdote (Jo.18:15,16), durante toda a Via Dolorosa e por fim ao pé da cruz (Jo.19:26). João foi o único que seguiu fiel a Cristo durante todo o caminho da crucificação, do início ao fim. Ele era o único que estava lá naquele momento, e, por isso, foi aquele que ouviu de Cristo aquelas palavras sobre cuidar de sua mãe desde aquele momento.

Mas cabe ressaltar algo importante aqui: João não foi o escolhido simplesmente porque não havia mais ninguém ali e por falta de opções ele foi o único escolhido; ao contrário: foi o próprio fato de ter sido o único a permanecer fiel a Cristo até o fim que provou ao Mestre que ele era o mais apto a ter a honra de cuidar da sua mãe!

Portanto, Jesus escolheu João não somente porque não tinha mais ninguém ali e somente João para ser escolhido, mas sim porque o fato de João ter sido o único que perseverou até o último momento foi o que mostrou que ele era realmente o mais apto e preparado para exercer os cuidados da sua mãe. Sendo assim, podemos enumerar estas três razões principais que solucionam facilmente o “dilema” católico acerca do porquê que Jesus escolheu o discípulo amado João e não algum de seus irmãos consanguíneos para cuidar da sua mãe após a sua morte:

1. Porque Jesus, diferentemente dos judeus, considerava sua família espiritual acima de sua família natural. Para ele, a sua verdadeira família não era pela carne ou sangue, mas pelo espírito e verdade (Jo.4:24; Mc.3:32-35). Portanto, o mais presumível seria realmente que Cristo escolheria aquele que fosse espiritualmente mais apto, e não aquele que tivesse um parentesco físico mais próximo.

2. Porque os seus irmãos ainda não criam nele (Jo.7:5) e o achavam um louco, que estava “fora de si”(Mc.3:21). Sendo que o fator primário e fundamental para ser considerado da família espiritual de Cristo é crer que ele é o Filho do Deus vivo, é evidente que seus irmãos na carne não poderiam preencher estes requisitos, pois sequer o consideravam como realmente o Filho de Deus. Jesus, então, não teria entregue sua mãe aos cuidados de alguém que não cria nele, mas teria escolhido aquele que fosse espiritualmente mais apto (i.e, alguém que cresse nele e fosse o mais fiel).

3. Porque o evangelista João, o “discípulo amado” (Jo.13:23), foi o único que permaneceu fiel a Cristo até o fim, seguindo-o na casa de Caifás, em todo o caminho enquanto Jesus carregava a cruz e, por fim, estava aos seus pés momentos antes de entregar o seu espírito ao Pai (Lc.23:46). Enquanto todos os outros fugiam, o traíam ou o negavam, João foi o único que perseverou até o fim, e, por isso, provou ser o mais apto para cuidar da mãe de Jesus após a sua morte.

Tendo em vista os fatos levantados acima, fica incontestável que o argumento católico, que é utilizado por eles como um “carro-forte” e fundamento principal de defesa deste dogma, é muito facilmente derrubado quando fazemos uso do cérebro para raciocinar logicamente, através dos fatos apresentados na Sagrada Escritura.

Desta forma, vemos que apenas aqueles que tem sérias dificuldades de raciocínio lógico e coerente que ainda continuam sustentando e levando à frente argumentos já tão ultrapassados como é o caso deste, quando que, analisados à luz do contexto textual e histórico-social, da exegese, da hermenêutica e da lógica-racional, são facilmente derrubados, tanto quanto qualquer outra falsa doutrina inventada pela Igreja Romana.

E, se essa é a principal passagem utilizada por eles para “provarem” este dogma, imaginem só qual o nível das outras...

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (apologiacrista.com)


-Meus livros:

-Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Reflexões cristãs e estudos bíblicos)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Desvendando a Lenda (Refutando a Imortalidade da Alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)

61 comentários:

  1. CAda vez mais o irmã o escreve textos com equilibrio , discernimento e fundamentado n aBiblia . Otima defesa crista da palavra de Deus em que mais uma vez,com este texto de JOaõ, os exegetas catolico-romanos a todo custo no afã cego e totalitário tentam distorcer a hermeneutiica da Biblia Sagrada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Junior Melo, que Deus lhe abençoe!

      Excluir
    2. junior melo, segundo a propria biblia Jesus foi o unico filho que Maria deu a luz, quando jesus disse na cruz, joao eis tua mae,jesus da sua mae como mae da igreja, joao representa a igreja.

      Excluir
    3. A Bíblia diz que Jesus foi o "filho único" de Maria? Eu li isso mesmo? Em que lugar da Bíblia diz isso? A minha Bíblia diz diferente, fala que foi o PRIMOGÊNITO, e não o "único":

      "E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus" (Mateus 1:25)

      José não "conheceu" Maria ATÉ dar a luz à Jesus (e não para sempre!), que era seu primogênito, e não filho único. Sobre a alegação de que João representava a Igreja naquela ocasião, é tão espúria que seria ridículo dedicar tempo refutando tamanha especulação inventada por mentes mirabolantes e desesperadas em encontrar base bíblica para um falso dogma em algum lugar, vocês simplesmente leem mais do que está escrito no texto porque não sabem fazer exegese, apenas eisegese.

      Excluir
  2. Então, se Jesus disse que "Maria era sua mãe e ele o seu filho", por tê-lo escolhido por ser o único DISCÍPULO FIEL, até a sua crucificação. Então quem for FIEL a Jesus assim como ele foi, então, Maria também é nossa mãe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por essa mesma lógica, João foi o único a ter as visões do Apocalipse por ter sido o único discípulo fiel até a crucificação, então quem for fiel a Jesus assim como ele foi vai ter as revelações apocalípticas também. E a Igreja Católica interpreta que Pedro é a pedra de fundação da Igreja quando Cristo disse que "sobre esta pedra edificarei a minha Igreja" (Mt.16:18) após Pedro ter confessado Jesus como o Filho de Deus (v.16), então qualquer um que confessar Jesus como o Filho de Deus é a pedra da fundação da Igreja também. E Tabita foi ressuscitada pelo apóstolo Pedro porque foi justa e praticava boas obras (At.9:40,41), então qualquer um que for justo e morrer será ressuscitado nesta vida por algum apóstolo. É ou não é?

      Entenda que as coisas que na Bíblia são dirigidas especificamente a uma única pessoa valem para ela e não para todo mundo. Deus elegeu Abraão para ser pai de multidões e Abraão era um homem justo, mas isso não significa que todos os homens justos serão pais de multidões como Abraão foi. Deus escolheu especificamente Moisés para libertar o povo israelita do Egito e abrir o Mar Vermelho, e isso não indica que qualquer um que foi servo de Deus pode libertar um povo da escravidão e abrir um mar.

      Da mesma forma, Jesus disse ESPECIFICAMENTE a João para tomar Maria como mãe, porque José já havia morrido e seus irmãos não criam nEle, e foi isso o que João fez. Absolutamente nada no texto bíblico nos diz que todos os que são fieis a Deus tem Maria como mãe. Ao contrário, Jesus rejeitou fortemente a maternidade espiritual de Maria ao colocar sua família espiritual acima de sua família física ao dizer:

      "E a multidão estava assentada ao redor dele, e disseram-lhe: Eis que tua mãe e teus irmãos te procuram, e estão lá fora. E ele lhes respondeu, dizendo: Quem é minha mãe e meus irmãos? E, olhando em redor para os que estavam assentados junto dele, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos. Porquanto, qualquer que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, e minha irmã, e minha mãe" (Marcos 3:32-35)

      E quando uma mulher na multidão veio dizer a Cristo coisas parecidas com as que você diz aqui, Ele retrucou:

      "E aconteceu que, dizendo ele estas coisas, uma mulher dentre a multidão, levantando a voz, lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste. Mas ele disse: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam" (Lucas 11:27-28)

      Exegese não é retirar um texto de seu contexto, mas é respeitar as regras básicas da hermenêutica bíblica, as quais você demonstra desconhecer.

      Excluir
    2. Lucas foi muito feliz na colocação e explicação...ótimo..

      Excluir
    3. Na lei romana quando alguém era condenado por tau ato , todos que seguiam eram mortos exceto mulheres e jovens com idade abaixo de 16 anos, João aparentemente tinha esta idade portanto ele e as mulheres ficaram ao pé dá cruz os outros apóstolos seriam mortos se tivesse ficado junto dele , isso também justifica por que Pedro o negou se ele falasse que era um deles seria morto. Espero ter contribuído Deus abençoe sou dá CCB

      Excluir
  3. Talvez neste assunto também caiba uma observação sutil, pois segundo argumentam alguns,os irmãos de Jesus seriam seus "primos". Qual seria a razão de esses "primos" aparecerem nas diversas passagens com Maria? Será que não tinham mãe, para viverem na barra da saia da "tia"?

    ResponderExcluir
  4. Irmão Lucas,

    Parabéns pela elucidação do sentido deste texto, que os católicos utilizam não só para "fundamentar" a sua tese da virgindade perpétua como sua suposta maternidade espiritual sobre toda a Igreja. Neste sentido não havia somente João aos pés da cruz, ao lado de Maria, havia pelo menos mais 3 mulheres seguidoras de Jesus (João 19:25). Se a intenção de Jesus era declarar Maria mãe espiritual da Igreja, ele diria a todos os presentes ali, João, a irmã de Maria, mãe de Jesus, a Maria mulher de Cleopas e Maria Madelena: Eis ai vossa mãe, e da mesma forma diria a Maria: Eis ai vossos filhos. Mas Jesus estava simplesmente dizendo: João, cuida da minha mãe como eu cuidaria, e Mãe cuida de João como você cuidaria de mim. Ou seja, estava mais uma vez ensinando o "Novo Mandamento": Amai-vos como Eu vos amei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente.... os católicos leem a Bíblia com uma lente de aumento papal, é por isso que eles sempre "descobrem" mais coisas nos textos do que aquilo que de fato está ali.

      Excluir
    2. Isso não tem nem logica MARIA ter tido jesus e ficar virgem .

      Excluir
    3. E como é que Maria intercede se ela dorme? em 1 ts 4 diz que os que morreram em cristo vão ressuscitar algém já achou na bíblia que ela ressuscitou ?eu ainda não achei se acharem na bíblia que ela intercede que é advogada mediadora ou que devemos adorar a um dos santos que morreram em cristo que por sinal são criaturas de Deus me avisem porque voltarei ao catolicismo de onde vim lá em romanos 1;25 Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.

      Excluir
    4. meu amigo voçe e muito fantasioso interpreta a biblia segundo a sua imaginaçao a biblia nao e de interpretaçao pessoal por isso muitos iguais a voçe distorçe covardemente a palavra de DEUS quem somo nos diante de maria, ela nao foi usada e sim escolhida ela foi e sempre sera a virgem maria por favor va ler devagar e entender melhor pra nao ficar editando baboseira e tanta besteira, pra voçe que nao sabe o protestantismo e uma doutrina orfa nao tem mae, e o esgoto do catolicismo,

      Excluir
    5. Acho que o único esgoto aqui é quem escreve "VOÇE", com cedilha mesmo, três vezes consecutivas, e ainda quer dar lições de moral e de teologia aos outros. Se nós somos "órfãos de mãe", como vocês papistas burros afirmam, você é órfão de escola, de cultura, de educação e de família. Se seus pais e professores não te ensinaram a escrever, ou se você é tão lesado que mesmo sendo ensinado ainda assim não aprende nem as coisas mais básicas, não vai ser eu que vou conseguir te ensinar teologia, algo muito mais complexo do que a escrita de "você".

      Faz tempo que eu não dizia isso a alguém, mas acho que nunca antes coube tão bem como agora: VÁ ESTUDAR!

      Excluir
    6. Era esperado dar no que deu. Mas ilmo. sr. Lucas Benzoli, parabens pelo dicernimento. Gostei bastante da v. esplanção. E olha que sou batizado na religião católica, mas não concordo com o que é praticado: interseção, toda essa louvação a tantas nossas senhoras. Não consigo concordar com o que é pregado na minha religião. Ao senhor, Lucas Benzoli:
      Clap! clap!clap! clap!clap! clap!clap! clap!clap! clap!clap!

      Excluir
    7. A mesma boca que proferiu a frase "Ninguém vem ao pai senão por mim", proferiu "Filho eis aí a tua mãe". Existem como explana os respeitadíssimos relatores aqui, varias interpretações no que se refere a segunda frase. A primeira também não pode haver outras interpretações? Não me conformo quando fanáticos respondem as minhas indagações com a frase: "não foi isto que ELE quis dizer". Nasci em berço católico mas não pratico a religião , por encontrar nela alguns enganos também. Mas todo aquele que disser: Esta é a verdade, está equivocado. Acredito que devemos respeitar o Santo nome de Deus. Acredito que devemos respeitar os ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo A quem considero Deus feito Homem. Mas afirmar que é esta ou àquela a verdade, quem poderá faze-la? Inclusive crer que Lutero foi um revolucionário que quis a todo custo entrar para a história como um sábio e um herói. Ele conseguiu. Mas será que é isto mesmo que ele almejava? Não sei, não sabe ninguém, existem advogados contra e a favor. Mas e a verdade? Esta ninguém sabe !Portanto seguimos nosso coração em silencio, sem criticas a quem quer que seja.

      Excluir
    8. "Mas todo aquele que disser: Esta é a verdade, está equivocado"

      E essa afirmação sua aí, é a verdade?

      Excluir
    9. Lutero quis entrar para a história? Como alguém que diz :“A primeira coisa que peço é que as pessoas não façam uso de meu nome e não se chamem de luteranas, mas cristãs. Que é Lutero? O ensino não é meu. Nem fui eu crucificado por ninguém. Como eu, miserável saco fétido de larvas que sou, cheguei ao ponto em que as pessoas chamam os filhos de Cristo por meu perverso nome?” quer algum holofote. Ele apenas confrontou a Igreja com a verdade. E quem disse que nós idolatramos Lutero. Ele foi apenas um homem usado por Deus. Além disso eu ainda não consigo entender como um relativista quer discutir a verdade? Haja incoerência!!

      Excluir
  5. Parabéns amado pelo excelente comentário.

    ResponderExcluir
  6. Lucas, eu agradeço a Deus pela sua vida, pois você tem esclarecido, através deste blog, muitas das minhas dúvidas a respeito do romanismo. Não concordo com alguns pontos que você defende, tais doutrinas como a não imortalidade da alma e o arminianismo. Mas enfim, você tem sido bênção para mim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Bruno. Essa é uma vantagem de ser evangélico: nós podemos discordar doutrinariamente em alguns pontos uns dos outros, porque temos liberdade para pensar sobre a doutrina e refletir por nós mesmos, e da mesma forma toleramos os outros naquilo que pensam diferente de nós. O católico não: ou ele é um zumbi do papa e concorda passiva e acriticamente com tudo o que ele diz, ou não pode ser católico mais. Não há liberdade. Não há espaço para o raciocínio, inteligência ou personalidade individual. O indivíduo acaba se reservando a um papel de escravo, o que vai sempre gerar barbaridades.

      Grande abraço!

      Excluir
  7. Hey, mamãe ama vocês e nos fins dos tempos só os acorrentados a Ela ficarão de pé... satanás estremece de alegria por filhos pedidos, deitem de ser mal amados e vem pra cá Vcs também MARIA NELES... PODEROSAMENTE ELA INTERCEDE POR VOCÊS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu só decidi publicar esse seu comentário para todo mundo ver até que ponto que a demência papista é capaz de levar alguém.

      Excluir
    2. Amado(a( não se esconda atrás de um perfil anônimo, revele-se e exponha- se, sua fé não pode ser oculta, mesmo que eu acreditasse que Jesus nao tinha irmaos, e que a santa Maria fosse ainda de que aluma forma virgem( deixando claro que NAO acredito) isso nao muda o fato da salvacao estar só em Cristo Jesus, e nao apaga os pecados de Maria, a biblia diz que somos concebidos em pecafos, diz tbm que todos pecaram e foram destituído da glória de Deus, e não ha outro nome, nos céus e na terra ou embaixo da terra ao qual alcançamos a salvação, e só a Ele adoraremoa e so a Ele prestaremos culto.
      Ela(maria) nos deixou un mandamento nas bodas, na passafem ela duz, fazei tudo o que Ele mandar, e em sua paavra Ele nos diz todas essas coisas!!!

      Excluir
  8. Irmão, um blog pra atacar catolico!!!!!!!o que é isso, guarde suas forças pra combater o que precisa ser combatido, va ajudar as vitimas do terremoto no nepal, vc precisa repensar seus conceitos Lucas, converse com Deus, será que é isso que ele que der vc? acredito que não!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E você, já ajudou muito o Nepal ou só sabe ficar resmungando e choramingando no meu blog?

      Excluir
  9. Bem, sou catolico e antes de mais nada gostaria de 'agradecer' pelos 'elogios' a mim dispensados nesse blog como demente, zumbi, etc, o que não compete com o discurso de tolerancia e fraternidade aqui ventilados. Sempre tive a convicção de que a biblia como qualquer outra leitura é passiva de inumeras interpretações e delas surgem as doutrinas e as igrejas de cristo.O catolico acredita que Maria tem um lugar especial no céu bem diferente do meu e do seu que está lendo esse texto, ela gerou e cuidou do nosso salvador, não vou citar textos biblicos pois convicçoes são escolhas e ponto final. Algumas igrejas cristãs deliberadamente não podem doar sangue a quem quer que seja em qualquer que seja o contexto, essa igreja tomou essa doutrina da biblia, conheço igreja cristã onde em seus cultos é inaceitavel aplaudir enquanto outras dançam e pulam e gritam. Respeitar uma pessoa que tem Jesus Cristo como salvador, respeitar uma igreja que contribui com a sociedade, que tira jovens das drogas, que pratica a caridade é coerente, é cristão. Espero que meu comentario seja publicado mesmo que venha mais uma ofensa. Fiquem todos na paz de Jesus, estamos todos esperando por ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Católico é sempre assim: quando não está fazendo vítimas, está se vitimizando. Onde foi que eu te chamei de "demente"? Onde? Quando? Cadê o link? É a primeira vez que você posta aqui. Não poderia disfarçar melhor antes de mentir tão descaradamente?

      Alguma vez este site impediu você de ser católico? Alguma vez eu te proibi de ir à missa? Alguma vez eu forcei você a entrar em uma igreja evangélica e se converter? Se não, então pare de choramingar igual a uma criancinha e entenda que o conteúdo deste blog está relacionado à DOUTRINA, e não a "contribuições para a sociedade". Contribuir para a sociedade até os espíritas contribuem, e muito mais do que os católicos por sinal. Isso significa que nós não podemos criticar os erros doutrinários do espiritismo? Se isso vale para eles, por que não valeria pra vocês?

      Se você não gostou de algo que está aqui neste blog criticando uma DOUTRINA católica, então é muito simples: REFUTE. Abra um blog e seja feliz descendo a linha no Lucas Banzoli. Mostre que determinada doutrina que eu considero errada é na verdade certa. Mas aparecer aqui apenas para chorar e chorar mais ainda só vai fazer você passar vergonha. E só para avisar, aqui no blog eu não tenho o costume de publicar choros, eu só publico comentários lúcidos, seja a favor ou contra certa doutrina. Se seu próximo comentário CONTINUAR SENDO apenas chororô, igual aos anteriores, não espere que eu o publique novamente. Minha paciência tem limite.

      Excluir
  10. Quando Jesus fala: "Mulher, eis aí seu FILHO...", a palavra filho é no sentido de adelphos ou anepsios?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhuma das duas. A palavra para "filho" é "huios", ela não tem nada a ver com "adelphos" (irmão) ou com "anepsios" (primo):

      "ιησους ουν ιδων την μητερα και τον μαθητην παρεστωτα ον ηγαπα λεγει τη μητρι αυτου γυναι ιδου ο υιος σου"

      Excluir
  11. Nobre Lucas,
    Uma pessoa catolica me disse, hoje, que quando o Senhor Jesus disse ao apostolo Joao para receber Maria como sua mae, Ele estava falando, na verdade, com Joao, na qualidade de apostolo (discipulo), ou seja, como se falasse com toda a igreja.
    Assim sendo, naquele momento, segundo esse catolico, Jesus estava constituindo Maria como "mae de toda a Igreja".
    Submeto tal pensamento ao irmao, aguradando sua opiniao sobre mais essa heresia.
    Deus te abençoe!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marcelo. O Hugo tem um artigo sobre isso:

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2012/08/sobre-maternidade-espiritual-de-maria.html

      Abraço!

      Excluir
  12. Já comentei aqui no blog outro texto referente a Maria sempre na condição de alguém que participou durante 22 anos da igreja católica e atualmente não mais participa. Outra vez quero recordar que aos pés da cruz de Jesus haviam outros seguidores de Jesus como por exemplo Maria mulher de Cleofas e se não me falha a memória Maria Madalena além de Maria mãe de Jesus e o próprio João. Se a intenção de Jesus fosse eleger Maria como mãe da igreja seria natural que Jesus dissesse: "FILHOS EIS AÍ A TUA MÃE" afinal estava a igreja aos pés da cruz, não apenas João. Pra ser consistente o argumento católico relativo ao papel de Maria mãe da igreja, seria mais aceitável se ela fosse entregue então a Pedro afinal para os católicos ele já se tornara o primeiro papa e chefe da igreja. Levei muito tempo pra entender a fragilidade dos argumentos que sustenta o templo da imensa devoção Mariana que dentre outros, encanta católicos mundo afora. Literalmente se perdem por falta de um conhecimento básico.

    ResponderExcluir
  13. Quero apenas notificar que aqui não é lugar para culto idólatra. Quem quiser adorar Maria ou quem quer que seja, vá numa missa.

    ResponderExcluir
  14. Então me citem algum lugar na bíblia que cita um outro "filho de Maria".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. “Ele, porém, respondendo, disse ao que lhe falara: Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos?” (Mateus 12:48)

      “E, falando ele ainda à multidão, eis que estavam fora sua mãe e seus irmãos, pretendendo falar-lhe” (Mateus 12:46)

      “E disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, que querem falar-te” (Mateus 12:48)

      “Não é este o filho do carpinteiro? e não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, e José, e Simão, e Judas?” (Mateus 13:55)

      “Chegaram, então, seus irmãos e sua mãe; e, estando fora, mandaram-no chamar. E a multidão estava assentada ao redor dele, e disseram-lhe: Eis que tua mãe e teus irmãoste procuram, e estão lá fora. E ele lhes respondeu, dizendo: Quem é minha mãe e meus irmãos? E, olhando em redor para os que estavam assentados junto dele, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos. Porquanto, qualquer que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, e minha irmã, e minha mãe” (Marcos 3:31-35)

      “E foi-lhe dito: Estão lá fora tua mãe e teus irmãos, que querem ver-te. Mas, respondendo ele, disse-lhes: Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a executam” (Lucas 8:20-21)

      “Depois disto desceu a Cafarnaum, ele, e sua mãe, e seus irmãos, e seus discípulos; e ficaram ali não muitos dias” (João 2:12)

      “Porque nem mesmo seus irmãos criam nele” (João 7:5)

      “Mas, quando seus irmãos já tinham subido à festa, então subiu ele também, não manifestamente, mas como em oculto” (João 7:10)

      “Disseram-lhe, pois, seus irmãos: Sai daqui, e vai para a Judéia, para que também os teus discípulos vejam as obras que fazes” (João 7:3)

      “Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria mãe de Jesus, e com seus irmãos” (Atos 1:14)

      “Não temos nós direito de levar conosco uma esposa crente, como também os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas?” (1ª Coríntios 9:5)

      “E não vi a nenhum outro dos apóstolos, senão a Tiago, irmão do Senhor” (Gálatas 1:19)

      “E despertando José do sonho, fez como o anjo do Senhor tinha lhe mandado, e recebeu a sua mulher. E ele não a conheceu [corporalmente], até que ela fez nascer ao filho dela, o primogênito, e lhe pôs por nome Jesus” (Mateus 1:24,25)

      Agora estou à espera dos vários textos fulminantes que falam categoricamente que os irmãos de Jesus eram PRIMOS. Claro que você certamente os tem, então estou na expectativa, aguardando ansiosamente por eles.

      Excluir
    2. É meu caro, é apenas mais um no cabresto papal.
      Nem se quer ler a bíblia ele ler, pq se o papa ou padre falou é pq é verdade. haha

      Excluir
  15. "Alguns trechos das Sagradas Escrituras aludem aos supostos ‘irmãos’ de Jesus. A fé católica ensina que Maria Santíssima teve somente um filho: Jesus. E que permaneceu sempre virgem, antes, durante e após o parto. Trata-se de verdades de fé que devem ser aceitas por todos os católicos. Todavia, diante do ensinamento da Igreja, como explicar o versículo 55 do Evangelho de Mateus quando indaga: "Não é este o filho do carpinteiro? Não é Maria sua mãe? Não são seus irmãos Tiago, José Simão e Judas?" (Mt 13, 55) Ou, justificar a seguinte afirmação da Carta de São Paulo aos Gálatas, "depois, três anos mais tarde, fui a Jerusalém, para conhecer Cefas, e fiquei com ele quinze dias. Não me encontrei com nenhum outro apóstolo, a não ser com Tiago, irmão do Senhor." (cf. 1, 18-19)?

    As respostas estão contidas na própria Escritura. Quanto aos dois Tiagos mencionados nas listas dos apóstolos, são alcunhados Maior e Menor. Tiago Maior é filho de Zebedeu, irmão de São João; portanto, não é este que é irmão de Jesus. Tiago Menor, por sua vez, é o filho de Alfeu. As várias listas dos Apóstolos trazem esses dois Tiagos.

    No Evangelho de Mateus, vê-se: "estes são os nomes dos doze apóstolos: primeiro, Simão, chamado Pedro, e depois André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu e seu irmão João; Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu, Simão, o cananeu, e Judas Iscariotes, que foi o traidor de Jesus." (cf. 10, 2-4)

    No Evangelho de Marcos, igualmente: "eram: Simão (a quem deu o nome de Pedro). Tiago, o filho de zebedeu, e João, seu irmão (aos quais deu o nome de Boanerges, que quer dizer ‘filhos do trovão’); e ainda André, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu, Tadeu, Simão, o cananeu, e Judas Iscariotes, aquele que o traiu." (cf. 3, 16-19)...... "

    ResponderExcluir
  16. "E, finalmente, no Evangelho de Lucas, "ao amanhecer, chamou os discípulos e escolheu doze entre eles, aos quais deu o nome de apóstolos: Simão, a quem chamou Pedro, e seu irmão André; Tiago e João, Filipe e Bartolomeu; Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado zelote; Judas, filho de Tiago, e Judas Iscariotes, que se tornou o traidor." (6, 13-16)

    Portanto, o "Tiago, irmão do Senhor", não é filho de José. Alguém poderia alegar que ele é filho somente de Maria, que se casou com outro homem após a morte de José. Porém, nos trechos referentes às mulheres que estavam aos pés da Cruz do Senhor, temos a mãe de Tiago, que é claramente outra pessoa que não a mãe de Jesus:

    No Evangelho de Mateus: "grande número de mulheres estava ali, observando de longe. Elas haviam acompanhado Jesus desde a Galiléia, prestando-lhe serviços. Entre elas estavam Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago e de José e a mãe dos filhos de Zebedeu." (27, 55-56)

    No de Marcos, "estavam ali também algumas mulheres olhando de longe; entre elas Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago Menor e de Joset, e Salomé. Quando ele estava na Galiléia, estas o seguiam e lhe prestavam serviços. Estavam ali também muitas outras mulheres que com ele tinham subido a Jerusalém." (15, 40-41)

    Os Evangelhos atestam que havia uma Maria que era mãe de Tiago Menor e de José, mas esta Maria não era a mãe de Jesus. Então, quem era ela? Poderiam os chamados "irmãos” de Jesus serem, na verdade, "primos” dele? É o que se vê no Evangelho de São João, "junto à cruz de Jesus, estavam de pé sua mãe e a irmã de sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena." (19, 25)

    São João expõe de forma clara que havia, aos pés da cruz, uma irmã de Maria Santíssima, ou seja, uma tia de Jesus. O estranho é que diz que essa Maria é esposa de Cléofas, quando anteriormente, se havia dito ser esposa de Alfeu. Como isso ocorre? Conjecturando, é possível que Cléofas e Alfeu fossem a mesma pessoa, com um nome grego e outro judaico. Ou ainda, que essa Maria, tia de Jesus, casou-se duas vezes, uma com Alfeu, concebendo Tiago e outra com Cléofas, com quem teve outros filhos.

    Até aqui, tem-se claramente que "Tiago, irmão do Senhor", tinha outro pai e outra mãe. E que esta mãe era, na verdade, tia de Jesus. Na linguagem bíblica temos que irmão, na verdade, significa "primo", ou seja, significa qualquer parentesco masculino que tenha uma ligação de sangue. É a linguagem semítica, como se vê também no Antigo Testamento. Abraão era chamado irmão de Lot, contudo, ao verificar-se a genealogia dele percebe-se que Lot era seu sobrinho, filho de seu irmão.

    Assim, o que se tem é uma comprovação de como os textos bíblicos estão em perfeita harmonia com a Tradição Católica. É dela que deriva a fé na Virgindade Perpétua de Maria e, consequentemente, no fato de que não existiram os supostos "irmãos de Jesus". " (Pe. Paulo Ricardo) Está aí toda a expplicação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos refutar parte por parte deste texto copiado do Pe. Paulo Ricardo:

      “As respostas estão contidas na própria Escritura. Quanto aos dois Tiagos mencionados nas listas dos apóstolos, são alcunhados Maior e Menor. Tiago Maior é filho de Zebedeu, irmão de São João; portanto, não é este que é irmão de Jesus. Tiago Menor, por sua vez, é o filho de Alfeu. As várias listas dos Apóstolos trazem esses dois Tiagos”

      Resposta – O Tiago mencionado por Paulo NÃO era um destes dois Tiagos entre os doze apóstolos. Havia um grupo mais amplo de apóstolos, que ia além dos doze. Neste grupo inclui-se Paulo e Barnabé (At.14:14), Andrônico e Júnias (Rm.16:7), e, é claro, Tiago (Gl.1:19). Além disso, inclui o “Cefas”, distinguido de Pedro, embora frequentemente confundido com ele, como expus aqui:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.com.br/2015/11/cefas-o-apostolo-secreto.html

      Eusébio de Cesareia confirmou com todas as letras que existiam MUITO MAIS APÓSTOLOS ALÉM DOS DOZE, em sua famosa obra “História Eclesiástica”:

      “Portanto, de qualquer forma, os apóstolos à imagem dos ERAM MUITOS MAIS – o próprio Paulo o era -, prossegue dizendo: depois apareceu a todos os apóstolos. Sobre este tema, baste o que foi dito” (História Eclesiástica, Livro I, c. 1)

      Continuando...

      “Portanto, o ‘Tiago, irmão do Senhor’, não é filho de José. Alguém poderia alegar que ele é filho somente de Maria, que se casou com outro homem após a morte de José. Porém, nos trechos referentes às mulheres que estavam aos pés da Cruz do Senhor, temos a mãe de Tiago, que é claramente outra pessoa que não a mãe de Jesus”

      Resposta – Não é de modo algum “distinguida da mãe de Jesus”, pelo contrário, é A PRÓPRIA mãe de Jesus, que também era mãe de Tiago e João (Mc.6:3).

      Excluir
    2. Continuando...

      “São João expõe de forma clara que havia, aos pés da cruz, uma irmã de Maria Santíssima, ou seja, uma tia de Jesus. O estranho é que diz que essa Maria é esposa de Cléofas, quando anteriormente, se havia dito ser esposa de Alfeu. Como isso ocorre? Conjecturando, é possível que Cléofas e Alfeu fossem a mesma pessoa, com um nome grego e outro judaico. Ou ainda, que essa Maria, tia de Jesus, casou-se duas vezes, uma com Alfeu, concebendo Tiago e outra com Cléofas, com quem teve outros filhos”

      Resposta – Essa tese de que Maria tivesse uma irmã que também se chamasse Maria já foi destruída aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/11/maria-de-clopas-tia-de-jesus.html

      Cleofas e Alfeu NÃO eram a mesma pessoa, “Alfeu” NÃO é um equivalente em aramaico ou em hebraico para o grego “Cleofas”, como já foi explicado no artigo. A tese de que Maria “se casou duas vezes” trata-se de ESPECULAÇÃO sem qualquer evidência, e é refutada pelo próprio Lucas, autor do terceiro evangelho, que cita o pai de Tiago como sendo “Alfeu” (Lc.6:15), e NO MESMO evangelho cita “Clopas” em separado (Jo.19:25).

      Continuando...

      “Na linguagem bíblica temos que irmão, na verdade, significa ‘primo’, ou seja, significa qualquer parentesco masculino que tenha uma ligação de sangue. É a linguagem semítica, como se vê também no Antigo Testamento. Abraão era chamado irmão de Lot, contudo, ao verificar-se a genealogia dele percebe-se que Lot era seu sobrinho, filho de seu irmão”

      Resposta – Essa tese esdrúxula de que os irmãos de Jesus eram primos já foi refutada à luz do original grego neste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/09/os-irmaos-de-jesus-eram-primos.html

      Sobre Ló e Abraão, duas considerações têm que ser feitas. Primeiro, que o contexto da passagem não fala de irmão de sangue, mas de irmão em sentido fraternal, no mesmo sendo em que eu posso chamar um amigo meu de “meu irmão”. Segundo, que mesmo se estivesse em sentido sanguíneo, isso também não prova nada, porque a LXX não é o original do texto, mas somente uma TRADUÇÃO do hebraico, ou seja, os tradutores apenas verteram o texto “irmão” por “irmão”, seguindo o hebraico. O NT, em contraste, não é “tradução” alguma, mas sim O PRÓPRIO original dos textos, e é por isso que NUNCA os irmãos de Jesus são chamados de outra coisa a não ser “irmãos” mesmo, ainda que no NT ocorra a palavra “primo” e “parente” em várias ocasiões.

      Refutado. Volte sempre.

      Excluir
  17. Queridos... A paz do Senhor! Fui católica por 30 anos, quando realmente tive um encontro pessoal c Deus e me converti numa igreja evangélica. Essa questão de Maria (o pontapé inicial pim abandonar a heresia foi procurar, no NT inteiro sobre a Assunção de Maria e não encontrar!), Eucaristia, rezar para os mortos, imagens, Pedro considerado o primeiro Papa, indulgências, batismo de criancas, e tantas outras coisas são dogmas impostos pela igreja e únicos da fé católica. Tal doutrina NÃO tem base bíblica nenhuma. Quem se interessa pela palavra de Deus, começa ler, meditar e praticar, percebe q os dogmas católicos realmente não passam de heresia.E essa história de interpretação, é desculpa... A palavra de Deus é mto clara:
    João: 10. 9. Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens. (Note bem, se alguém entrar POR MIM, não há outro meio)
    João: 14. 6. Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. (Essa, dispensa comentários! )
    João: 15. 1. Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o viticultor. (Eu sou... E meu Pai... Cadê a mãe?)
    Apocalipse: 22. 8. Eu, João, sou o que ouvi e vi estas coisas. E quando as ouvi e vi, prostrei-me aos pés do anjo que mas mostrava, para o adorar. 9. Mas ele me disse: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus. (Preste atenção: Adora a Deus, Maria não é Deus p ser adorada)
    Apocalipse: 22. 18. Eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro: Se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro; 19. e se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão descritas neste livro. (Preste atenção, Jesus adverte sobre acréscimos à Palavra)
    E para finalizar: Salmos: 119. 11. Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti. 105. Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho.
    Voltem se para a Palavra de Deus... Fiquem todos na paz de Jesus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bonito o seu testemunho. Fico feliz por haver pessoas como você, que passaram a pensar por si mesmas em vez de terceirizar a tarefa de pensamento, deixando que outra pessoa interprete no seu lugar. Como eu já escrevi aqui muitas vezes, a interpretação simples e natural da Bíblia manda as pessoas para bem longo do catolicismo romano. É por isso que a Igreja proibiu e reprimiu tantas vezes a leitura da Bíblia e a própria liberdade de pensamento, e é por isso que os evangélicos crescem tanto no Brasil e no mundo.

      Um abraço e que Deus lhe abençoe!

      Excluir
  18. Jennifer Vasconcelos24 de junho de 2016 00:19

    Estou impressionada Lucas, com seus argumentos 👏👏👏👏 Me tiraram muitas dúvidas! Parabéns! Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Jennifer, Deus lhe abençoe igualmente!

      Excluir
  19. Querido, venho na paz do Senhor te dar um conselho. Percebo que você é muito inteligente e estudado. Glória a Deus! Continue usando isto para o Reino! E venho em humildade conversar com você, pois sei que ninguém é melhor do que ninguém.
    Tenha um pouco mais de amor e compreensão com as pessoas que não crêem da mesma maneira que você. A Bíblia diz em 1Co 13 que o maior valor (acima do conhecimento) é o amor. Se as pessoas lhe importunarem com comentários maldosos não as trate da mesma maneira. Pague o mal com o bem. Creio que é válido você repensar a maneira como expõe as crenças católicas. Não estou dizendo para deixar de pregar a verdade, mas acredito que você pode ser mais amoroso em suas palavras. Se quiser nem autorize este comentário, apenas leia e leve para a sua vida ministerial. Isso vai fazer muita diferença e Deus vai te usar de maneira mais tremenda ainda. Deus abençoe!

    ResponderExcluir
  20. Só uma pergunta: ainda tens certeza de que João é o discípulo amado??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este artigo é antigo (de 2012), ignore o tratamento de João como sendo o "dciscípulo amado".

      Excluir
  21. “Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa” (João 19:26-27)

    - Assim como João, o discípulo fiel, desde aquela hora recebeu Maria em sua casa, tal qual devemos recebê-la em nossas vidas, disse-me um católico.

    Lucas, qual sua opinião sobre pregações que fazem analogias com a palavra de Deus? Essa prática é muito comum tanto em Igrejas Católicas quanto Protestantes, e costumam ser um método de convencimento muito eficiente para os mais leigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse tipo de "analogia pastoral" serve apenas como ilustração didática para algum ponto que tenha amparo em passagens claras da Escritura. Por exemplo, podemos fazer uma analogia com Abraão, dizendo que assim como ele estava disposto a sacrificar seu bem mais precioso (Isaque) por Deus, nós também temos que colocar Deus em primeiro lugar nas nossas vidas. Mas isso porque existe o ensino explícito em outras partes da Bíblia dizendo isso (por exemplo, Mt 6:33), e assim a analogia serve como exemplo didático para uma finalidade pastoral. Caso totalmente diferente seria esse da analogia católica com o texto de João, cuja aplicação didática não encontra paralelo em absolutamente nenhum texto das Escrituras, ou seja, acaba sendo apenas um devaneio qualquer, um malabarismo bíblico. É preciso entender que teologia não se faz por meio de aplicações espirituais/pastorais, mas sim com exegese séria respeitando as normas hermenêuticas; essas aplicações tem efeito meramente didático para ensinar alguma coisa aos leigos, se e somente se encontrar eco em textos claros da Bíblia.

      Excluir
  22. sempre entendi assim: eu posso ser discipulo de Jesus sem ser discipulo amado. De fato, Jesus tinha 72 discipulos. Só o discípulo amado tem Maria em sua casa e só quem tem Maria em sua casa é discípulo amado. Logo......até que Lutero foi discípulo amado, pois honrava a mae de Jesus, mas depois....os protestantes de evangelicos excluiram Maria e aí só lhes resta ser discipulos, nao porem amados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. What??? Um católico dizendo que Lutero era um discípulo amado? kkkkk

      Excluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links), control c + control v e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.