27 de agosto de 2012

Devemos guardar o domingo? - Parte 2


Em meu último artigo sobre o tema, busquei refutar as principais argumentações católicas a favor da guarda obrigatória do domingo e de outros dias de festa, imposição esta feita pela Igreja Romana em seu próprio catecismo. O principal argumento refutado foi o de que, por Jesus ter ressuscitado num domingo, significa que não podemos trabalhar neste dia.  

Antes de passarmos muitas passagens bíblicas que demonstram de modo claro que não houve uma substituição do sábado pelo domingo nos moldes da antiga aliança, mas que o sábado era uma sombra (figura profética) de um bem vindouro que é o descanso celestial eterno, irei brevemente refutar algumas outras passagens bíblicas utilizadas por eles. 


Os discípulos cultuavam a Deus no domingo 

Eles se utilizam das passagens de 1ª Coríntios 16:2 e de Atos 20:6-7 (que mostram os cristãos cultuando a Deus no domingo) para “provarem” que nós devemos guardar o domingo. Porém, existe uma enorme diferença entre cultuar a Deus em algum dia da semana e guardá-lo no sentido de não poder trabalhar neste dia.  

Eu também cultuo a Deus no domingo e não é por isso que eu o considero um dia mais santo que os demais ou que deva ser observado (guardado) livre de qualquer outra atividade, assim como ocorria com o sábado na antiga aliança. Cabe ressaltar aqui que essas duas passagens não falam sobre guardar o domingo, mas somente que os cristãos cultuavam a Deus neste dia. E daí? Biblicamente, vemos que os cristãos cultuavam a Deus todos os dias, e não somente no domingo:  

E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus Cristo” (Atos 5:42) 

“E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração” (Atos 2:46) 

Será que pelo fato de que os discípulos cultuavam a Deus todos os dias nos templos e nas casas significa, então, que devemos guardar todos os dias no sentido de não realizarmos nenhum trabalho neles? É claro que não! Se fosse assim, Paulo não poderia ter o ofício de fabricante de tendas (At.18:3). Portanto, o fato de que os cristãos cultuavam a Deus em um determinado dia não significa que este dia deva ser “guardado” (no sentido já apresentado acima), senão não poderíamos trabalhar em dia nenhum da semana.


O domingo era o “Dia do Senhor” 

Este argumento é o que eu considero o mais engraçado, já que existe apenas uma única passagem bíblica que fala deste “dia do Senhor”, e o que é o mais curioso é que nesta única passagem não está dizendo que é o domingo! Então, como é que eles afirmam com certeza absoluta que se trata do domingo, se essa passagem (que se encontra em Ap.1:10) não diz qual dia que era? Simplesmente por suas próprias especulações, assim como fazem com o “argumento da ressurreição”, já visto no artigo anterior. 

Qualquer um poderia afirmar que seria qualquer outro dia e teria as mesmas “provas” que os guardadores do domingo possuem. Para dizer a verdade, dizer que este «Dia do Senhor» é o sábado é até mais coerente do que dizer que se refere ao domingo, pois pelo menos temos uma passagem bíblica que declara isso de modo enfático, quando Jesus disse que “o Filho do homem é Senhor do sábado” (Mt.12:8).  

Se Jesus disse que ele era o Senhor do sábado, então qual era o “dia do Senhor”? A resposta é óbvia, mas vou deixar ao critério de cada leitor escolher, se é um dia puramente especulativo sem qualquer apoio nas Escrituras ou se é um dia em que o próprio Senhor Jesus afirma explicitamente que ele é o Senhor. Mesmo assim, cabe aqui ressaltar que Apocalipse 1:10 não está falando sobre guardar ou observar dias. Não há nada no texto que implique que devemos guardar algum dia específico da semana.  

Se a expressão «Dia do Senhor» é uma referência ao sábado, significa somente uma alusão que João fez à declaração de Cristo em Mateus 12:8, sem implicar necessariamente na guarda ou observância deste dia, uma vez que o texto apocalíptico não trata de guarda de dias. E, se a referência ao «Dia do Senhor» é mesmo ao domingo, isso também não significa que devemos guardar o domingo (pelos mesmos motivos apresentados acima), mas seria somente uma referência à ressurreição de Cristo que dizem ter acontecido neste dia.  

Portanto, de um jeito ou de outro, Apocalipse 1:10 não serve para impor guarda de dias nem para um lado e nem para o outro. Os “sabatistas” e os “domingueiros” tem debatido há séculos sobre qual é este «Dia do Senhor», todos eles tentando impor a sua opinião, mas o fazem em vão, uma vez que, independentemente de qual seja essa resposta, não há nada neste texto que implique ou indique que este «Dia do Senhor» é um dia em que não podemos realizar qualquer trabalho ou serviço.  

O mais provável é que João tenha se referido ao «Dia do Senhor» porque foi neste dia em que ele recebeu as revelações de Jesus Cristo na ilha de Patmos. Da mesma forma que os antigos profetas referiam-se inúmeras vezes ao «Dia do Senhor» (e isso não implicava em algum dia da semana em específico, mas somente no dia do Juízo, quando Deus irá estabelecer a Sua justiça no mundo e condenar os ímpios), da mesma forma João poderia ter se referido ao «Dia do Senhor», e não como um dia específico de guarda.  

Vale ressaltar também que os outros dias da semana (como segunda à sexta) também são «do Senhor». Afinal, se Deus não é o Senhor destes dias, então quem é? O diabo? Eu? Você? Não, todos eles são «do Senhor»! Prova de que João não estava se referindo a um dia como superior aos demais ao se referir ao «Dia do Senhor» é que Paulo afirma que “um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente. Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz” (Romanos 14:5,6).  

Portanto, independentemente de qual seja exatamente o «Dia do Senhor» ou de qual significado que ele tenha, o fato é que isso de modo algum implica na superioridade ou santificação de um dia em detrimento dos demais.  

Deste modo, tanto os guardadores do sábado como os guardadores do domingo estão discutindo à toa sobre qual dia que é “superior” aos demais ou “mais santo”, pelo qual devemos nos ausentar de nossas atividades. Todos os dias são santos aos olhos de Deus, e todos os dias são dEle, de modo que a nossa obrigação não é de buscar ao Senhor somente em um dia específico da semana, mas em todos eles. 

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (apologiacrista.com)


-Meus livros:

-Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Reflexões cristãs e estudos bíblicos)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Desvendando a Lenda (Refutando a Imortalidade da Alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)

2 comentários:

  1. Existem sérios problemas na minha opinião para os sabatistas.

    1-se devemos apenas guardar o sábado,então pq os mesmos guardam tbm o domingo não trabalhando?Assim não estariam tbm eles anulando a lei?

    2- Se as passagens referentes a Jesus indo ás sinagogas e os discípulos aos sábados,então teriam que guardar não apenas o sábado,mas tbm os domingos,já que várias passagens no Novo testamento apontam os discípulos fazendo coletas e até mesmo recebendo o Espírito Santo num dia de domingo(At 20.6-7,I Co 16:1-2).A festa das primicias ocorria no domingo(Lv 23:11)e cinquenta dias depois se dava a festa do pentecoste,contem 50 dias após o sábado,ou seja,no domingo e matematicamente observaremos que tais festas ocorriam aos domingos.Agora,gostaria de fazer uma observação:
    O DIA DO SENHOR,mencionado pelo apóstolo João,é uma referência ao salmos 118:24.
    No original,lemos assim:
    KYRIAKÊ HEMÉRA-DIA DO SENHOR.

    O nosso vocábulo DOMINGO procede do latim DOMINICIUS (Senhorial),como dominga vem de Dominica,que por sua vez,é a tradução latina do grEgo KYRIAKÉ.

    KYRIAKÉ HEMÉRA,é o dia de domingo,sinônimo de DIA DO SENHOR,ou seja,com a ressurreição de Jesus no domingo,Cristo passou a ser honrado como Senhor.As escrituras demonstram claramente que o DIA DO SENHOR é KYRIAKÉ HEMÉRA-DOMINGO DO SENHOR.

    Mas na minha opinião,guardar ou não o domingo.nada influencia na salvação,por isso,entendo que na citação de Paulo,ele quis enfatizar justamente isso,assim como circuncisão e batismo não são requisitos para a salvação.

    Abraço querido.

    ResponderExcluir
  2. Ora, a questão da guarda do sábado é tão fácil. É só ir a Gênesis 2:2-3 que encontramos a resposta:

    "E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera."

    Ora, se Deus abençoou e santificou um dia em especial, por que eu tenho que contestar? Note que o homem nem havia sido criado, muito menos havia Lei de Moisés ainda, que por sinal diz o mandamento "Lembra-te...", ou seja, não era nada novo para o seu povo, mas apenas para se lembrarem de que Deus é o criador de todas as coisas e de que abençoou e separou este dia para o homem.

    Além disso, se formos para a lógica (em última instância), vemos que observar o sábado, como o Senhor orientou, é um deleite (e não um fardo), uma vez que podemos descansar de uma semana corrida e cansativa, nos revigorar e voltarmos nossos olhos exclusivamente para o Senhor, lembrarmos de sua criação, adorarmos, realizarmos a Sua obra, ajudarmos o próximo, evangelizarmos e termos mais comunhão com Ele e com os irmãos. Que dia maravilhosos Ele nos separou.

    Ele ainda "descansou" no sétimo dia. Quando Deus precisaria descansar? Deus não se cansa. Na verdade estava nos dando exemplo a seguir.

    Além disso, a própria ciência afirma que um dia de repouso na semana é necessário. Os dias estão tão corridos, as pessoas não páram mais para nada, nem para pensar! A que ponto chegamos. Parecemos zumbis, escravos deste mundo materialista. Por isso, a lógica de Deus é maravilhosa e deixou este sinal entre Ele e o homem, para que nunca o homem esqueça de que Ele é o Criador.

    Isso, é claro, não descarta o adorarmos nos demais dias, pelo contrário devemos nos achegar a Deus TODOS os dias e manter comunhão, sempre vigiando e orando, é claro. Mas uma coisa não descarta a outra. Ora, por que comemoramos aniversário? Não devemos amar a pessoa todos os dias? Ora, por que comemoramos o dia das mães? Não é para amarmos ela todos os dias? Ora, por que comemoramos o Natal? Não é para amarmos Jesus todos os dias? E lembrarmos dEle todos os dias?

    Pense nisso. Abra o seu coração e deixe o orgulho de lado. Seja fiel até o fim às Escrituras. Se Deus determina algo, cabe a nós atender. Sabe por quê? Por que Ele nos ama e quer o melhor para nós. Não cabe a nós contestá-lo, mas tão-somente seguir seus preceitos. O sábado não salva. Assim como tomar a santa ceia não salva, nem devolver o dízimo salva. Mas sabemos que isso faz parte da vida de um verdadeiro cristão.

    Que Deus o abençoe e te dirija pelo Seu Espírito a todo o entendimento. Amém.

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links), control c + control v e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.